quarta-feira, 1 de abril de 2015

Para chegar à TV aberta, CBV precisa criar material próprio da Superliga

O Espaço do Vôlei tem como prioridade valorizar esse esporte que é o segundo na preferência dos brasileiros e constantemente estamos falando sobre a importância de valorizar a Superliga (a principal competição interclubes do país). Pensando nisso, talvez já esteja mais do que na hora de se lançar uma televisão exclusiva do torneio, como já acontece em diversos outros produtos esportivos espalhados pelo mundo.

A Superliga TV (imitação pura da NBA TV) seria um veículo oficial de informação da Confederação Brasileira de Vôlei, com o objetivo de apresentar seu melhor produto para possíveis compradores e retransmissores. Para isso existe a necessidade de buscar parceiros, como já acontece com a Seleção Brasileira, que estivessem dispostos a entenderem que suas marcas não serão apenas vistas por uma emissora X.

Atualmente, devido a tecnologia avançada, várias produtoras estão dispostas a filmar eventos esportivos e porque não se pode fazer com que a própria CBV contrate algumas pelo Brasil para depois poder vender para as emissoras interessas em preencherem suas grades de programação, seja na televisão aberta ou fechada. Claro que parar isso, contratos de exclusividade, como os feitos com a Rede Globo, teriam que acabar, pois é inacreditável que ainda tenhamos que ver alguns jogos e outros não porque a detentora dos direitos não pretende repassa-los a mais ninguém.

Pegando o exemplo da NBA, em nosso país, podemos ver o maior basquete do mundo diariamente, seja nos canais Sportv, Espn, Sports+ ou Space. Outro exemplo interessante é da Champions League, onde que a emissora que conquistou o direito de transmiti-la, no caso o Esporte Interativo aqui no Brasil, tem a obrigação de mostrar quase todas as partidas da competição, caso contrário deve subsidia-las.

Infelizmente ainda vivemos com a mentalidade de que se não aparecer na Rede Globo ninguém vai assistir, mas me digam quantos jogos a emissora carioca transmite ao vivo na TV aberta? Que eu saiba apenas a final de cada naipe ou, às vezes, algumas semifinais. Aos poucos a CBV e os clubes precisam rever essa relação e a Superliga TV pode ser uma alternativa bem vinda, até mesmo com as novas formas de se ver programas atualmente, leia-se, Netflix e HBO Now.

foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário