sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Campeonato Mundial 2018 será ‘nova’ prova de fogo para Seleção Brasileira

No final de novembro, a Federação Internacional de Vôlei divulgou a tabela e a configuração dos grupos para o Campeonato Mundial de 2018, que será realizado de 10 a 30 de setembro, na Itália e na Bulgária. A Seleção Brasileira caiu no Grupo B, ao lado de Canadá, França, Egito, China e Holanda, e jogará a primeira fase na cidade de Ruse, na Bulgária.

O técnico Renan Dal Zotto, que desde que assumiu o time brasileiro já levou a equipe para três decisões, sendo campeão em duas oportunidades, acompanhou atentamente o sorteio e falou sobre os primeiros adversários que a Seleção Brasileira enfrentará na busca pelo quarto título mundial (o time verde e amarelo ganhou em 2002, na Argentina, em 2006, no Japão, e em 2010, na Itália).

“É um grupo interessante e perigoso ao mesmo tempo. No nosso grupo está uma equipe como a França, que dispensa apresentações. É a atual campeã da Liga Mundial, muito equilibrada em todos os fundamentos e, certamente, é uma forte candidata a chegar a uma reta final de Campeonato Mundial também (...) O Canadá, sem dúvida alguma, foi uma equipe que evoluiu muito, com jovens talentos e com o Antiga (Stéphane Antiga, treinador) fazendo um ótimo trabalho. Ele colocou em jogo alguns garotos muito interessantes, com potencial enorme. É uma seleção extremamente perigosa justamente por essa grande evolução nos últimos anos”, disse o treinador brasileiro, que ainda destacou a importância de um estudo maior em reação aos outros três adversários.

“Sobre o Egito temos pouca informação, assim como a China, mas sabemos que são equipes que jogam com muita velocidade. A China tem um sistema muito parecido com o do Japão, sempre com muita velocidade, volume, defesa. E a Holanda está com uma seleção renovada, jovem, que vai para o tudo ou nada. É uma seleção de tradição, alta e com bom potencial de bloqueio e saque muito fortes”, detalhou Renan Dal Zotto.

No Grupo A estão Itália, Argentina, Japão, Bélgica, Eslovênia e República Dominicana. O Grupo C conta com as seleções dos Estados Unidos, Rússia, Sérvia, Austrália, Tunísia e Camarões. O Grupo D é formado pelas seleções da Bulgária, Polônia, Irã, Cuba, Finlândia e Porto Rico. No regulamento serão quatro grupos com quatro equipes provenientes da primeira fase. Na sequência ocorrem a terceira fase, semifinais e finais.

foto: Valterci Santos/MPIX/CBV

(Superliga) Em confronto direto, Montes Claros pega o Ponta Grossa/Caramuru

Nesta sexta-feira, às 21h45min, o Montes Claros recebe o Ponta Grossa/Caramuru, no ginásio Tancredo Neves, pela 11ª rodada da Superliga 2017/2018. Na 10ª colocação, com oito pontos, o time mineiro quer vencer para voltar a brigar por uma vaga nos playoffs e se distanciar do rebaixamento. Já a equipe paranaense aparece na 9ª posição, também com oito pontos, e tendo o mesmo objetivo do adversário. A partida terá transmissão do SporTV.

No Montes Claros, o momento é de aproveitar a vitória sobre o Copel Telecom/Maringá na rodada anterior e embalar de vez de olho no segundo turno. O técnico Sérgio Cunha considera a partida de extrema importância, não apenas por se tratar de um duelo direto na tabela, mas também por colocar em quadra duas equipes bem parecidas e que tiveram altos e baixos no primeiro turno.

“Vamos encarar um jogo difícil amanhã. É uma partida que vale seis pontos e que, se ganharmos encostamos no grupo dos oito classificados. Por isso, estamos nos preparando bem, estudando bastante o adversário, fizemos boas sessões de treinamento e esperamos fazer um bom jogo (...) Estamos com o grupo completo e isso é muito positivo. Precisamos de força máxima para enfrentar a equipe deles. O Caramuru tem um oposto bastante efetivo e é um time que defende bastante, temos que ter paciência para colocar a bola no chão”, disse o técnico Sérgio Cunha.

Pelo lado do Ponta Grossa/Caramuru, a derrota para o Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte, já ficou no passado e o técnico Fábio Sampaio sabe que agora é pensar em vencer o Montes Claros e não desgrudar do G-8. Pelo que mostrou na rodada anterior, todos no time paranaense admitem que poderiam ter saída com algum bom da capital mineira, porém isso não aconteceu e agora a vitória é fundamental.

“Enfrentamos um jogo difícil ontem, o Minas é uma equipe muito estudiosa. O Leozão fez uma grande partida, mas, justamente por enfrentar um time estudioso, eles marcaram bem o bloqueio. O Minas teve mérito na vitória por 3 a 0, mas vejo Caramuru em constante evolução e crescimento (...) Poderíamos ter saído com algum ponto na bagagem, mas vemos isso como algo normal. Agora é trabalhar mais. Já estamos pensando na equipe de Montes Claros e vamos com tudo para cima. É um adversário direto dentro das pretensões do nosso time e na classificação na tabela”, afirmou o técnico Fábio Sampaio.

Equipes:

Montes Claros: Sandro, Alemão, Tarcísio, Mesa, Zanotti, Najari e Alan (líbero)
técnico: Sérgio Cunha

Ponta Grossa/Caramuru: Índio, Leozão, Maycon, Thales, Léo, Perón e Bruno (líbero)
técnico: Fábio Sampaio

foto: Montes Claros/Divulgação

(Mundial de Clubes) Sada/Cruzeiro reencontra o Zenit Kazan no sábado

O Sada/Cruzeiro viajou na manhã desta sexta-feira para a Cracóvia, onde vai disputar a fase final do Campeonato Mundial de Clubes na Polônia. Com a 2ª colocação do Grupo A, os cruzeirenses enfrentarão o Zenit Kazan, da Rússia, que ficou em 1º lugar do Grupo B, em partida que ocorre neste sábado, às 14h30min (horário de Brasília). Na outra semifinal se enfrentam o italiano Lube Civitanova, 1º do Grupo A, contra o polonês Skra Belchatow, 2º do Grupo B.

SadaCruzeiro e Zenit Kazan são velhos conhecidos do Mundial de Clubes, já que decidiram os campeonatos de 2015 e 2016, sediados em Betim, no Brasil, quando os cruzeirenses conquistaram o título nas duas edições, alcançando o tricampeonato. Em 2013, quando levantou a taça pela primeira vez, o time estrelado também teve como adversário uma equipe russa: o Lokomotiv Novosibirsk.

“Com certeza será uma semifinal muito forte, entre duas grandes equipes. Este Mundial é muito disputado e não há jogo fácil. Todos são complicados e temos que nos preparar muito bem para enfrentar o Zenit Kazan. Nas duas últimas partidas que fizemos, contra o time do Irã e o Zaksa, da Polônia, nossa equipe mostrou muita evolução em todos os fundamentos e fiquei muito feliz com esse crescimento. Agora é descansar um pouco, ir para Cracóvia e seguirmos com tudo para a reta final do Mundial”, disse o técnico Marcelo Mendez.

“O nosso primeiro jogo foi ruim, chegamos no nível do Brasil e aqui é muito diferente. O jogo é muito mais rápido. Não estamos acostumados a jogar no frio da Europa e tivemos pouco tempo de adaptação. Acho que estávamos tensos por ser o primeiro jogo do Mundial, que esperamos por muito tempo. Mas depois dessa estreia, conseguimos nos soltar e agora estamos jogando muito bem. Isso é importante para o grupo. Agora garantimos nosso lugar na fase final em Cracóvia. É jogar da maneira que jogamos contra os poloneses e tentar fazer até um pouco melhor. Continuaremos brigando, viemos aqui para lutar por cada resultado e acho que estamos no caminho certo”, disse o central Simon.

foto: FIVB/Divulgação

(Superliga) Em Minas Gerais, Corinthians/Guarulhos passa pelo JF Vôlei

Pela 11ª rodada da Superliga 2017/2018, que fecha o primeiro turno, o Corinthians/Guarulhos derrotou o JF Vôlei por 3 sets a 0, parciais de 16/25, 23/25 e 22/25, no ginásio da UFJF. Com o resultado, o Timão chegou aos 19 pontos e assumiu a 5ª colocação, enquanto a equipe mineira segue ocupando a 11ª posição, ou seja, na zona de rebaixamento, com apenas dois pontos.

O Corinthians/Guarulhos iniciou do jogo arrasador e aproveitando os erros de recepção do adversário abriu 1 a 8. Com essa vantagem, e mais tranquilidade em quadra, os visitantes seguiram ditando o ritmo do jogo. Em momento algum, os comandados de Alexandre Stanzioni foram ameaçados no set. Quando o placar marcava 8 a 16, Adami e Raphael entraram no lugar de Felipe e Emerson, o que melhorou a virada de bola do JF Vôlei, mas a vantagem era ampla e o Timão fechou em 16 a 25.

O JF Vôlei voltou mais concentrado para o segundo set. Errando menos saques desde o início, conseguiu manter o equilíbrio. Os dois times se revezavam à frente do placar, sendo que no ace de Rammé o placar era de 9 a 9. O Corinthians/Guarulhos voltou a forçar o saque e dificultou a recepção juiz-forana. Com a bola chegando em piores condições aos atacantes, o bloqueio dos visitantes funcionou: 12 a 14. O JF Vôlei foi buscar e num ace de Bruno empatou novamente: 18 a 18 e com o central Rômulo, os donos da casa fizeram o primeiro ponto de bloqueio da equipe no jogo e viraram 19 a 18. No final, o time paulista foi mais competente e com Luzinho fechou a parcial em 23 a 25.

O JF Vôlei precisava vencer o terceiro set para continuar vivo na partida. Começou forçando o saque e atacando com inteligência. Mas do outro lado, o Corinthians/Guarulhos tinha um time experiente e não deixava o adversário gostar da partida. Dois bloqueios seguidos do central Rômulo deixaram tudo igual: 5 a 5, porém com qualidade no side-out, os visitantes abriram 10 a 13. Marcos Nascimento (substituto de Henrique Furtado) parou o jogo e na volta, sua equipe empatou novamente: 14 a 14. As duas equipes seguiram pontuando até 18 a 18, quando o Corinthians/Guarulhos abriu 18 a 20 aproveitando os erros dos mineiros. Com experiência para administrar a vantagem, o Timão fechou em 22 a 25.

O returno da Superliga começa na semana que vem. Na quinta-feira, dia 21, às 19h30min, o JF Vôlei encara o Minas Tênis Clube, na Arena, em Belo Horizonte, enquanto o Corinthians/Guarulhos só volta a quadra no dia 13 de janeiro, às 18h, também contra o Minas Tênis Clube, na Arena.

Equipes:

JF Vôlei: Felipe Hernandez, Bruno, Leozinho, Rammé, Rômulo, Emerson e Juan Mendez (líbero)
entraram: Adami, Raphael e Matheus
técnico: Marcos Nascimento

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Luizinho, Fábio, Mineiro, Sidão, Rivaldo e Felipe (líbero)
entraram: Ygor Ceará e Riad
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Mônica Cury/JF Vôlei

(Superliga) No Taquaral, Vôlei Renata faz 3 a 0 no Copel Telecom/Maringá

O Vôlei Renata venceu o Copel Telecom/Maringá por 3 sets a 0, parciais de 29/27, 25/20 e 25/16, no ginásio Taquaral, pela 11ª rodada da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time de Campinas chegou aos 14 pontos e permanece na 8ª colocação, enquanto a equipe paranaense continua sem vencer na competição e na lanterna, com apenas dois pontos ganhos.

O primeiro ponto da partia foi paranaense com o oposto Alison. Tiago Mão respondeu para o time da casa. Com Salsa, o Vôlei Renata colocou dois de vantagem: 7 a 5. Vini manteve a diferença no placar marcando 9 a 7. Com Diogo, os donos da casa fizeram 11 a 8. Quando o placar apontou 13 a 9, Renato Lúcio pediu tempo. Salsa bloqueou e levou o Vôlei Renata a 15 a 10. No ataque do levantador Ricardinho, o Copel Telecom Maringá Vôlei fez 12 a 16. Com dois bloqueios seguidos, o time paranaense aproximou no marcador: 15 a 17. A equipe campineira chegou a 22 a 18. O Copel Telecom Maringá aproximou em 20 a 22 e Horacio Dileo pediu tempo. Na volta, com dois erros do Vôlei Renata, o time paranaense empatou: 22 a 22. O Copel Telecom ainda chegou a 24 a 23 e Dileo parou de novo. Vissotto fez 24 a 24. Novo empate em 26 a 26. E, com Vissotto, 29 a 27.

O Vôlei Renata começou bem o segundo set e logo abriu 4 a 1. O Copel Telecom Maringá Vôlei reagiu e encostou no placar em 3 a 4. O time da casa colocou quatro de vantagem em 11 a 7. O marcador ficou ainda mais favorável a equipe paulista em 13 a 8, forçando Renato Lúcio a pedir tempo. Com Vissotto atacando contra o bloqueio triplo, o Vôlei Renata chegou a 14 a 8. O Copel Telecom buscou e tirou a desvantagem para 14 a 17. O Vôlei Renata seguiu dominando a parcial e, em um set mais tranquilo, Salsa fechou em 25 a 20.

As equipes seguiram trocando pontos no início do terceiro set. Salsa, em boa combinação com Rodriguinho, fez 4 a 3 para o Vôlei Renata. O time da casa colocou dois de diferença no placar no erro do adversário: 8 a 6. No contra-ataque de Salsa, a equipe campineira chegou a 12 a 8 e Renato Lúcio parou o jogo. No ponto de saque de Vissotto, o Vôlei Renata marcou 14 a 9. A diferença no placar chegou a seis em 16 a 10. Os donos da casa fizeram 18 a 11 e o técnico do Copel Telecom Maringá pediu tempo. O Vôlei Renata abriu grande vantagem em 20/12. No erro do adversário, o time campineiro fez 23 a 15. No final, 25 a 16.

“O principal foco era esse. Estávamos com uma sequência ruim em casa e o torcedor estava merecendo uma boa atuação. Jogando em Campinas estávamos deixando a desejar. Mesmo hoje, no primeiro set bateu o nervosismo, mas depois o time jogou melhor, o nosso jogo fluiu e conseguimos presentear o torcedor com a vitória”, disse o oposto Leandro Vissotto.

“Entramos um pouco pressionados na busca por essa vitória. A partir da metade do segundo set, conseguimos nos soltar e fazer o que queremos. Vamos descansar e voltar com tudo. Semana que vem temos outro jogo complicado e queremos terminar o ano com outro boa vitória”, comentou o técnico Horacio Dileo. 

“Temos que pensar muito nessa temporada, que está preocupante. Acabamos o primeiro turno em último na tabela, mas é seguir em frente. É difícil perder um turno inteiro, mas agora é trabalhar a cabeça dessa garotada e buscar os resultados (...) O time vai bem em alguns momentos, mas a inexperiência conta bastante. Nesse atual momento, tudo pesa. O psicológico também. É muita pressão de diferentes lados, mas temos que ter paciência”, comentou Ricardinho.

O Vôlei Renata volta a jogar na próxima quinta-feira, dia 21, às 20h, diante do Ponta Grossa/Caramuru, novamente no ginásio Taquaral. Neste mesmo dia, às 19h, o Copel Telecom/Maringá enfrenta o Sesi-SP, no ginásio da Vila Leopoldina.

Equipes:

Vôlei Renata: Rodriguinho, Leandro Vissotto, Vini, Salsa, Diogo, Tiago Mão e Facundo (líbero)
entraram: Matheus, Krauchuk, Renan e Júnior
técnico: Horacio Dileo

Copel Telecom/Maringá: Ricardinho, Alison, Wennder, Ialisson, Alê, Secco e Daniel (líbero)
entraram: Matheus, Jeancarlos, Johan e Kaio
técnico: Renato Lúcio

foto: Luciano Claudino/Vôlei Renata

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

(Mundial de Clubes) Sada/Cruzeiro tem atuação de gala e avança para a semi

O Sada/Cruzeiro garantiu sua ida para Cracóvia, onde disputará a semifinal do Mundial de Clubes. Em uma grande apresentação, o time celeste superou o Zaksa Kedzierzyn-Kozle, que jogava diante de sua torcida, por 3 sets a 0, parciais de 25/13, 32/30 e 25/20. O resultado colocou os mineiros como segundo do Grupo A, atrás apenas do Lube Civitanava, da Itália.

Com muita variação no saque, o Sada Cruzeiro já iniciou o jogo contra o Zaksa mostrando a que veio, com um primeiro set arrasador. Foram 11 pontos no serviço na partida e, além disso, o ataque e o sistema defensivo funcionaram muito bem. O segundo set foi o mais disputado, com os poloneses melhorando no serviço. Eles abriram uma boa vantagem, mas os brasileiros seguiram firmes e, com Leal no saque, o time azul passou à frente em 22 a 20. A torcida polonesa não parava de gritar, enlouquecida com os ralis emocionantes do final do segundo set, que só terminou em 32 a 20, em um ace de Evandro. Na última parcial os cruzeirenses seguiram na dianteira, com um excelente volume de jogo e definiram com tranquilidade a vitória e a classificação.

“Nosso time sabe jogar nas dificuldades e mostra que estamos crescendo na competição. Na primeira partida o Civitanova jogou muito bem, depois nosso time se superou e ganhamos dois jogos de 3 a 0 e também um bom ritmo. A gente veio com o objetivo de ser campeão. Com certeza é algo difícil. As semifinais serão pesadas e temos que entrar bem concentrados. Agora temos que descansar um pouco e focar tudo na fase final. Hoje jogamos muito firmes, sacamos muito bem, passamos, acho que nosso jogo hoje saiu bem e espero que a gente consiga seguir jogando assim, pois com certeza enfrentaremos um adversário pesado também”, afirmou o ponteiro Leal.

Ainda pela última rodada da fase de grupos, o Luce Civitanova derrotou o Sarmaye Bank por 3 sets a 0, parciais de 26/24, 25/17 e 25/23. Já pelo Grupo B, o Zenit Kazan derrotou o Skra Belchatow por 3 sets a 0, parciais de 27/29, 20/25 e 16/25, sendo que os dois já estavam classificados e apenas para cumprir tabela, o Shanguai Volleball Club ganhou do Bolívar.

Nas semifinais, que ocorrem sábado, o Sada/Cruzeiro enfrenta o Zenit Kazan, às 14h30min (horário de Brasília). Já o Lube Civitanova encara o Skra Belchatow, às 17h30min. A grande final acontece no domingo, às 17h30min.

Equipes:

Zaksa Kedzierzyn-Kozle: Deroo, Torres, Bieniek, Wisniewski, Buszek, Toniutti e Zatorski (líbero)
entraram: Szymura, Jungiewicz e Semeniuk
técnico: Andrea Gardini

Sada/Cruzeiro:
Uriarte, Evandro, Leal, Simon, Isac, Filipe e Serginho (líbero)
entrou: Eder Levi
técnico: Marcelo Mendez

foto: FIVB/Divulgação

(Superliga) JF Vôlei encara Corinthians/Guarulhos nesta quinta-feira à noite

Pela 11ª rodada da Superliga 2017/2018, o JF Vôlei recebe o Corinthians/Guarulhos, nesta quinta-feira, às 21h45min, no ginásio da UFJF. Ocupando a 11ª colocação, com apenas dois pontos, o time mineiro precisa vencer para se distanciar da zona do rebaixamento, enquanto os paulista, hoje na 6ª posição, com 16 pontos, buscam a vitória para se aproximarem do G-4. A partida terá transmissão do SporTV.

O JF Vôlei chega para o confronto após sofrer duas derrotas seguidas (Ponta Grossa/Caramuru e Lebes Canoas). O técnico Henrique Furtado não estará com a equipe em quadra, já que está com a comissão técnica do Sada/Cruzeiro no Mundial de Clubes, que ocorre na Polônia. Por conta disso, Marcos Nascimento estará no comando e a expectativa é da jovem equipe não sentir tanto a pressão.

“O treinador faz falta, mas nos preparamos para enfrentar esta partida assim e todos os atletas estão se ajudando bastante e ajudando o Marcão, que é o assistente. Todos estamos nos empenhando ainda mais para suprir a ausência do treinador (...) A equipe do Corinthians é muito forte, tem vários jogadores experientes do lado e vai ser um jogo dificílimo. Vamos ter que dar o nosso melhor se quisermos buscar a vitória. Temos que jogar o time todo no seu 100%, atuando no coletivo para fazer uma boa partida”, afirmou o ponteiro Leozinho. 

Pelo lado do Corinthians/Guarulhos, o momento é de ter atenção após a derrota para o EMS Taubaté/Funvic, em casa. O técnico Alexandre Stanzioni sabe, que apesar de jogar longe de seus domínios, a responsabilidade é do seu time, por ter jogadores mais experientes e por estar em uma melhor situação no campeonato. Entretanto ninguém espera uma partida fácil em Minas Gerais.

“Todas as vezes que joguei lá, nunca consegui fazer um jogo fácil lá, sempre foram jogos de 3 sets a 2, 3 sets a 1. É um time complicado. Temos que entrar mais concentrados do que nunca, pensando na nossa equipe, nas coisas que erramos no último jogo e corrigir isto: temos tido muitos erros consecutivos, em especial nos inícios de sets. Às vezes conseguimos reverter os sets, mas, se a gente partir do início, mais concentrado nesse aspecto, temos mais chances de sair com um resultado positivo”, avaliou o central Sidão, 

“Será um jogo muito disputado, conheço a maioria dos jogadores, eles têm muita qualidade e vão vir com tudo, muito forte. Já joguei com o Leozinho, com o Rômulo e com o Bruno na seleção, também vi o Rammé jogando por lá (ele é um pouco mais novo), é um time cheio de jovens e talentosos (...) Temos que entrar forte, pois o JF Vôlei é uma grande equipe. O lugar que eles estão na tabela não define o time deles. Eles têm muita qualidade e em casa eles jogam muito bem”, analisou o ponteiro Fábio.

Equipes:

JF Vôlei: Felipe, Emerson Rodriguez, Rômulo, Bruno, Leozinho, Rammé e Juan Mendez (líbero)
técnico: Marcos Nascimento

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Sidão, Luizinho, Fábio, Mineiro e Serginho (líbero)
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: JF Vôlei/Divulgação

(Superliga) Vôlei Renata e Copel Telecom/Maringá duelam no ginásio Taquaral

Nesta quinta-feira, às 19h30min, o Vôlei Renata recebe o Copel Telecom/Maringá, no ginásio Taquaral, pela 11ª rodada da Superliga 2017/2018. Na oitava posição, com onze pontos, o time de Campinas quer subir na tabela e se firmar na zona de classificação aos playoffs, enquanto a equipe paranaense, hoje na lanterna, com dois pontos, só pensa em conquistar a primeira vitória na competição. A partida terá transmissão do SporTV.

Com duas derrotas seguidas (Sada/Cruzeiro e Sesc-RJ), o Vôlei Renata só pensa em encerrar o primeiro turno com vitória. Para cumprir este objetivo, o time campineiro vai contar com a força de sua torcida e com o bom momento vivido por seus atacantes, principalmente o oposto Leandro Vissotto e o ponteiro Mão, duas referências ofensivas da equipe paulista.

“Estamos amadurecendo. Acho que nos jogos do últimos mês demos uma melhorada muito importante. Estou bem feliz com a reação deles e com o comprometimento dos treinos que fazemos diariamente (...) Vejo que temos um futuro bastante animador na Superliga. Os jogadores estão com vontade de entrar em quadra e seguir crescendo. Cada jogo é um desafio diferente. Maringá é um time que respeito e que precisamos estar ligados do começo ao fim”, comentou o técnico Horacio Dileo.

O Copel Telecom/Maringá chega para o duelo após uma derrota para Montes Claros em sets diretos. Para tentar mudar essa situação, a diretoria paranaense foi em busca de reforços e anunciou o ponteiro Bruno Godoy, que disputou a Taça Prata pelo São José Vôlei. Para o técnico Renato Lúcio, uma vitória em Campinas é importantíssima para recuperação da equipe no campeonato e dar mais confiança aos atletas.

“A gente sofreu bastante no último jogo. Não esperávamos uma derrota em casa e acredito que o principal conseguimos fazer, que foi descansar. Começamos a semana com o foco em Campinas e depois no Sesi. Campinas é o foco do momento para a podermos reverter o quadro com uma vitória, o que também vai trazer mais confiança para a equipe”, disse o técnico Renato Lúcio.

“A expectativa é a melhor possível, de ajudar o time. Cheguei para trazer um pouco de alegria, de positividade e espero poder auxiliar a equipe”, comentou o ponteiro Bruno, que passou pelo voleibol do Líbano e do Chipre.

“Estamos com foco total na equipe. Um momento bem particular. Os torcedores acreditam na gente. Já rodei o Brasil e o mundo e sei que a nossa torcida é incrível. Estamos na quinta temporada em Maringá e, independente dos resultados, a recepção é carinhosa. Sou agradecido pela torcida. Peço que continuem abraçando a equipe”, afirmou o levantador Ricardinho.

Equipes:

Vôlei Renata: Rodriguinho, Leandro Vissotto, Vini, Salsa, Diogo, Tiago Mão e Facundo (líbero)
técnico: Horacio Dileo

Copel Telecom/Maringá: Ricardinho, Ialisson, Matheus, Alê, Wennder, Alisson e Gian (líbero)
técnico: Renato Lúcio

foto: Vôlei Renata/Divulgação