FIVB pretende limitar partidas em até 1h50min de duração

Em reunião realizada na última quinta-feira, em Lausanne, na Suíça, a Federação Internacional de Voleibol discutiu alguns pontos como o vídeo challenger e, principalmente, a duração das partidas. Com a intenção de agradar as emissoras, a entidade pretende padronizar o tempo máximo de um jogo, estipulando o tempo máximo de 1h50min.

Volta e meia as emissoras do mundo inteiro reclamam do tempo de mais de 2h inserir uma partida de vôlei em sua grade de programação. De acordo com os membros da FIVB, algumas idéias estão em pauta, como uma maior rapidez na reposição do saque (evitando comemorações constantemente), o aperfeiçoamento do vídeo challenger e a não repetição de replays desnecessários pelas televisões.

“(Temos que dar) mais ênfase aos grandes lances que ocorrem em nossas partidas e menos na ação do ponto. Às vezes, as grandes jogadas estão no meio do rali, e isso vale muito mais tempo de exposição do que apenas repetir a ação final do rali”, disse o secretário-geral da FIVB, Fernando Lima.

O que sabemos no momento é que qualquer mudança, se ocorrer, só sairá do papel após os Jogos Olímpicos/Rio 2016. Além disso, alguma competição servirá de teste, sendo que não podemos esquecer que os sets até 21 pontos não funcionaram quando utilizados no passado na Superliga.

foto: FIVB/Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Com novidades, Apan/Barão/Esferatur/Blumenau só pensa na Superliga B

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Invicto no Espanhol, Palma Volley conta com bom momento do ponteiro Zóio