segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

(Superliga B) Apan/Blumenau estreia com vitória sobre o UM Itapetininga

Fechando a rodada inaugural da Superliga B, a Apan/Blumenau/Esferatur derrotou o Vôlei UM Itapetininga por 3 sets a 0, parciais de 27/25, 25/16 e 27/25, no ginásio Galegão. A vitória foi muito comemorada pelos catarinenses por ser uma estreia e dentro de casa, além de ter sido diante de um adversário considerado favorito a uma das duas vagas a elite nacional.

Aproveitando o fator casa, a Apan/Blumenau/Esferatur começou muito bem o jogo abrindo alguns pontos de vantagem. Entretanto, o UM Itapetininga equilibrou o duelo e nos detalhes, os catarinenses fecharam o primeiro set em 27 a 25. Em um segundo set mais tranquilo, os donos da casa tiveram um desempenho muito bom no saque e aproveitando os erros do adversário fizeram: 25 a 16. No terceiro período, os paulistas voltara a equilibrar as ações, mas novamente nos momentos decisivos, os comandados de André Donega foram melhores e fecharam em 27 a 25.

“Nosso time entrou sabendo da importância do jogo, da dificuldade que seria enfrentar o elenco do UM Itapetininga. Agora nossa equipe foi muito agressiva no saque, evitando as ações do adversário, mas também não foi só isso. Nos comportamos muito bem, praticamente tudo combinamos foi cumprido dentro de quadra e ficamos felizes com essa primeira vitória. Claro que esse é um primeiro passo, mas mostra que estamos no caminho certo. Vínhamos treinando bem, sabíamos do nosso potencial, mas precisávamos transformar isso em uma situação de jogo. Gostei muito da intensidade e agora é continuar trabalhando serio para continuar jogando bem”, afirmou o técnico André Donegá.

Na próxima sexta-feira, às 19h30min, a Apan/Blumenau/Esferatur encara o Super Vôlei/Santo André, no ginásio Pedro Della’Antonia. Já o Vôlei UM Itapetininga recebe o Botafogo, no sábado, às 19h, no ginásio Aryton Senna.

foto: Apan/Blumenau/Divulgação

domingo, 21 de janeiro de 2018

(Superliga) Sesc-RJ leva susto, mas vira para cima do Corinthians/Guarulhos

No encerramento da 3ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, o Sesc-RJ derrotou, de virada, o Corinthians/Guarulhos por 3 sets a 1, parciais de 24/26, 25/23, 25/22 e 25/17, no ginásio da Ponte Grande. Com o resultado, o time carioca chegou aos 36 pontos e segue na vice-liderança, enquanto a equipe paulista caiu para a 7ª colocação, com 19 pontos ganhos.

O primeiro set começou equilibrado, com as equipes empatando em 3 a 3. No erro do adversário, o Corinthians/Guarulhos abriu dois de vantagem em 7 a 5. O Sesc-RJ buscou e empatou em 7 a 7. As equipes seguiram tomando banho e empataram em 13 a 13. O time da casa teve dois de vantagem em 18/16. No erro do adversário, o Sesc-RJ chegou ao ponto de empate: 20 a 20. O set seguiu equilibrado até o final, quando o Corinthians/Guarulhos fechou em 26 a 24.

O Corinthians-Guarulhos seguiu melhor no segundo set. Quando o time da casa abriu 11 a 7, o técnico do Sesc-RJ, Giovane, pediu tempo. Com apoio de sua torcida, o time paulista seguiu no comando do placar. Com alterações no elenco, o Sesc-RJ conseguiu encostar no marcador fazendo 16 a 17. No bloqueio de João Rafael, a equipe carioca deixou tudo igual (19 a 19). A reta final do set ganhou emoção (21 a 21). No final, melhor para o Sesc-RJ por 25 a 23.

Rodrigo Ribeiro abriu o terceiro set com ponto de saque a favor do Corinthians-Guarulhos. João Rafael empatou em 1 a 1. Os donos da casa tiveram dois de vantagem em 5 a 3. A partir deste momento, o time carioca seguiu embalado e abriu sete em 12 a 5. A vantagem seguiu em 14 a 7. Maurício Souza pontuou e o Sesc RJ fez 16 a 11. O Corinthians reagiu e fez 14 a 16. Giovane pediu tempo. Com Ygor Ceará, o time da casa empatou: 20 a 20. Novo empate em 22 a 22. Com Maurício Borges, vitória do Sesc-RJ: 25 a 22.

Com Maurício Souza bem no bloqueio, o Sesc RJ abriu 5 a 1, forçando o técnico do Corinthians-Guarulhos, Alexandre Stanzioni, a pedir tempo. Com Maurício Borges, atacando uma bola de segunda levantada por Maurício Souza, o time carioca abriu 7 a 1. Com Renan, 8 a 1. No bloqueio de Thiaguinho, 10/2. Stanzione pediu seu segundo tempo. A vantagem foi a 16 a 10. Na sequência, o time do Rio de Janeiro fez 22 a 16. E melhor em quadra, o Sesc-RJ fechou em 25 a 17.

“Enfrentamos um jogo difícil hoje. Começamos errando muito no primeiro set e, com isso, perdemos muito o foco. O nosso time tem um bloqueio bem forte, mas, para ele funcionar, temos que pensar muito taticamente o jogo inteiro e conseguimos fazer isso só depois do segundo set para frente (...) O nosso saque quebrou muito o passe deles também quando começou a entrar e, sem dúvida, foi um fundamento extremamente importante para o nosso time, principalmente o flutuante”, disse o oposto Renan.

Agora, o Sesc-RJ dá uma pausa na Superliga para pensar na semifinal da Copa Brasil. Na próxima quinta-feira, às 19h, os cariocas enfrentam o Sada/Cruzeiro, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Já o Corinthians/Guarulhos só volta a quadra no sábado, dia 3, às 19h, diante do Montes Claros, no ginásio Tancredo Neves.

Equipes:

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Riad, Luizinho, Ygor Ceará, Mineiro e Serginho (líbero)
entraram: Gabriel, Cesinha e Gabriel Cândido
técnico: Alexandre Stanzioni

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Maurício Souza, Renatão, Japa, Maurício Borges e Tiago Brendle (líbero)
entraram: PV, Everado, Barreto e João Rafael
técnico: Giovane Gávio

foto: Leo Vitulli/Corinthians-Guarulhos

(Superliga) Sada/Cruzeiro passa pelo Copel Telecom/Maringá e segue líder

Jogando em casa, no ginásio do Riacho, o Sada/Cruzeiro cumpriu muito bem seu papel e venceu o Copel Telecom/Maringá por 3 sets a 1, parciais de 25/23, 21/25, 25/17 e 25/19, pela 3ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time celeste segue na liderança, agora com 37 pontos, enquanto os paranaenses continuam na lanterna, com apenas dois pontos ganhos. 

O Sada/Cruzeiro entrou em quadra com algumas mudanças em relação ao seu time-base com as entradas de Fernando Cachopa, Éder Levi e Pablo, nas vagas de Nico Uriarte, Isac e Filipe, respectivamente. Por outro lado, o Copel Telecom/Maringá entrou como franco-atirador e forçando bastante o saque equilibrou as ações. No final, vitória dos donos da casa por 25 a 23. 

No segundo set, os paranaenses mantiveram o bom rendimento no saque, mas foram mais efetivos na hora dos contra-ataques. Com boa distribuição de Ricardinho, os visitantes conseguiram segurar o ímpeto dos atuais campeões e fecharam a parcial em 21 a 25. Sem se abalar, o Sada/Cruzeiro voltou para o terceiro período mostrando sua força e com aproveitamento de 88% nas viradas de bolas do central Simon venceu por 25 a 17.

Na parcial seguinte, o Copel Telecom/Maringá até buscava equilibrar o jogo, mas o Sada/Cruzeiro tinha total domínios, principalmente com os ataques precisos, tendo como destaque o oposto Evandro (20 pontos em todo o jogo, sendo quatro de bloqueio). No final, os mineiros administraram a vantagem imposta em meio ao set e fecharam o duelo com 25 a 19.

“A equipe de Maringá vem crescendo nessa reta final da temporada e fez um bom jogo contra nós. Foi uma partida bonita e fico feliz de receber este troféu. A gente cometeu muitos erros em alguns momentos, principalmente no segundo set, mas também fizemos coisas boas. Às vezes a vitória mascara algumas coisas, mas se aprende muito também com as dificuldades. Agora é concentrar para a Copa Brasil, que vai precisar de 100% de cada atleta”, disse o levantador Fernando Cachopa.

“Conseguimos buscar o placar e jogar de igual para igual. Houve evolução em todos os fundamentos. Mais uma vez fizemos uma boa apresentação, mas o resultado não veio. Esperamos continuar crescendo”, declarou o treinador Alessandro Fadul.

Agora o Sada/Cruzeiro volta suas atenções para a semifinal da Copa Brasil na próxima quinta-feira, às 19h, diante do Sesc-RJ, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Já o Copel Telecom/Maringá só joga no sábado, dia 3, às 19h, também diante dos cariocas, no ginásio Chico Neto.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Fernando Cachopa, Evandro, Leal, Pablo, Simon, Éder Levi e Serginho (líbero)
entraram: Filipe, Nico Uriarte e Alemão
técnico: Marcelo Mendez

Copel Telecom/Maringá: Ricardinho, Alisson, Alê, Secco, Wennder, Ialisson e Daniel (líbero)
entraram: Kaio, Matheus e Rodrigo Leitzke
técnico: Alessandro Fadul

foto: Renato Araújo/Sada Cruzeiro

(Superliga B) No tie-break, Uberlândia/Gabarito vence MonteCristo/Artesanal

Mesmo jogando na Arena MonteCristo, o Uberlândia/Gabarito/Start Química não se intimidou e venceu o Seduce/MonteCristo/Artesanal por 3 sets a 2, parciais de 26/28, 25/22, 29/27, 21/25 e 15/7, pela rodada inaugural da Superliga B. Com a vitória após 2h32min de confronto, os mineiros somaram dois pontos, enquanto os goianos somaram um ponto dentro de casa.

Em um primeiro set foi equilibrado e bem competitivo, já que as equipes lutaram por cada ponto. A parcial também foi marcada por belas recuperações de bola e no bom trabalho de contra-ataque, Seduce/Monte Cristo/Artesanal abriu uma considerável vantagem. Entretanto, na metade do set, os mineiros reagiram e a partida voltou a ser disputada ponto a ponto. No final, vitória dos goianos por 28 a 26.

No segundo set, o Uberlândia/Gabarito/ Start Química dominou as ações. Com bom trabalho no saque e nos contra-ataques, os visitantes ficaram a frente do placar durante todo o período. O time da casa chegou a reagir, mas não o suficiente e os mineiros fecharam por 25 a 22. No terceiro set, o equilíbrio voltou a tomar conta do jogo, com destaque para o bloqueio e o contra-ataque que voltaram a funcionar no MonteCristo. Enretanto, na reta final, os visitantes foram melhores e fecharam em 29 a 27.

Já no quarto set, o MonteCristo continuou com uma boa efetividade no bloqueio permitindo um dos mais bonitos rallys do jogo, com a defesa de três ataques consecutivos do Uberlândia. Com o apoio da torcida, o time da casa dominou, abriu vantagem no placar e fechou por 25 a 21. O tie-break começou melhor para os mineiros, que mais pacientes na virada de bola abriram oito pontos e tiveram tranquilidade para fechar o duelo em 15 a 7.

“Era esperada a vitória em casa, mas desenvolvemos uma boa partida. Tivemos altos e baixos e marcamos um ponto na classificação”, revelou o treinador Jonas Fonseca.

Os dois times voltam a quadra no próximo sábado. O Seduce/MonteCristo/Artesanal encara, às 17h, o São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão Preto, na Cava do Bosque. Enquanto, às 18h, o Uberlândia/Gabarito/Start Química recebe a UPIS, no ginásio Sabiazinho. 

foto: Uberlândia/Divulgação

(Superliga) No Abaeté, EMS Taubaté/Funvic supera Ponta Grossa/Caramuru

Jogando no ginásio Abaeté, a EMS Taubaté Funvic venceu o Ponta Grossa/Caramuru por 3 sets a 0, parciais de 25/19, 25/19 e 27/25, pela 3ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time do Vale do Paraíba chegou aos 31 pontos e assumiu a 3ª colocação, enquanto os paranaenses seguem com 11 pontos e ocupando a 9ª posição da tabela.

O primeiro set foi de domínio da EMS TaubatéqFunvic desde o começo. Variando bem o saque e virando as bolas de ataque, os donos da casa não encontraram muita dificuldade em abrir vantagem e vencer por 25 a 19, com destaque para o líbero Thales, que deu maior consistência ao setor defensivo da equipe, impedindo qualquer tipo de reação do adversário. O segundo set começou com o Ponta Grossa esboçando uma reação e conseguindo abrir dois pontos de vantagem. Logo o Taubaté igualou as ações, virou o placar e voltou a comandar o jogo. Os donos da casa venceram com tranquilidade por 25 a 19. 

O terceiro set foi onde o Ponta Grossa/Caramuru mais impôs resistência ao jogo do Taubaté. A equipe paranaense chegou a liderar parte do set, forçando bastante o saque e apostando nos erros do time da casa. No entanto, a EMS Taubaté/Funvic retomou o controle do jogo, e com ótimo aproveitamento das bolas de ataque, venceu o set por 27 a 25.

“Tivemos um side-out bom, conseguimos quebrar o passe deles com o nosso saque. Tivemos alguns erros, que acabaram dando a chance deles emparelharem no placar no terceiro set. Mas são detalhes que temos que não repetir. O clima nos bastidores é ótimo, sempre foi bom. Essa sequência de vitórias é muito importante para manter essa moral elevada.”, comentou o libero Thales.

“O Taubaté veio com um bom saque e durante o jogo fomos nos acostumando com isso. Mesmo com a derrota, a equipe está de parabéns, pois soube se comportar muito bem contra um dos favoritos ao título (...) No terceiro set, estávamos três pontos atrás e fomos buscar. Tivemos duas chances de fechar o set, uma delas com uma bola um pouco discutível. Ali poderíamos ter fechado o set, mas foi importante ver a equipe continuar crescendo”, declarou o técnico Fábio Sampaio. 

A EMS Taubaté/Funvic dá um tempo na Superliga para encarar a semifinal da Copa Brasil. Na próxima quinta-feira, às 21h30min, os comandados de Daniel Castellani pegam o Sesi-SP, no ginásio da Vila Leopoldina. Já o Ponta Grossa/Caramuru volta a entrar em quadra no dia 3, às 19h, contra o Sada/Cruzeiro, no ginásio do Riacho, em Contagem.

Equipes:

EMS Taubaté/Funvic: Rapha, Wallace, Otávio, Solé, Dante, Ivovi e Thales (líbero)
entraram: Ruiz, Lucas Madaloz e Nicolas
técnico: Daniel Castellani

Ponta Grossa/Caramuru: Índio, Leozão, Cris, Maycon, Bruno Rubbo, Leo e Bruninho (líbero)
entraram: Diego, Gustavo e Antony
técnico: Fábio Sampaio

foto: Rafinha Oliveira/EMS Taubaté/Funvic

(Superliga) No Taquaral, Vôlei Renata passa pelo JF Vôlei e sobe para o 6º lugar

O calor da torcida no ginásio Taquaral foi o combustível para o Vôlei Renata derrotar o JF Vôlei por 3 sets a 0, parciais de 25/15; 25/22 e 25/22, pela 3ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, Com o resultado, o time de Campinas chegou aos 21 pontos e assumiu a 6ª colocação, enquanto a equipe mineira segue com apenas quatro pontos e ocupando a penúltima posição.

O Vôlei Renata usou a força do serviço para colocar pressão no adversário e construir sua vantagem no primeiro set - foram cinco aces, de três jogadores diferentes. No início, Salsa usou o saque tático para abrir vantagem para os campineiros, obrigando o adversário a pedir tempo (14 a 10). Renan e Vini seguiram ditando o ritmo, com direito a aces, e foram ampliando a diferença (21 a 15). Em ótima sequência de Diogo, com dois pontos de saque, Vissotto fechou a parcial depois de ótimo rally: 25 a 15. 

O equilíbrio predominou no segundo set. Concentrado, o Vôlei Renata manteve o ritmo e passou na frente do placar após ace de Salsa (17 a 15). Apesar da tentativa de reação, os campineiros seguiam firmes na virada de bola, com Vini e Diogo. Na reta final, Vissotto garantiu mais um ponto de saque e os comandados do técnico Horacio Dileo fizeram 2 a 0, após erro do adversário: 25 a 22. 

No terceiro set, apesar do equilíbrio inicial, o Vôlei Renata logo assumiu o controle após bloqueio de Rodriguinho (8 a 5). Os donos da casa seguiram ampliando a vantagem em contra-ataques, com Diogo e Vissotto (16 a 10). Os visitantes ainda tentaram reagir, mas em ataque certeiro do oposto campineiro, o time da casa fechou a parcial por 25 a 22.

“Sacamos muito bem, especialmente nos dois primeiros sets. Cumprimos o que foi determinado e estivemos concentrados do começo ao fim. Agora é descansar alguns dias e logo retomar os trabalhos, pois temos uma sequência bastante importante pela frente”, comentou o técnico Horacio Dileo. 

O Vôlei Renata só volta a quadra na sexta-feira, dia 2, às 18h, contra o Minas Tênis Clube, na Arena, em Belo Horizonte. Já o JF Vôlei enfrenta o Sesi-SP, no sábado, dia 3, às 18h, no ginásio da UFJF.

Equipes:

Vôlei Renata:
Rodriguinho, Vissotto, Renan, Diogo, Salsa, Vini e Santucci (líbero)
entraram: Krauchuk e Matheus
técnico: Horacio Dileo

JF Vôlei: Adami, Emerson, Bruno, Rômulo, Rammé, Leozinho e Juan Mendez (líbero)
entraram: Franco Drago, Raphael, Felipe Hernandez, Welington, Matheus
técnico: Henrique Furtado

foto: Divulgação/Vôlei Renata

(Superliga B) Em General Severiano, Botafogo supera Super Vôlei/Santo André

Jogando no ginásio Oscar Zelaya, em General Severiano, o Botafogo derrotou o Super Vôlei/Santo André por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 21/25, 25/20 e 25/21, na estreia da Superliga B. Com atuação segura do levantador Marcelinho, o Alvinegro mostrou porque é um dos favoritos a uma das vagas na elite nacional encarando um time jovem e aguerrido como do ABC paulista.

Fazendo valer a máxima de estreias nervosas, as equipes entraram em quadra alternando o controle do jogo até a metade. Entrando no ritmo, o time do técnico Mauro Lima contou com aces de Damião, Reffati e Alberto para abrir pequena vantagem e fechar a etapa em 25 a 22. Na continuação do jogo, o Super Vôlei/Sandro André não se intimidou e com bom trabalho no saque venceu o segundo set por 25 a 21. 

Mauro Lima confiou no time e repetiu a mesma escalação para o terceiro set e teve resposta positiva. Preciso nas viradas de bola, o time largou na frente, comandou a etapa e com distribuição eficiente de Marcelinho venceu poro 25 a 20. O equilíbrio voltou à quadra no último set, trazendo trocas de liderança no placar e ralis de tirar o fôlego. Com mais equilíbrio na linha de passe e definição nos contra-ataques e bloqueios, o Botafogo venceu por 25 a 21.

“Foi uma estreia muito boa. Não conhecíamos a equipe do Santo André, encontramos algumas dificuldades, mas conseguimos encontrar soluções para sair. Como um time experiente, soubemos administrar melhor os momentos adversos do jogo para conquistar a vitória e os três pontos, que são de grande importância”, disse o levantador Marcelinho.

O Botafogo volta a quadra no próximo sábado, às 19h, diante do Vôlei UM Itapetininga, no ginásio Ayrton Senna. Um dia antes, às 18h, o Super Vôlei/Santo André recebe a Apan/Blumenau/Esferatur, no ginásio Pedro Della’antonia.

foto: Botafogo/Divulgação

(Superliga B) Vôlei Ribeirão estreia com vitória sobre a UPIS em Brasília

No jogo de abertura da Superliga B 2018, o São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão derrotou a UPIS por 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/15 e 25/21, no ginásio da AABB, em Brasília. Considerado um dos favoritos as duas vagas a elite, o time paulista soube controlar a ansiedade da estreia e impor seu jogo, com destaque para o oposto Leozão, nos momentos decisivos da partida.

“O primeiro set foi ponto a ponto e soubemos suportar a pressão inicial e esperar o melhor momento para abrirmos a vantagem. No segundo, abrimos uma boa diferença no placar e também soubemos manter. No terceiro set também houve uma boa disputa, mas fomos experientes para encaixar os pontos no momento certo. Gostei da intensidade do time. Mantiveram aquilo que treinamos na preparação e fiquei muito feliz com isso”, disse o treinador Marcos Pacheco.

“O trabalho tem sido forte e intenso, todo o time está crescendo. A gente está trabalhando duro para conseguir os resultados. Na partida eu tive a felicidade de encaixar os saques e atacar bem. Conseguimos bloquear. Foi uma boa partida e eu só tenho a agradecer aos meus companheiros”, disse o oposto Leozão.

As duas equipes voltam a jogar no próximo sábado. O São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão recebe o MonteCristo/Artesanal, às 17h, na Cava do Bosque, enquanto a UPIS encara o Uberlândia/Gabarito/Start Química, às 18h, no ginásio Sabiazinho.

foto: Vôlei Ribeirão/Divulgação