(Liga Mundial) Brasil estreia com derrota para a Itália em SC

Com a bela Arena Jaraguá lotada, o Brasil fez sua estreia na Liga Mundial 2014 diante da Itália, mas errando demais, acabou perdendo por 3 sets a 1, parciais de 25/19, 27/25, 22/25 e 25/21. Mostrando ainda que tem muito a evoluir, o time verde e amarelo vacilou, principalmente no passe, e na marcação dos principais atacantes adversários, casos de Kovar e Zaytsev. Neste sábado, às 10h, as duas seleções voltam a se encontrar no mesmo local, com transmissão da TV Globo.

A Itália começou melhor e abriu 4 a 1 logo no começo do jogo. Quando os italianos marcaram 5 a 1, o técnico Bernardinho pediu tempo. O placar ainda foi a 6 a 1. No bloqueio individual de Lucão, a vantagem italiana reduziu para 7 a 5. Depois de uma bola bastante disputada, Lucarelli atacou forte e o Brasil fez 7 a 11. A seleção da Itália seguiu melhor e em vantagem no marcador: 16 a 11. No decorrer do set, no bloqueio, o adversário da seleção brasileira ainda fez 18 a 11. O primeiro set foi de superioridade italiana, que fechou em 25 a 19.

A Itália saiu na frente novamente no segundo set (4 a 2). No bloqueio e depois no contra-ataque de Leandro Vissotto, o Brasil empatou: 4 a 4. E foi no bloqueio de Sidão, que a equipe da casa passou a frente e fez 6 a 5. O Brasil seguiu embalado e abriu três de vantagem em 10 a 7. Mas o jogo seguiu disputado e a equipe visitante voltou a assumir o placar: 16 a 15. Bem no bloqueio, a Itália abriu dois (19 a 17) e Bernardinho parou o jogo. O ponto direto de saque de Lucão deixou o Brasil empatado: 20 a 20. No saque seguinte, Lucão mais uma vez e, 21 a 20. Um empate em 23 pontos deixou a reta final do set emocionante. No ace de Sidão, 25 a 24 para o Brasil. Mas os italianos fecharam e venceram também o segundo set: 27 a 25.

A seleção brasileira fez 4 a 2 no começo da terceira parcial. Mas, assim como nos dois primeiros sets, o jogo passou a ser equilibrado (5 a 5). Na sequência, Vissotto conseguiu grande saque e o Brasil fez 7 a 5. O marcador voltou a ficar igual em 11 pontos. Quando, no ace do oposto Zaytsev, a Itália chegou a 14 a 12, o Brasil pediu tempo. A vantagem adversária seguiu em torno de dois pontos (16 a 14), sem que a seleção brasileira conseguisse passar a frente. E o time do levantador Bruninho chegou ao empate (20 a 20) e conseguiu passar na jogada seguinte, com ponto de bloqueio: 21 a 20. O time brasileiro seguiu bem e venceu por 25 a 22.

Embalado pela vitória na parcial anterior, o Brasil manteve o bom ritmo e fez 4 a 2. No ponto de bloqueio, a Itália virou e fez 6 a 5. E foi com um ponto do levantador Bruninho, depois de bom saque de Lucão, que a seleção brasileira voltou a empatar (10 a 10). Tudo igual novamente em 12 a 12 depois de ataque potente de Sidão. A Itália, então, reagiu e abriu três: 15 a 12. O Brasil encostou em 16 a 15, mas o time visitante voltou a colocar boa vantagem em 19 a 16. Foi a vez de a equipe brasileira buscar a reação e encostar em 21 a 20. A Itália voltou a pontuar e fechou em 25 a 21.

“Nosso time está muito abaixo ainda, cometendo muitos erros de saque e, por outro lado, eles sacaram bem e colocaram o nosso time em dificuldade. Tivemos chances, no segundo set, de igualar o jogo, mas sabíamos que seria assim. Jogamos três sets iguais, menos o primeiro. Temos muita coisa para melhorar, vamos trabalhar e certamente faremos uma partida melhor amanhã”, disse o técnico Bernardinho.

“A nossa maior motivação é vestir a camisa da seleção brasileira, que é uma das mais respeitadas do mundo. Muitos gostariam de estar no lugar de qualquer um de nós que está dentro de quadra e, por isso, ficamos tão chateados com a derrota. Foi muito legal ver o ginásio lotado nessa primeira vez que a seleção masculina está jogando aqui. Infelizmente, não veio a vitória. A Itália conseguiu neutralizar muito bem o nosso ataque. Agora temos que descansar e esfriar a cabeça porque amanhã cedo já estamos em quadra de novo”, declarou o central Lucão.

Equipes:

Brasil: Bruninho, Leandro Vissotto, Lucão, Sidão, Murilo, Lucarelli e Mário Jr. (líbero)
entraram: Rapha, Theo, Gustavão e Felipe
Técnico: Bernardinho

Itália: Kovar, Parodi, Zaytsev, Travica, Piano, Birarelli e Rossini (líbero)
entraram: Mazzone, Buti e Luigi
Técnico: Mauro Berruto

foto: Alexandre Arruda/CBV

Comentários