segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

As escolhas de Bernardinho e os últimos ajustes para os Jogos Olímpicos

2016 é ano olímpico e nada mais normal que todos estejam focados no que vai acontecer no Rio de Janeiro em agosto. Entretanto, ainda temos pela frente a disputa da Superliga e a Liga Mundial, duas competições que pode fazer a diferença para alguns jogadores e servir como último estágio para Bernardinho definir os 14 (depois haverá um corte para 12) integrantes do grupo que estará nos Jogos Olímpicos.

O Espaço do Vôlei se arrisca a projetar o que se passa, neste momento, na cabeça do treinador brasileiro. Quais posições o Brasil está carente? Quem tem chances de ser chamado? Quem já tem seu lugar garantido? O risco dos lesionados e por ai vai. Como qualquer lista, haverá discórdia e por isso explicamos que partimos observando o histórico de cada atleta, suas convocações e seu atual momento.

Em azul estão os nomes que achamos confirmados, em verde aqueles quase certos e em vermelho com poucas chances.

Levantadores: Bruninho é o capitão e figura importante no atual elenco. Em bom momento no Modena, da Itália, ele sabe da responsabilidade que tem no grupo. Rapha vem sendo o escolhido por Bernardinho nas últimas competições e leva vantagem sobre William, que mesmo sendo espetacular no Sada/Cruzeiro, deve ficar de fora da Olimpíada.

Opostos: Após se recuperar de uma lesão, Wallace é o titular absoluto da posição e tem a confiança de Bernardinho. No momento, a segunda vaga está em aberto, com vantagem para Evandro, que vem bem no voleibol japonês, mas correm por fora o experiente Leandro Vissotto e o jovem Renan Buiatti.

Ponteiros: Podemos dizer que dois nomes são dados como certo na lista, casos de Lucarelli e Murilo. O primeiro está em grande fase e virou o nome da Seleção Brasileira, enquanto o segundo tem experiência e após constantes lesões mostrou que está de volta. Lipe, atualmente lesionado, deve ser chamado, pois além de um ótimo saque tem uma garra impressionante. Para a ultima vaga a briga seria entre Lucas Loh (hoje o favorito), Maurício Borges, e Samuel, este último dispensado na última Liga Mundial, mas se fizer uma reta final de Superliga como na temporada passada, pode ser chamado.

Centrais: Aqui temos dois confirmados, no caso Lucão e Isac, que estão jogando o fino da bola em seus clubes e na Seleção Brasileira. Sidão, com uma seria lesão precisa se recuperar logo para ter chances de ser chamado ainda na Liga Mundial, o mesmo ocorre com Riad, que precisa recuperar o tempo perdido. Correndo por fora está o sempre regular Éder e o experiente Maurício Souza.

Líberos: Aqui a tarefa de Bernardinho é uma das mais fáceis. Serginho é seu homem de confiança e titular absoluto. Na reserva, ele pode contar com o bom Thiago Brendle, que a cada temporada mostra uma evolução absurda. Correndo por fora está Mário Jr.

foto: Divulgação

Um comentário:

  1. Preocupa e muito os ponteiros, talvez se o Leal estivesse em condições, não teríamos problemas, e seria a solução ideal para a seleção, os ponteiros listados não me agregam confiança, pois Lipe está lesionado, Lucas Loh é irregular e Samuel está lesionado. Acredito que o Felipe do SADA poderia ser uma alternativa, ainda que não seja uma renovação é um jogador importante, para jogos que o Murilo não esteja 100%, pode ser um suporte legal, etc. Ainda que deixe a desejar na estatura, potência, etc.

    Os opostos nos deixam tranquilos, ainda que ache o Vissotto um tanto preguiçoso é um grande jogador, porém menos consistente que o Evandro. O Renan se fosse central tenho convicção que estaria brigando por uma vaga, uma pena.

    Líberos concordo com tua colocação, assim como os levantadores!

    Não sei se é possível, mas se houver tempo hábil tenho certeza que essa superliga pode trazer 1 central e 1 ponteiro para serem observados!

    ResponderExcluir