domingo, 1 de novembro de 2015

(Mundial de Clubes) Sada/Cruzeiro supera Zenit Kazan e leva o bicampeonato

Em um grande duelo no ginásio Divino Braga, em Betim, o Sada/Cruzeiro derrotou o Zenit Kazan, da Rússia, por 3 sets a 1, parciais de 25/20, 21/25, 27/25 e 25/21, e conquistou o título do Campeonato Mundial de Clubes 2015. Com grande atuação, o time celeste fez um jogo disputadíssimo com os campeões europeus, que até então estavam invictos na competição. Esse é o segundo titulo dos mineiros que venceram também em 2013.

Como não poderia deixar de ser a final começou equilibrada e o Zenit Kazan chegou ao primeiro tempo técnico na frente: 7 a 8. Cada equipe conseguia fazer o side-out e a diferença não mudava, tanto que na segunda parada obrigatória, o placar era de 15 a 16 para os russos. Na reta final do primeiro set, o jovem oposto Alan entrou e virou o jogo para o Sada/Cruzeiro: 20 a 19. Após dois erros de Leon, os mineiros abriram vantagem e fecharam em 25 a 20.

No segundo set, a equipe europeia foi para cima e logo colocou 4 a 8 no primeiro tempo técnico, com destaque para o jovem oposto Poletaev. Entretanto, os mineiros reagiram e com um ataque do levantador Willian, o Sada/Cruzeiro encostou: 7 a 8. Neste momento, Leon resolveu aparecer e deixou o Zenit Kazan em vantagem na segunda parada técnica: 10 a 16. No final, o time celeste chegou a reagir, mas os russos tiveram tranquilidade para fecharem em 25 a 21.

O terceiro set foi emocionante do início ao fim. O equilíbrio seguia em quadra, tanto que a primeira parada técnica tinha o Sada/Cruzeiro na frente com 8 a 7. O Zenit Kazan deu o troco e conseguiu abrir certa diferença na segunda parada obrigatória: 13 a 16. Com Wallace de volta a quadra e com Leal soltando o braço, os donos da casa foram para cima e empataram o duelo em 18 a 18, e a partir deste momento, o ginásio foi abaixo com grande disputados ponto a ponto, até a vitória cruzeirense por 27 a 25.

Na parcial seguinte, era o tudo ou nada para os russos que chegaram na frente na primeira parada técnica: 6 a 8. Leon era o grande destaque da equipe, enquanto o norte-americano Anderson estava longe do seu melhor jogo. No lado do Sada/Cruzeiro, o bloqueio crescia, principalmente com Eder. Após dois grandes lances de Leal, os donos da casa abriram 16 a 13. No final, os donos da casa foram para cima e deixaram o Zenit Kazan sem reação, com vitória de 25 a 21 e título conquistado.

“Acho que o time merece ser qualificado como espetacular. Ganhamos de um candidato que é um dos melhores times do mundo, meia seleção russa, o oposto da seleção americana, e Leon, um ponteiro incrível. Acho que foi nosso jogo coletivo, trabalho tático e acho que o coração dos jogadores, que têm um compromisso muito grande para com o time, para com a diretoria, comissão técnica e isso deu resultado. Vencemos um time muito forte, que, se vai para a Olimpíada, tem muitas chances de ser campeão. É um time fantástico e nós o vencemos aqui em casa. Estamos felizes demais com essa conquista”, disse o técnico Marcelo Mendez.

“Acho que vai demorar muito tempo para existir um time que ganhe a quantidade de títulos que a gente ganhou e da maneira que ganhamos. Esse time do Kazan tem um orçamento três vezes maior que o nosso. É como se um time da série A enfrentasse um da série B no futebol. Isso valoriza demais a nossa vitória. Ameacei começar a chorar no meio do jogo, naqueles 23 pontos, e o Wallace me pediu calma! Eu respondi: tô calmo, mas não tem jeito! E foi assim, a gente se entregou e dominou o jogo”, desabafou o líbero Serginho.

“Ser bicampeão Mundial é sensacional, não é qualquer um que tem essa oportunidade. É uma grande alegria para nós. E esse prêmio é o resultado do trabalho que fazemos todo dia com esse grupo”, disse o ponteiro Leal, autor de 22 pontos e eleito o MVP do Mundial.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: William, Wallace, Filipe, Leal, Éder, Isac e Serginho (líbero)
entraram: Fernando Cachopa, Alan e Rodriguinho
técnico: Marcelo Mendez

Zenit Kazan: Kobzar, Anderson, Leon, Kuleshov, Gutsalyuk, Mikhaylov e Salparov (líbero)
entraram: Poletaev, Apalikov e Sivozhelez
técnico: Vladimir Alekno

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário