(Superliga) Sesi-SP derrota Brasil Kirin e abre 1 a 0 na serie semifinal

Na primeira partida semifinal entre Sesi-SP e Brasil Kirin, o time paulistano venceu por 3 sets a 1, parciais de 30/28, 17/21, 21/14 e 22/20, no ginásio da Vila Leopoldina. Com o resultado, os comandados de Marcos Pacheco garantem vaga na decisão da Superliga 2013/2014 se venceram no próximo dia 5, no ginásio do Taquaral. Já a equipe de Campinas precisa vencer para forçar um novo duelo na capital paulista.

Como era esperado, o confronto começou equilibrado. O placar de 3 a 3 mostrou isso logo no início do jogo. No bom saque do ponteiro Lucarelli, o Sesi-SP assumiu o comando do marcador (4 a 3). Depois de um novo empate em 7 pontos, o Brasil Kirin passou a frente em 8 a 7 no erro do ataque do adversário. O time de Campinas, então, colocou três de vantagem em 13 a 10 e, novamente, em 16 a 13. Contando com dois erros consecutivos do Brasil Kirin, o Sesi-SP encostou no placar: 16 a 17. Mas, na jogada seguinte, João Paulo Tavares voltou a pontuar para o time campineiro. Com Lucarelli, em uma bola levantada pelo oposto Renan, o Sesi-SP voltou a encostar (18 a 19). Neste momento, Rivetti pediu tempo. Na reta final, as equipes empataram em 20 a 20 e seguiram disputando o set bola a bola. E, no bloqueio individual de Lucão, o Sesi-SP fechou em 30 a 28.

Depois do erro do Brasil Kirin, o central Sidão pontuou no saque e o Sesi-SP abriu 2 a 0 no início do segundo set. O time de Campinas, no entanto, buscou e deixou tudo igual em 3 a 3. Na largadinha do oposto Rivaldo, o Brasil Kirin fez 7 a 6. Com dois bloqueios seguidos do central Vini, o time campineiro fez 9 a 6 e forçou Marcos Pacheco a pedir tempo. Foi no bloqueio, também, de Renan, que o Sesi-SP chegou ao empate (9 a 9). O Brasil Kirin manteve vantagem e, em bola rápida de Paulo Renan com Vini, fez 18 a 15. E, no bloqueio, o Brasil Kirin deixou o jogo igual ao fazer 21 a 17.

O time de Campinas saiu na frente também no terceiro set (3 a 1), mas a equipe da casa buscou e deixou tudo igual em 3 a 3. A partir desse momento, o Sesi-SP assumiu o comando do placar e ainda abriu três de vantagem: 7 a 4. A diferença seguiu em torno dos três pontos e, no ace do central Sidão, o Sesi-SP fez 14 a 9. Com ponto de bloqueio de Lucarelli, a vantagem passou para seis (16 a 10). Na parcial com o placar mais elástico do jogo, o Sesi-SP venceu por 21 a 14.

Mais uma vez, o set teve um início equilibrado, com as equipes empatadas em 3 a 3. Com erros de saques dos dois lados, a parcial teve vantagem de dois pontos a favor do Brasil Kirin em 7 a 5. Em boa passagem do ponteiro Diogo pelo saque, o time de Campinas ainda fez 9 a 5. O Sesi-SP reagiu e, no bloqueio de Sidão, empatou em 10 a 10. No lance seguinte, no bloqueio individual de Murilo, o Sesi-SP assumiu o comando do placar: 11 a 10. O set seguiu equilibrado (15 a 15) até o Brasil Kirin, com Diogo, abrir dois pontos em 18 a 16. A partir deste momento, os times trocaram pontos. Com Lucão no saque, o Sesi-SP fez 19 a 18. No ace de Vini, o time visitante fez 20 a 19. E, no erro do Brasil Kirin, os donos da casa fecharam: 22 a 20.

“No atual momento, o ataque é o que menos importa. Tenho sofrido bastante nessa volta, mas hoje foi o meu melhor no ataque. Hoje fiquei muito feliz por esse desempenho no ataque, já que há quase 11 meses não fazia um jogo como esse. Trabalhei bastante nessas ultimas semanas. Sei que nos jogos contra o São Bernardo não fui bem, mas isso foi bom para saber que tenho que trabalhar bastante, cada vez mais, para voltar ser o que eu era antes da cirurgia”, disse o ponteiro Murilo.

"As duas equipes fizeram um bom trabalho no bloqueio. O time deles tem um bloqueio bem forte, principalmente algumas redes como João Paulo, Gustavão e Riva, uma rede bem alta, que toca bastante na bola, e às vezes a gente não teve muita paciência de trabalhar para não enfrentar muito o bloqueio, mas tivemos um pouquinho mais de calma nos momentos decisivos", destacou o levantador Sandro.
“Tivemos um jogo duro, cheio de altos e baixos. Nos detalhes o Sesi levou a melhor, mas agora vamos trabalhar muito para reverter essa situação, desta vez no Taquaral”, afirmou o técnico Alexandre Rivetti.

Equipes:

Sesi-SP: Sandro, Renan, Lucão, Sidão, Lucarelli, Mão e Serginho (líbero)
entraram: Manius, Murilo, Rogério e Thiaguinho
Técnico: Marcos Pacheco

Brasil Kirin: Paulo Renan, Rivaldo, Gustavão, Vini, Diogo, João Paulo Tavares e Alan (líbero)
entraram: Bergamo, Rodriguinho e Mineiro
Técnico: Alexandre Rivetti

foto: Alexandre Arruda/CBV

Comentários