quinta-feira, 12 de março de 2015

Sem jogo das estrelas para que ter uma seleção da Superliga?

No último sábado ocorreu no ginásio Pedrocão, em Franca, o jogos das estrelas do NBB (Novo Basquete Brasil). Com boa presença de público na cidade paulista, jogadores de várias equipes estiveram em quadra disputando um amistoso que valorizou ainda mais a competição. Como a Superliga ainda não conseguiu colocar em prática esse tipo de ação colocamos para discussão certos pontos.

A Confederação Brasileira de Vôlei faz questão de apresentar as estatísticas dos clubes e dos jogadores a cada rodada da Superliga e no final é formada uma seleção da competição, que nunca entrou em quadra. Para nós do Espaço do Vôlei isso não faz muito sentido, pois até mesmo os dados realizados a cada jogo não servem para escolher o melhor em quadra (algo que fica a cargo da comissão técnica do time vencedor).

Os jogadores já tentaram convencer a CBV a criar o jogo das estrelas e uma das ideias seria levar esse duelo para cidades que não tenham nenhum time na Superliga, ou seja, dando mais visibilidade ao esporte em outras regiões. Entretanto, só podemos imaginar que a entidade que controla o voleibol nacional enxerga essa ação algo superfulo e não como um negócio que gera visibilidade e dinheiro.

A própria Rede Globo, parceria da CBV, foi uma das incentivadoras ao jogo das estrelas do NBB, que agora tendo o auxilio da NBA deve crescer ainda mais no cenário nacional. A Superliga é um produto bom, porém precisa se reinventar para seguir ao agrado de todos e infelizmente hoje a luta do voleibol é para ter espaço contra outros esportes na mídia e hoje o basquete e o MMA estão em uma curva ascendente.

foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário