segunda-feira, 21 de março de 2016

Não é hora para especulação no mercado de transferências

A Superliga 2015/2016 chega as semifinais com a presença de Sada/Cruzeiro, Funvic/Taubaté, Brasil Kirin e Sesi-SP, exatamente os clubes de maior investimento do voleibol brasileiro. Em meio a definição do título começam a ‘pipocar’ informações e especulações a respeito de quem sai ou quem entra em cada equipe para a próxima temporada, porém o discurso de todos, e está correto, é de que o foco está na competição.

Infelizmente algumas pessoas com a cultura futebolística brasileira tentam transportar para o voleibol o conceito de especulação como fonte de informação para desestabilizar outro clube ou até mesmo tirar o foco das decisões em quadra. Obvio que os times presentes nas semifinais da Superliga 2015/2016 só pensam no lugar mais alto do pódio, e até mesmo o mais distante dirigente sabe que mais importante do que começar a planejar a próxima temporada é encerrar com o título a anterior.

Algumas equipes eliminadas da Superliga 2015/2016 já iniciaram seus planejamentos para a próxima temporada, começando por uma avaliação do elenco e de qual será o orçamento. O mercado de transferências começa a se movimentar, mas qualquer negócio só deve ser concretizado após o término da principal competição do país e até mesmo jogadores que encerraram seus contratos no exterior esperam por isso.

Não vamos esquecer que por terem o maior investimento, os quatro clubes que estão nas semifinais devem ditar o mercado de transferências. A saída ou chegada de um atleta nestas equipes pode significar mudanças para quem tem orçamento mediano ou até mesmo nos times que só fecham suas contas meses antes da temporada iniciar. Questões econômicas, oferta x procura, e muito mais, serão mais importantes depois do dia 10 de abril.

foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário