(Copa dos Campeões) Brasil trabalha forte pensando no Japão

Na Seleção Brasileira, dia de folga na tabela da Copa dos Campeões é oportunidade para treinar e focar nos próximos adversários, especialmente o Japão, que a equipe verde e amarela enfrentará nesta sexta-feira, às 8h10min (horário de Brasília). Os comandados de Bernardinho sabem das dificuldades que encontrarão jogando em Tóquio, porém a equipe vem embalada por duas vitórias e consequentemente a liderança.

“O Japão sempre dá muito trabalho. É um time que tem muita defesa, volume e joga bastante no contra-ataque. Por isso, a nossa equipe tem que ter paciência para não perder a cabeça em certos momentos. É um jogo que acaba ficando longo, então a paciência é fundamental. Além disso, não podemos perder o foco e errar por causa da qualidade na defesa deles”, opinou o levantador Bruninho.

“Tivemos importantes testes nos dois primeiros jogos, contra Irã e Estados Unidos. Estudamos bastante os times e conseguimos fazer boas partidas. Ainda erramos muito, principalmente no saque, e isso não pode acontecer mais. Mesmo assim, sem dúvida, o mais importante foi conseguir os seis pontos nas duas primeiras rodadas”, afirmou o oposto Wallace.

Passada duas rodadas, o Brasil é destaque nas estatísticas da Copa dos Campeões. Wallace é o terceiro maior pontuador, com 31 pontos (29 de ataque e dois de bloqueio). O ponteiro Maurício Borges aparece em quarto nesta lista, com 29 (24 de ataque, quatro de bloqueio e um de saque). O central Sidão também se destaca, sendo o nono, com 24 pontos marcados nos dois primeiros jogos, sendo 15 de ataque, seis de bloqueio e três de saque.

Maurício Borges ainda aparece entre os destaques no ataque, tendo o segundo melhor aproveitamento da competição.Wallace é o quinto. Sidão volta a aparecer bem nas estatísticas de bloqueio e saque, sendo terceiro melhor em cada fundamento. O outro central do Brasil, Lucão, é o sétimo melhor no bloqueio.

O líbero Mário Jr. lidera a lista de melhores jogadores na defesa, seguido pelo ponteiro Lucarelli, que assume a primeira posição na estatística de recepção. Maurício Borges é o quarto melhor na recepção.

foto: FIVB/Divulgação

Comentários