(Liga Mundial) Brasil sofre no ataque e perde para a Polônia

Depois de vencer o primeiro confronto, a Seleção Brasileira não conseguiu mostrar o mesmo voleibol e acabou superada pela Polônia por 3 sets a 0, parciais de 26/24, 28/26 e 25/21. A partida, que aconteceu no ginásio Chico Neto, na cidade de Maringá e foi válida pela Liga Mundial, mostrou o time verde e amarelo sofrendo bastante com o bloqueio e o ataque adversário, com destaque para o ponteiro Buszek, maior pontuador do duelo, com 16 pontos.

O Brasil saiu em vantagem. Com apoio da torcida, que lotou o ginásio, a equipe verde e amarela abriu 2 a 0 no início do set. A Polônia, no entanto, buscou e passou à frente em 5 a 4. Mas a equipe brasileira seguiu embalada e, bem no bloqueio, se recuperou (8/6). Após cometer alguns erros, o time verde e amarelo permitiu que o adversário assumisse o comando do placar (11 a 10) e Bernardinho pediu tempo. Os poloneses também estiveram à frente em 16 a 15. O equilíbrio permaneceu e as seleções estiveram empatadas em 18 a 18. A reta final do set foi disputada, com novos empates em 22 a 22 e 24 a 24. No bloqueio, a Polônia fechou em 26 a 24.

O segundo set começou no mesmo ritmo, com as equipes sempre próximas no placar (3 a 3 e 5 a 5). Depois, bem no bloqueio e no saque, a Polônia abriu três de vantagem (8/5). O time visitante seguiu bem e aumentou a diferença para 14 a 10. O Brasil reagiu e encostou no marcador em 18 a 16. Com Vissotto em quadra, a vantagem adversária caiu para um ponto: 18 a 17. Mas os poloneses voltaram a pontuar bem e, novamente, conseguiram abrir no placar (22 a 19). Já no final do set, o Brasil buscou, encostou em 23/22, e tornou a disputa emocionante. No bloqueio de Gustavão, o Brasil empatou em 24 a 24. As equipes trocaram pontos e, bastante acionado, Vissotto pontuou bem para a equipe da casa. Mas, no final, melhor para a Polônia, que fechou em 28 a 26.

Com o placar favorável, os poloneses passaram a jogar ainda mais soltos e fizeram 4 a 2 no começo da terceira parcial. Na bola de segunda do levantador Raphael, o Brasil encostou em 6 a 5, no bloqueio de Lucão, empatou em 6 pontos, e no contra-ataque de Lucarelli assumiu o comando do marcador. E em boa passagem de Maurício Borges no saque, o time da casa seguiu pontuando e ainda marcou 9 a 6. Embalado, o time brasileiro seguiu melhor e, no bloqueio individual de Lucarelli, chegou a 13 a 8. A Polônia não desistiu do jogo e, com ponto de saque, empatou em 15 a 15. Com mais um ace, o time visitante chegou a 19 a 17. OS poloneses seguiram bem no ataque e venceram por 25 a 21.

“O primeiro fim de semana foi muito irregular para o nosso time. Viemos pressionados por resultados, hoje o Bernardo até mexeu na equipe. Tivemos a chance de começar a buscar o jogo nos dois primeiros sets. Abrimos vantagem, mas não conseguimos manter a regularidade. É uma equipe nova, renovada, que ainda sente um pouco mais a pressão do que os times anteriores. Não está faltando empenho e dedicação de ninguém. Mais do que estamos treinando é muito difícil. Vamos agora colocar na cabeça que vai fluir de novo. Espero que seja como em 2012, quando não começamos bem, mas reagimos, conseguimos a classificação e, no mesmo ano, fizemos uma final olímpica”, disse o central Lucão

“A pressão vai sempre existir, independentemente da circunstância e do adversário. Vamos treinar bastante essa semana para chegarmos bem na próxima etapa, em São Paulo. O que vier será consequência disso”, afirmou o ponteiro Lucarelli.

O Brasil volta a quadra nos dias 6 e 7 de junho, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, para enfrentar o Irã. O time do técnico Bernardinho está no Grupo A da Liga Mundial, no momento com três pontos, sendo uma vitória e três derrotas. A liderança é dos italianos, com nove pontos, sendo três vitórias.

Equipes:

Brasil:
Bruninho, Theo, Gustavão, Lucão, Lucarelli, Lipe e Mário Jr. (líbero)
entraram: Rapha, Vissotto e Maurício Borges
Técnico: Bernardinho

Polônia: Wrona, Klos, Bociek, Dryzga, Mika, Buszek e Ignaczak (líbero)
entraram: Ruciak, Konarski e Perlowski
Técnico: Stephane Antiga

foto: Alexandre Arruda/CBV

Comentários