(Liga Mundial) Brasil derrota Bulgária e está na final contra a Rússia

A Seleção Brasileira venceu a Bulgária por 3 sets a 1, parciais de 25/12, 25/17, 23/25 e 25/16, e assegurou uma vaga na decisão da Liga Mundial. Na final, os comandados de Bernardinho enfrentarão os russos, neste domingo, às 20h, no ginásio Islas Malvinas, em Mar del Plata, na Argentina. Maior vencedor da história da competição, o time verde e amarelo busca o décimo título do torneio.

A Bulgária abriu o placar após bola disputada e deu o ponto ao Brasil na sequência no erro de saque. As seleções seguiram empatadas e, com Lucarelli, o time verde e amarelo passou a frente: 3 a 2. Em boa passagem do próprio ponteiro no saque, a equipe brasileira fez 6 a 3. Com o central Isac, o Brasil fez 11 a 8. O time de Bernardinho aumentou a vantagem (13 a 9) e o técnico da Bulgária pediu tempo. Na volta, ace de Wallace. Com o oposto bem no ataque, a seleção brasileira abriu nove de vantagem: 20 a 11. Com Dante, o placar foi para dez pontos de diferença (21 a 11) e, no ace de Lucão, passou para 22 a 11. Sem grande dificuldade, o Brasil fechou em 25 a 12.

O ponteiro Dante abriu o segundo set com ponto de saque. Mantendo o bom ritmo, o Brasil fez 5 a 0. No erro de saque da Bulgária, a seleção brasileira fez 8 a 5. Em boa passagem de Dante pelo saque, o Brasil fez 15 a 9. Com ponto direto de saque de Isac, o placar foi para 18 a 11. No bloqueio, a seleção brasileira levou o marcador para 20 a 11 e forçou o técnico da Bulgária a pedir tempo. Os búlgaros buscaram diminuir a vantagem adversária e, depois de pontuarem três vezes seguidas (20 a 14) foi a vez de Bernardinho parar o jogo. O Brasil, então, voltou a pontuar e venceu a segunda parcial por 25 a 17.

A Bulgária saiu na frente no início do terceiro set (4 a 3). Os adversários do Brasil ainda colocaram três de vantagem (7 a 4) e forçaram o técnico Bernardinho a pedir tempo. Com ponto de bloqueio, os búlgaros fizeram 9 a 5. Explorando o bloqueio brasileiro, a seleção da Bulgária marcou 11 a 5 e Bernardinho parou o jogo novamente. No ace de Wallace, a diferença de seis caiu para dois pontos a favor dos búlgaros: 14 a 12. No contra-ataque de Wallace, o Brasil ficou apenas um ponto atrás (18 a 17). A reta final do set foi bem equilibrada, com pequena vantagem para a Bulgária (22 a 21), que chegou a fazer 24 a 22. Quando o jogo estava em 24 a 23, Dante de machucou e entrou Maurício Borges. Na sequência, os búlgaros fecharam em 25 a 23.

O quarto set começou bem disputado. Com Lucão, o Brasil empatou em três pontos. Mais uma vez com o central, o time verde e amarelo colocou dois de vantagem (5 a 3) e o técnico adversário parou o jogo. A parcial seguiu equilibrada, com o Brasil tendo apenas um ponto a frente: 8 a 7. Com boa sequência de saques do levantador Bruno, o jogo ficou um pouco mais tranquilo para o lado brasileiro (12 a 7). No bloqueio de Wallace, o time verde e amarelo levou a vantagem para sete pontos, 16 a 9, e passou a dominar a parcial. A partir desde momento, a seleção brasileira ditou o ritmo do jogo e fechou o set em 25 a 16.

“Vamos enfrentar a Rússia mais uma vez, só que agora é começar tudo do zero. Não se lembra mais da final olímpica, nem mesmo do primeiro jogo que fizemos aqui na Fase Final. Claro que criou-se uma rivalidade, mas não tem que ser essa a nossa preocupação. Vamos estudar o time deles de novo, ver o que erramos para que não se repita amanhã e vamos entrar com tudo para conseguir a vitória. Já chegamos ao nosso primeiro objetivo, que era estar na final, agora vamos buscar o título”, garantiu o oposto Wallace.

“Temos que pensar primeiro no nosso time, em qual solução vamos adotar em função dos problemas físicos que estamos enfrentando. Contra a Rússia, no primeiro jogo aqui, pecamos um pouco. Mas vamos usar uma estratégia específica amanhã e tentar não conceder tantos pontos como foi na primeira partida”, detalhou Bernardinho.

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace, Isac, Lucão, Dante, Lucarelli e Mário Jr. (líbero)
entraram: Lipe, William e Maurício
Técnico: Bernardinho

Bulgária: Bratoev, Gotsev, Skrimov, Yosifov, Aleksiev, Sokolov e Salparov (líbero)
entraram: Milushev, Bratoev V., Dimitrov e Penchev
Técnico: Camillo Placi

foto: FIVB/Divulgação

Comentários