sábado, 26 de março de 2016

Mesmo sem divulgação, CBV avalia positivamente a 5ª edição da Superliga B

A 5ª edição da Superliga B contou com recorde de participantes, no caso, 13 clubes, algo que foi comemorado pela Confederação Brasileira de Vôlei. Com a presença de clubes com grandes torcidas, como Botafogo e Flamengo, e a volta de times de tradição como Santo André e São Bernardo, a diretoria da CBV viu o torneio como um sucesso, mesmo sem ter a divulgação desejada por todos.

O título ficou com o M.V.Selmer/Caramuru/Castro, que fez grande campanha, tendo conquistado seis vitórias e sofrido apenas uma derrota. Na CBV, o discurso é de valorização da base das equipes através do regulamento, que determinava a inscrição na competição de três jogadores sub-23 e três sub-21 por cada uma delas, com destaque para o Sesi-SP/Juvenil, que foi vice-campeão.

“O fato de termos duas equipes do Paraná jogando (a outra foi a ASPMA/Araucária/Berneck), sendo uma delas campeã, foi muito importante. Isso fará com que se desenvolva cada vez mais a base do voleibol paranaense, que nos últimos anos tem revelado inúmeros jogadores”, declarou o diretor de competições de quadra da entidade, Radamés Lattari.

A 5ª edição teve seus momentos interessantes como a surpresa M.V. Selmer/Caramuru/Castro, que não apenas em quadra, mas também fora dela (boa estrutura do ginásio Padre José Pagnacco) mostrou um projeto sólido. O belo trabalho feito pelo Botafogo, que tendo o menor orçamento chegou as semifinais, e a continuidade do bom time do Upis/Brasília. Por outro lado, nem mesmo a final teve transmissão da televisão e a divulgação, até mesmo no site oficial da CBV, foi fraca. 

foto: Caramuru/Castro/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário