sexta-feira, 29 de maio de 2015

(Liga Mundial) Brasil leva sufoco, mas estreia com vitória sobre a Sérvia

Em sua primeira partida oficial em 2015, a Seleção Brasileira estreou na Liga Mundial com vitória sobre a Sérvia por 3 sets a 2, parciais de 24/26, 25/17, 25/22, 26/28 e 15/11, no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte. Sem o treinador Bernardinho na beira da quadra (punido pela FIVB com 10 jogos de suspensão), mas com a volta de Serginho no a camisa verde e amarela, o time teve dificuldades, mas conseguiu ganhar na abertura do Grupo A. Brasil e Sérvia voltam a se enfrentar no próximo domingo, às 10h, no mesmo local.

A partida de estreia da seleção brasileira começou com equilíbrio. O placar esteve igual em 2 a 2. Com o ponteiro Lucarelli, o time da casa passou a frente (4 a 3). No primeiro tempo técnico, o Brasil fez 8 a 7. Um novo empate aconteceu em 12 a 12. Depois de bom saque da Sérvia, o time visitante fez 16 a 14. Com Lipe no bloqueio, a seleção brasileira deixou tudo igual: 16 a 16. A diferença foi para dois pontos em 21 a 19 e Rubinho pediu tempo. Com Lucão, o placar ficou empatado em 23 a 23 e a reta final do set ganhou ainda mais emoção. Os sérvios, então, levaram a melhor e fecharam por 26 a 24.

O Brasil devolveu o bom início de set e colocou dois de vantagem no primeiro tempo técnico: 8 a 6. A diferença passou para três pontos no ataque de Vissotto (11 a 8). Na sequência, depois de bom saque de Lipe, o próprio Vissotto bloqueou e o placar foi para 12 a 8. No erro de saque do adversário, o Brasil fez 16 a 11. Foi com o ponteiro Lipe que a equipe da casa chegou a 20 a 14. O time dirigido pelo técnico Rubinho seguiu melhor e com Lipe fechou em 25 a 17.

Mais uma vez, o equilíbrio prevaleceu no começo da parcial, com o empate em 3 pontos. Com um ponto de saque de Isac, o Brasil assumiu o comando do marcador. Com Leandro Vissotto, o Brasil colocou um de vantagem em 9 a 8. A parcial seguiu equilibrada e o Brasil conseguiu três de vantagem no tempo técnico: 16 a 13. O set passou a ficar ainda mais disputado quando, no erro do Brasil, a Sérvia fez 20 a 19. A equipe brasileira seguiu melhor e fechou em 25 a 22.

A quarta parcial teve um início bem disputado. Na bola de segunda do levantador Raphael, a seleção brasileira chegou ao empate em 7 a 7. Com um aproveitamento melhor dos sérvios, o set ganhou dificuldade e o placar foi para 12 a 12. O adversário colocou dois a frente em 15 a 13. Quando os sérvios fizeram 18 a 15, Rubinho pediu tempo. Os donos da casa, então, diminuíram e quando deixaram dois de diferença (20 a 18), foi a vez da Sérvia parar o jogo. O final foi equilibrado. Lucas Lóh entrou para sacar e, após bom desempenho, o placar ficou igual em 23 a 23. No final, melhor para a Sérvia: 28 a 26.

O Brasil teve vantagem de um ponto em 4 a 3. No bloqueio duplo, de Lucão e Lipe, a equipe da casa colocou dois a frente: 6 a 4. Depois, com um ponto a mais, a seleção brasileira fez 8 a 5. No erro de saque da Sérvia, 10 a 6 para o time da casa. Contando com erros do Brasil, o adversário fez 10 a 9 e Rubinho pediu tempo. No ponto de saque de Lipe, a equipe verde e amarela chegou a 12 a 9. No final, 15 a 11 para a seleção do Brasil.

“Hoje foi apenas o primeiro jogo. Treinamos em um ritmo muito bom desde o início da fase, mas treino é sempre muito diferente. Tem coisas que vem no automático e, no meio do jogo, as vezes faltam essas bolas. Por isso, foi muito importante começar o campeonato com uma vitória contra um time forte como a Sérvia”, disse o ponteiro Lipe.

“As pessoas falam que 3 sets a 2 é sofrido, mas na verdade foi bom. Foi um bom teste. Jogar uma partida como essa logo na estreia, contra um grande time como a Sérvia é sempre importante. Eles sacaram muito bem, consegui segurar, e acho que passar por um 3 a 2 e vencer é importantíssimo. Foi um saldo bom, bastante positivo”, afirmou Serginho, que estava há três anos afastado da seleção.

“A responsabilidade de comandar um time em um campeonato dessa dimensão e estar no lugar de um treinador que vem há muitos anos com um histórico vitorioso diante deste grupo é enorme. Aconteceu parecido com o Raphael, que assumiu essa responsabilidade de ser o capitão, de exercer essa função extremamente importante de não só fazer o jogo dele, como ser o comandante e líder em quadra. Nós dois passamos por isso hoje”, comentou Rubinho, que substituiu Bernardinho na beira da quadra.

Equipes:

Brasil: Raphael, Leandro Vissotto, Lucão, Isac, Lipe, Lucarelli e Serginho (líbero)
entraram: William, Wallace e Lucas Lóh
Técnico: Rubinho

Sérvia: Kovasevic, Ivovic, Stankovic, Jovovic, Starovic, Podrascanin e Rosic (líbero)
entraram: Stankovic, Cupkovic e Brdjovic
Técnico: Nikola Grbic

foto: Alexandre Arruda/CBV

Campeonato Gaúcho deve contar com mais equipes em 2015

O Campeonato Gaúcho 2015 terá como atrativo principal a presença de três clubes que estarão na Superliga 2015/2016, casos de Canoas Vôlei, Bento Vôlei/Isabela e Voleisul/Paquetá Esportes. Entretanto, a Federação Gaúcha de Vôlei, através de seu presidente Carlos Alberto Cimino, vem se movimentando para deixar a competição ainda mais interessante e nos bastidores se fala na participação de seis equipes na disputa pelo título.

Até o momento, o que se sabe é que a FGV tem feito reuniões constantes com parceiros e clubes espalhados pelo Estado, levando em mãos um projeto que fomentaria ainda mais o esporte no Rio Grande do Sul. Especula-se que o Campeonato Gaúcho começaria em meados de agosto, com jogos sendo feito em várias regiões, onde não estaria descartada a possibilidade da disputa de sedes fixas, diminuindo assim o custo de alguns clubes com deslocamento.

Em 2014, além dos três clubes já citados esteve presente a APEO/Sest Senat/Fasurgs, de Passo Fundo, que ainda não definiu se estará em quadra neste ano. Nos bastidores se fala até da criação de uma equipe que além do Estadual teria condições de disputar a Superliga B, mas o nome da cidade e os possíveis patrocinadores são mantidos em sigilo pela Federação Gaúcha de Vôlei. Nos bastidores se fala bastante do interesse de ver equipes de Ijuí (onde existe um forte projeto de base), de Nova Petrópolis (onde categorias infanto tem apoio forte da empresa Dakota) e de Caxias do Sul (que já teve a UCS atuando na Superliga).

foto: Divulgação

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Flamengo busca orçamento mínimo e quer Marcos Miranda

Nos próximos dias o Flamengo deve confirmar uma parceria com a UFJF para disputar a Superliga 2015/2016. Correndo atrás de patrocinadores, o rubro-negro carioca estaria bem perto de alcançar um orçamento mínimo necessário para formar um elenco competitivo para a principal competição do vôlei nacional. Entretanto, os dirigentes ainda esperam algumas definições que podem ser importantes para a qualificação do time.

“Estipulamos um valor mínimo para entrar, que não vai sair dos cofres do futebol. Será um patrocínio do vôlei. Talvez não sejamos campeões no primeiro ano, mas projetamos entrar nos playoffs e crescer até chegar lá (...) Estabelecemos até semana que vem para fazer levantamento de quanto a gente tem. Tem cinco empresas que já tenho uma perspectiva mínima e vamos conversar com o pessoal da CBV e de Juiz de Fora para ver o que fazer”, declarou o vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo, Alexandre Póvoa, em entrevista ao Lance.

Mesmo negando a intenção de emprestar a camiseta do Flamengo para qualquer equipe, a parceria com a UFJF é dada como certa, pois o clube mineiro já conta com uma estrutura mínima para a disputa da Superliga e tem vaga garantida na próxima edição da competição. O que ainda deve ser discutido é a realização de jogos em Juiz de Fora e no Rio de Janeiro, onde a equipe mandaria as partidas no ginásio do Tijuca Tênis Clube.

Quanto a comissão técnica e jogadores, o jornalista Daniel Bortoletto , também do Lance, dá como certa a contratação de Marcos Miranda, que estava no Canoas Vôlei, para ser o comandante da equipe. A presença do Flamengo, mesmo que ainda não oficial, já começou a movimentar o mercado e nomes como do levantador Marcelinho (ex-Sesi-SP) e do ponteiro João Paulo Bravo (ex-Brasil Kirin) são especulados no time.

foto: Alexandre Arruda/CBV

(Liga Mundial) Brasil estreia diante da Sérvia nesta sexta-feira em BH

Nesta sexta-feira, às 14h, a Seleção Brasileira faz sua estreia na Liga Mundial 2015 diante da Sérvia, no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte. Ao que tudo indica o clima é de tranquilidade no grupo verde e amarelo apesar da suspensão (10 jogos longe das quadras) imposta pelo painel disciplinar da Federação Internacional de Voleibol ao técnico Bernardinho. A partida será transmitida pela TV Globo, Sportv e Band, assim como o segundo duelo, domingo, às 10h, no mesmo local.

“Nós temos um grupo de trabalho e eu tenho pessoas ao meu lado que são extensão do que eu penso. Trabalhamos juntos. Então, a minha ausência não significa muita coisa. São profissionais qualificados, como é o caso do Rubinho, que estará no comando, e o Juba, que estará com ele. Ambos têm plenas condições de dar prosseguimento a esse trabalho”, afirmou Bernardinho, sobre a autonomia que terá o auxiliar-técnico Rubinho.

“A responsabilidade é enorme, claro, não só pelo campeonato em si, mas pelo longo histórico do Bernardo no comando da seleção. É algo diferente para mim, para os jogadores, mas eu sempre tive muito apoio do Bernardo e temos que encarar tudo isso tranquilamente”, garantiu Rubinho.

Além dessa mudança forçada fora de quadra, outra novidade para a estreia do Brasil na Liga Mundial será a presença do levantador Raphael como capitão do time. O jogador da Funvic Taubaté/São Paulo demonstrou grande satisfação e honra em receber esse voto de confiança da comissão técnica. Além dele, fica a expectativa de ver o líbero Serginho vestindo novamente a camisa da Seleção Brasileira, que está no Grupo A da Liga Mundial, ao lado de Sérvia, Itália e Austrália.

“Isso é uma emoção enorme para mim. Quando um jovem começa a jogar, sonha em chegar à seleção brasileira, e isso já é muito difícil pela quantidade de jogadores de alto nível. E ser o capitão de uma seleção tão vitoriosa como essa é incrível. É uma responsabilidade enorme, mas um orgulho sem tamanho. É uma emoção difícil de expressar. Sem dúvida, é um sonho sendo realizado”, afirmou Raphael.

“Estou voltando bem. O Bernardinho conversou comigo hoje e pediu para eu ter calma amanhã, fazer o que eu sei e sem afobação. Sei que tenho uma responsabilidade muito grande, mas no grupo temos outros atletas com o mesmo nível de responsabilidade. Vamos jogar para fazer uma boa estreia. Com certeza, ainda não teremos o ritmo desejado, mas é normal. Sem contar que a Sérvia é uma equipe jogueira, de muita habilidade e tem bons jogadores. Vamos começar já com um jogo difícil”, disse Serginho.

Equipes:


Brasil: Rapha, Wallace, Éder, Lucão, Lucarelli, Lipe e Serginho (líbero)
Técnico: Rubinho

Sérvia
: Stankovic, N. Kovacevic, U. Kovacevic, Ivovic, Petric, Kostic e Stoilovic (líbero)
Técnico: Nicola Grbic

foto: Alexandre Arruda/CBV

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Apan/Blumenau renova com peças importantes para nova temporada

Na última Superliga B, a Apan/Blumenau acabou ficando na terceira posição, resultado considerado satisfatório para uma equipe com vários jovens jogadores e que voltava a disputar uma competição nacional. Por conta disso, a diretoria do clube catarinense resolveu renovar com algumas peças importantes do elenco, como o experiente levantador China, que é uma espécie de treinador dentro de quadra.

Além de China, a Apan/Blumenau acertou as permanências dos opostos Leandro e Raul, dos ponteiros Marcão, Zex e Vinicius, do líbero Estevan e do também levantador Henrique Gehrke. O comando técnico segue com André Donegá, que conhece muito bem o grupo de jogadores, e espera dar mais um salto de qualidade na temporada que se inicia em breve.

Sempre de olho na base, onde ocorre um trabalho bem feito na Escola Barão do Rio Branco, a Apan/Blumenau se prepara para disputar a seletiva para a última vaga na Superliga 2015/2016, que será disputada entre 15 de julho e 15 de agosto, em lugar ainda a ser definido pela CBV, com a participação da Upis/Brasília, São Bernardo e São José dos Campos.

foto: Apan/Blumenau/Divulgação

André Lukianetz é o mais novo reforço do Voleisul/Paquetá Esportes

A Voleisul/Paquetá Esportes apresentou, nesta quarta-feira, mais um reforço para a temporada 2015/2016. Trata-se do ponteiro André Lukianetz , que volta ao Brasil depois de duas temporadas no Oriente Médio, onde defendeu o Al Ain, nos Emirados Árabes e o Al Saad, no Qatar. Aos 32 anos, o jogador terá a missão de dar qualidade e experiência ao grupo do técnico Paulo Roese.

“Quero passar ao grupo tudo aquilo que aprendi nesses anos jogando fora do país. Queremos chegar longe nessas duas competições (Campeonato Gaúcho e Superliga)”, destaca André Lukianetz, que foi campeão alemão, pelo Friedrichshafen, em 2010, e vice-campeão francês, pelo Paris Volley, em 2013.

Mesmo sendo gaúcho, André Lukianetz iniciou sua carreira fora do Rio Grande do Sul. Experiente, o ponteiro defendeu as equipes europeias do Benfica, de Portugal e do Santa Croce, da Itália. No Brasil, teve passagens pelo Medley/Campinas, de 2010 a 2012, e pela Funvic/Taubaté em 2013.

“Antes de vir conversei muito com os dirigentes, e com jogadores que conheço. A estrutura do time é muito boa, são poucos os clubes que oferecem o que temos aqui (...) Voltei também em função da minha família. Meu filho tem oito meses, minha esposa é de Caxias do Sul. Poder ficar mais próximo e estar na Superliga é muito bom”, explicou o ponteiro.

Confira o elenco:


Levantadores: Rafa Almeida e Maurício
Opostos: Franco e Renan
Ponteiros: André Lukianetz, Mão e Jonatas
Centrais: Robinho e Nicolas
Líberos: Thales e Bitello

foto: Voleisul/Paquetá Esportes/Divulgação

Com grande expectativa, André Nascimento chega a Montes Claros

Na última terça-feira, a diretoria do Montes Claros apresentou oficialmente o oposto André Nascimento, medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas/2004. Aos 36 anos, Canha, como é conhecido no meio do voleibol, chega ao time mineiro com a expectativa de ser a grande estrela da equipe na temporada 2015/2016. Com um currículo invejável, onde aparece o tricampeonato da Superliga pelo Minas Tênis Clube, confiança é o que não falta ao jogador.

“Estou muito feliz, motivado e com muita vontade de jogar. Já joguei aqui contra o Montes Claros e vi a força que a torcida tem, e isso foi uma das coisa que motivou a voltar a jogar. Aceitei o desafio de poder jogar com uma equipe jovem que tem um potencial enorme. Estamos em um momento importante para o vôlei, esse período olímpico, então precisamos colocar o vôlei no lugar que ele conquistou”, declarou André Nascimento.

O oposto, que esteve disputando a Superliga B de 2014 com o Voleisul/Paquetá Esportes acabou ficando sem jogar na temporada passada. Mesmo assim, André Nascimento garante que está bem fisicamente e pronto para ficar à disposição do técnico Marcelinho Ramos na apresentação do elenco no dia 15 de junho.

“Na verdade eu nunca parei de treinar. Sempre me cuidei fazendo musculação procuro bater bola para fortalecer as pernas, faço trabalho na areia. Como vamos ter uma pré-temporada vai dar tempo de trabalhar e deixar a parte física ainda mais forte”, afirmou o novo reforço do Pequi Atômico.

Confira o elenco:

Levantadores: Rodrigo Ribeiro e Índio
Opostos: André Nascimento e Wagner
Centrais: Salsa e Ricardo
Ponteiros: Kadu, Renan Purificação, Juninho e Bob
Líberos: Kachel e Gianzinho

foto: Fredson Souza/MCV

terça-feira, 26 de maio de 2015

Funvic Taubaté/São Paulo renova com levantador Pedro e líbero Diego

A Funvic Taubaté/ São Paulo FC acertou, nesta semana, as renovações de contrato do líbero Diego e do levantador Pedro para a disputa da temporada 2015/2016. Esse será o terceiro ano seguido que os dois vestirão a camisa do time do Vale do Paraíba, ou seja, conhecem bem o clube e observam de perto as mudanças de plantel, além do crescimento da equipe no cenário nacional.

Aos 24 anos de idade, Pedro foi um dos destaques do time no início da temporada passada ao substituir o companheiro de posição Rapha, que defendia a Seleção Brasileira no Mundial da Polônia. Já Diego, que está com 26 anos, passou boa parte do Campeonato Paulista do ano passado, sendo titular, pois Felipe também estava com o time de Bernardinho na Europa.

Com a confirmação de Diego e Pedro, a Funvic Taubaté/ São Paulo FC já tem oficialmente 12 jogadores em seu plantel. A expectativa agora fica para o anuncio oficial do central Riad e do ponteiro Lucarelli, que estavam no Sesi-SP e tem negociações bem adiantadas. Os dois estão em Saquarema treinando com a Seleção Brasileira para a estreia na Liga Mundial.

Confira o elenco:

Levantadores: Rapha e Pedro
Opostos: Leozão e Gavin Schmitt
Ponteiros: Lipe, Japa e Ricardo Júnior
Centrais: Deivid, Otávio e Iálisson
Líberos: Diego e Felipe

foto: Jonas Barbetta/ Tuddo Comunicação