domingo, 4 de outubro de 2015

(Sul-Americano) Brasil vence a Argentina e conquista o 30º título

Quase cinco mil pessoas estiveram no ginásio do Sesi, em Maceió, e viram de perto a conquista do 30º título da equipe brasileira no Campeonato Sul-Americano. Na decisão, o time verde e amarelo derrotou a Argentina por 3 sets a 0, parciais de 25/16, 25/19 e 25/16, Para levantar a taça, os comandados de Bernardinho venceram na fase classificatória o Peru, o Chile e a Venezuela, enquanto a Colômbia, que acabou em terceiro lugar, foi superada na semifinal desta 31ª edição da competição.

O confronto começou como previsto, com equilíbrio. O empate em 4 a 4 já apresentou isso. No ponto de Evandro, o Brasil abriu dois de vantagem e foi para o primeiro tempo técnico com 8 a 6. Com Lucão, a diferença passou a ser de três: 11 a 8. No ace do oposto Evandro, a seleção brasileira aumentou a distância. A partir deste momento, o Brasil dominou o set e abriu 10 pontos em 23 a 13. No final, no erro de saque da Argentina, a equipe brasileira fechou em 25 a 16.

No segundo set, o início também teve equilíbrio, mas com vantagem para o Brasil em 4 a 2. Com ponto de saque do central Isac, a equipe da casa fez 8 a 5. No erro dos argentinos, a seleção marcou 10 a 6 no placar. O time visitante não permitiu maior reação do Brasil e equilibrou em 14 a 13. No ace de Lucão, a equipe da casa fez 21 a 16. Na inversão, com Raphael e Renan em quadra, o Brasil fez 23 a 17. No final, vitória por 25 a 19.

A Argentina não se abateu com a derrota nos sets anteriores e saiu na frente na terceira parcial: 2 a 1. O Brasil, então, virou e fez 3 a 2. No bloqueio de Lucarelli, a seleção da casa fez 5 a 4. Com dois pontos seguidos de Lucarelli, um de ataque e outro de bloqueio, o Brasil chegou a 14/ a 9 e forçou a Argentina a pedir tempo. Em boa passagem de Lucão pelo saque, o marcador mostrou 17 a 11. A seleção brasileira administrou a boa vantagem (19 a 13) e, com Lucão, marcou o último ponto do Sul-Americano de 2015: 25 a 16. 

Além do título, o Brasil apareceu em quatro premiações individuais. Bruninho foi o melhor levantador, Evandro, o melhor oposto, Isac, o melhor central e o líbero Serginho foi eleito o melhor jogador do Campeonato Sul-Americano. Outros premiados foram os ponteiros Quiroga, da Argentina, e Jimenez, da Colômbia; o central Imhoff, da Argentina e o líbero argentino Santucci.

“Esperávamos um jogo mais duro, mas foi importante imprimir nosso ritmo. Estudamos bastante o time deles, e acho que por isso o jogo se tornou fácil. A Argentina sempre é uma equipe de respeito, que sabe jogar muito bem. Entramos em quadra respeitando muito o time deles e agora estou muito feliz com essa premiação”, disse o líbero Serginho.

“Tivemos uma semana de trabalho aqui em Maceió ajustando o time e jogamos de forma consistente a partir do Chile, quando jogamos um pouco desconcentrados. Fizemos três partidas de forma correta. Hoje, o saque começou não entrando e depois melhorou, o que é do jogo”, comentou o técnico Bernardinho. 

Equipes:

Brasil: Bruno, Evandro, Isac, Lucão, Lucarelli, Lucas Lóh e Serginho (líbero)
entraram: Raphael e Renan
Técnico: Bernardinho

Argentina: Chirivino, Zanotti, Quiroga, Martina, Franetovich, Imhoff e Santucci (líbero)
entraram: Koukartsev, Villarruel, Toro, Riganti, Gonzalo Quiroga
Técnico: Julian Alvarez

foto: Alexandre Arruda/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário