Sem outros esportes, TV aberta pode ser engolida pelo mercado

Após uma maratona de jogos, o Campeonato Mundial 2014 chegou ao seu final com a Polônia conquistando o título sobre o Brasil. Infelizmente, nenhuma partida da competição foi transmitida pela TV aberta brasileira, porém não podemos esquecer que a cobertura do Sportv foi de altíssima qualidade, mesmo sendo apenas para aqueles que têm condições de assinar um canal fechado. Essa matéria não está aqui para falar sobre questões sociais do país, mas sim falar sobre o quanto a TV perde com isso.

Sempre que se fala sobre a ausência de algum esporte na grande de programação da TV aberta, temos a tendência de dar argumentos que valorizem a modalidade a ser divulgada. Agora, vamos falar do quanto o outro lado perde em não transmitir uma competição importante como o Campeonato Mundial de Vôlei ou até mesmo o Campeonato Mundial de Basquete, realizado no mesmo período, da Espanha.

Por vivermos no capitalismo (aqui não estamos valorizando nenhum sistema) é utópico pensar que uma emissora coloque em sua programação algo que não vá ter audiência, ou seja, gerar algum lucro. Entretanto, os principais argumentos das TV´s abertas para não transmitir um evento esportivo ao vivo é sua importância, logística, qualidade técnica e, principalmente, retorno comercial.

Entretanto, atualmente existe uma mudança da forma de como se vê entretenimento (esportes, filmes, seriados, etc...). A chegada do Netflix (plataforma online) ao Brasil já fez alguns canais fechados repensar seus hábitos (liberar seus catálogos para o assinante também de forma online), e com a TV aberta não é diferente, pois em breve mais pessoas terão acesso a internet banda larga. Hoje cada vez mais, a aposta fica para programas ao vivo, porém a possibilidade de ver o que quiser, a hora que quiser, deve ser exigida cada vez mais pelo público.

Falar em exclusividade hoje é bem complicado, principalmente, com meios de comunicação, já que a internet vira fonte e plataforma de divulgação. Resumindo, o Campeonato Mundial foi visto pelos assinantes do Sportv e por várias pessoas que ‘cataram’ na internet a transmissão. O público está mudando e querendo acompanhar o que quer e não o que tem para ver, ou seja, se a TV aberta não entender isso, vai perder e muito, leia-se, financeiramente.

Nessa matéria não estamos falando apenas do voleibol, mas de como a TV aberta perde ao não sair do lugar comum e exemplos não falta. Exemplos: Se a Globo faz novela as 21h, a Record vai e faz novela; Se o SBT faz um programa de auditório no domingo, a Band cria um programa de auditório no domingo. Aqui não estamos descriminando quem gosta disso ou daquilo, mas apenas observando que em breve todos vão ver aquilo que estiver afim.

foto: Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Apan/Blumenau contrata Thiago Alves e confirma sete renovações

CBV divulga tabela oficial da Superliga B com estreia no dia 24 de janeiro

(Paulista) Sesi-SP estreia contra a Climed/Atibaia nesta quarta-feira