quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Novo formato da Liga Mundial tem 12 seleções na elite e sedes fixas

Em reunião realizada na em Lausanne, na Suíça, na sede da Federação Internacional de Voleibol, ficou definida que a Liga Mundial de 2016 será realizada em formato de grand prix, ou seja, com sedes fixas. No novo sistema, 12 seleções estão na elite, sendo mais curta do que o habitual, com apenas três finais de semana para a realização da fase classificatória, dando assim mais importância aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

O Brasil será sede da primeira etapa, entre os dias 17 e 19 de junho, ainda em local a ser definida, onde enfrentará Estados Unidos, Irã e Argentina. Depois de atuar em casa, a equipe de Bernardinho seguirá para o exterior para enfrentar outros adversários (todos definidos através de sorteio). Na segunda fase, de 24 a 26 de junho, o time verde e amarelo jogará na Sérvia contra os donos da casa, o Irã e a Bulgária. Na sequência, entre 1º e 3 de julho, o Brasil jogará na França contra a seleção anfitriã, Bélgica e Polônia. Pela programação apresentada pela FIVB, as finais serão de 13 a 17 de julho, em local ainda a ser definido.

O Brasil é o maior vencedor da história da Liga Mundial, com nove títulos conquistados. A competição foi criada em 1990 e faz parte do calendário anual da Federação Internacional de Voleibol. Em 1993, a seleção brasileira conquistou o primeiro título da competição, em casa, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP). As outras medalhas de ouro foram garantidas em 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010.

A elite da Liga Mundial é composta por Brasil, França, Sérvia, Estados Unidos, Polônia, Itália, Irã, Austrália, Rússia, Bulgária, Argentina e Bélgica. Na edição deste ano, a França surpreendeu todo mundo e vindo da repescagem do Grupo 2 faturou o título no Rio de Janeiro.

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário