Por onde anda o Álbum de Figurinhas da Superliga

Em agosto, o central Gustavo iniciou uma forte campanha para que a Panini (ou outra editora) fizesse um álbum de figurinhas da Superliga 2011/2012, que iniciaria em dezembro. Chegando agora ao final do ano, não se tem nenhuma noticia sobre a possibilidade do projeto sair, mesmo que os torcedores tenham apoiado e curtido a ideia através das redes sociais.

Um dos motivos para que o Álbum da Superliga não está nas bancas de revistas seriam os direitos de imagem das marcas de cada clube, além da Confederação Brasileira de Vôlei que precisa da liberação de seus parceiros, casos como a Globo. A Panini até realizou uma sondagem, porém o curto tempo até o inicio da competição e a divulgação teriam prejudicado o processo.

Sabemos que o público do voleibol brasileiro cresce a cada dia, principalmente com os bons resultados da Seleção Brasileira, e com projetos realizados por grandes clubes do país para atrair jovens. Entretanto, a Superliga 2011/2012 vem apresentando alguns índices de público abaixo do esperado. Enquanto em Juiz de Fora, o torcedor esgota dos ingressos com antecedência, em São Bernardo foi visto recentemente uma partida com um Baetão praticamente vazio diante do Volta Redonda.

Muitos podem falar sobre o horário da partida (18h), que prejudicou a ida das pessoas ao ginásio, e até mesmo o tempo chuvoso na região. Agora, para uma empresa com vontade de patrocinar, não é nada atrativo ver um jogo ao vivo pelo Sportv com uma arquibancada sem ninguém.

foto: Cartaz criado por torcedor para a #albumdaSuperliga

Comentários

  1. Gostei dessa lembrança. Por conta do crescente público de vôlei é que tomei a iniciativa de fazer o Guia da Superliga (http://www.calameo.com/read/000549573e31324e16fd3). Mas como você disse, o que atrapalha é a burocracia que se tem para conseguir a liberação da marca principalmente junto a CBV e a Globo, que tomam atitudes ditatoriais. Lembro a época em que o Vôlei Futuro e outros times começaram a transmitir seus jogos via Tweetcam, mas logo percebendo um certo "sucesso" da empreitada a CBV barrou. Até cheguei a sugerir a eles que fizessem uma Liga independente da CBV ou algo do tipo para melhor explorarem esse potencial de marketing. Vejo muitos que querem ter uma camisa oficial de um clube de vôlei, mas não vendem. Vejo muitos que querem album de figurinhas, revistas e publicações sobre vôlei e não tem. E vejo gente que quer acompanhar os jogos de seu time e quando seu time toma a iniciativa de transmitir isso, simplemente proibem. E infelizmente por conta disso é que o vôlei, em termos de mercado esportivo, foi passado para trás pela NBB. A Globo e a CBV não querem divulgar e também não deixam os outros fazerem isso.

    ResponderExcluir
  2. Luis concordo plenamente com você. O Ary vive dizendo o quanto quer que o vôlei continue crescendo, os clubes estimulam e as torcidas tentam corresponder. Mas sem ajuda de "cima" não dá! Agora me diz como eu consigo esse Guia da Superliga! Ficou muito show!

    ResponderExcluir
  3. Oi Luis Ventura

    Se possível me manda o teu email para contato para o fernandocsoares@gmail.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Olá anonimo, por ser uma iniciativa sem apoio de editora e coisa do tipo, está disponível apenas para download no link que indiquei acima. Vou ver se para o ano que vem, eu consigo vender a ideia para alguma editora imprimir e vender. Se depender de mim, todo o ano terá o guia da Superliga.

    ResponderExcluir
  5. Uma sugestao é tentar algum contato pelo site trocafigurinhas.com especializado em álbuns e figurinhas e que possui contato direto com algumas editoras como a Abril e Kromo. Como o site possui muitos usuários pode ser que uma mobilização lá surta um bom efeito.

    vlw.

    ResponderExcluir
  6. Não deixem essa ideia do Álbum de figurinhas da Superliga morrer!!! Vamos refazer uma campanha no Facebook da Panini e jogá-la no Twitter também. Os fãs do vôlei brasileiro merecem e, com certeza, irão participar dessa movimentação.

    ResponderExcluir

Postar um comentário