(Jogos Olímpicos) Com quatro seleções fortes, Grupo B promete grandes jogos

Na sexta-feira, o Espaço do Vôlei fez uma analise do Grupo A, que conta com as presenças de Polônia, Itália, Argentina, Bulgária, Austrália e Grã-Bretanha. Neste sábado chegou a hora do Grupo B, que tem o Brasil lutando contra grandes seleções (Estados Unidos e Rússia), a sempre perigosa Sérvia, a emergente Alemanha e ao figurante Tunísia.

Confira abaixo alguns detalhes de cada seleção do Grupo B:

Brasil: Mesmo depois da campanha irregular na Liga Mundial, os campeões olímpicos em Barcelona/1992 e Atenas/2004 contam com Bernardinho, que conhece muito bem o elenco que tem nas mãos. O treinador acredita na recuperação física de Dante, Giba e Leandro Vissotto, porém o bom jogo da equipe verde e amarela passa pela atuação de Murilo, que se estiver inspirado não existe bloqueio que segure.

Aposta Espaço do Vôlei: Se as atuações em quadra forem no ritmo dos últimos depoimentos do grupo, uma medalha é bem possível.

Rússia: Campeões mundiais e da Liga Mundial em 2011, os russos tem grande tradição em olimpíadas, tendo três medalhas de ouro Tóquio/1964, Cidade do México/1968 e Moscou/1980 (todas como URSS). Muito do voleibol apresentado pela seleção passa pelo rendimento do oposto Mikhaylov.

Após Espaço do Vôlei: Tem tradição e tem tudo para chegar as semifinais

Estados Unidos: Atuais campeões olímpicos, os Estados Unidos tem três ouros no currículo, sendo Los Angeles/1984, Seul/1988 e Pequim/2008. Grande parte dos jogadores que conquistaram a medalha na China continuam, casos do oposto Stanley, do ponteiro Priddy e do central Lee. Entretanto, vale ficar de olho no ponteiro Anderson, principal destaque do time treinado por Alan Knipe.

Aposta Espaço do Vôlei: Os americanos chegam favoritos a medalha, muito apoiados pelo estilo de jogo, que tem origem no saque forçado. A falta de opções no banco pode ser preocupante, mas é grande a ida pelo menos para as semifinais

Sérvia: Herdeira da extinta Iugoslávia (campeão olímpica em Sydney/2000), a Sérvia mantém a tradição de ter uma equipe alta e muito forte no ataque. A despedida das quadras do oposto Miljkovic no inicio da temporada enfraqueceu a seleção, porém os jovens Starovic e Atanasijevic são representantes a altura.

Aposta Espaço do Vôlei: Vai brigar com a Alemanha pela última vaga da chave, mas só passa das quartas de final se tiver sorte no sorteio.

Alemanha: O voleibol alemão vive bom momento, com sua equipe participando das principais competições internacionais dos últimos anos. Essa será a segunda vez que disputa os Jogos Olímpicos e a presença dos experientes atacantes Popp, Schops e o Andrae pode fazer a diferença em uma posição melhor.

Aposta Espaço do Vôlei: Disputa com a Servia uma vaga na próxima fase, porém se passar já deve fazer festa.

Tunísia: 20ª colocada no ranking mundial, mas indo para a sua sexta disputa nos Jogos Olímpicos, a Tunísia chega apoiada por ser oito vezes campeã africana.O oposto Kaabi Hichem, maior pontuador da equipe no Mundial de 2006, segue como principal jogador da equipe do técnico Fehti Mkaouer.

Aposta Espaço do Vôlei: Não deve vencer nenhuma partida

foto: Divulgação

Comentários