Sem Marcelo Fronckowiak, Vivo/Minas analisa mercado de treinadores

Através de seu site oficial, o Vivo/Minas confirmou que Marcelo Fronckowiak não é mais o técnico da equipe de Belo Horizonte. O treinador, que esteve por duas temporadas no clube, acertou sua transferência para o RJX, mas deixou um elenco praticamente fechado para quem for assumir o time na sequência. A diretoria não fala em nomes no momento, porém analisa o mercado para resolver a questão o mais rápido possível. 

O nome preferido de todos é de Javier Weber, do Drean/Bolivar e da Seleção Argentina, porém ele já manifestou que não assume nenhum clube até o final dos Jogos Olímpicos de Londres, isto é, em agosto. Outro cogitado é o também argentino Daniel Castellani, que dirigiu a Polônia no Mundial de 2010 e foi campeão turco com o Fenerbahce esta semana. 

Uma questão levantada foi a possibilidade do auxiliar-técnico Pelé ser efetivado como comandante, porém ele tem o interesse de se candidatar a vereador nas eleições de outubro, o que impossibilitaria sua permanência no cargo. Entretanto, o ex-jogador é figura importante na negociação para trazer o ponteiro Giba para o Vivo/Minas. 

Outros brasileiros cogitados são Cacá Bizzocchi, que treinava a Medley/Campinas, e Jorginho Schmidt, que estava no BMG/Montes Claros. Além deles não está descartada até mesmo a contratação de Marcos Miranda, que deixou o RJX para a chegada de Marcelo Fronckowiak. 

foto: FIVB/Divulgação

Comentários

  1. Pelo amor de deus deixe sem técnico mas Marcos Miranda não o cara é ruim demais.

    ResponderExcluir
  2. Pelo amor de Deus amigos conhecedores do voleibol ..
    Falar em nome de Jorginho Schimdt em um clube grande como o Minas ,só podem estar brincando !
    Em Montes Claros tinha um time muito bom na mão e acabou destruindo o time ,trocando todo mundo em todos os sets ..Ja passou da hora dele encerrar a carreira e ficar em casa !

    ResponderExcluir
  3. Tbm concordo com a sua opinião !
    O Jorginho acabou com a equipe que estava bem montada pelo ex técnico .. Minas merece gente descente para comandar e não um técnico que parou nos anos 50 .

    ResponderExcluir
  4. Acho que apesar da dificuldade do mercado a equipe que coordena as estrategias do minas vem desenvolvendo um trabslho serio e competente. Com calma eles irao achar uma solucao.

    ResponderExcluir
  5. Eu, como profissional da Educacao Fisica, concordo que haja uma valorizacao e uma critica injusta com os tecnicos. Sempre existe uma equipe de trabalho que vai desde o auxiliar tecnico ao ropeiro, passando prinvipalmente pelos que definem nomes.
    A saida do marcelo foi esquisita pelo yime ja esta quase todo montado. Ele nao deve saber como isto eh ruim para a sewuencia do trabalho. Nao achei um comportamento legal.
    Fica aqi meu protesto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deves te informar mais a respeito da saida do Marcelo
      o esporte deveria ser feito por profissionais da area do esporte e não por pilantras

      Excluir
  6. Como fazemos com a política, fazemos com o esporte.
    O Minas tem seus defeitos mas a história mostra o respeito que merece.
    Estamos vendo uma páh de times que vão e voltam sem nenhum compromisso com o esporte. Nao cano falar dos comandantes desses times.
    Bem faz o técnico do sada que trabalha em silencio. Marcelo froncoviak tinha que se espelhar nele e para de se achar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PERDER UM TECNICO COM O MARCELO SÓ PODE SER POR POLITCA
      ESTA DIRETORIA É QUE DEVEREIA SAIR ELES SÃO OS RESPONSAVEIS
      PELA SAIDA PRECOCE DO TECNICO UMA PENA QUE COMENTARIO COMO ESTE AI EM CIMA TEM QUE SER DE PESSOAS QUE NÃO CONHECEM REALMENTE O MARCELO. VALORIZAR SÓ OS JOGADORES E PARENTES
      QUE DEVERIAM ESTAR APOSENTADOS COMO O HENRIQUE É POLITICA

      Excluir
  7. COMO UMA DIRETORIA PODE PERDER UM TECNICO COMO O MARCELO FRONCKOWIAK
    ISTO SÓ PODE SER INCOMPETENCIA

    ResponderExcluir

Postar um comentário