quinta-feira, 31 de março de 2016

JF Vôlei vence Seletiva e fica com vaga na Superliga 2016/2017

Jogando no ginásio da UFJF, o Juiz de Fora Vôlei bateu o Copel Telecom/Maringá por 3 sets a 1, parciais de 23/25, 25/22, 25/23 e 25/20, garantindo assim o título da Seletiva para a Superliga 2016/2017. Com isso, a equipe mineira garantiu o direito de permanecer na elite nacional. Sendo que em nove anos de existência o time de Juiz de Fora participará pela sexta vez seguida da competição mais importante do país.

“A torcida é fundamental. Mesmo com dificuldades e muitos resultados adversos, o ginásio esteve sempre cheio. Fazíamos questão de tentar proporcionar um bom espetáculo para eles, tanto é que jogamos bem todas as partidas disputadas por aqui. Foi muito melhor do que ganhar um título. Depois de tudo que sofremos durante a temporada, não poderíamos deixar a nossa vaga escapar. Enquanto que alguns dos nossos adversários chegaram a ter três ou quatro meses de preparação, o nosso grupo foi montado em cima da hora. Eu, por exemplo, cheguei a dez dias do início da Superliga. Perdemos muito jogos e tivemos que ouvir duras críticas. Corremos atrás, nos entregamos no dia a dia e fomos provando que poderíamos fazer diferente, jogar melhor. A torcida veio junto. E hoje conseguimos atingir o nosso maior objetivo”, afirmou o levantador Maurício.

“A gente encarava a partida como uma final. Esperávamos uma temporada complicada e sempre soubemos que haveria a segunda chance, a Seletiva. Era tudo ou tudo, só pensávamos na vitória. Combinamos entre nós que só sairíamos de quadra com a vitória, independente de qualquer coisa. Os atletas foram merecedores pelo que fizeram, pois não pararam de lutar em momento alguma da temporada. Evoluímos muito, viemos em uma crescente. A gente estava preparado e confiante, uma hora o jogo iria encaixar”, declarou o técnico Alessandro Fadul.

“Vencemos ali dentro. Fora, a luta é desigual. Não podemos repetir o que fizemos, em termos de estrutura. E também demos alguns azares com o elenco. Trouxemos alguns jogadores, esperando que se encaixassem de uma determinada forma, o que acabou não acontecendo; precisamos fazer mudanças em dois momentos. Se fosse o grupo atual treinando desde junho, a história poderia ter sido diferente. Mas agora começa tudo de novo, e, desta vez, temos mais tempo para correr atrás”, declarou o diretor técnico do JF Vôlei, Mauricio Bara.

foto: Acesso Comunicação Jr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário