sábado, 9 de abril de 2016

(Superliga) Sada/Cruzeiro e Brasil Kirin fazem grande decisão neste domingo

Primeiro e terceiro colocados na fase classificatória da Superliga 2015/2016, Sada/Cruzeiro e Brasil Kirin se enfrentam na busca pelo título neste domingo, às 9h45min, no ginásio Nilson Nelson, em Brasília. Atuais campeões, os mineiros contam com um entrosamento de várias temporadas, enquanto o time paulista, que chega a sua primeira final, com jogadores dispostos a subirem no lugar mais alto do pódio. A partida terá transmissão da Globo e do Sportv.

Na busca por seu quarto título na competição, o Sada/Cruzeiro é apontado como o grande favorito. Atual campeão mundial, sul-americano e da Supercopa, a equipe comandada por Marcelo Mendez tem um histórico de dar inveja a qualquer time, sendo que em 26 competições, disputou 24 finais e foi campeão em 20 oportunidades. No time, destaque para o oposto Wallace, o ponteiro Leal e o excelente levantador William, grande cérebro da equipe mineira.

“O Brasil Kirin é um time com equilíbrio, que joga bem e que tem um jogo coletivo de bloqueio e defesa muito bom. É um jogo que será definido em detalhes. A nossa equipe vem mostrando muita regularidade nesta temporada e a experiência nessa hora ajuda, de saber jogar as finais, saber o que fazer nos momentos decisivos. Temos essa vantagem, mas ela é muito bem administrada. Trabalhamos dia a dia, com pés no chão, com humildade, para enfrentar essas decisões”, lembrou o técnico Marcelo Mendez.

“Foi uma temporada muito especial para nós. O empenho dos atletas, da comissão técnica, isso é uma coisa impressionante. A gente sempre tem tudo bem definido, queremos jogar, ganhar e conquistar todos os títulos que a gente puder. Isso define muito bem o nosso time, o empenho e o comprometimento dentro de quadra. E é assim que a gente vai para essa decisão com o Brasil Kirin. É um time forte. Os centrais deles estão fazendo bastante diferença. Como grupo eles são muito bons, não dependem somente de uma peça, e com todos ali estando bem é um time difícil de se enfrentar. Então temos que fazer o máximo, tentar forçar o erro deles, para tentarmos sair com a vitória”, disse o oposto Wallace.

“Eles têm um excelente levantador, que também ganhou muita coisa na Argentina, e é um cara que lê o jogo muito bem. Teve uma adaptação rápida aqui no Brasil e não só ele, como todo o time do Brasil Kirin, nos preocupam. Eles têm várias qualidades, mas nós temos que imprimir nosso ritmo de jogo e buscar esse título”, afirmou o levantador William.

Pelo lado do Brasil Kirin, a arma para buscar a conquista inédita é o jogo coletivo. Durante as semifinais e em toda temporada, o time de Campinas trocou peças, revezou jogadores e mostrou a força do elenco para chegar até a decisão. Contra a Funvic/Taubaté, nas semifinais, o técnico Alexandre Stanzioni usou todos os ponteiros e centrais disponíveis, algo que acabou dando certo com a vitória dentro do Abaeté.

“Tivemos uma evolução, especialmente, na segunda metade da temporada. Depois da Copa do Brasil, crescemos e conseguimos entrar fortes nos playoffs. Esta mudança nos trouxe até aqui e ainda pode nos levar mais longe. Precisamos manter o mesmo espírito e atitude que tivemos neste período. Isto será fundamental em uma partida que tem tudo para ser equilibrada”, comentou o treinador Alexandre Stanzioni.

“O favoritismo deles é total, mas, se trata de uma final em jogo único e, assim, qualquer coisa de errado que aconteça pode comprometer. Nós acreditamos muito nesse título. Ao longo do returno e dos playoffs nosso time cresceu bastante, depois passamos por uma semifinal muito dura e isso aumentou a nossa expectativa”, afirmou o oposto Wallace, do Brasil Kirin.

“Todos sabem que do nível do Sada/Cruzeiro. Eles são os melhores do mundo, mas nós não queremos ser os melhores, nós só queremos ganhar no domingo. A final da Superliga é uma festa muito linda, nós temos um time novo, que nunca participou disso tudo, mas viemos aqui para tentar ganhar deles, claro. Sabemos que temos que jogar o nosso máximo, mas é possível”, afirmou o levantador Gonzalez.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Wallace, William, Leal, Filipe, Isac, Éder e Serginho (líbero)
técnico: Marcelo Mendez

Brasil Kirin: Gonzalez, Wallace, Maurício, Luizinho, Olteanu, Lucas Lóh e Tiago Brendle (líbero)
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Célio Messias/Inovafoto/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário