sexta-feira, 27 de março de 2015

(Superliga B) Sada/Unifemm busca igualar a serie diante do Sesi-SP/Juvenil

Neste sábado, às 20h, o Sada/Unifemm enfrenta o Sesi-SP/Juvenil, em Sete Lagoas precisando vencer para se manter vivo na Superliga B. Como perder na primeira partida da semifinal, os mineiros tem que ganhar para forçar um terceiro duelo no domingo, enquanto a equipe paulistana conquista a vaga na decisão se vencer novamente. A expectativa é de um duelo bastante equilibrado.

Na primeira partida, no ginásio da Vila Leopoldina, o Sada/Unifemm chegou a abrir 2 sets a 0, mas acabou levando a virada e perdendo no tie-break. Para evitar que isso ocorra novamente, o técnico Henrique Furtado quer a equipe celeste atenta durante todas as parciais. No lado do Sesi-SP/Juvenil, o treinador Gerson Amorim quer ver o time atuando com a mesma dedicação mostrada na reta final do jogo anterior, mesmo sabendo da pressão que enfrentará fora de casa.

“O jogo foi bem disputado. Os dois times já se conhecem há bastante tempo. São dois times jovens, com estilos parecidos, tanto que o jogo foi bem apertado. E estamos confiantes para a partida deste sábado. Fizemos dois jogos contra eles, um que vencemos na fase classificatória e perdemos o último, então está igual para os dois lados. Nosso time sempre vai com muita garra para os jogos e tenho certeza que todo mundo vai fazer o seu melhor”, disse o oposto Alan.

foto: Renato Araujo/Sada/Divulgação

Brasil Kirin realiza visitas a núcleos do Instituto Compartilhar

A semana vem sendo especial para o elenco do Brasil Kirin. A programação dos jogadores está repleta de visitas a núcleos do Instituto Compartilhar, que presidido pelo técnico Bernardinho inicia várias crianças ao voleibol. A equipe de Campinas tem uma forte ligação com projetos sociais, junto a comunidade da região, mostrando isso também em ações dentro do ginásio do Taquaral.

“Eu considero essas visitas como um momento incrivelmente rico. As crianças são beneficiadas e nós também. Eles nos recebem como um exemplo do que o esporte pode fazer com uma pessoa e nós temos a chance de resgatar nossas origens e relembrar o começo de tudo. É algo muito importante para ambas as partes”, declarou o coordenador técnico do Brasil Kirin, André Heller.

Ao todo, 600 crianças são atendidas pelo Instituto Compartilhar com aulas de mini-vôlei dentro da própria escola no contra turno escolar, em sete núcleos, sendo cinco em Campinas e dois em Itu. No caso do Brasil Kirin, as categorias de base, que tem equipes sub-21, sub-19 e sub-17, que estão em fase de preparação para os torneios estaduais e recebem toda a estrutura necessária para o desenvolvimento como cidadãos e atletas.

foto: Brasil Kirin/Divulgação

quinta-feira, 26 de março de 2015

(Superliga B) Bento Vôlei mostra força e faz 1 a 0 na serie sobre Foz do Iguaçu

Pela semifinal da Superliga B, o Bento Vôlei/Isabela venceu o Foz do Iguaçu por 3 sets a 1, parciais de 23/25, 25/20, 25/14 e 25/17, no ginásio Costa Cavalcanti, fazendo 1 a 0 na serie melhor de três jogos. Sendo assim, o time gaúcho só precisa de uma vitória no próximo sábado, às 20h, no ginásio municipal de Bento Gonçalves, para chegar a decisão e consequentemente assegurar a vaga na elite nacional. Já os paranaenses precisam ganhar fora de casa para forçar um terceiro duelo, também no Rio Grande do Sul, no dia 29.

Precisando encontrar uma maneira de derrotar a única equipe invicta na competição, o Foz do Iguaçu forçou o saque para tentar dificultar o trabalho defensivo dos visitantes. O colombiano Zapata, em uma de suas passagens pelo saque, ajudou a equipe paranaense a virar o placar, e abrir uma diferença de dois pontos, mantida até o fim do primeiro set, que terminou em 25 a 23.

Querendo se recuperar rápido da derrota no primeiro set, os gaúchos voltaram à quadra utilizando a mesma estratégia dos adversários, sacando muito forte. O central Giovanni, que já havia feito três aces, manteve o bom aproveitamento no saque, ajudando a equipe a abrir vantagem e chegar ao segundo tempo técnico em 16 a 10. O saque forçado surtiu efeito, com Rivoli, Zé Ricardo e Giovanni pontuando de forma direta no fundamento e resultando na vitória por 25 a 20. 

O terceiro set começou da mesma forma que o segundo. A qualidade do passe do Bento Vôlei/Isabela, com os ponteiros Zóio, substituindo o líbero Daniel, e Danilo era muito alta, o que facilitava as jogadas rápidas, característica dos comandados por Fernando Rabelo. Mantendo o bom desempenho no saque, o time da Serra fechou o terceiro set em 25 a 14. 

No quarto set, a pressão em cima de Foz do Iguaçu cresceu. Tentando forçar novamente o saque, a equipe da cidade famosa por suas cataratas errou bastante. Ainda assim, o set seguiu equilibrado, até chegar na reta final. Porém, novamente os saques de Giovanni fizeram a diferença. Com dois aces seguidos do central, o time gaúcho abriu vantagem e não perdeu mais a liderança, fechando a parcial em 25 a 17.

“Eu já havia substituído o Daniel no jogo contra Três Corações, não foi uma situação nova pra mim (...) Consegui jogar tranquilo com muito apoio da comissão técnica e dos meus companheiros dentro de quadra”, declarou o ponteiro Zóio, que atuou como líbero.

“O que valeu hoje foi o fator grupo, a equipe estava muito unida e muito focada (...) Entrei e pude ajudar a equipe nessa reta final. Fiquei bem feliz. A partida foi muito importante pra mim, eu não vinha jogando e graças a Deus deu tudo certo”, avaliou o ponteiro Danilo, que saiu do banco de reservas no decorrer da partida e permaneceu em quadra até o fim.

foto: Enio Bianchetti

(Superliga B) Sesi-SP/Juvenil sai na frente do Sada/Unifemm

No primeiro jogo das semifinais da Superliga B, o Sesi-SP/Juvenil venceu o Sada/Unifemm por 3 sets a 2, parciais de 32/34, 20/25, 25/23, 25/23 e 15/13, no ginásio da Vila Leopoldina. Com o resultado, o time paulistano fez 1 a 0 na serie melhor de três jogos e se vencer no próximo sábado, às 20h, em Contagem, fica com a vaga na decisão. Por outro lado, os mineiros precisam ganhar em casa para forçar um terceiro duelo no dia 29.

Os dois times fizeram um embate acirrado. O Sada/Unifemm começou melhor ficando na frente nas duas parciais do primeiro set: 8 a 6 e 16 a 12. O Sesi-SP/Juvenil encostou no placar e a disputa do período só terminou com 34 a 32 para os visitantes. No segundo set, os mineiros seguiram melhor em quadra e abriram 8 a 5 e na sequência 16 a 13. No final, com boa atuação do oposto Alan, o Sada fechou a parcial em 25 a 20.

Diferente das parciais anteriores, o Sesi-SP/Juvenil começou o terceiro set arrasador e fez 8 a 3 no primeiro tempo técnico. Na segunda parada obrigatória, o time paulistano manteve a frente fazendo 16 a 11. No final, mesmo com a recuperação dos mineiros, os donos da casa venceram por 25 a 23. O quarto set foi bastante equilibrado, com as equipes se alternando no placar e após muita disputa os comandados de Gerson Amorim venceram por 25 a 23.

O tie-break iniciou equilibradíssimo, com as equipes buscando forçar o saque para quebrar o passe adversário. A primeira parada técnica apontava o Sesi-SP/Juvenil na frente por 8 a 7, mas logo o Sada/Unifemm virou o jogo para 10 a 9. Cada ponto era disputado como se fosse o último e na parte decisiva do set, os donos da casa levaram a melhor e conseguiram a vitória por 15 a 13.

“Foi um jogo muito difícil. Acho que as falhas passaram um pouco pelo nosso ataque, que, nas bolas ruins, trabalhou pior do que o deles. Mas jogo de semifinal é isso, é pau a pau. Foi decidido nos detalhes, em um tie-break que terminou em 15 a 13. Eles têm excelentes jogadores e tiveram os méritos deles para vencer, mas isso não muda nada para sábado. A gente sabe que será um novo jogo e que temos totais condições de conquistar a vitória em casa para continuar lutando pela vaga na final”, contou o ponteiro Leozinho.

foto: Marcel Matz/Sesi-SP

quarta-feira, 25 de março de 2015

Marcelinho Ramos é prioridade de Montes Claros para próxima temporada

A diretoria de Montes Claros já anda pensando na temporada 2015/2016 e além de manter alguns parceiros e buscar novos apoiadores, o time mineiro tem como prioridade a permanência do técnico Marcelinho Ramos. A maneira como uniu o grupo de jogadores e o estilo tanto ao lado da quadra quanto nos treinamentos agradou as dirigentes, que já iniciaram conversas para a renovação de contrato.

“O Marcelinho tem sangue no olho. Ele veio com muita simplicidade e mostrou profissionalismo durante todo o tempo e isso hoje no mercado é raro. E quando a gente tem um profissional desta natureza nós não podemos perdê-lo”, declarou o gestor do Montes Claros, Andrey Souza, em entrevista ao site De Veneta.

Para 2014/2015, o Montes Claros teve um orçamento de R$ 1,8 milhão e a expectativa na próxima temporada é de aumento de pelo menos 50% para que o clube dê um salto de qualidade visando a Superliga, a Copa Brasil e o Campeonato Mineiro. Quanto a elenco, os dirigentes não falam em nomes, até porque querem fechar primeiro com Marcelinho Ramos, mas atletas identificados com o projeto e a torcida devem permanecer.

foto: Fredson Souza/MCV

terça-feira, 24 de março de 2015

Rede TV também quer transmitir voleibol nos sábado à tarde

Depois da Rede Bandeirantes se mostrar interessada em transmitir jogos de voleibol nos sábados à tarde, a Rede TV estaria de olho no mesmo nicho para preencher o mesmo dia e horário na sua programação. Ninguém da emissora confirma oficialmente, mas a ideia surgiu para aproveitar a proximidade dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro/2016.

Atualmente, a Rede TV transmite alguns eventos esportivos como a Serie B do Campeonato Brasileiro de Futebol e o XFC, faixa especializada em Artes Marciais Mistas. No momento tudo não passa de especulação, mas já é dada como certa a saída do Sábado Total, programa de Gilberto Barros, o que abriria espaço de pelo menos três horas para o esporte.

A Band já teria largado na frente contatando a Confederação Brasileira de Vôlei de olho nos jogos da Seleção Brasileira Masculina na Liga Mundial, porém evitando um choque com a Rede Globo que tem os direitos das partidas no país e acertando uma parceria com o Sportv na retransmissão de partidas. A Rede TV não deve fazer nenhum leilão, mas teria como opção o vôlei de praia, com destaque para o Circuito Banco do Brasil e até mesmo alguns Estaduais como o Paulista e o Mineiro.

foto: Divulgação

(Superliga B) Foz do Iguaçu vai para cima do invicto Bento Vôlei/Isabela na semi

Melhor campanha da Superliga B, o Bento Vôlei/Isabela encara nas semifinais o Foz do Iguaçu, que surpreendeu ao eliminar nas quartas de final a Apan/Blumenau. O primeiro duelo será nesta quarta-feira, às 20h30min, no ginásio Costa Cavalcanti, e a expectativa é de boa presença de público, já que os paranaenses chegam embalados e dispostos a acabar com o favoritismo dos gaúchos.

No Foz do Iguaçu, o técnico Marcão sabe que o desgaste físico pode ser um fator preocupante, já que o time veio de duas ‘batalhas’ diante da Apan/Blumenau, em Santa Catarina. O ponteiro colombiano Zapata é uma das armas da equipe paranaenses, que espera fazer valer o fator casa para sair na frente do confronto e tirar a vantagem do Bento Vôlei/Isabela.

“O adversário fez um alto investimento para ser o campeão e voltar ao grupo de elite do vôlei nacional em 2016. Eles quase conseguiram o objetivo no ano passado e estão novamente no páreo com uma campanha sensacional. De nossa parte, estamos mostrando evolução na hora certa e esperamos vencer a equipe gaúcha, que é considerada favorita no confronto”, afirmou o técnico Marcos Vinícius Dias Antunes, o Marcão, que não contará com o central Arthur (lesionado).

Invicto, o Bento Vôlei/Isabela classificou-se para as semifinais a fazer 2 a 0 na serie melhor de três jogos contra a UPIS/Brasília. O técnico Fernando Rabelo tem o elenco nas mãos e sabe que a o favoritismo é grande, mas não ganha jogo. Com atletas experientes no grupo de jogadores, como o ponteiro Dentinho, o oposto Tuba, o levantador Rodrigo Rivoli e o central Giovanni, a questão agora é impor o jogo independente de ser na casa do adversário.

foto: Vinicius Lucas

Alexandre Rivetti deixa o comando do São José dos Campos

Em sua primeira participação na Superliga, São José dos Campos acabou na 11ª posição, apenas na frente de São Bernardo, resultado considerado abaixo do que a diretoria do clube esperava quando iniciou a edição 2014/2015 da competição. Alexandre Rivetti, que assumiu a equipe no início de novembro após saída do técnico Reinaldo Bacillieri, acabou conquistado os Jogos Abertos do Interior, mas não será o comandante do time na próxima temporada.

“A Superliga foi um aprendizado. Estreamos na maior competição do voleibol nacional com uma estrutura mínima, mas sofrendo a mesma cobrança que sofrem times veteranos. Nossa meta era ousada, mesmo assim, acredito que valeu muito o aprendizado e Rivetti foi de extrema importância nesse processo. Por isso o São José Vôlei só tem a agradecer todo seu empenho”, declarou o gerente da equipe, Fernando Basílio.

“Agradeço aos gestores do São José, jogadores e comissão técnica pela disposição durante a temporada. Fizemos grandes jogos, demos o nosso melhor, mas, infelizmente, não alcançamos nossa meta. Espero que para a próxima temporada o projeto se fortaleça, que patrocinadores venham e que a prefeitura continue investindo. Tenho certeza que o São José tem condições de montar um grande time. Agradeço também à torcida que esteve sempre presente, aplaudindo e torcendo, independente dos resultados”, disse Alexandre Rivetti.

Atualmente, o elenco segue em treinamento aguardando a posição da Confederação Brasileira de Vôlei sobre um quadrangular ou hexagonal entre os últimos colocados da Superliga e os primeiros da Superliga B para disputar vagas na elite do campeonato. A CBV só deve se pronunciar a respeito quando as duas competições estiverem encerradas.

foto: Tião Martins/PMSJC