terça-feira, 22 de dezembro de 2015

(Superliga) Em confronto equilibrado, Sesi-SP vence Brasil Kirin no tie-break

Na abertura da 11ª rodada da Superliga 2015/2016, o Sesi-SP derrotou o Brasil Kirin por 3 sets a 2, parciais de 17/25, 25/21, 29/17, 21/25 e 15/7, no ginásio da Vila Leopoldina. Com o resultado, o time paulistano chegou aos 22 pontos e assumiu a 2ª colocação, enquanto a equipe de Campinas segue no 4º lugar, agora com 20 pontos. As duas equipes ainda podem cair uma posição na tabela após o término da rodada.

O confronto começou com um erro de saque para cada lado. Murilo pontuou para o Sesi-SP, que fez 2 a 1. No bloqueio de Maurício, o Brasil Kirin chegou ao empate em 3 a 3. No erro do adversário, a equipe visitante fez 6 a 5. Novamente com Maurício no bloqueio, o Brasil Kirin abriu três pontos de vantagem (10 a 7). A vantagem ainda aumentou em um ponto. Na sequência, na bola de segunda de Jotinha, o Brasil Kirin ainda abriu a vantagem de cinco pontos (19 a 14). No final, o time visitante venceu, sem dar muitas chances ao adversário: 25 a 17.

Em bom saque de Maurício, o Brasil Kirin abriu 4 a 2 logo no começo do segundo set. No bloqueio de Gustavão, o Sesi-SP chegou ao ponto de empate (4 a 4). O time da casa abriu vantagem e, no erro de saque do adversário, chegou a 11 a 8. Em boa passagem de Théo pelo saque, o Sesi-SP aumentou a diferença para 17 a 11. Contando com erros do time visitante, os donos da casa chegaram a 23 a 16. E o Sesi-SP venceu a parcial por 25 a 21.

O Sesi-SP começou bem o terceiro set e abriu 2 a 0. No bloqueio, Lucas Lóh pontuou para o Brasil Kirin: 3 a 3. Depois de uma boa muito disputada, e várias defesas do líbero Tiago Brendle, o time visitante chegou a 5 a 3. No primeiro tempo técnico, o Brasil Kirin vencia por 8 a 6. Com dois bloqueios consecutivos, a equipe de Campinas abriu ainda mais (11 a 7). No contra-ataque de Wallace, o Brasil Kirin fez 15 a 10. Com Piá, o time do interior chegou a 17 a 12. Com domínio no set, o Brasil Kirin conseguiu o vigésimo segundo ponto no saque de Vini (22 a 16). O Sesi-SP reagiu, aproximou em 22 a 20 e Stanzioni pediu tempo. O set ficou ainda mais disputado e, com Théo, o time da casa chegou ao empate em 24 a 24. A disputa seguiu ponto a ponto ate que o Sesi-SP, com Théo, fechou em 29 a 27.

O central Aracaju abriu o quarto set a favor do Sesi-SP. Com Thiago Alves, o time da casa fez 6 a 5. Sem que nenhuma equipe desgarrasse no placar, a vantagem do Sesi-SP era de apenas um ponto no primeiro tempo técnico: 8 a 7. O Brasil Kirin, então, reagiu, passou a pontuar em boa passagem de Luzinho pelo saque e, quando fez 11/8, Marcos Pacheco pediu tempo. Thiago Alves pontuou e reduziu a desvantagem do Sesi-SP: 15 a 13. No bloqueio de Wallace, o Brasil Kirin fez 19 a 15. Depois de bom saque de Murilo, Thiago Alves pontuou e a diferença caiu (19 a 17). O Sesi-SP ainda encostou em 20 a 19. Mas o Brasil Kirin voltou a pontuar bem e fechou em 25 a 21.

O time da casa começou melhor o set decisivo. Depois de bom saque de Théo, Thiago Alves pontuou, o Sesi-SP fez 4 a 2 e forçou Alexandre Stanzioni a pedir tempo para orientar seus jogadores. Com Théo pontuando bem, o time da Vila Leopoldina chegou a 7 a 3. O Sesi-SP seguiu no comando da parcial, com boa vantagem (11 a 7). No final, o Sesi-SP fechou em 15 a 7.

“Esse ano, não temos jogo entre o Natal e o Ano Novo, mas, com certeza, as equipes vão continuar treinando, trabalhando e, em janeiro, retomamos a superliga, com energia renovada, em função das festas e depois de passar um tempo com a família, que sempre é muito importante”, comentou o ponteiro Murilo. 

“Nós fizemos muitas partidas de três sets a dois, mas conseguimos ir bem e terminamos entre os três primeiros colocados, o que era o nosso objetivo. Eu acho que para o próximo turno é tirar as lições do que não fizemos direito e manter os nossos pontos fortes. Eu sempre falei que o Sesi-SP quando engrenar tudo vai alcançar o objetivo de chegar na final novamente”, declarou o ponteiro Thiago Alves, completamente recuperado de uma lesão no ombro.

“Foi um grande jogo para quem viu, bem jogado, de muito estudo dos dois lados. Tivemos algumas oportunidades, mas do outro lado havia uma equipe forte. Agora é descansar, colocar a cabeça no lugar e treinar neste final de ano para corrigir os erros”, afirmou o ponteiro Lucas Lóh.

Esse foi o último jogo das duas equipes em 2015. Agora, o Sesi-SP volta à quadra pela Superliga só no dia 9 de janeiro, às 20h, contra o Lebes/Gedore/Canoas, no ginásio da Vila Leopoldina. Já o Brasil Kirin jogará no dia 16 de janeiro, às 18h, também contra o time gaúcho, no ginásio do Taquaral.

Equipes:

Sesi-SP: Thiaguinho, Theo, Gustavão, Leandro Aracaju, Thiago Alves, Douglas Souza e Serginho (líbero)
entraram: Vinhedo, Johan, Douglas, Pureza e Rafael Araújo
técnico: Marcos Pacheco

Brasil Kirin: Gonzalez, Wallace, Vini, Luizinho, Piá, Lucas Lóh e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Ygor Ceará, Michael, Vini e Olteanu
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Biratan Aricó Jr./Divulgação Sesi-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário