sábado, 8 de agosto de 2015

Canoas utiliza mesmo método do Bayern de Munique na prevenção de lesões

Com o objetivo de realizar uma pré-temporada perfeita, o Vôlei Canoas está aplicando uma série de testes e exames utilizados por grandes equipes do esporte mundial, como o Bayern de Munique, da Alemanha. O objetivo é avaliar a condição física dos atletas e prevenir lesões durante as competições, realizando o FMS (Functional Movement System).

“O objetivo do teste é identificar esses problemas nos padrões de movimentos e tentar diminuir a incidência de lesão. Do ponto de vista da aplicação esportiva, qualquer tipo de déficit ou deficiência que conseguirmos visualizar nos ajuda a planejar o trabalho para evitar lesões”, declarou o preparador físico da equipe gaúcha, Guilherme Berriel.

Os atletas do Vôlei Canoas foram submetidos aos testes na última semana e, no geral, o desempenho foi considerado extremamente positivo pela comissão técnica responsável pela aplicação do método. Ao todo, são sete movimentos básicos da vida cotidiana e, em especial, dos esportes: flexões, agachamentos, extensões, rotações, sendo que todos possuem um padrão ideal de execução e o teste serve para verificar alguma deficiência. 

“A pontuação para estar longe da possibilidade de lesão é acima de 14, e nossa média ficou entre 17 e 19, o que é um indicativo muito bom. Há algumas deficiências pontuais, que corrigiremos dentro do trabalho físico de cada jogador”, avaliou Berriel.

Confira quais são os testes e o objetivo de cada um:

Deep squat: agachamento para avaliar mobilidade de quadril e rotação de joelho
Hurdle step: passada por cima da barreira, dá a relação de força da musculatura abdominal e a mobilidade de quadril
Inline lunge: relação de core (unidade muscular que envolve, abdome, pélvis e bacia) dorsal, abdominal e de tronco
Shoulder mobility: mobilidade articular do ombro
Active straight-leg raise: flexibilidade de perna para ver o encurtamento da musculatura posterior
Trunk stability pushup: flexão do braço em um movimento só do corpo para testar a força muscular de terax e quadril
Rotary stability: testa a estabilidade de core e centralização do quadril

foto: Matheus Beck/Vôlei Canoas

Nenhum comentário:

Postar um comentário