sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

(Copa Brasil) Após duelo equilibrado, Sada/Cruzeiro supera Sesi-SP e vai a final

Pela semifinal da Copa Banco do Brasil, o Sada/Cruzeiro derrotou o Sesi-SP por 3 sets a 2, parciais de 25/22, 25/18, 21/25, 26/28 e 15/12, no ginásio do Taquaral, em Campinas. Classificado para a decisão, o time celeste, que foi campeão do torneio em 2014, encara o Brasil Kirin, que eliminou o Voleisul/Paquetá Esportes, no próximo sábado, às 21h, no mesmo local.

O bloqueio do Sada/Cruzeiro fez diferença no início do primeiro set, abrindo 10 a 5, com o sistema defensivo funcionando muito bem. O Sesi-SP reagiu, mesmo sem contar com o oposto Theo e o ponteiro Douglas Sousa, e encostou no 12 a 10, também com uma boa atuação do bloqueio. E a pequena diferença de pontos se manteve até o empate dos paulistas em 20 a 20. Na reta final, na boa passagem de Wallace pelo saque, os mineiros conseguiu mais dois pontos, com um ace e um bloqueio, fazendo 24 a 21. E quem fechou a parcial foi Leal: 25 a 22.

Com ace do central Leandro, a equipe de Pacheco começou o segundo set melhor que primeiro e partiu para cima dos adversários, ficando apenas um ponto atrás no primeiro tempo técnico (8 a 7). William fazia das suas no levantamento, acionando bastante o cubano Leal, e com um ace de Filipe a Raposa fez 11 a 8. Eficiente no saque e nos contra-ataques, o time celeste chegou a fazer 18 a 13, sendo que na sequência fechou com tranquilidade em 25 a 18.

O Sesi-SP saiu na frente no placar após o juiz identificar um erro no posicionamento do Sada e mantendo a formação do set anterior, com Vaccari e Vinhedo o time paulistano soube aproveitar os espaços e saiu na frente no primeiro tempo técnico do terceiro set 6 a 8. Atendendo os chamados do levantador a altura, Vaccari foi peça fundamento para o time garantir dois pontos de vantagem e seguir vivo no jogo. Após a segunda parada técnica (14 a 16), o Sesi-SP até manteve bons ataques com Murilo e Rafael Araújo furando o bloqueio de Leal e William, mas após um saque forte dos mineiros e erro na recepção do lado paulista, o placar chegou aos 19 a 19. Marcos Pacheco não perdeu tempo e fez a inversão colocando Thiaguinho e o jovem Alan, que voou na quadra e ajudou os paulistas a fazer 21 a 25.

O quarto set foi melhor para o time estrelado no início, com vantagem de 8 a 5. Mas o ataque dos comandados de Marcelo Mendez perdeu em eficiência e, com boas atuações do bloqueio, o Sesi-SP não demorou a reagir e virar em 16 a 14. No bloqueio de Éder veio o empate, em 19 a 19. Apostando mais uma vez na inversão, o técnico voltou com Alan e Thiaguinho em quadra e no sufoco, com o placar muito apertado, o Sesi-SP conseguiu arrancar a vitória após um saque bem colocado de Vaccari (26 a 28).

Equilibradíssimo, o tie-break começou praticamente impecável, com as duas equipes virando forte as bolas, sem dar chances para o adversário. Muito bem na partida, Vaccari seguiu sendo parabenizado pelos parceiros ao pontuar e pelo Sada/Cruzeiro o levantador William seguiu a boa distribuição com o trio Wallace, Leal e Filipe, ficando na frente na troca de lados (8 a 7). Após boa passagem de Leal pelo saque, os mineiros conseguiram abrir dois pontos e seguiram bem para fazer 12 a 9 e fechar em 15 a 12, com um ataque de Wallace.

“Foi um jogo bastante suado, difícil, e vamos para mais uma decisão. Nossos últimos sets foram muito ruins e mesmo nos dois primeiros, quando fizemos 2 a 0, não estávamos no nosso melhor momento. Hoje nosso side-out foi muito baixo. O que a gente pode tirar de positivo é que mesmo assim nós conseguimos nos superar e buscar a vitória. Temos que melhorar, diminuir um pouco os erros e temos tudo para fazer uma boa final”, disse o central Éder.

“Nós não conseguimos jogar muito bem nos dois primeiros sets, mas crescemos no decorrer da partida. Nos adaptamos, fizemos algumas mudanças e conseguimos fazer um bom jogo. Claro que derrota é sempre derrota, mas tivemos meninos em quadra, como o Vaccari, que viveu isso aqui pela primeira vez. Entrou em uma partida muito difícil, contra um adversário forte e conseguiu ir bem. Fomos muito felizes em equilibrar o jogo e ter a dedicação de todos. Murilo e Serginho foram fundamentais por passarem tranquilidade e confiança aos meninos”, comentou o treinador Marcos Pacheco. 

Equipes:

Sada/Cruzeiro: William, Wallace, Filipe, Leal, Éder, Éder Levi e Serginho (líbero)
entraram: Alan, Fernando Cachopa, Pedrão e Winters
técnico: Marcelo Mendez

Sesi-SP: Thiaguinho, Rafael, Murilo, Alisson, Aracaju, Gustavão e Serginho (líbero)
entraram: Vaccari, Vinhedo, Alan e Johan
técnico: Marcos Pacheco

foto: Wander Roberto/inovafoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário