sexta-feira, 29 de maio de 2015

(Liga Mundial) Brasil leva sufoco, mas estreia com vitória sobre a Sérvia

Em sua primeira partida oficial em 2015, a Seleção Brasileira estreou na Liga Mundial com vitória sobre a Sérvia por 3 sets a 2, parciais de 24/26, 25/17, 25/22, 26/28 e 15/11, no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte. Sem o treinador Bernardinho na beira da quadra (punido pela FIVB com 10 jogos de suspensão), mas com a volta de Serginho no a camisa verde e amarela, o time teve dificuldades, mas conseguiu ganhar na abertura do Grupo A. Brasil e Sérvia voltam a se enfrentar no próximo domingo, às 10h, no mesmo local.

A partida de estreia da seleção brasileira começou com equilíbrio. O placar esteve igual em 2 a 2. Com o ponteiro Lucarelli, o time da casa passou a frente (4 a 3). No primeiro tempo técnico, o Brasil fez 8 a 7. Um novo empate aconteceu em 12 a 12. Depois de bom saque da Sérvia, o time visitante fez 16 a 14. Com Lipe no bloqueio, a seleção brasileira deixou tudo igual: 16 a 16. A diferença foi para dois pontos em 21 a 19 e Rubinho pediu tempo. Com Lucão, o placar ficou empatado em 23 a 23 e a reta final do set ganhou ainda mais emoção. Os sérvios, então, levaram a melhor e fecharam por 26 a 24.

O Brasil devolveu o bom início de set e colocou dois de vantagem no primeiro tempo técnico: 8 a 6. A diferença passou para três pontos no ataque de Vissotto (11 a 8). Na sequência, depois de bom saque de Lipe, o próprio Vissotto bloqueou e o placar foi para 12 a 8. No erro de saque do adversário, o Brasil fez 16 a 11. Foi com o ponteiro Lipe que a equipe da casa chegou a 20 a 14. O time dirigido pelo técnico Rubinho seguiu melhor e com Lipe fechou em 25 a 17.

Mais uma vez, o equilíbrio prevaleceu no começo da parcial, com o empate em 3 pontos. Com um ponto de saque de Isac, o Brasil assumiu o comando do marcador. Com Leandro Vissotto, o Brasil colocou um de vantagem em 9 a 8. A parcial seguiu equilibrada e o Brasil conseguiu três de vantagem no tempo técnico: 16 a 13. O set passou a ficar ainda mais disputado quando, no erro do Brasil, a Sérvia fez 20 a 19. A equipe brasileira seguiu melhor e fechou em 25 a 22.

A quarta parcial teve um início bem disputado. Na bola de segunda do levantador Raphael, a seleção brasileira chegou ao empate em 7 a 7. Com um aproveitamento melhor dos sérvios, o set ganhou dificuldade e o placar foi para 12 a 12. O adversário colocou dois a frente em 15 a 13. Quando os sérvios fizeram 18 a 15, Rubinho pediu tempo. Os donos da casa, então, diminuíram e quando deixaram dois de diferença (20 a 18), foi a vez da Sérvia parar o jogo. O final foi equilibrado. Lucas Lóh entrou para sacar e, após bom desempenho, o placar ficou igual em 23 a 23. No final, melhor para a Sérvia: 28 a 26.

O Brasil teve vantagem de um ponto em 4 a 3. No bloqueio duplo, de Lucão e Lipe, a equipe da casa colocou dois a frente: 6 a 4. Depois, com um ponto a mais, a seleção brasileira fez 8 a 5. No erro de saque da Sérvia, 10 a 6 para o time da casa. Contando com erros do Brasil, o adversário fez 10 a 9 e Rubinho pediu tempo. No ponto de saque de Lipe, a equipe verde e amarela chegou a 12 a 9. No final, 15 a 11 para a seleção do Brasil.

“Hoje foi apenas o primeiro jogo. Treinamos em um ritmo muito bom desde o início da fase, mas treino é sempre muito diferente. Tem coisas que vem no automático e, no meio do jogo, as vezes faltam essas bolas. Por isso, foi muito importante começar o campeonato com uma vitória contra um time forte como a Sérvia”, disse o ponteiro Lipe.

“As pessoas falam que 3 sets a 2 é sofrido, mas na verdade foi bom. Foi um bom teste. Jogar uma partida como essa logo na estreia, contra um grande time como a Sérvia é sempre importante. Eles sacaram muito bem, consegui segurar, e acho que passar por um 3 a 2 e vencer é importantíssimo. Foi um saldo bom, bastante positivo”, afirmou Serginho, que estava há três anos afastado da seleção.

“A responsabilidade de comandar um time em um campeonato dessa dimensão e estar no lugar de um treinador que vem há muitos anos com um histórico vitorioso diante deste grupo é enorme. Aconteceu parecido com o Raphael, que assumiu essa responsabilidade de ser o capitão, de exercer essa função extremamente importante de não só fazer o jogo dele, como ser o comandante e líder em quadra. Nós dois passamos por isso hoje”, comentou Rubinho, que substituiu Bernardinho na beira da quadra.

Equipes:

Brasil: Raphael, Leandro Vissotto, Lucão, Isac, Lipe, Lucarelli e Serginho (líbero)
entraram: William, Wallace e Lucas Lóh
Técnico: Rubinho

Sérvia: Kovasevic, Ivovic, Stankovic, Jovovic, Starovic, Podrascanin e Rosic (líbero)
entraram: Stankovic, Cupkovic e Brdjovic
Técnico: Nikola Grbic

foto: Alexandre Arruda/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário