CBV amplia prazo para equipes se inscreverem na Superliga 2013/2014

A Confederação Brasileira de Vôlei resolveu aumentar a data-limite para a inscrição de clubes na Superliga 2013/2014. No primeiro momento, os interessados precisavam ingressar com a documentação nesta segunda-feira, dia 30 de junho, porém a entidade máxima do voleibol nacional estendeu para o dia 15 de julho. Oficialmente não se sabe o motivo da mudança, mas nos bastidores se fala que a medida veio para facilitar a presença de novos times.

A intenção da CBV é contar com doze equipes na próxima Superliga, como ocorreu na temporada passada. Até o momento se sabe que Sada/Cruzeiro, Sesi-SP, Vivo/Minas, Kappesberg/Canoas, Brasil Kirin/Campinas, São Bernardo, Volta Redonda, UFJF, Monte Cristo e Funvic/Taubaté. Restam duas vagas, sendo que uma delas deve ficar com o RJX, que mesmo em dificuldades financeiras vem fechando com alguns atletas (verbalmente) e espera anunciar um parceiro em breve. Já o outro lugar seria da nova equipe de Lages, mas o projeto pode acabar não saindo este ano do papel devido a falta de acerto com um patrocinador máster. 

No caso do RJX, o clima que antes era de tranquilidade devido a continuidade do time voltou a ser de tensão. As empresas de Eike Batista tiveram um prejuízo superior a R$ 1 bilhão e caso um parceiro não apareça a possibilidade de fechar as portas é grande. Segundo o jornalista Bruno Voloch, do site UOL, a empresa de geração e transmissão de energia Furnas seria uma alternativa.

A questão envolvendo uma equipe na cidade de Lages tem esbarrado na demora de fechar com um patrocinador máster. O administrador do projeto, Paulo Mendes, chegou a se aproximar da Seara, empresa de alimentos à base de carnes bovina, suína, de aves e peixes, porém nada foi definido e agora todos correm contra o tempo para buscar um investidor.

Vale lembrar que essas duas vagas ainda podem parar nas mãos do Vôlei Futuro, que segue na busca por patrocinador, de uma nova equipe comandada por Giovane Gavio no interior paulista ou até mesmo por um clube em Maringá, que teria como principal incentivador o levantador Ricardinho. Correndo por fora está a Climed/Atibaia (vice-campeã da Superliga B) que pode virar uma opção para complementar a Superliga 2013/2014.

foto: Divulgação

Comentários

  1. Falar que o RJX está com problemas financeiros pq as empresas do Todo Poderoso Eike teve um prejuízo de 1 bilhão é querer menosprezar as outras equipes. Seja mais humilde e pare de contratar estrelas do vôlei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tanta inveja do RJX, pra que?
      se pode contratar os melhores jogadores, que contrate.
      você deve torcer pra um time do interior e que está perdendo jogadores.. invejosa

      Excluir
  2. Ao invés da CBV ficar atras de equipes nomades e que somem e aparecem com a mesma velocidade, deveria olhar para equipes tradicionais que disputam a superliga B e que se mostram capazes de disputar uma superliga e gradativamente crescerem, caso de São José dos Campos, Atibaia, São Caetano e Chapecó. Se liga CBV!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo que patrocínio envolvendo muito dinheiro que vem e vão, não faz dá a sustentação pro vôlei nacional. Assim como as "humildes" dão. Investimento a longo prazo. Mas a CBV quer ser "amiga" de nomes e empresas influentes no país, pq será?

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Saída de Leal para o Civitanova faz Sada/Cruzeiro aquecer mercado internacional

Fabiano Magoo convoca jogadores para a Seleção Brasileira Sub-19

Apan/Blumenau contrata Thiago Alves e confirma sete renovações