domingo, 24 de janeiro de 2016

(Superliga) Sada/Cruzeiro ganha do Brasil Kirin e fatura o bicampeonato

O ginásio Taquaral, em Campinas, recebeu 2.600 torcedores para a decisão da Copa Banco do Brasil. O Sada/Cruzeiro, que venceu a 1ª edição em 2014, derrotou o Brasil Kirin, vice-campeão em 2015, por 3 sets a 1, parciais de 24/26, 25/16, 25/21 e 25/20, faturando assim o bicampeonato.

O Sada/Cruzeiro saiu na frente e abriu 3 a 1. O time visitante fez 6/3 e Olteanu reduziu a diferença para 6/4. No erro do adversário, o Brasil Kirin encostou em 7 a 6. A equipe da casa, então, deixou tudo igual em 8 a 8. No bloqueio duplo de Wallace e Maurício, o Brasil Kirin passou a frente (10 a 9). Em passagem de Leal pelo saque, o Sada Cruzeiro retomou o comando do placar em 13 a 12. Lucas Lóh explorou o bloqueio adversário e o Brasil Kirin fez 14 a 13. Contando com o apoio da torcida e com Olteanu em boa passagem pelo saque, o time campineiro cresceu e chegou a 16 a 13. Wallace bloqueou Leal e o Brasil Kirin fez 21 a 17. Neste momento, Marcelo Mendez pediu tempo. William pontuou no saque e a diferença caiu para 21/19. No bom ataque de Wallace, o time da casa marcou 23 a 20. Éder bloqueou e o Sada reduziu a vantagem adversária: 23 a 22. Stanzioni pediu tempo. Na volta, Wallace pontuou e deixou o placar igual (23 a 23). Lóh marcou 24/13 para o Brasil Kirin e Leal respondeu para o Sada (24 a 24). O time visitante errou o saque e, no bloqueio, o Brasil Kirin fechou em 26 a 24.

O Sada/Cruzeiro saiu na frente no segundo set. No bloqueio de Pedrão, fez 2 a 0. O Brasil Kirin buscou e empatou em 2 a 2. No ace de Wallace, o time da casa assumiu o comando do marcador: 4 a 3. No erro de saque do adversário, o Sada empatou (6 a 6). Pedrão bloqueou e os visitantes fizeram 8 a 7. No bloqueio do levantador William, o Sada marcou 10 a 7. Com Lucas Lóh pelo meio fundo, o Brasil Kirin encostou em 11/10. A equipe mineira voltou a abrir vantagem e, com Wallace, fez 15 a 11. Os visitantes seguiram bem em quadra e, no ataque de Éder, chegaram a cinco de vantagem: 18 a 13. Éder conseguiu mais um potente ataque e o Sada/Cruzeiro abriu grande vantagem em 22 a 14. No final, melhor para os cruzeirenses: 25 a 16.

Olteanu abriu o placar do terceiro set para o Brasil Kirin. O Sada/Cruzeiro respondeu e virou para 2 a 1. Com Lucas Lóh, o time da casa deixou tudo igual (3 a 3) e, também com ele, fez 4 a 3. A diferença no placar seguiu pequena, com vantagem para os cruzeirenses em 8 a 7. O set ganhou ainda mais equilíbrio no empate em 12 a 12. A vantagem era de um ponto a favor do Sada Cruzeiro em 16 a 15. Com Leal, o grupo mineiro abriu dois de vantagem em 18 a 16. Com Lucas Lóh no contra-ataque, o Brasil Kirin chegou ao empate: 18 a 18. O ponteiro Rodriguinho entrou para sacar e, bem no fundamento, levou o Sada a 20 a 18. Quando os visitantes chegaram a 22 a 19, Stanzioni pediu tempo. Com Wallace passando bem pelo saque, o Sada fez 23 a 19. No final, melhor para o time cruzeirense, que fechou em 25 a 21.

O Sada/Cruzeiro seguiu melhor também no começo do quarto set e abriu 3 a 1. O time visitante ainda chegou a 5 a 1 e forçou o técnico do Brasil Kirin, Alexandre Stanzioni, a pedir tempo. A equipe da casa buscou diminuir a diferença e, com dois bons saques consecutivos de Gonzalez, encostou em 8 a 7. O Sada/Cruzeiro, então, contou com erros do adversário e voltou a abrir vantagem (14 a 9). Com Wallace pontuando bem, o time de Minas Gerais alcançou boa margem de diferença em 16 a 10. No saque de Leal, a vantagem aumentou mais um ponto. A diferença caiu de sete para cinco pontos em 20 a 15. No ace de Jotinha, reduziu ainda mais (22 a 18). No final, vitória do Sada Cruzeiro por 25 a 20.

“Estamos muito felizes por ganhar pela segunda fez a Copa Banco do Brasil e estamos felizes por fazer o nosso melhor jogo. Esse campeonato pode dar experiência aos jogadores mais jovens e respeitamos muito a competição”, destacou o técnico Marcelo Mendez.

“Foi um bom jogo, digno de uma final. O nosso time encarou a final como tinha que ser. Temos um grupo acostumado a disputar título, a enfrentar esses momentos, mas sabíamos que ia ser complicado, principalmente por estar fora de casa. Mas, o time cresceu no momento certo e, independentemente do que vai jogar, entramos em quadra sempre para ganhar”, afirmou o levantador William.

“O jogo foi equilibrado, mas a partir do segundo set nós passamos a sofrer no passe e isso atrapalhou a nossa virada de bola. Contra o Sada Cruzeiro isso não pode acontecer e nós tivemos que forçar e arriscar mais o nosso saque. A equipe mineira foi melhor, mas nós disputamos uma boa final, estamos crescendo e espero disputar mais decisões como essa no futuro”, disse o treinador Alexandre Stanzioni.

Equipes:

Brasil Kirin: Gonzalez, Wallace, Luizinho, Maurício, Olteanu, Lucas Lóh e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Jotinha, Michael, Ygor Ceará e Vini
técnico: Alexandre Stanzioni

Sada/Cruzeiro: William, Wallace, Éder, Pedrão, Filipe, Leal e Serginho (líbero)
entraram: Winters, Fernando, Alan, Éder Levi e Rodriguinho
técnico: Marcelo Mendez

foto: Wander Roberto/InovaFoto/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário