sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

(Superliga) Em confronto direto, JF Vôlei encara o Copel Telecom/Maringá

Neste sábado, às 18h, JF Vôlei e Copel Telecom/Maringá se enfrentam no ginásio da UFJF pela 8ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Na lanterna, com cinco pontos, o time mineiro quer a vitória para sair dessa situação, enquanto os paranaenses, que estão uma posição acima, com sete pontos, busca seguir a boa fase, já que chegam embalados após duas vitórias seguidas. 

No JF Vôlei, o discurso é de buscar ao máximo fazer bons jogos até o final da fase classificatória. Sabendo das dificuldades de escapar do rebaixamento, ninguém desiste de lutar, porém pensando jogo a jogo e tentando ser eficiente em cada fundamento. Na rodada passada, os mineiros fizeram uma boa apresentação contra o Sesc-RJ, em pleno ginásio do Tijuca Tênis Clube, perdendo apenas no tie-break. 

No comando do time mineiro desde a temporada passada, Henrique Furtado vem batalhando com o jovem grupo para obter resultados positivos na Superliga Cimed, mas, principalmente, com um objetivo maior, de revelar atletas e de manter o projeto em evidencia. Entretanto, todos acreditam no potencial do elenco e da possibilidade de vencer os paranaenses em casa. 

“O JF Vôlei desempenha um papel muito nobre para o voleibol brasileiro, que é o de revelar jogadores e ajudar na evolução deles. É uma luta diária e o empenho desses meninos nos enche de orgulho. O grupo se dedica e consegue fazer ótimas partidas contra a maioria dos times. Mas, são todos muito jovens e o resultado vai aparecer mais para frente”, afirmou o treinador Henrique Furtado. 

Pelo lado do Copel Telecom/Maringá, a fase não poderia ser melhor após vencer Ponta Grossa/Caramuru (fora) e Lebes Canoas (casa). O técnico Alessandro Fadul vê uma postura diferente dos jogadores em relação ao primeiro turno, principalmente no quesito confiança. Além disso, os erros de saque e de passe deram vez a momentos de maior tranquilidade para a realização de um contra-ataque ou em um simples side-out. 

No confronto contra os gaúchos, o bom rendimento do oposto Alisson Bastos chamou a atenção de todos, assim como do central Ialisson. Independente da reação na Superliga ter ocorrido na reta final da fase classificatória, todos no Copel Telecom/Maringá acreditam na possibilidade de chegar a 10ª colocação, ou seja, fora da zona do rebaixamento, onde hoje aparece Montes Claros, com 13 pontos. 

Equipes:

JF Vôlei: Adami, Emerson, Raphael, Leozinho, Rômulo, Bruno e Juan Mendez (líbero)
técnico: Henrique Furtado

Copel Telecom/Maringá: Ialisson, Alê, Wennder, Matheus Costa, Ricardinho, Alisson Bastos e Daniel (líbero)
técnico: Alessandro Fadul

foto: JF Vôlei/Divulgação

(Superliga) Com transmissão da Rede TV!, Sesc-RJ recebe o Minas Tênis Clube

A 8ª rodada do returno da Superliga 2017/2018 começa neste sábado, às 15h quando o Sesc-RJ enfrenta o Minas Tênis Clube, no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Na vice-liderança, com 47 pontos, o time carioca briga diretamente com o Sada/Cruzeiro (48 pontos) pelo topo da tabela. Já a equipe de Belo Horizonte, atualmente na 5ª colocação, com 35 pontos, ainda busca uma vaga no G-4. 

O Sesc-RJ vem de uma sequência importante de vitórias, porém nas duas últimas rodadas, contra Lebes Canoas e JF Vôlei passou certo aperto devido a falta de atenção em determinados momentos dos jogos. Diante dos gaúchos, os comandados de Giovane Gavio tiveram dificuldades de parar o oposto Abouba e erraram demais no passe, enquanto frente aos mineiros o problema estava na marcação do oposto Emerson e nos erros dos contra-ataques, principalmente nos dois primeiros sets. 

Apesar de perder um ponto na última rodada (venceu no tie-break), o resultado não foi de todo ruim porque o Sada/Cruzeiro também foi para o quinto set contra o Minas Tênis Clube, adversário deste sábado. Sabendo que as dificuldades serão ainda maiores, comissão técnica e grupo de jogadores do Sesc-RJ entendem que precisam entrar cada segundo atentos para não ter que novamente se recuperar em meio a partida.

“O time do Minas é muito forte, tem algumas peças experientes como Marlon e Bob, e uma turma bem jovem jogando bem. Temos que dar o nosso máximo para conseguir ganhar o jogo. Entrar com tudo para cima deles porque vai ser um jogo complicado. Vamos estar em casa, mas prevemos um confronto bem acirrado”, disse o ponteiro Maurício Borges.

Pelo lado do Minas Tênis Clube, apesar da derrota para o rival Sada/Cruzeiro, o time vem em uma crescente na Superliga. O técnico Nery Tambeiro não terá nenhum desfalque para o duelo e ainda conta com o bom momento dos jovens Davy e Honorato, além da grande fase vivida pelo levantador Marlon, que vem comandando o time em quadra e dando moral para aparecerem as revelações. 

Na equipe de Belo Horizonte todos admitem que o primeiro objetivo foi alcançado, no caso ter garantido vaga nos playoffs. Entretanto, devido ao bom rendimento na fase classificatória, o momento agora é de pensar em ficar entre os quatro melhores colocados e com isso ter vantagem nas quartas de final. A grande batalha é atualmente com o Sesi-SP, que está seis pontos a frente.

"Temos um jogo muito difícil contra a equipe do Sesc RJ, que conta com campeões olímpicos e jogadores gabaritados. Para nós, o jogo mais importante é sempre o próximo, então com certeza é um duelo que preocupa, mas estamos confiantes e numa boa crescente. Tenho certeza que será um grande jogo e iremos deixar tudo dentro de quadra”, garantiu o ponteiro Honorato.

Equipes:

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Tiago Barth, Barreto, João Rafael, Maurício Borges e Tiago Brendle (líbero)
técnico: Giovane Gávio

Minas Tênis Clube:
Marlon, Felipe Roque, Bob, Bisset, Flávio, Pétrus e Rogerinho (líbero)
técnico: Nery Tambeiro

foto: Erbs Jr./Sesc-RJ

Sul-Americano de Clubes contará com workshop gratuito dos treinadores

Durante coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira, no ginásio Tancredo Neves, o gestor do Montes Claros Vôlei, Andrey Souza explicou os critérios de como serão disputadas as partidas, toda a logística que será implantada, bem como as novidades para esta segunda edição na cidade. O Campeonato Sul-Americano de Voleibol Masculino de Clubes ocorre entre os dias 27 de fevereiro e 3 de março. 

Uma das novidades mais interessantes do evento será a realização de um workshop gratuito com os técnicos das equipes participantes, na sexta-feira, dia 2, das 13h30min às15h30min, em que eles irão repassar um pouco da experiência vivida em uma mesa redonda de debates com a participação de 100 pessoas. Outra novidade é que durante as fases de classificação, semifinais e a final, estudantes e servidores estaduais e municipais terão entradas gratuitas. 

“50 vagas serão destinadas as prefeituras da região que enviarão seus profissionais da área de educação física para que possam repassar os conhecimentos adquiridos durante o curso em suas cidades. As outras 50 vagas serão por adesão de profissionais da cidade, que atuam com a modalidade de voleibol em escolas públicas estaduais, municipais e particulares”, ressaltou Andrey Souza. 

“Na fase classificatória todos os servidores estaduais e municipal mediante apresentação do contra-cheque de janeiro e identidade poderão assistir as partidas. Já os estudantes deverão apresentar algum documento que comprove a identidade escolar. na semifinais e finais, os 500 primeiros servidores estaduais e do município entrarão de graça. O mesmo se aplica aos 500 primeiros estudantes da rede pública estadual e municipal. Só pedimos a colaboração de todos com 1 quilo de alimento não-perecível que será doados para instituições sociais da cidade”, destacou o gestor do Montes Claros Vôlei. 

foto: Divulgação

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

(Superliga) Sesc-RJ leva susto em pleno Rio de Janeiro, mas supera JF Vôlei

Fechando a 7ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, o Sesc-RJ levou um susto, mas venceu o JF Vôlei por 3 sets a 2, parciais de 24/26, 21/25, 25/21, 25/20 e 15/12, no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Com o resultado, a equipe carioca segue na vice-liderança, agora com 47 pontos, enquanto o time mineiro chegou aos cinco pontos, mas acabou caindo para a lanterna da competição.

Independente de jogar na casa do adversário, o JF Vôlei entrou em quadra disposto a fazer um bom jogo e para isso forçou bastante o saque. Com grande atuação do oposto Emerson, que anotou 21 pontos durante toda a partida, os visitantes conseguiram equilibrar as ações e venceram o primeiro set nos detalhes por 24 a 26. Na segunda parcial, os mineiros mantiveram o ritmo, enquanto o Sesc-RJ acabou caindo de produção. Sem muita agressividade, os donos da casa viram os comandados de Henrique Furtado abrirem vantagem e fecharem por 21 a 25.

Com 2 sets a 0 contra, o Sesc-RJ precisava reagir de qualquer maneira e foi neste momento que o ponteiro João Rafael e o oposto Renan tomaram conta da partida e viraram referências ofensivas para o levantador Thiaguinho. Com mais qualidade no side-out e aproveitando os contra-ataques, os cariocas fecharam em 25 a 21. No quarto set, a história praticamente se repetiu, com os donos da casa dominando mais as ações e mesmo com o JF Vôlei tentando se aproximar do placar, os comandados de Giovane Gavio fecharam em 25 a 20.

No tié-break, a maior experiência dos jogadores do Sesc-RJ falou mais alto. Apesar dos jovens atletas do JF Volei disputarem cada bola como se fosse a ultima, os donos da casa tinham total domínio do set. No final, com certa tranquilidade, os cariocas administraram o placar e fecharam a virada da partida com 15 a 12.

“O jogo foi muito bom para o nosso time. Começamos muito abaixo, com pouca agressividade, e eles começaram jogando muito bem. Não conseguimos parar o adversário e eles colocaram 2 a 0. A grande virtude foi ter conseguido sair dessa situação e revertido o placar. A equipe se juntou, se fortaleceu e buscou o melhor para sair daquela situação. Na hora de escolher o melhor do jogo, tentei usar de uma decisão mais fria. Tentamos segurar o cara durante toda a partida e não conseguimos. Achei que era o momento de mostrar quem foi o melhor. Nós jogamos bem do terceiro set em diante, mas ele foi bem o jogo todo”, explicou o técnico Giovane Gavio, ao entregar o prêmio de melhor em quadra para o oposto Emerson.

“Me sinto muito contente por esse prêmio principalmente porque não esperava. Jogar contra a equipe do Sesc RJ, que tem excelentes jogadores e como treinador um dos melhores do Brasil de todos os tempos, não é fácil. Receber o Troféu foi uma emoção muito grande. Fiquei muito feliz porque pude fazer uma excelente partida”, disse o oposto venezuelano de 24 anos.

“Achei uma atitude muito bacana, pouco comum, porém justa e que serve como uma motivação a mais para o jogador. O Emerson é um atleta de muita qualidade e extremamente dedicado, ainda jovem e com um grande futuro pela frente. Fez uma partida muito boa e esse reconhecimento foi importante para ele e para todos nós”, afirmou o técnico Henrique Furtado.

O Sesc-RJ volta as quadras n próximo sábado, às 15h, diante do Minas Tênis Clube, novamente no ginásio do Tijuca Tênis Clube No mesmo dia, às 18h, o JF Vôlei enfrenta o Copel Telecom/Maringá, no ginásio da UFJF.

Equipes:

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Tiago Barth, Barreto, João Rafael, Maurício Borges e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Everaldo, Japa, PV e Maurício Souza
técnico: Giovane Gávio

JF Vôlei: Adami, Emerson, Raphael, Leozinho, Rômulo, Bruno e Juan Mendez (líbero)
entraram: Welligton, Athos, Felipe Hernandez, Matheus e Ramme
técnico: Henrique Furtado

foto: Sesc-RJ/Divulgação

(Superliga) Em grande fase, EMS Taubaté/Funvic passa pelo Montes Claros

Pela 7ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, o EMS Taubaté/Funvic derrotou o Montes Claros por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/16 e 25/22, no ginásio Abaeté. Com o resultado, o time paulista, que vem de uma boa sequência de vitórias, chegou aos 42 pontos e permanece na 3ª colocação, enquanto o Pequi Atômico parou nos 13 pontos e caiu para a 10ª posição da tabela. 

O EMS Taubaté/Funvic começou embalado e forçando bastante o saque, com destaque para o oposto Wallace. Além de aproveitar os contra-ataques, os donos da casa conseguiam equilibrar as ações com forte posicionamento de bloqueio. Pelo lado do Montes Claros, o levantador Sandro tinha dificuldades de receber o passe na mão, o que acabava deixando o ataque para as bolas de segurança. No final, 25 a 20 para a equipe do Vale do Paraíba.

No segundo set, o amplo domínio do EMS Taubaté/Funvic acabou ainda mais evidente, devido a variação do serviço e a sequência de contra-ataques bem executados. O levantador Rapha conseguia trabalhar bem com seus atacantes, tanto que Lucas Madaloz e Wallace acabaram com maiores pontuadores do jogo com 13 acertos cada. No final, vitória tranquilidade dos donos da casa por 25 a 16.

Com 2 sets a 0 contra, o Montes Claros resolveu arriscar mais, o que em determinado momento deu certo. Entretanto, o volume de jogo imposto pelos donos da casa continuava muito alto, principalmente no saque e no bloqueio (Wallace fez quatro pontos neste fundamento). Mesmo com o equilíbrio no placar e sem abrir longa vantagem, o EMS Taubaté/Funvic não teve problemas para finalizar o duelo com 25 a 22. 

“O jogo pareceu tranquilo, mas não foi tão fácil. Tornou-se fácil pelo ritmo agressivo de saque que nós conseguimos colocar nessa noite. Fico feliz de conseguirmos essa vitória depois de tanto tempo sem jogar diante do nosso torcedor. Esse jogo mostra também que estamos no caminho certo.”, disse o levantador Rapha.

No próximo sábado, às 18h, o EMS Taubaté/Funvic encara o Vôlei Renata, no ginásio do Taquaral, em Campinas. No mesmo dia, às às 19h, o Montes Claros enfrenta o Sada/Cruzeiro, no ginásio do Riacho, em Contagem.

Equipes:

EMS Taubaté/Funvic: Ivovic, Wallace, Raphael, Solé, Otávio, Lucas Madaloz e Thales (líbero)
entraram: Renan e Paulo Renan
técnico: Daniel Castellani.

Montes Claros: Sandro, Lorena, Mesa, Mudo, Zanotti, Najari e Alan (líbero)
entraram: Alemão, Najari, Tarcisio e Cristiano
técnico: Sérgio Cunha

foto: Rafinha Oliveira/Taubaté/Funvic

(Superliga) Em decisão no tie-break, Sada/Cruzeiro vence Minas Tênis Clube

No duelo mineiro da 7ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, o Sada/Cruzeiro derrotou o Minas Tênis Clube por 3 sets a 2, parciais 25/19, 22/25, 25/22, 23/25 e 15/13, no ginásio do Riacho, em Contagem. Com o resultado, a Raposa segue na liderança, com 48 pontos, enquanto a equipe de Belo Horizonte chegou aos 35 pontos e permanece na 5ª colocação da tabela.

Com as duas equipes mostrando um bom volume, o que não deixou de ter em quadra foi equilíbrio. Tanto Sada/Cruzeiro quanto Minas Tênis Clube apostavam sem saques forçados para quebrarem o passe adversário e tirarem as bolas de velocidade das mãos de Uriarte e Marlon, respectivamente. Com um ataque de Filipe, os donos da casa conseguiram abrir pequena vantagem 14 a 11. Essa diferença acabou sendo um diferencial para os donos da casa administrarem o placar e fecharem em 25 a 19.

No segundo set, o Minas Tênis Clube voltou melhor e foi para cima, com boa atuação de Henrique Honorato, chegando a abrir 10 a 6, obrigando Marcelo Mendez a parar o confronto. O Sada/Cruzeiro até esboçou uma reação, com destaque para os ataques de Leal e Simon, mas o aumento no desempenho não foi suficiente para concluir a virada. Bastante concentrado e errando pouco, os visitantes fecharam o período em 25 a 22.

Com 1 a 1 em sets tudo se igualou no Riachão e o que se viu foi cada ponto sendo muito disputado e sem ninguém se distanciar no placar: 8 a 8. O bloqueio do Sada/Cruzeiro começou a entrar, mas logo os visitantes iam lá e viravam um contra-ataque ou acertavam um belo saque: 14 a 14. O Minas Tênis Clube conseguiu abrir vantagem, mas de forma segura e com muita consciência de fundo de quadra, os donos da casa encostaram: 18 a 17 e viraram o placar para fecharem em 25 a 22.

No set seguinte, o Minas Tênis Clube foi para o tudo ou nada, mas novamente a parcial iniciou equilibrada: 4 a 4 e 8 a 8, porém com uma bola de meio, o Sada/Cruzeiro passou a frente: 13 a 12. Quando se esperava que os visitantes iriam cair de produção, o que se viu foi um grande trabalho do levantador Marlon, que fez seu time jogar e colocou Davy e Bob para serem protagonistas: 16 a 14. Na reta final, muita disputa e grande atuação do time de Belo Horizonte que venceu por 25 a 23.

No set desempate, o Sada/Cruzeiro não deu chances ao rival no começo e chegou a abrir 5 a 1 após ataque de Isac. O Minas Tênis Clube voltou a se encontrar em quadra e não deixou o placar aumentar, levando os donos da casa a ligarem o sinal de alerta. Entretanto, na reta final, os comandados de Marcelo Mendez tiveram tranquilidade, souberam lidar com a pressão e fecharam em 15 a 13.

“Eu estava jogando muito bem, passando e sacando muito bem. Mas eu senti um pouquinho as costas e o Marcelo resolveu dar uma aliviada. Na hora doeu, mas agora já estou bem. O Minas é um time muito estruturado, que vem com um saque flutuado, com um sistema defensivo muito bom, mas a nossa equipe soube sobressair nos momentos difíceis. No tie-break conseguimos abrir dois, três pontos, e isso facilitou pra gente”, disse o ponteiro Filipe.

“Fico feliz por ter ajudado a equipe. O que eu faço de melhor é atacar e o mais importante é que conseguimos essa vitória para a nossa equipe. O Minas vem jogando muito bem, faz muitas trocas em quadra, o que fica difícil pra gente, pra poder marcar. Tivemos alguns momentos de altos e baixos, mas isso faz parte do jogo. Esse tipo de partida é assim mesmo, difícil, e o resultado mostra que a equipe está preparada para qualquer situação”, reforçou o central Isac.

No próximo sábado, às 19h, o Sada/Cruzeiro terá mais um confronto regional, desta vez diante do Montes Claros, novamente no ginásio do Riacho, em Contagem. No mesmo dia, às 15h, o Minas Tênis Clube enfrentará o Sesc-RJ, no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro, para encarar a equipe carioca de mesmo nome. 

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Nico Uriarte, Leal, Filipe, Simon, Isac e Serginho (líbero)
entraram: Fernando Cachopa, Alemão, Éder Levi e Rodriguinho
técnico: Marcelo Mendez

Minas Tênis Clube: Marlon, Felipe Roque, Bob, Bisset, Flávio, Pétrus e Rogerinho (líbero)
entraram: Honorato, Maique, Carísio e Davy
técnico: Nery Tambeiro

foto: Renato Araujo/Sada/Divulgação

(Superliga) Em SP, Ponta Grossa/Caramuru surpreende Corinthians/Guarulhos

Mesmo jogando no ginásio da Ponte Grande, o Ponta Grossa/Caramuru não se intimidou e surpreendeu ao vencer o Corinthians/Guarulhos por 3 sets a 1, parciais de 20/25, 27/25, 22/25 e 23/25, pela 7ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time paranaense chegou aos 15 pontos e assumiu a 9ª colocação, enquanto a equipe paulista parou nos 26 pontos e permanece na 6ª posição da tabela.

Desde o primeiro ponto era possível ver que a postura do Ponta Grossa/Caramuru seria agressiva, independente de jogar fora de casa. Pelo jeito a conversa da comissão técnica com os jogadores após a derrota para o Copel Telecom/Maringá mexeu com os brios dos atletas que mostraram um alto grau de concentração. Aproveitando mais os contra-ataques e anulando as principais jogadas do Corinthians/Guarulhos, os visitantes fecharam em 25 a 20.

No segundo set, o Corinthians/Guarulhos, que não contava com o líbero Serginho, apostou bastante nos centrais Riad e Sidão, e deu certo. O equilíbrio continuava em quadra, mas nenhuma das equipes conseguia abrir grande diferença no placar. O oposto Leozão castigava a defesa adversária, mas no final e nos detalhes, os donos da casa tiveram mais paciência para fechar a segunda parcial em 27 a 25.

Com 1 a 1 em sets era de se esperar que o equilíbrio continuasse em quadra e foi exatamente isso que ocorreu. De um lado, o levantador Gustavo, que nas partidas anteriores foi reserva de Índio, mostrou muita tranquilidade para usar quem estava virando as bolas, no caso Leozão (maior pontuador do jogo com 23 acertos) e Cristiano (18 pontos em toda a partida). No final, apesar da disputa acirradas, os visitantes fecharam o período em 25 a 22.

O quarto set pareceu uma repetição da parcial anterior. Apesar do técnico Alexandre Stanzioni mudar bastante a formação inicia, com as entradas de Cesinha, Gabriel Candido, Luizinho e Fábio desde o início do período, o que se viu foi muito equilíbrio. No Ponta Grossa/Caramuru, o levantador Gustavo continuava ditando o ritmo do seu time, sendo que Leozão seguia imbatível no ataque. Além disso, o saque continuava entrando bem e no final, nova vitória dos paranaenses por 25 a 23. 

“Mesmo errando alguns saques, tivemos uma grande eficácia e uma grande concentração na partida. A equipe está de parabéns. Depois um jogo muito abaixo contra o Maringá, o time conseguiu 'juntar os cacos' e ganhar de uma equipe extremamente qualificada como o Corinthians”, declarou o técnico Fabio Sampaio.

“Fora de casa nosso grupo se fecha mais, fica ainda mais unido e as coisas fluem mais facilmente. Uma vitória na casa do Corinthians não é pra qualquer um e conseguimos esse feito”, afirmou o levantador Gustavo, eleito o melhor em quadra.

No próximo sábado, às 18h, o Ponta Grossa/Caramuru enfrenta o Lebes Canoas, no ginásio La Salle. Já o Corinthians/Guarulhos pega o Sesi-SP, no domingo, às 13h, no ginásio da Vila Leopoldina.

Equipes:

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Riad, Sidão, Fabio, Alan Patrick e Felipe (líbero)
entraram: Gabriel, Ygor Ceará, Gabriel Candido, Mineiro, Cesinha e Luizinho
técnico: Alexandre Stanzioni

Ponta Grossa/Caramuru: Gustavo, Leozão, Leo, Cris, Rubbo, Thales e Bruninho (líbero)
entraram: Eric, Índio, Antony e Peron
técnico: Fábio Sampaio

foto: Duda Bairros/Corinthians-Guarulhos

(Superliga) Copel Telecom/Maringá vence Lebes Canoas e deixa a lanterna

Jogando no ginásio Chico Neto para mais de duas mil pessoas, o Copel Telecom/Maringá venceu o Lebes Canoas por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 31/29, 20/25 e 25/23, pela 7ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time paranaense chegou aos sete pontos e deixou a lanterna da competição, aparecendo agora no 11º lugar. Já o clube gaúcho parou nos 21 pontos e segue na 8ª colocação.

No primeiro set, o Copel Telecom/Maringá se manteve sempre na frente no placar. Começou forçando o saque e, por três vezes, abriu quatro pontos de vantagem sobre o time gaúcho, que fazia um bom jogo, mas não conseguia se igualar no placar. Mostrando um eficiente posicionamento de bloqueio e com destaque para o central Ialisson venceu por 25 a 22.

A partida continuou ainda mais equilibrada no segundo set, com alternâncias na liderança do placar. O décimo segundo ponto do time da casa foi sensacional. O levantador Ricardinho passou para o outro lado rede uma bola quase perdida e deu início a um rali. A bola não caiu por quase um minuto até que o oposto Alison explorou o bloqueio e conseguiu o ponto para o Copel Telecom/Maringá. O final foi bastante emocionante e bem disputado, terminando em vitória dos paranaenses por 31 a 29.

Mesmo com 2 sets a 0 contra, o Lebes Canoas não desistiu da partida e voltou com um rendimento ainda maior no terceiro set. Por outro lado, o rendimento do Copel Telecom/Maringá caiu um pouco e tinha dificuldades para parar os centrais Matheus e Michel, principais atacantes do adversário. No final, os comandados de Marcel Matz tiveram tranquilidade para fechar a parcial em 20 a 25.

No quarto set, a partida voltou a ficar equilibrada. O levantador Ricardinho apostava muito nas bolas de segurança, principalmente com o oposto Alisson Bastos, que estava em noite inspirada e acabou sendo o maior pontuador do jogo com 21 acertos. Do outro lado, o levantador Pedro buscava alternativas para ultrapassar o bloqueio adversário, porém esse fundamento estava em alta no Copel Telecom/Maringá. No final, e nos detalhes, os donos da casa venceram por 25 a 23, sendo que os gaúchos ainda reclamaram da marcação da arbitragem.

“O time se portou muito bem em todos os fundamentos e empenhou um ritmo forte no saque. Hoje, o melhor da partida poderia ter sido entregue a qualquer um dos jogadores (...) Temos 17 atletas no elenco e 14 vêm para o jogo. Eu confio neles, por isso tenho utilizado todos nos jogos e isto tem funcionado”, declarou o técnico Alessandro Fadul.

No próximo sábado, às 18h, o Copel Telecom/Maringá enfrentará o JF Vôlei, no ginásio da UFJF. No mesmo dia e horário, o Lebes Canoas recebe o Ponta Grossa/Caramuru, no ginásio La Salle.

Equipes:

Copel Telecom/Maringá:
Ialisson, Alê, Wennder, Matheus Costa, Ricardinho, Alisson Bastos e Daniel (líbero)
entraram: Leitzke, Matheus, Kaio, Johan, Gian e Bruno Godoy
técnico: Alessandro Fadul

Lebes Canoas: Pedro, Abouba, Michel, Matheus, Eduardo, Rodrigo e Pallotti (líbero)
entraram: Leandro e Robson
técnico: Marcel Matz

foto: Copel Telecom/Maringá/Divulgação