quinta-feira, 16 de julho de 2015

(Liga Mundial) Brasil faz grande jogo, supera EUA e segue vivo na fase final

O Brasil segue vivo na Fase Final da Liga Mundial. Depois perder para a França na primeira partida, a equipe de Bernardinho se recuperou e bateu os Estados Unidos por 3 sets a 1, parciais de 28/26, 22/25, 25/22 e 27/25, no ginásio do Maracanãzinho. Agora, o time verde e amarelo espera pelo resultado desta sexta-feira entre França e Estados Unidos para saber se vai as semifinais. 

O oposto Evandro abriu o placar do jogo com ponto de contra-ataque. No ace de Lucão, o Brasil abriu dois pontos em 6 a 4. Com ponto de bloqueio, os Estados Unidos deixaram tudo igual (6 a 6). Com o apoio da torcida, a seleção brasileira fez 11 a 8. Com mais um ponto de bloqueio, os norte-americanos chegaram ao empate em 11 a 11 e Bernardinho pediu tempo. Na volta, com bom saque, os Estados Unidos passaram a frente. No desafio, o Brasil conseguiu o ponto de não toque no bloqueio e fez 14 a 13. O jogo voltou a ficar igual em 15 a 15. No erro do adversário, o Brasil fez 19 a 19. Com Lucarelli, o time da casa fez 21 a 20. O set seguiu com equilíbrio em 23 a 23. No ataque de Leandro Vissotto, 24 a 23. Depois de novos empates, no bloqueio de Lucão, a seleção brasileira fechou em 28 a 26.

O segundo set também começou bem disputado. Com Lucarelli, o Brasil fez 3 a 2. No primeiro tempo técnico, os Estados Unidos venciam por apenas um ponto de vantagem (8 a 7). Em um ponto conquistado com muita raça, Lucarelli fez 11 a 11 e comemorou muito. O ponteiro também foi responsável pelo empate em 14 a 14. O Brasil assumiu o comando do placar em 17 a 16 com Lucarelli explorando o bloqueio adversário. Os Estados Unidos abriram 21 a 18 e o Brasil pediu tempo. Na volta, os norte-americanos marcaram mais um. Depois de bom saque de Lipe, Murilo pontuou e o placar foi para 22 a 20. For, então, a vez do time visitante parar o jogo. Na sequência, jogando melhor, os Estados Unidos fecharam em 25 a 22.

O terceiro set abriu com ace de Lucarelli. A seleção brasileira abriu dois pontos de vantagem em 4 a 2. Os norte-americanos empataram em 4 a 4. Com apoio da torcida, o time da casa colocou dois a frente em 9 a 7. No erro do Brasil, o placar ficou igual: 11 a 11. Com ponto de saque, 13 a 12 para o adversário. Com Vissotto, o Brasil encostou em 17 a 16. Lucão pontuou e 18 a 17 para o adversário. Com Isac, o Brasil chegou ao empate em 19 pontos. Lipe virou o placar em 20 a 19. Com Lucarelli, 23/22. No ataque para fora do adversário, a equipe verde e amarela chegou a 24 a 22 e venceu por 25 a 22.

Com Lipe, a seleção brasileira abriu 3 a 1. E foi o ponteiro que pontuou novamente e levou o time da casa a 6 a 3. A vantagem a favor do Brasil aumentou em 10 a 6. Com Lipe, a equipe da casa chegou a 16 a 10. Isac pontuou pelo meio de rede: 17 a 11. Depois de bom saque dos Estados Unidos, a vantagem brasileira caiu para 17 a 13. Com Lucão, o Brasil fez 19 a 16. Os norte-americanos reagiram e empataram em 19 pontos. No ace, o time adversário fez 22 a 21 e o Brasil pediu tempo. Com Lipe em momento decisivo, a equipe verde e amarela fez 23 a 22. O equilíbrio, então, prevaleceu até o final, quando a seleção brasileira fechou em 27 a 25.

“Temos treinado muito bem. A qualidade técnica da equipe é indiscutível e notamos que jogamos bem contra a França, ontem. Com exceção do quarto set, os outros foram jogados em alto nível, mas percebemos que faltou um pouco de energia. Hoje, antes de entrar na quadra, ainda no vestiário, decidimos que íamos olhar um no olho do outro, confiar em tudo que seria feito, brigar e cobrar, com o sangue fervendo. E foi isso que fizemos hoje”, declarou o ponteiro Lipe.

“Conversamos muito no hotel e chegamos a conclusão que não podemos deixar passar as oportunidades. Nunca foi fácil para a seleção brasileira. Hoje, viemos com a intenção de fazer os três pontos e conseguimos. Não deixamos a vitória escapar e buscarmos esse resultado do fundo da alma mesmo”, disse o líbero Serginho.

“Ainda tivemos um desempenho um pouco irregular, especialmente na hora do saque. Eu mesmo não consegui manter essa boa regularidade. Não podemos deixar um jogo que estava 17/11, chegar ao fim de set com esse equilíbrio”, comentou o central Lucão.

Vale destacar que uma vitória francesa nesta sexta-feira elimina os norte-americanos. Um triunfo americano por 3 sets a 0 tira a França e por 3 sets a 2 deixa os Estados Unidos de fora. Se os americanos ganharem amanhã por 3 sets a 1, a classificação será definida no saldo de pontos. No outro grupo estão se enfrentando Polônia, Itália e Sérvia.

Equipes:

Brasil: Bruninho, Evandro, Lucão, Isac, Murilo, Lucarelli e Serginho (líbero)
entraram: William, Vissotto e Lipe
Técnico: Bernardinho

Estados Unidos: Anderson, Russel, Sander, Lee, Christenson, Holmes e E. Shoji (líbero)
Entraram: Jaeschke, Smith e Lotman
Técnico: John Speraw

foto: FIVB/Divulgação

Um comentário:

  1. Tchau timeco de paneleiro - Até quando vão contar com Serginho. mario jr, Murilo machucado....e principalmente com o Bernardinho....O Volei tá de dar dó...não existe renovação...É ridículo o Serginho se auto convocar

    ResponderExcluir