Caso Sogipa não dispute Superliga B, Canoas pode representar o RS

Que o vôlei gaúcho não terá representante na Superliga 2011/2012, isso é certo, mas ficar o Estado sem ninguém na Superliga B seria algo inaceitável. Depois da confirmação por parte da CBV, de que a Sogipa não teria vaga na elite, o clube porto-alegrense estuda a possibilidade de disputar a divisão de acesso, porém ainda existem vários fatores que interferem nessa decisão.

Paulão, que confirmou a vontade de ser treinador, chegou a tratar diretamente com a entidade nacional para o ingresso da Sogipa na Superliga 2011/2012. Agora, ele tenta junto ao empresariado gaúcho finalizar um projeto a longo prazo, porém esbarra no mercado de marcas já fechado de 2011, além do investimento regional ser mais direcionado a cultura do que a prática esportiva.

Oficialmente ninguém confirma, mas se não existir um bom patrocínio, a Sogipa não ingressaria sozinha na Superliga B, prevendo custos acima do planejado na modalidade. Além disso, a demora da CBV no lançamento da divisão de acesso e a falta de informação sobre uma possível transmissão por televisão do torneio faz com que as empresas tenham suas dúvidas sobre o retorno do investimento.

Nos bastidores, algumas pessoas se movimentam para não deixar o Rio Grande do Sul sem um representante na Superliga B, que começaria em janeiro de 2012 e teria a duração de no máximo cinco meses. Uma alternativa seria a cidade de Canoas, que aproveitaria a base montada por Jorginho Schmidt em Porto Alegre na temporada passada.

Segundo o jornal o Pioneiro, de Caxias do Sul, o levantador Felipe Gil Kreling, mais conhecido como Feijão, que estava atuando pelo Rio Claro (SP), teria acertado com esse novo time de Canoas. A equipe teria a estrutura do Universidade SC e o apoio de nomes como o de Gilson Mão de Pilão. Já Jorginho Schmidt, que foi sondado pelo BMG/Montes Claros, deve mesmo montar um projeto em Novo Hamburgo em parceria com a On Line para a temporada 2012/2013.

foto: Pedro Revillion/Sogipa

Comentários