segunda-feira, 13 de abril de 2015

(Superliga) Sada/Cruzeiro bate Sesi-SP e fatura o tricampeonato

Em um ginásio do Mineirinho lotado (14.036 pessoas), o Sada/Cruzeiro derrotou o Sesi-SP por 3 sets a 1, parciais de 21/25, 25/19, 27/25 e 25/19, conquistando seu tricampeonato da Superliga. O ponteiro Leal, que foi o maior pontuador do jogo, com 21 acertos, foi o personagem da decisão e levou o troféu de melhor em quadra. O oposto Wallace também pontuou bem para os cruzeirenses, com 17, enquanto pelo lado paulistano destaque para Theo, com 20 acertos.

O Sada/Cruzeiro fez o primeiro ponto do jogo. O set começou equilibrado. Com um ace do ponteiro Lucarelli, o time da capital paulista abriu dois (5 a 3). Bem no saque e nos contra-ataques, os visitantes foram para o primeiro tempo técnico com três de vantagem (8 a 5). Numa boa sequência de saques do levantador William, os mineiros empataram (8 a 8). O set ficou disputado ponto a ponto. O bloqueio dos paulistas era eficiente e os visitantes voltaram a abrir no marcador (16 a 11). O oposto Theo se destaca no ataque para o Sesi-SP e os visitantes fizeram (20 a 16). Quando o placar estava 22 a 18 para os paulistas, o treinador Marcelo Mendez, pediu tempo. Mesmo com a paralisação, o Sesi-SP seguiu melhor até o final e venceu o primeiro set por 25 a 21. O oposto Theo foi o maior pontuador da parcial, com nove pontos. 

O segundo set começou disputado ponto a ponto. Numa disputa na rede, o Sada Cruzeiro levou a melhor e abriu dois pontos (8 a 6). Quando o time mineiro fez 11 a 8, o treinador do Sesi-SP, Marcos Pacheco, pediu tempo. Na volta da paralisação, o oposto Wallace conseguiu um ace e a diferença no marcador subiu para quatro (12 a 8). Numa boa sequência de saques do ponteiro Lucarelli, o Sesi-SP encostou (12 a 11) e foi a vez de Marcelo Mendez, pedir tempo. No segundo tempo técnico, a equipe da casa tinha dois de vantagem (16 a 14). Com um bloqueio simples do oposto Wallace, o time mineiro segurou a diferença (18 a 16). O ponteiro Leal conseguiu um ponto de contra-ataque e a vantagem subiu para três (22 a 19). A equipe celeste dominou a parte final da parcial e deixou tudo igual no placar ao vencer o segundo set por 25 a 19. O ponteiro Leal foi o maior pontuador do set, com seis acertos.

Com um ace do central Isac, o Sada Cruzeiro abriu dois no início da terceira parcial (3 a 1). Se aproveitando dos erros dos paulistas e bem no contra-ataque, o time celeste fez 7 a 3. O ponteiro Murilo conseguiu um ace e a diferença no marcador caiu para dois (9 a 7). Bem no bloqueio, o Sesi-SP deixou tudo igual na partida (13 a 13). A parcial ficou disputada ponto a ponto. O time paulista foi para o segundo tempo técnico com um de vantagem (16/15). Com um ace do central Lucão, o Sesi-SP abriu três pontos (19 a 16). O treinador Marcelo Mendez pediu tempo. A paralisação fez bem ao time da casa que encostou no marcador (22 a 20). O Sada/Cruzeiro conseguiu uma incrível reação no final da parcial e, depois de estar perdendo o set por 24/21, venceu a parcial por 27 a 25. 

O Sesi-SP fez os dois primeiros pontos do quarto set. Bem nos contra-ataques, o Sada/Cruzeiro virou o marcador e foi para o primeiro tempo técnico da parcial, com dois de vantagem (8 a 6). Numa bola recuperada de cabeça pelo oposto Wallace, o time celeste abriu três (11 a 8). Bem no bloqueio, a equipe cruzeirense aumentou a vantagem no placar (14 a 10). No segundo tempo técnico, a vantagem do time celeste era de três pontos (16 a 13). O central Éder conseguiu um ace e o placar foi para 17 a 13. O saque dos donos da casa dificultavam a recepção da equipe paulista e o Sada/Cruzeiro fez 22 a 16. O Sada/Cruzeiro foi melhor até o final e venceu a parcial por 25 a 19. 

“Os jogadores são os principais protagonistas da partida. São fundamentais e as pessoas que dão o máximo. O comprometimento deles é muito importante para o clube, comissão técnica e para eles mesmos”, destacou Marcelo Mendez.

“Seis títulos em sete finais é um aproveitamento considerável. Nosso time sempre foi de se destacar pelo conjunto e não por uma ou outra peça, e hoje foi tudo mundo ajudou de alguma forma. Eu, particularmente, ajudei no saque e no bloqueio e todo mundo se empenhou para conseguirmos mais um título”, disse o central Éder.

“Todos estão de parabéns, os atletas diretoria e todas as pessoas que nos ajudam sempre. Eu jogo para dar alegria para essa gente, orgulho para a minha família e tenho certeza que estou conseguindo fazer isso. Trabalhamos muito duro e a conquista final é o reconhecimento do trabalho. Não tem como não me emocionar. Estou muito feliz”, afirmou o levantador William.

“Não houve uma situação só que fez a diferença. Foi o jogo forte do Sada Cruzeiro, que tem boas armas. Suportamos bem, principalmente no primeiro, depois tivemos uma grande chance no terceiro, mas não da para lamentar. Eles fizeram o que sabem, com um saque forte e uma rodagem de bola muito boa”, elogiou o ponteiro Murilo.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: William, Wallace, Filipe, Leal, Éder, Isac e Serginho (líbero)
entraram: Cachopa, Alan, Douglas Cordeiro e Winters
Técnico: Marcelo Mendez

Sesi-SP: Marcelinho, Theo, Lucarelli, Murilo, Riad, Lucão e Serginho (líbero)
entraram: Thiaguinho, Rogério, Rafael e Maurício Borges
Técnico: Marcos Pacheco

foto: Alexandre Arruda/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário