sábado, 27 de junho de 2015

(Liga Mundial) Jogando em Sydney, Brasil supera Austrália

A Seleção Brasileira derrotou a Austrália por 3 sets a 1, parciais de 25/17, 25/18, 23/25 e 25/20, na cidade de Sydney, pela quinta rodada da Liga Mundial. Com o resultado, o time verde e amarelo, maior vencedor da história da competição, com nove títulos, soma sete vitórias e apenas dois resultados negativos nesta edição, mantendo assim a liderança do Grupo A. As duas seleções voltam a se enfrentar na madrugada de sábado para domingo, às 3h, com transmissão da Band e do Sportv.

A Austrália abriu o placar do jogo e o time da casa seguiu na frente em 4 a 3. Com o oposto Wallace, o Brasil assumiu o comando do marcador: 7 a 6. Em boa passagem de Lipe pelo saque, o time brasileiro chegou a 10 a 6. Neste momento, o técnico da Austrália pediu tempo. No ponto de saque de Wallace, a seleção brasileira fez 13 a 8. A equipe visitante seguiu no comando do set e abriu seis de vantagem em 16 a 10. Dessa vez com Riad bem no saque, o Brasil aumentou a diferença para 18 a 10. Na largadinha de Wallace, o placar foi para 21 a 13. Com certa tranquilidade, a equipe brasileira administrou o set e, no bloqueio de Lipe, fechou em 25 a 17.

Lipe marcou o primeiro ponto do segundo set. O Brasil seguiu no comando do marcador até a Austrália conseguir o empate em 4 a 4. No bloqueio de Bruninho, a seleção verde e amarela colocou dois de vantagem no placar e fez 6 a 4. Na bola de segunda de Bruninho, 8 a 6. A vantagem brasileira aumentou ainda após bom saque de Lipe: 11 a 7. Com ponto de bloqueio de Lucarelli, o Brasil chegou a 15 a 10. Com Riad, a seleção verde e amarela colocou seis pontos de frente (18 a 12). Quando o placar foi para 20 a 13, a Austrália pediu tempo. Mas não houve tempo para reação. O Brasil fechou em 25 a 19.

Assim como na parcial anterior, Lipe abriu o terceiro set, porém desta vez com dois pontos de saque seguidos. Bem no bloqueio, a Austrália virou o placar e fez 3 a 2. As equipes estiveram empatadas em 5 a 5. Demonstrando poder de reação, os australianos fizeram 9 a 6. A seleção brasileira chegou ao empate em 10 pontos. Com ace de Sanderson, a Austrália chegou a 14 a 11 e Rubinho pediu tempo. Os donos da casa ainda fizeram 16 a 13 e, depois de um lance bastante disputado, 17 a 14. Já para o final do set, as seleções empataram em 20 a 20. A Austrália, então, fez dois pontos seguidos e, no 22 a 20, Rubinho parou o jogo. No ace de Riad, tudo igual no placar: 23 a 23. No final, melhor para a Austrália, que fechou em 25 a 23.

O quarto set começou também com equilíbrio, com as duas equipes empatadas em 2 a 2. No erro de saque da Austrália, o Brasil assumiu o comando do placar em 5 a 4. No bloqueio de Riad, a seleção brasileira fez 7 a 4 e o adversário pediu tempo. Mas a Austrália não permitiu que o time verde e amarelo deslanchasse no placar e deixou tudo igual em 7 a 7. No erro do Brasil, o adversário fez 9 a 8. O time visitante, então, reagiu e fez 14 a 11, forçando o adversário a pedir tempo. O placar voltou a ficar igual em 15 pontos. Com ponto de bloqueio de Bruninho, a seleção brasileira fez 18 a 15. O ace de Lucarelli deu o 20º ponto ao Brasil. No bloqueio de Isac, 23 a 19. No erro de saque da Austrália, 25 a 20.

“Baixou um pouco a concentração na volta do intervalo para o terceiro set, que aqui é mais longo e nós não estamos acostumados. Ficamos muito tempo parados e nosso bom ritmo de saque caiu bastante neste momento. Mesmo assim, conseguimos encostar no placar e, no finalzinho, perdemos a chance de fechar o set. Mas, tudo isso faz parte do aprendizado. Considero que fizemos um jogo muito bom hoje”, analisou o ponteiro Lipe.

“Tivemos uma queda de rendimento, principalmente no nosso saque, que havia funcionado muito bem nos dois primeiros sets. Depois, tivemos erros bobos e, quando eles abriram nos não tivemos forças para buscar o set. Quando voltamos a sacar bem no quarto set, repetimos a boa atuação dos dois primeiros sets, quando fomos muito regulares em todos os fundamentos. Agora, temos que usar esses dois sets como referência para continuar crescendo e chegar bem na Fase Final”, disse o central Riad.

Equipes:

Brasil:
Bruninho, Wallace, Riad, Isac, Lipe, Lucarelli e Mário Jr. (líbero)
entraram: Raphael, Evandro e Lucas Lóh
Técnico: Rubinho

Austrália: Guymer, Sanderson, Edgar, Mote, , Walker, Sukochev e Perry (líbero)
entraram: Williams, Peacock e Passier
Técnico: Roberto Santilli

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário