domingo, 21 de junho de 2015

(Liga Mundial) Em jogo histórico, Brasil é superado pela Itália no tie-break

Um espetáculo pôde ser visto pelas cerca de 11.130 pessoas que estiveram no Foro Itálico, em Roma, na última sexta-feira. Um dos maiores clássicos do vôlei mundial, Itália x Brasil, aconteceu a céu aberto, algo incomum na modalidade, e as duas seleções fizeram uma bela apresentação pela quarta etapa da Liga Mundial. No final, melhor para o time da casa, que venceu por 3 sets a 2, parciais de 26/24, 21/2525/18, 17/25 e 14/16. Neste domingo, às 15h (horário de Brasília) as duas seleções voltam a se enfrentar, desta vez em Firenze.

Depois de uma primeira bola já muito disputada, Lucarelli pontuou e o Brasil abriu o placar do jogo. A Itália devolveu com Vettori. A seleção brasileira fez 3 a 1, mas a equipe da casa empatou em 3 a 3. No ponto de saque de Wallace, o Brasil chegou a 7 a 5. Com Wallace bem no ataque, a seleção brasileira fez 12 a 8 e forçou o adversário a pedir tempo. Depois de bom saque de Murilo, o placar foi para 14 a 10. Com Lucão no contra-ataque, o Brasil chegou a 16 a 12. Com um ponto de ataque do levantador Bruninho, o Brasil fez 19 a 16. No ace do levantador Travica, a Itália encostou no placar (20 a 19) e Rubinho pediu tempo. Com Zaytsev, os donos da casa assumiram o comando do set em 22 a 21. Um empate em 23 pontos deixou o final do set emocionante. No final, melhor para a seleção da casa, que fechou em 26 a 24.

A Itália abriu 2 a 0 logo no começo da segunda parcial, mas, no ponto de bloqueio de Éder, o Brasil virou o jogo para 3 a 2. Com Lucão, o time visitante fez 7 a 6. A diferença passou ara dois pontos no ataque de Lucarelli (11 a 9). No contra-ataque, com Wallace, o time brasileiro chegou a 14 a 11. A vantagem brasileira aumentou em 18 a 15. No bloqueio de Murilo, 19 a 15. A diferença no placar passou a ser de cinco pontos no ace de Éder: 22 a 17. Neste momento, a Itália pediu tempo. Mesmo com 24 a 21 a seu favor, Rubinho pediu tempo para quebrar o saque do adversário. Na volta, no erro de saque, o Brasil fechou em 25 a 21.

Com Murilo no saque, o Brasil abriu 2 a 0. Com ponto de saque, a Itália assumiu o comando do marcador em 5 a 4. Em outro bom saque, o time da casa fez 7 a 5. No bloqueio de Éder, o placar ficou igual: 8 a 8. No erro do adversário, a seleção brasileira virou o jogo a seu favor (11 a 10). Mas os italianos não permitiram a reação adversária e, no bloqueio, fizeram 15 a 12. No lance seguinte, no erro do Brasil, 16 a 12. No ataque de Wallace, o Brasil fez 15, enquanto a Itália tinha 18. A equipe da casa aumentou a vantagem para seis pontos em 23 a 17 e, no bloqueio, fechou em 25 a 18.

Embalada pela vitória no set anterior, a Itália abriu 4 a 2 no início do quarto set. O Brasil buscou e, com Lucão deixou tudo igual (4 a 4). Com Lucarelli, a seleção brasileira colocou um de vantagem: 7 a 6. Mais uma vez através do ponteiro Lucarelli, dessa vez explorando o bloqueio adversário, o Brasil chegou a 12 a 8 e os italianos pediram tempo. No ace de Wallace, o placar foi 16 a 10 para favorável ao time verde e amarelo. Ainda em boa passagem do oposto pelo saque, o placar foi para 17 a 10. Com Lipe, a seleção brasileira fez 22 a 14. E no ataque potente de Wallace, o Brasil fechou em 25 a 17 e levou a decisão para o tie-break.

Depois de uma bola bastante disputada, o Brasil saiu na frente no set decisivo. No erro de saque do adversário, a seleção brasileira fez 3 a 1. A Itália reagiu e no ace de Birarelli, fez 5 a 4. No bom saque de Vettori, os italianos colocaram dois de vantagem (7 a 5). Na troca de lado da quadra, a vantagem italiana era de dois em 8 a 6. Wallace deixou tudo igual: 8 a 8. A Itália voltou a abrir diferença (10 a 8). No contra-ataque, Lucarelli pontuou e deixou o placar empatado em 10 a 10. O jogo seguiu equilibrado e, quando a Itália fez 12 a 10, Rubinho pediu tempo. Com dois pontos de Lucão, um no ataque e outro no bloqueio, o Brasil empatou em 12 a 12 e foi a vez da Itália parar o jogo. Com Lipe, a equipe brasileira virou o jogo (13 a 12). Com ponto de saque, a Itália fez 15 a 14 e, no final, 16 a 14.

“Havia uma atmosfera bonita esta noite, com um público participativo e o que vimos foi um espetáculo emocionante. Do ponto de vista técnico, foi um jogo difícil, porque as diferenças em relação aos jogos indoor são grandes. No entanto, foi um bom jogo”, disse o técnico Rubinho.

“Foi uma experiência incrível. É realmente bem diferente de uma partida em um ginásio fechado, como estamos acostumados, mas estou feliz de ter experimentado essa sensação, apesar da derrota. Teremos outro jogo já no domingo e temos de vencer para continuar nosso caminho”, analisou o levantador Bruninho.

Equipes:

Brasil: Bruno, Wallace, Lucão, Éder, Lucarelli, Murilo e Serginho (líbero)
entraram: Evandro, Raphael e Lipe
Técnico: Rubinho

Itália: Travica, Vettori, Birarelli, Anzani, Lanza, Zaytzev e Colaci (líbero)
entraram: Saitta, Sabbi, Botto e Mengozzi
Técnico: Mauro Berruto

foto: FIVB/Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário