(Pan-Americano) Brasil ganha de Cuba e faz 100% no voleibol

O Brasil venceu Cuba por 3 sets a 1, parciais de 25/11, 24/26, 25/18 e 25/19, em 1h29min, e faturou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos 2011. O resultado garantiu o 100% de aproveitamento do vôlei em Guadalajara, já que antes as duplas de vôlei de praia, Alison/Emanuel e Juliana/Larissa, além da seleção feminina já tinham subido ao lugar mais alto do pódio.

O primeiro saque da decisão foi do ponteiro Lipe, que, no contra-ataque cubano fez duas vezes e foi, também, o responsável pelo primeiro ponto do jogo. Os brasileiros chegaram a abrir 3/0 e seguiram com um ritmo forte de jogo, ampliando essa diferença para 10/3. Um ace de Lipe levou a vantagem a 10 pontos: 17/7. De forma surpreendente, o primeiro set foi tranquilo para o Brasil, que venceu por 25/11.

Os cubanos fizeram 5/3 no início da segunda parcial. Com o placar alternando entre dois e três pontos de diferença a favor de Cuba, o confronto seguiu equilibrado. Na metade do set, os brasileiros encostaram (16/15), mas os adversários conseguiram se distanciar novamente em 19/15. Em uma boa passagem de Thiago Alves no saque, o Brasil tirou quatro pontos de diferença e empatou em 22/22. Um ataque de Wallace Martins levou o Brasil à frente, mas os cubanos fecharam em 26/24.

Mais uma vez o terceiro set começou com os dois times alternando na liderança do marcador. Com erro de saque do adversário, a equipe verde e amarela abriu dois pontos: 8/6. Na sequência, Cuba empatou em 12 pontos. O time comandado pelo técnico Rubinho conseguiu abrir três pontos em 18/15. Em contra-ataque de Wallace Martins, depois de uma grande defesa de Mário Júnior e levantamento de Lipe, Brasil fez 20/16. A vantagem ampliou e o Brasil fechou o terceiro set por 25/18.

O quarto set também começou disputado. Com bom saque de Éder e bloqueio de Gustavo, o Brasil conseguiu fazer 8/6. Um ace de Gustavo e um bloqueio de Wallace Souza levaram a equipe brasileira a aumentarem a vantagem para 13/9. Com grande contra-ataque de Gustavo, o Brasil fez 20/16. E o oposto Wallace Martins foi o responsável por marcar o último ponto do Pan-Americano: 25/19.

Com o título conquistado em Guadalajara, o Brasil chegou ao tetracampeonato pan-americano (1963, 1983, 2007 e 2011). Além da medalha de ouro, a equipe verde e amarela foi destaque nas premiações individuais. Bruninhoo foi o melhor levantador, Mário Júnior teve a melhor recepção e Wallace Souza, o melhor ataque, sendo que o atacante também foi o maior pontuador contra Cuba, com 21 acertos.

“Não caiu a ficha ainda. Nem esperava ser convocado para jogar um Pan-Americano. É muita responsabilidade. Mas agora estou feliz demais, pois merecíamos esse título. O trabalho foi muito bem feito e só tenho a agradecer a todos os jogadores que me receberam bem na seleção e que me passaram a tranquilidade necessária para conseguir jogar”, disse Wallace Souza.

“Muito bom conseguir o que nos propomos a fazer. O tempo todo tive confiança nessa equipe, que trabalhou motivada e se dedicando ao máximo em cada treinamento. Hoje, eles fizeram um jogo muito bom, contra uma equipe forte e são merecedores desse resultado. É a recompensa do trabalho bem feito”, afirmou o treinador Rubinho.

Na disputa pela medalha de bronze, a Argentina venceu um jogo bem disputado contra o México por 3 sets a 2, parciais de 25/18, 22/25, 20/25, 25/22 e 15/13.

Equipes:

Brasil: Bruninho, Wallace Souza, Gustavo, Éder, Thiago Alves, Luis Felipe Chupita e Mário Jr (líbero)
Técnico: Rubinho

Cuba: Leon, Perdomo, Cepeda, Bell, Mesa, Hierrizuela e Gutierrez (líbero)
Técnico: Orlando Samuels

foto: Luiz Pires/VIPCOMM

Comentários