Luciano do Valle: Um incentivador do esporte brasileiro

Foi com muito pesar que eu, Fernando Soares, editor do Espaço do Vôlei, recebi a notícia da morte de Luciano do Valle, neste sábado, dia 19 de abril. Passei boa parte da minha adolescência nos anos 90 e como muitos jovens daquela época assistia esporte, principalmente nos finais de semana, na TV Bandeirantes. Eu gostava tanto que acabei me formando em jornalismo, indo justamente para a área esportiva, onde trabalho desde 2006.

Antes mesmo da TV por assinatura aparecer, a Bandeirantes se especializada em esporte para tentar bater a concorrência. Luciano do Valle era quem comandava uma equipe capaz de transmitir voleibol, basquete, automobilismo, boxe e futebol. Aliás, ele foi um dos grandes incentivadores do antes chamado ‘esporte amador’, ajudando a fomentar a Superliga, a Fórmula Indy, entre outros...

No caso do vôlei, quem não se lembra da final dos Jogos Olímpicos de Barcelona/1992, na hora que Marcelo Negrão sacou diante da Holanda, no ponto que daria a primeira medalha de ouro coletiva da história do país. Lá estava Luciano do Valle para transmitir emoção e mostrar que o Brasil também sabe usar as mãos no esporte. 

Se hoje você pode acompanha uma partida de voleibol, basquete ou futsal nas manhãs de sábado e de domingo é porque lá atrás alguém apostou que essas modalidades tinham público. Luciano do Valle, que teve 50 anos de carreira, foi importante para a história do voleibol brasileiro, não apenas por ser um narrador, mas por conseguir mostrar para boa parte da população que não existe só futebol no Brasil. 

foto: TV Bandeirantes/Divulgação

Comentários