quarta-feira, 6 de abril de 2016

(Superliga) Brasil Kirin supera Funvic/Taubaté no tie-break e chega a final

O Brasil Kirin está na decisão da Superliga 2015/2016. Depois de perder o primeiro jogo fora de casa, a equipe de Campinas venceu no Taquaral e, na partida desempate bateu o Funvic/Taubaté por 3 sets a 2, parciais de 23/25, 25/19, 22/25, 25/20 e 15/13, no ginásio Abaeté. Com o resultado, os comandados de Alexandre Stanzioni fecharam a serie semifinal em 2 jogos a 1 e encaram o Sada/Cruzeiro na final que ocorrerá no próximo domingo, às 9h40min, no ginásio Nilson Nelson, em Brasília.

O central Deivid abriu o placar do jogo a favor do Funvic/Taubaté. Demonstrando atitude, o time da casa ainda fez o segundo ponto com ace de Lucarelli. No bloqueio de Otávio, o placar foi a 6 a 2. Com Lucas Lóh, o Brasil Kirin reduziu a desvantagem para 7 a 5. Contando com erros do adversário, o time visitante encostou no placar (8 a 7). O set ganhou equilíbrio. Na bola de segunda de Raphael, o Funvic/Taubaté fez 15 a 14. O time da casa, então, abriu três em 18 a 15 e Stanzioni pediu tempo. O Brasil Kirin reagiu e, no bloqueio de Luizinho, encostou em 18 a 17. Foi a vez de Cezar Douglas parar o jogo. No erro do adversário, o Taubaté voltou a abrir: 21 a 18. No ace de Lipe, a equipe da casa chegou a 23 a 20 e, quando fez 24 a 22, Vini entrou no saque. O central levou o Brasil Kirin a 24 a 23. Mas, na sequência, o Funvic/Taubaté fechou em 25 a 23.

O segundo set começou com ponto do central Luizinho para o Brasil Kirin. Com dois bloqueios seguidos, o time visitante ainda chegou a 5 a 2, forçando o técnico Cezar Douglas a pedir tempo. Contando com erros do adversário, o Brasil Kirin abriu boa vantagem em 7 a 2. A equipe de Campinas ainda fez 9 a 3. O Funvic/Taubaté buscou o placar e, com Lucarelli, reduziu a desvantagem para 10 a 6. Com Lucas Lóh na bola meio fundo, o Brasil Kirin voltou a abrir cinco pontos (12 a 7). Com ponto de bloqueio de Maurício, os visitantes fizeram 14 a 9. Em boa passagem de Luizinho pelo saque, e contando com erros do time da casa, o Brasil Kirin fez 16 a 9. A vantagem seguiu grande para o time de Campinas: 20 a 13. O Brasil Kirin chegou a 22 a 16. No final, melhor para o time campineiro, que fechou em 25 a 19.

O terceiro set começou com equilíbrio. No bloqueio de Deivid, o Funvic/Taubaté chegou ao ponto de empate: 3 a 3. Com dois pontos de bloqueio seguidos, o time da casa fez 7 a 4. No ace de Lipe, 9 a 5 para o time do Vale do Paraíba. A vantagem seguiu em 12 a 8. O Brasil Kirin reagiu e encostou no marcador em 13 a 12. O set ficou igual em 17 a 17. No ace de Lucarelli, o Funvic/Taubaté colocou dois de vantagem em 19 a 17. Com Ygor, o Brasil Kirin encostou no placar em 20 a 19. Com Otávio, o time da casa chegou a 23 a 21. No final, com Lucarelli, o Funvic/Taubaté fechou por 25 a 22.

Com o set empatado em 2/2, Lipe explorou o bloqueio adversário e colocou o Funvic/Taubaté a frente. Wallace respondeu e deixou o jogo igual novamente: 3 a 3. Em grande ataque do central Ialisson, depois de rápido levantamento de Raphael, o time da casa fez 7 a 6. O equilíbrio permaneceu, com apenas dois de vantagem para o Funvic/Taubaté (13 a 11). O Brasil Kirin, então, assumiu o comando do marcador em 15 a 14. O time visitante ainda abriu dois (19 a 17) e Cezar Douglas pediu tempo. Em bom saque de Wallace, o Brasil Kirin fez 21 a 18. Contando com erros do Taubaté, o time de Campinas fez 24 a 19. E, com o central Vini, o Brasil Kirin fez 25 a 20.

O Brasil Kirin abriu o placar do tie-break com o central Maurício. O set esteve igual em 3 a 3 e se manteve bastante disputado, com o novo empate em 6 a 6. Na virada de quadra, o time da casa colocou um de vantagem com o oposto Sanchez: 8 a 7. A parcial manteve o equilíbrio em 9 a 9. Com Wallace, o Brasil Kirin fez 10 a 9. Com Lucarelli, o Taubaté chegou a 12 a 12. No final, Deivid e Ialisson demoraram na hora da substituição, o capitão Wallace, do Brasil Kirin, reclamou com o árbitro, que deu cartão vermelho para o Funvic/Taubaté, fazendo o time de Campinas fechar o duelo em 15 a 13.

“É difícil falar em um momento como esse, mas o nosso grupo é muito unido. Hoje eu não poderia deixar de dar o meu máximo. Consegui jogar, mesmo com a lesão muscular que eu estou na coxa. Esse grupo merece estar na final por tudo que mostrou o ano inteiro. Fez uma baita Superliga e esteve o tempo inteiro unido, disse o ponteiro Piá.

“Foi um jogo digno de uma semifinal. Nosso time acreditou todo o tempo, mesmo nas adversidades. Para mim, particularmente, é fantástico. Dois anos que eu venho sofrendo com lesões, talvez desacreditado, e hoje poder estar na final é algo maravilhoso. Sou muito grato ao projeto, que acreditou em mim, me ajudou a recuperar, minha família, muitos amigos, que estavam torcendo para que isso acontecesse hoje e posso dizer que estamos na final por mérito nosso”, concluiu o oposto Wallace.

“Foi um jogo digno de semifinal de Superliga, com emoção até o final. Conseguimos manter o equilíbrio quando fomos exigidos, especialmente no tiebreak, e conquistamos a vaga. Todos estão de parabéns, não só pelo que fizeram aqui, mas também em toda temporada”, comentou o treinador Alexandre Stanzioni.

Equipes:

Funvic/Taubaté: Rapha, Sanchez, Otávio, Deivid, Lucarelli, Lipe e Felipe (líbero)
entraram: Diego, Japa, Ialisson, Léozão e Pedro
técnico: Cezar Douglas

Brasil Kirin: Gonzalez, Wallace, Maurício, Luizinho, Olteanu, Lucas Lóh e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Piá, Ygor, Vini, Michael e Baiano
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Bruno Miani/Inovafoto/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário