Mauro Grasso desabafa e admite estar fora do mercado

Um dos grandes técnicos brasileiros na atualidade, Mauro Grasso pode ficar sem clube na próxima edição da Superliga. Isso porque, o treinador admite que o mercado está fechado para ele depois da campanha abaixo do esperado que teve com o Pinheiros. Ele admite, em entrevista ao portal R7, que teve um desgaste na temporada passada e que pensar até em parar por um período. 

“Não tenho nada em vista para a próxima temporada. O mercado meio que se fechou para mim. Estou decepcionado com o vôlei, essa última temporada foi a pior da minha carreira. Quero apagá-la da memória. Estou meio que cansado de administrar vaidades. Eu caí em uma arapuca, não sei se foi presunção minha achar que eu conseguiria lidar com aquilo, mas só me deu desgaste e dor de cabeça", afirmou Mauro Grasso. 

O treinador falou sobre os problemas ocorridos na última Superliga, principalmente com as dispensas do levantador Marcelinho e do central Rodrigão, e logo depois, com a contusão do ponta Giba, que ficou boa parte da fase de classificação se recuperando. Além disso, Grasso reclamou do planejamento, já que não se pode querer muito de um trabalho realizado as pressas. 

“Houve muito desgaste de patrocinador com jogador, de jogador com o técnico. Depois que o Rodrigão e o Marcelinho foram dispensados, ficamos sem metade do poderio do quarteto e ainda perdemos mais um com a contusão do Giba. Aí acabamos eliminados pela equipe que seria o vice-campeão (Sada/Cruzeiro), mas ninguém esperava, nem eu. Nunca fiquei abaixo de terceiro (...) O técnico é o primeiro que deveria ser contratado, pois assim pode indicar os jogadores para trabalhar. Ser o indicador é uma coisa que te dá moral”, explicou o treinador, que foi campeão da Superliga 2004/2005 no comando do Banespa/Mastercard e com o Telemig Celular/Minas em 2006/2007.

foto: Gaspar Nóbrega/VipComm

Comentários