sábado, 3 de outubro de 2015

(Sul-Americano) Brasil vence a Colômbia e faz decisão diante da Argentina

Maior vencedora do Campeonato Sul-Americano, a Seleção Brasileira está na final para buscar o 30º título da sua história nesta 31ª edição da competição. Na semifinal, o time verde e amarelo bateu a Venezuela por 3 sets a 0, parciais de 25/19, 25/14 e 25/10, no ginásio do Sesi, em Maceió. Agora, na decisão que ocorre neste domingo, às 10h15min, os comandados de Bernardinho encaram a Argentina, que venceu a Venezuela por 3 sets a 1, parciais de 25/18, 20/25, 25/16 e 25/18.

Com Isac no saque, o Brasil abriu o jogo e fez 2 a 0. Com ponto de bloqueio, a equipe da casa chegou a 4 a 1. A seleção brasileira seguiu pontuando e ainda abriu 6 a 1. No ace de Evandro, o placar foi para 10 a 5. Com mais um ponto de saque, desta vez de Lucarelli, o Brasil marcou 13 a 6. A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho administrou a boa vantagem durante a parcial (17 a 11). No final, melhor para o Brasil, que fechou em 25 a 19.

Os donos da casa saíram na frente também no segundo set: 2 a 0. Os colombianos, então, não permitiram que o Brasil ampliasse a diferença e equilibraram o placar até 9 a 7. Depois de uma bola salva por Lucas Lóh quase nas placas de publicidade, Evandro atacou e pontuou: 12 a 7. Depois desse momento, a seleção brasileira abriu vantagem e, no ace de Isac, fez 19 a 8. E, com Evandro, o Brasil fechou em 25 a 14.

Assim como no primeiro set, a equipe brasileira abriu boa vantagem logo no começo (5 a 1) e forçou a Colômbia a pedir tempo. Em boa passagem de Bruninho pelo saque, o marcador ainda foi a 7 a 1. A diferença foi mantida ao longo da parcial (16 a 8) que contou com alterações em quadra. Entraram, no Brasil, o levantador Raphael, o oposto Renan, o central Maurício Soiza e o ponteiro Kadu. A equipe da casa, então, teve tranquilidade e, no ace de Lucão, venceu por 25 a 10.

“Eles erraram um pouco demais e nós fomos bem no saque, o que desequilibrou o passe deles e dificultou o ataque, que é o ponto forte da Colômbia. Isso nos ajudou. Agora, vamos para a final, que vai ser um clássico. A Argentina é um baita time, independentemente de quem esteja em quadra. É um time que não erra, defende muito e tem muito volume de jogo. Vai ser um bom jogo para quem estiver vendo de casa e aqui da arquibancada”, afirmou o central Lucão.

“Temos o peso de ganhar em casa. Enfrentar essa responsabilidade talvez seja o teste mais importante para alguns jogadores que estão aqui. Já a Argentina vai jogar como franca atiradora e isso é perigoso. O cuidado tem que ser enorme amanhã para não sermos surpreendidos. Agora temos que concentrar porque há uma final a ser jogada, contra uma equipe de qualidade, com uma pressão grande para o nosso lado”, explicou o técnico Bernardinho.

Equipes:

Brasil: Bruno, Evandro, Isac, Lucão, Lucarelli, Lucas Lóh e Serginho (líbero)
entraram: Raphael, Renan e Kadu, Maurício Souza
Técnico: Bernardinho

Colômbia: Jimenez, Piza, Agamez, Mosquera, Anbuila, Mendoza e Jaramillo (líbero)
entraram: Polchlopek, Lucumi, Alomia e Renteria
Técnico: Eliseo Ramos

foto: Alexandre Arruda/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário