domingo, 22 de novembro de 2015

(Superliga) Em jogo de altos e baixos, Brasil Kirin vence Lebes/Gedore/Canoas

No encerramento da 4ª rodada da Superliga 2015/2016, o Brasil Kirin derrotou o Lebes/Gedore/Canoas por 3 sets a 2, parciais de 25/23, 21/25, 17/25, 25/23 e 15/13, no ginásio do Grêmio Náutico União, em Porto Alegre. Com o resultado, a equipe de Campinas alcança a 4ª posição, com oito pontos, enquanto o time gaúcho chegou aos quatro pontos e aparece agora na 10ª posição da tabela.

O primeiro set iniciou com a partida bastante equilibrada. Os dois times erravam pouco, sendo que o Lebes/Gedore/Canoas, após bloqueio de Dennis fez 5 a 2., obrigando Alexandre Stanzioni a pedir tempo. Na primeira parada técnica, a vantagem era do time gaúcho com: 8 a 6. Após um bloqueio triplo, os comandados de Marcelo Fronckowiak abriram 13 a 10, mas o Brasil Kirin respondeu com bloqueio de Vini: 14 a 13, porém foram os donos da casa que fecharam em 16 a 14. Com a entrada de Jotinha e Michael, o time de Campinas conseguiu o empate 18 a 18. No final, muito equilíbrio até o Lebes/Gedore/Canoas fazer 22 a 20 e fechar a parcial em 25 a 23.

O segundo set começou com o Brasil Kirin melhor em quadra, muito forte no saque e aproveitando os contra-ataques: 6 a 2 e chegou ao primeiro tempo técnico com: 8 a 4 no placar. O Lebes/Gedore/Canoas se recuperou e com um bloqueio triplo, seguido de um contra-ataque encostou de vez: 8 a 7. Com a torcida vindo junto, a equipe gaúcha empatou em 8 a 8, deixando a partida bem equilibrada. A equipe de Campinas seguiu forçando o saque e abrindo pequena vantagem: 13 a 10. Na segunda parada obrigatória, os visitantes, com um ace de Wallace, fizeram 13 a 16 e mantendo um ritmo forte no saque fizeram 15 a 18. Na reta final da parcial, o time paulista conseguiu segurar a pressão do adversário: 16 a 20 e, com uma bola rápida de meio, fechou em 21 a 25.

A terceira parcial iniciou com um bloqueio do Brasil Kirin colocando 3 a 0 no placar, com boa distribuição de bola do argentino Gonzalez. Após dois toques na rede seguidos, o Lebes/Gedore/Canoas empatou em 3 a 3, deixando novamente a partida equilibrada, tanto que com ataque de Dennis virou para 4 a 3, sendo que a primeira parada técnica acabou com vantagem dos gaúchos: 8 a 7. A equipe de Campinas chegou a virar o marcador, mas o duelo seguiu equilibrado, com destaque para duas defesas lindas de Tiago Brendle. A segunda parada obrigatória mostrava 16 a 10 para os visitantes, sendo que a equipe comandada por Marcelo Fronckowiak tinha dificuldades para fazer o side-out. No final, o time paulista, mesmo com a reação dos donos da casa, definiu o set em 17 a 25.

O quarto set iniciou parelho, com as duas equipes forçando bastante o saque. A primeira parada técnica teve o Brasil Kirin na frente: 8 a 4, com destaque para o oposto Wallace, principal referência no ataque. Os visitantes conseguiram neutralizar o cubano Dennis, que não conseguia mais ser tão efetivo em quadra. Com o Lebes/Gedore/Canoas errando muito, a equipe paulista foi abrindo no placar, fazendo 16 a 8 na segunda parada técnica após um ace. A equipe gaúcha com uma serie de bloqueios e jogando muito encostou: 16 a 13 e animou a torcida no GNU, sendo que após uma invasão, o placar era 15 a 17. Após um lance que gerou reclamação do time de Campinas, o time de Marcelo Fronckowiak manteve o ritmo forte e virou para 18 a 17. Na sequência, muito equilíbrio e emoção, cartão amarelo e as duas equipes disputando ponto a ponto: 21 a 21. No final, com um contra-ataque de Dennis e a torcida vindo junto, o Lebes/Gedore/Canoas conseguiu uma virada espetacular por 25 a 23.

