sábado, 3 de outubro de 2015

(Sul-Americano) Brasil vence a Venezuela e pega a Colômbia na semifinal

A terceira rodada do Campeonato Sul-Americano foi boa para a Seleção Brasileira. A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho já entrou em quadra classificada para as semifinais e bateu a Venezuela por 3 sets a 0, parciais de 25/16, 25/8 e 25/14, no ginásio do Sesi, em Maceió. Com a confirmação do primeiro lugar no Grupo A, o time verde e amarelo encara a Colômbia, que foi segunda no Grupo B, nas semifinais.

A Venezuela abriu o jogo com ponto de bloqueio e pontuou no mesmo fundamento no lance seguinte. O time visitante ainda fez 3 a 0. Os venezuelanos mantiveram o controle do marcador (6 a 4). O Brasil buscou, virou o placar e, no ponto de bloqueio, chegou a 8 a 7. Em grande passagem de Kadu pelo saque, a seleção chegou a 10 a 7. Com Lucas Lóh bem no ataque, a equipe da casa chegou a 14 a 10. A partir deste momento, o Brasil abriu boa vantagem e, em boa passagem de Raphael pelo saque, fez 19 a 12. Neste momento, a Venezuela pediu tempo. Na volta, com bloqueio, o Brasil marcou mais um. No final, melhor para a seleção da casa: 25 a 16.

O Brasil abriu a segunda parcial com ponto de saque do central Isac. Os donos da casa mantiveram o bom aproveitamento e abriram cinco de vantagem: 6 a 1. O set seguiu com tranquilidade para a seleção brasileira que, no bom saque de Maurício Souza, chegou a 12 a 3. O placar ainda chegou em 14 a 3 e os venezuelanos pediram tempo. Pontuando bem no bloqueio, inclusive com três seguidos, o Brasil marcou 16 a 3. Com Maurício bem no saque, a equipe da casa abriu 16 de diferença: 19 a 3. No ace de Kadu, 22 a 6. E, com ace de Renan, o Brasil fechou em 25 a 8.

A seleção brasileira voltou para o terceiro set com Raphael e Renan em quadra e logo abriu 5 0. A vantagem do Brasil seguiu boa em 7 a 3 e, depois, em 10 a 4. Com ponto de bloqueio de Lucas Lóh, o placar apontou 13 a 6. O set foi menos tranquilo para o Brasil, apesar da boa diferença. Em 19 a 11, o técnico Bernardinho promoveu a entrada do ponteiro Lucarelli e do central Lucão, que ainda não tinham jogado neste Sul-Americano, para delírio da torcida. Lucão entrou em quadra pontuando e o Brasil chegou a 23 a 13. No final, vitória por 25 a 14.

“O nosso time entrou mais concentrado e agressivo na partida. Isso ajudou, fez com que reduzíssemos muito as chances de a Venezuela gostar do jogo. Fico feliz de ter ajudado a equipe, que é o principal. Mas, não tem tempo para comemorar ou relaxar. Vamos descansar, dormir bem e fazer a reunião para estudarmos o adversário da semifinal. Temos que chegar ainda mais fortes, são jogos eliminatórios agora e temos que ter força máxima, seja contra quem for”, disse o central Maurício Souza.

“A nossa agressividade desde o começo do jogo fez diferença. Não menosprezando o Chile e o Peru, mas acredito que hoje estivemos mais ligados, com a concentração alta desde o primeiro segundo. Fomos com muita energia. Vendo pelo lado positivo, a dificuldade contra o Chile serviu como alerta e para mostrar que temos sempre que estar focados para conseguir nosso máximo dentro de quadra. Tivemos uma boa resposta. Agora os jogos são eliminatórios e queremos conquistar o título”, afirmou o levantador Raphael. 

Ainda pela 3ª rodada do Sul-Americano, o Chile venceu o Peru por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/16, 25/21; o Uruguai conquistou a primeira vitória na competição ao derrotar a Guiana por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/16, 25/21. Já a Argentina manteve sua invencibilidade ao superar a Colômbia por 3 sets a 1, parciais de 25/17, 28/26, 20/25 e 25/19.

As semifinais ocorrem neste sábado, também no ginásio do Sesi, em Maceió. Às 13h, a Argentina encara a Venezuela, enquanto às 15h40min, o Brasil enfrenta a Colômbia, ambos com transmissão do Sportv. A decisão acontece neste domingo, às 10h15min, no mesmo local.

Equipes:

Brasil: Bruninho, Evandro, Isac, Maurício Souza, Kadu, Lucas Lóh e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Raphael, Renan, Lucão, Lucarelli
Técnico: Bernardinho

Venezuela: Rojas, Flores, Paez, Salerno, Viloria, Escobar e Briceno (líbero)
entraram: Gonzalez, Velasquez, Siso, Arias e Abreu
Técnico: Nelson Fajardo

foto: Alexandre Arruda/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário