A importância dos atletas famosos para sequência de projetos

Em meio a Copa dos Campeões, que o Brasil conquistou pela quarta vez, a semana passada ficou marcada pela saída de Giba da Funvic/Taubaté para o voleibol dos Emirados Árabes. Muitas pessoas foram contra e outras a favor do jogador, que deixou o time paulista seduzido pelo alto salário e pela possibilidade de ser um dos responsáveis a levantar o voleibol da região.

Em relação a contrato, Giba foi altamente profissional e só deixou a Funvic/Taubaté após a rescisão ter sido paga. Entretanto, o quando a saída do ponteiro pode atrapalhar o projeto da equipe do Vale do Paraíba. A presença do atleta chamou mais atenção ao time e algumas ações começaram a serem feitas utilizando a presença do mesmo no clube.

Ter Giba em seu elenco significa não apenas um acréscimo de qualidade dentro de quadra, mas uma forte figura para alavancar o marketing. O RJX tem em Bruninho o seu nome forte, enquanto o Kappesberg/Canoas usa Gustavo dentro e fora de quadra para conquistar patrocinadores. Exemplos não faltam, porém cada caso tem sua característica, porém o que fica é a importância que o projeto tem tanto para os clubes quanto para o atleta.

Não estamos aqui dizendo que para um projeto sobreviver é necessário ter um grande nome no elenco. A UFJF é um exemplo de que planejamento é fundamental para a sequência de um time, que a cada ano vem avançando um degrau. Por outro lado, sabemos que uma pessoa conhecida do grande público chama a atenção e pode abrir portas as vezes trancadas para outros.

foto: SBT/Divulgação

Comentários

Postar um comentário