O tie-break começou com os donos da casa embalados e abrindo 3 a 1, sendo que após um bloqueio em Olteanu o placar marcava 4 a 2, entretanto com um ace de Wallace, o Brasil Kirin deixou tudo igual: 4 a 4. Com grandes disputas, a virada de quadra apontava 8 a 7 para o Lebes/Gedore/Canoas, sendo que o marcador por várias vezes ficava igual: 9 a 9. Na reta final do set, a equipe de Marcelo Fronckowiak abriu 11 a 9, porém o time de Campinas fez 11 a 11. No detalhe, a vitória foi do Brasil Kirin por 15 a 13.

“Os jogos fora de casa a gente tem que ser agressivo como a gente foi hoje. O duelo foi equilibrado no primeiro set, onde perdemos, depois abrimos e a única coisa a lamentar é que poderíamos ter ganho melhor o quarto set e sair com uma sensação de um crescimento efetivo. Agora são jogos difíceis e tem que analisar o campeonato, onde qualquer ponto que se leva para casa é importante”, disse o treinador Alexandre Stanzioni.

“Tivemos um apagão difícil de ver no voleibol. Não tirando o mérito da equipe do Canoas, que jogou muito naquele momento, mas não podemos deixar isso acontecer. A gente vem bem, vem crescendo e os ajustes estão sendo feitos para melhorar. Sabíamos que o jogo era importante devido a sequência difícil fora que temos contra Taubaté e São José. Agora estamos nos preparando e não vamos mais deixar isso acontecer”, declarou o central Vini.

“Era uma tática mais conservadora, que acabou funcionando em Juiz de Fora no sentido até de segurança e para liberar o Léo (Caldeira) e o Dennis mais para o ataque. O Bosko agrega bastante e a entrada do Alê e de três jogadores em um set que estava difícil, mas conseguimos reagir, nós dá tempo e experiência porque quando as coisas estão dando certo é fácil de administrar, mas quando não estão dando certo a gente precisa continuar jogando. A impressão que me deu no terceiro e no quarto set é que o time estava desistindo e conseguimos uma reviravolta interessante e é isso, trabalho porque tem muita coisa pela frente”, declarou o técnico Marcelo Fronckowiak.

“A gente oscilou muito no jogo e em momentos que estávamos bem acabamos tomando cinco, seis pontos, mesmo com o passe na mão o que prejudicou no segundo e no terceiro set. No quarto set tomamos uma sequencia grande e conseguimos reverter de uma maneira extraordinária. A minha entrada foi para dar mais segurança no passe, mas o Alê entrou e foi bem, sendo que nosso time tem 14 jogadores que podem entrar a qualquer momento. Agora é tentar somar pontos porque o campeonato está muito equilibrado”, disse o ponteiro Bosko.

Na próxima quarta-feira, às 18h45min, o Brasil Kirin volta a quadra contra a Funvic/Taubaté, no ginásio Abaeté. Já na quinta-feira, às 20h, o Lebes/Gedore/Canoas faz uma reedição da final do Campeonato Gaúcho enfrentando o Bento Vôlei/Isabela, no ginásio municipal de Bento Gonçalves.

Equipes:

Lebes/Gedore/Canoas: Sandro, Dennis, Victor Hugo, Matheus, Bosko, Leo Caldeira e Jeffe (líbero)
entraram: Evandro, Wanderson, Tarcisio e Alê
técnico: Marcelo Fronckowiak

Brasil Kirin: González, Wallace, Lucas Loh, Olteanu, Vini, Maurício Souza e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Jotinha, Michael, Luizinho e Piá
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Matheus Beck/Lebes/Gedore/Canoas

Nenhum comentário:

Postar um comentário