quinta-feira, 10 de março de 2016

(Superliga) Na despedida, Juiz de Fora vence Sada/Cruzeiro no tie-break

Pela última rodada da fase classificatória, o já eliminado Juiz de Fora derrotou o Sada/Cruzeiro (melhor campanha) por 3 sets a 2, parciais de 22/25, 25/27, 25/21, 25/23 e 15/10, no ginásio da UFJF. Com o resultado, a equipe da Zona da Mata encerra sua participação na Superliga 2015/2016 na lanterna, com dez pontos, enquanto o time celeste, 1º colocado no geral, com 55 pontos, enfrentará o São José dos Campos nas quartas de final.

Mesmo com as duas equipes já tendo suas situações definidas na tabela, a partida iniciou movimentada, com o Sada/Cruzeiro fazendo 4 a 8 na primeira parada técnica. O juiz de Fora, com grande atuação de seus ponteiros, reagiu e encostou no placar: 15 a 16 na segunda parada técnica. Entretanto, os jovens escalados por Marcelo Mendez conseguiram segurar a ponta e com destaque para o oposto Alan fecharam em 22 a 25.

No segundo set, quem iniciou melhor foi o Juiz de Fora, que fez 8 a 4 na primeira parada técnica. Com o levantador Maurício fazendo uma boa distribuição a equipe da casa foi para o segundo tempo técnico com a vantagem de 16 a 12. Na reta final, o placar era de 21 a 16 e todos esperavam uma vitória dos comandados de Alessandro Fadul, porém em uma reação incrível, os visitantes viraram o placar e conseguiram a vitória por 25 a 27.

A derrota na parcial anterior não desestabilizou o Juiz de Fora que voltou para o terceiro set com ‘sangue no olho’, tanto que fez 8 a 3 na primeira parada técnica. Forçando bastante o saque e com Renato e Djalma inspirados a equipe se manteve na frente do placar durante todo o período, fazendo 16 a 13 na segunda parada técnica, 21 a 18 na parte final e fechando o placar com 25 a 21.

A boa atuação no terceiro set se manteve no quarto período no Juiz de Fora, que fez 8 a 6 na primeira parada técnica. O técnico Alessandro Fadul colocou Fernando Hernandez como titular e o levantador conseguiu trabalhar bem com o oposto Thiago Maciel, ajudando a equipe a fazer 16 a 13. Na reta final, o Sada/Cruzeiro, bastante modificado em quadra, se recuperou e encostou no placar: 21 a 18. Entretanto, no momento decisivo, os donos da casa tiveram tranquilidade para fechar em 25 a 23.

No tie-break, o Sada/Cruzeiro começou melhor e logo colocou 2 a 5 no placar. O Juiz de Fora, forçando bastante o saque e apostando nas bolas de segurança conseguiu encostar e virar o placar: 10 a 8. Na reta final, os visitantes até tentaram esboçar uma reação: 12 a 9, mas seguros em quadra e dispostos a vencer na despedida da competição, os jogadores da equipe da Zona da Mata fecharam em 15 a 10.

“Foi mais uma partida muito difícil. Mesmo sabendo que jogaríamos a Seletiva, não 'largamos' os últimos confrontos - continuamos nos dedicando. Apesar de não estarmos onde desejávamos neste momento da competição, ainda temos a chance de assegurar nossa vaga para a próxima temporada. Terminar com vitória é importante, dá um gás, pois teremos adversários complicados, com vários dias de jogos seguidos, sem descanso. Precisamos continuar trabalhando”, declarou o central Diego Almeida.

“Começamos o primeiro set muito mal. Até melhoramos, mas não conseguimos nos recuperar a tempo. Do segundo set em diante, construímos cenários favoráveis. Fizemos algumas mudanças que julgamos necessárias e o time acabou saindo de um cenário adverso, virando o jogo. A equipe está de parabéns pela forma como se comportou durante a partida. Esperamos manter o ritmo até a Seletiva, pois o objetivo é assegurar a vaga na próxima Superliga, para o nosso torcedor, para o projeto e para Juiz de Fora”, declarou o técnico Alessandro Fadul.

“Para nós foi uma partida muito boa. Jogamos com os meninos da base do clube e isso é muito importante. Eles mostraram que jogam muito bem diante de um time adulto e estou feliz com o resultado e com o comportamento dos meninos. No Sada Cruzeiro, temos um trabalho bem integrado das categorias de base com o adulto, eu coordeno também as atividades da base junto com os outros treinadores, e os resultados têm sido muito bons”, lembrou o técnico Marcelo Mendez.

“Apesar da pouca idade, acho que eu tenho um pouco mais de bagagem. Então, em momentos de pressão, quando o jogo ficou parelho, eu tentei passar tranquilidade para os meninos. Não só eu, mas também Alan, Rodriguinho, nós temos essa função por sermos mais rodados e usados na equipe adulta. Agora é focar nos playoffs e trabalhar bastante”, declarou o levantador Fernando Cachopa.

Agora, o Juiz de Fora encara a Seletiva, que vai acontecer na semana do dia 27 de março. A sede ainda não foi definida e além dos mineiros estão na disputa o Copel Telecom/Maringá e mais duas equipes que virão da Superliga B.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Fernando Cachopa, Alan, Rodriguinho, Leozinho, Éder Levi, Pedrão e Vanderson (líbero)
entraram: Cristiano, Rômulo, Rammé e Robert
técnico: Marcelo Mendez

Juiz de Fora: Mauricio, Tiago Maciel, Djalma, Renato, Igor, Diego e Fábio Paes (líbero)
entraram: Tatinho, Tarik e Ninão
técnico: Alessandro Fadul

foto: Acesso Comunição Jr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário