quarta-feira, 22 de novembro de 2017

(Superliga) De virada, Corinthians/Guarulhos vence Ponta Grossa/Caramuru

No encerramento da 7ª rodada da Superliga 2017/2018, o Corinthians/Guarulhos derrotou, de virada, o Ponta Grossa/Caramuru por 3 sets a 2, parciais de 16/25, 25/21, 25/23, 28/30 e 15/12, na Arena Multiuso. Com o resultado, o time paulista chegou aos 12 pontos e permanece na 6ª colocação, enquanto a equipe paranaense tem agora quatro pontos e permanece no 10º lugar da tabela.

Peron abriu o placar da partida e o Ponta Grossa Caramuru ainda fez 2 a 0. Rivaldo marcou o primeiro ponto do Corinthians-Guarulhos. Embalado pela força da torcida, a equipe paranaense ainda abriu 5 a 1. Bem no bloqueio, os donos da casa marcaram 7 a 2 e Alexandre Stanzioni pediu tempo. Na vota, mais um bloqueio do Ponta Grossa Caramuru. Com Peron explorando o bloqueio adversário, o time paranaense marcou 12 a 4. No bloqueio, o Corinthians-Guarulhos fez 8 a 14. Quando o placar foi a 17 a 8 a favor da equipe da casa, Stanzioni parou novamente. Com Leo, o Ponta Grossa Caramuru chegou a 20 a 12. Na bola de segunda de Índio, 22 a 14. No final, vitória do time da casa por 25 a 16.

O Corinthians-Guarulhos saiu na frente e o Ponta Grossa Caramuru passou a frente em 3 a 2. Com Fábio, o time paulista marcou 7 a 4 e o treinador da equipe paranaense, Fábio Sampaio, pediu tempo. No bloqueio de Rivaldo, o time visitante abriu 9 a 4. Contando com erros do adversário, o Caramuru encostou no placar (9 a 10) forçando o Corinthians a pedir tempo. No bloqueio, o Ponta Grossa marcou 11 a 10. Com mais uma bola de segunda de Índio, o time paranaense fez 15 a 15. Com dois bloqueios seguidos de Luizinho, o Corinthians-Guarulhos abriu quatro em 20 a 16. O time visitante ainda fez 23 a 19. E a equipe paulista fechou em 25 a 21.

O terceiro set começou equilibrado, com as equipes empatando em 3 a 2. No bloqueio, o Caramuru marcou 5 a 4. No bloqueio de Leozão, o Ponta Grossa Caramuru esteve em vantagem em 9 a 8. No ponto de saque de Ygor Ceará, o Corinthians-Guarulhos deixou tudo igual em 11 a 11. Com bloqueio de Rivaldo, a equipe paulista abriu três de diferença (15 a 12) e Fábio Sampaio pediu tempo. A distância a favor do time visitante esteve em dois em 17 a 15. Com erro do adversário, o Caramuru encostou em 17 a 18. Stanzioni pediu tempo e o Corinthians voltou a abrir: 20 a 17. A equipe da casa voltou a encostar em 19 a 20. No ace, 21 a 21. O set esteve igual de novo em 22 a 22. E, no final, 25 a 23 para o Corinthians-Guarulhos.

A quarta parcial teve um início bem disputado. O time paulista saiu na frente e os donos da casa empataram em 5 a 5. O Corinthians-Guarulhos teve dois de vantagem quando Sidão pontuou na chutada de meio: 9 a 7. A vantagem aumentou para quatro pontos em 12 a 8. Mais uma vez com Sidão, dessa vez no bloqueio, o Corinthians-Guarulhos chegou a 13 a 9. O Ponta Grossa Caramuru não desistiu e encostou em 13 a 14. Alexandre Stanzioni pediu tempo. No bloqueio de Índio, 14 a 14. Leozão colocou o time paranaense em vantagem: 17 a 16. No ace de Maycon, o Caramuru chegou a 18 a 16. Ainda com Maycon no saque, a equipe da casa marcou 21 a 16. O time visitante buscou e no bloqueio de Luizinho empatou em 23 a 23. No erro do adversário, o Corinthians-Guarulhos chegou a 24 a 23. O Caramuru voltou a ter o set point em 25 a 24 e o adversário empatou em 24 a 24. Novos empates até 28 a 28. No erro do adversário, o Ponta Grossa Caramuru venceu por 30 a 28.

O time paranaense abriu 2 a 0 no set decisivo. Forçando bem o saque, o Ponta Grossa ainda colocou a vantagem de 5 a 1 no placar. Alexandre Stanzioni pediu tempo. Contando com erros da equipe da casa, o Corinthians-Guarulhos encostou no marcador em 5 a 6. O time paulista, então, chegou ao empate em 7 a 7. Novo empate em 9 a 9 depois em 11 a 11. Depois de bom saque de Rivaldo, a equipe visitante assumiu o comando do marcador em 13 a 12. No final, com Mineiro, 15 a 12.

“Foi um grande jogo, com uma torcida fantástica, que está de parabéns por fazer uma linda festa aqui em Ponta Grossa. E quero agradecer a nossa torcida também, que compareceu. A equipe deles é muito bem montada, fez um grande jogo e todos estão de parabéns”, disse o ponteiro Fábio, que entrou ao longo do jogo e ajudou o time paulista a mudar o resultado.

“Importante que estamos em uma crescente muito boa e hoje conseguimos um ponto que vai ser importante lá na frente. Eles souberam decidir, mas nós estamos treinando muito e vamos seguir daqui para melhor. A nossa torcida fez bonito e está sendo maravilhoso jogar aqui ao lado deles”, afirmou o oposto Leozão.

No próximo sábado, às 20h, o Ponta Grossa/Caramuru recebe o Lebes Canoas, novamente na Arena Multiuso. No mesmo dia, às 21h30min, o Corinthians/Guarulhos enfrenta o Sesi-SP, no ginásio Ponte Grande.

Equipes:

Ponta Grossa/Caramuru:
Índio, Leozão, Maycon, Thales, Léo, Peron e Bruno (líbero)
entraram: Antony, Rubbo, Dutra, Japa e Gustavo
técnico: Fábio Sampaio

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Luizinho, Sidão, Ygor Ceará, Mineiro e Felipe (líbero)
entraram: Gabriel, Matoso e Fábio
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Thiago Paes/CBV

terça-feira, 21 de novembro de 2017

(Superliga) Lebes Canoas vence Copel Telecom/Maringá e continua no G-8

Jogando no ginásio La Salle, o Lebes Canoas derrotou o Copel Telecom/Maringá por 3 sets a 1, parciais de 25/23, 23/25, 25/16 e 26/24, pela 7ª rodada da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time gaúcho chegou aos nove pontos e permanece na 8ª colocação, ou seja, na zona de classificação para os playoffs, enquanto os paranaenses continuam sem vencer e sem pontuar, ocupando a 11ª posição da tabela.

Rodrigo abriu o placar da partida a favor do Lebes Canoas. Kaio respondeu para o Copel Telecom Maringá Vôlei. No bom saque de Leandrão, o time da casa abriu 5 a 1. Quando o placar chegou a 7 a 2, Renato Lúcio pediu tempo. Com Wennder, a equipe paranaense reduziu a desvantagem para 7 a 10. Com Ialisson, o Copel Telecom Maringá fez 9 a 12. O Lebes Canoas voltou a pontuar mais e abriu seis de vantagem em 16 a 10. O placar voltou a ficar mais equilibrado em 15 a 18. O Maringá ainda marcou 17 a 19 e foi a vez de Marcel Matz pedir tempo. No bloqueio de Ialisson, o Copel Telecom Maringá fez 19 a 21 e o treinador do Lebes Canoas parou o jogo de novo. Na volta, Matheus pontuou e a equipe da casa fez 22 a 19. Johan, que havia entrado para sacar, conseguiu dois pontos neste fundamento e Maringá fez 23 a 23. Mas, o Lebes Canoas fechou na largadinha de Leandrão, fazendo 25 a 23.

Assim como no set anterior, o Lebes Canoas abriu boa vantagem no início da segunda parcial, abrindo 4 a 1 e forçando o técnico do Copel Telecom Maringá Vôlei a pedir tempo. Na volta, Alison pontuou para a equipe paranaense e, depois de grande defesa de Thiago Alves, que havia acabado de entrar, encostou em 3 a 4. Com Leandrão, Canoas fez 7 a 5. Com Wennder, o Copel Telecom Maringá assumiu o comando do marcador (8 a 7). Com dois bons saques de Alê, o time visitante abriu 11 a 7. No bloqueio de Ricardinho, Maringá marcou 14/10. O Lebes Canoas buscou, fez 13 a 15, e depois chegou ao ponto de empate em 16/16. A equipe visitante voltou a pontuar e, no bloqueio de Wennder, fez 18/16. Mais uma vez Canoas empatou em 19 a 19. No bloqueio de Thiago Alves, 22/19. No ace de Matheus, que havia acabado de entrar, Maringá fez 24 a 20. O Lebes Canoas encostou em 23 a 24. E com Ialisson, o Copel Telecom Maringá fechou em 25 a 23.

O terceiro set começou com as equipes trocando pontos. Com Leandrão, o Lebes Canoas fez 3 a 2. No bloqueio, o time da casa fez 5 a 4 e na largadinha de Alê o Copel Telecom Maringá deixou tudo igual em 4 a 4. Com Rodrigo, os donos da casa empataram em 8 a 8. Com mais um ponto de bloqueio, o Lebes Canoas marcou 13 a 12. Em boa passagem de Matheus pelo saque, os donos da casa abriram três de vantagem (17 a 12). O placar ficou ainda mais elástico (20 a 13) e o treinador de Maringá pediu tempo. O grupo gaúcho seguiu melhor em quadra, fazendo 22 a 15. Administrando a vantagem, o Lebes Canoas venceu o terceiro set por 25 a 16.

Pontuando bastante pelo meio de rede, o Lebes Canoas marcou 3 a 2 com Matheus. Com Ialisson bem no saque, o Copel Telecom Maringá abriu dois de vantagem em 5 a 3. O time visitante seguiu no comando do placar em 9 a 7. A equipe de Canoas buscou e deixou tudo igual em 10 a 10. Com Alê, o Maringá marcou 13 a 12. Com Bruno, a equipe visitante empatou em 16 a 16. Rodrigo pontuou no ataque e o Lebes Canoas fez 18 a 17. No erro do adversário, os donos da casa conseguiram abrir dois (20 a 18) e Renato Lúcio pediu tempo. O Lebes Canoas abriu 22 a 20 e, no bloqueio, Maringá empatou em 22 a 22. Marcel pediu tempo. Johan deixou tudo igual em 24 a 24. E, no erro do adversário, o Lebes Canoas fechou em 26 a 24.

“Tivemos uma sequência muito pesada, contra adversários com nível muito alto, candidatos ao título e sabíamos que hoje era confronto direto, apesar de também ser um jogo difícil. Nosso saque teve um efeito bom, nosso bloqueio funcionou bem e conseguimos essa importante vitória sobre a equipe de Maringá”, disse o central Matheus, eleito o melhor em quadra.

“Não estamos orgulhosos dessa campanha. No começo pegamos as equipes de maior investimento, as teoricamente favoritas, e agora enfrentamos dois adversários do nosso escalão, Caramuru e Canoas, e não conseguimos as vitórias. Hoje foi um jogo parelho. Temos que pensar em melhorar o foco em alguns momentos, a concentração porque isso vai fazer a diferença”, destacou o ponteiro Thiago Alves.

No próximo sábado, às 20h, o Lebes Canoas enfrentará o Ponta Grossa/Caramuru, na Arena Multiuso. No mesmo dia, às 18h30min, o Copel Telecom/Maringá recebe o JF Vôlei, no ginásio Chico Neto.

Equipes:

Lebes Canoas:
Pedro, Leandrão, Matheus, Michel, Eduardo, Rodrigo e Pallotti (líbero)
entraram: Bitello, Abouba, Arthur Nath e Victor Hugo
técnico: Marcel Matz

Copel Telecom/Maringá: Ricardinho, Alison, Wennder, Ialisson, Kaio, Alê e Daniel (líbero)
entraram: Matheus, Giancarlos, Johan, Thiago Alves, Gian e Bruno
técnico: Renato Lúcio

foto: Fernando Potrick/Gama

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

(Superliga) Ponta Grossa/Caramuru pega Corinthians/Guarulhos na terça-feira

Fechando a 7ª rodada da Superliga 2017/2018, o Ponta Grossa/Caramuru recebe o Corinthians/Guarulhos, nesta terça-feira, às 12h30min, na Arena Multiuso. O time paulista é o 6º colocado, com 10 pontos somados após quatro resultados positivos e dois negativos na competição, enquanto os paranaenses aparecem na 10ª posição, com três pontos ganhos. A partida terá transmissão do SporTV.

As duas equipes já se conhecem, se enfrentaram na Taça Ouro, quando o Caramuru venceu, e, no final da competição, o Corinthians/Guarulhos assegurou a classificação para disputar a Superliga 2017/2018. O técnico Fabio Sampaio quer aproveitar o embalo da equipe, que na rodada passada venceu o Copel Telecom/Maringá, para conquistar mais três pontos e se distanciar da zona de rebaixamento.

“Viemos de uma sequência muito forte, sabíamos da competência dos outros times e, agora, vamos jogar contra o Corinthians, que já conhecemos e inclusive ganhamos deles na Taça Ouro. Por isso, acredito que eles vão vir com muita vontade de ganhar, mas a nossa vai ser maior ainda”, afirmou o ponteiro Peron.

Pelo lado do Corinthians/Guarulhos, o momento é de manter a boa fase, pois vem de três vitórias seguidas, sendo a última delas contra o Vôlei Renata por 3 sets a 0. O técnico Alexandre Stanzioni deve continuar apostando no bom rendimento dos seus atacantes, casos do oposto Rivaldo, do central Luizinho e do ponteiro Ygor Ceará, que são alguns dos destaques do time.

“Tivemos apenas um jogo contra eles, nosso primeiro do Corinthians, na Taça Ouro. Perdemos e sabemos de toda qualidade da equipe. De lá para cá evoluímos bastante e eles também ficaram mais fortes com mais alguns jogadores. Sabemos que a única forma de vencê-los é com nossa máxima atenção e força total”, destacou o ponteiro Ygor Ceará.

Equipes:

Ponta Grossa/Caramuru: Leozão, Índio, Thales, Perón, Leo, Maycon e Bruninho (líbero)
técnico: Fábio Sampaio

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Luizinho, Sidão, Ygor Ceará, Mineiro e Serginho (líbero)
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Caramuru Vôlei/Divulgação

(Superliga) Lebes Canoas encara o Copel Telecom/Maringá nesta segunda-feira

Na sequência da 7ª rodada da Superliga 2017/2018, o Lebes Canoas recebe o Copel Telecom/Maringá, nesta segunda-feira, às 18h, no ginásio La Salle. Na 8ª colocação, com seis pontos, o time gaúcho quer voltar a vencer, algo que não ocorreu nas última quatro partidas, enquanto a equipe paranaense, atualmente na lanterna, quer conquistar a primeira vitória na competição. A partida terá transmissão do SporTV.

Após as derrotas para Sesi-SP, EMS Taubaté/Funvic, Sada/Cruzeiro e Sesc-RJ, o objetivo no Lebes Canoas é voltar a vencer o mais rápido possível para se manter na zona de classificação para os playoffs. Com um elenco jovem nas mãos, o técnico Marcel Matz sabe que é fundamental o time ter paciência durante a partida, ainda mais contra um adversário considerado do mesmo patamar.

“Esse é um confronto muito importante. Acabamos de sair de uma sequência difícil, contra aqueles times que investiram bastante para chegar a uma possível final de Superliga, e acredito que fizemos bons jogos (...) Nós somos uma equipe jovem, sem muita experiência, mas com muito potencial físico e de talento também. Estamos treinando forte durante toda essa semana para buscar essa vitória amanhã. Nosso saque vai ser uma arma importante para isso, porque quando esse fundamento funciona conseguimos pressionar bem o adversário”, disse o central Michel.

No Copel Telecom/Maringá o momento é de recuperar o lado psicológico dos jogadores, que ainda não venceram na competição. Na última rodada, o time comandado por Renato Lúcio perdeu para o Ponta Grossa/Caramuru, em casa, resultado que não estava nos planos da equipe. Apesar de jogar no Rio Grande do Sul, vencer virou quase que uma obrigação.

“Essa semana demos uma intensificada na parte técnica, trabalhando alguns pontos de uma forma bem forte, e também na recuperação do psicológico dos atletas. Sentimos muito a última derrota (para o Ponta Grossa Caramuru, por 3 a 0), não estávamos esperando e agora estamos focados em buscar a vitória em Canoas (...) Estamos treinando bem, visando a nossa equipe, e, se conseguirmos manter a concentração do início ao fim, principalmente no final e conseguirmos executar tudo que foi combinado, temos grandes chances de sair com a vitória nessa partida”, afirmou o técnico Renato Lúcio.

Equipes:


Lebes Canoas: Pedro, Leandrão, Matheus, Michel, Eduardo, Rodrigo e Pallotti (líbero)
técnico: Marcel Matz

Copel Telecom/Maringá: Ricardinho, Alisson, Wendell, Ialisson, Alê, Thiago Alves e Daniel (líbero)
técnico: Renato Lúcio

foto: Fernando Potrick/Gama

domingo, 19 de novembro de 2017

(Superliga) Em jogo bem disputado, EMS Taubaté/Funvic vence Montes Claros

Em bom jogo disputado no ginásio Tancredo Neves, o EMS Taubaté/Funvic derrotou o Montes Claros por 3 sets a 2, parciais de 25/21, 25/23, 23/25, 17/25 e 15/6, pela 7ª rodada da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time do Vale do Paraíba chegou aos 19 pontos e permanece na vice-liderança, enquanto a equipe mineira parou nos seis pontos e continua na 9ª posição da tabela.

As equipes estiveram empatadas em 2 a 2 e no ataque do levantador Sandro, o Montes Claros Vôlei marcou 3 a 2. No bloqueio também de Sandro, a equipe mineira ainda fez 4 a 2. No ace do levantador, o Montes Claros Vôlei abriu dois em 7 a 5. Com Wallace no contra-ataque, Taubaté empatou (7 a 7) e no ponto de saque de Ivovic, 8 a 7. Quando o adversário chegou a 13 a 10, Sérgio Cunha pediu tempo. Na bola de segunda de Raphael, o EMS Taubaté Funvic fez 16 a 12. Com mais um bom saque de Ivovic, 18 a 13. Em combinação de Raphael com Rafael, o time paulista marcou 20 a 15. Com Dante pelo meio fundo, 23 a 18. O Montes Claros Vôlei reagiu, aproximou no placar em 20 a 23, e Daniel Castellani pediu tempo. No final, o EMS Taubaté Funvic fechou em 25 a 21.

Com Najari, o Montes Claros Vôlei abriu 3 a 1 logo no começo do segundo set. No bloqueio de Tarcísio, a equipe da casa ainda fez 4 a 1. O grupo mineiro marcou 6 a 2 e Castellani pediu tempo. Na volta, no ace de Alemão, 7 a 2. Taubaté chegou ao ponto de empate 10 a 10 e foi a vez do treinador do time mineiro parar o jogo. Ivovic marcou 12 a 10 e depois de novo em 16 a 12. Na largadinha de Wallace, o EMS Taubaté Funvic colocou cinco de vantagem (17 a 12). Quando Ivovic marcou mais um (18 a 12), Sérgio Cunha pediu tempo. Com Rafael, a equipe paulista marcou 21 a 15. O Montes Claros Vôlei aproximou em 18 a 21 e Castellani parou o jogo. Na volta, dois bloqueios seguidos de Mesa e o time da casa encostou em 20 a 21. Com Mesa no bloqueio, o Montes Claros encostou em 23 a 24. Mas, no final, o EMS Taubaté Funvic fechou em 25 a 23.

Buscando reação, o Montes Claros Vôlei chegou a 5 a 2 no bloqueio de Tarcísio. Na bola de segunda de Raphael, o EMS Taubaté Funvic encostou em 5 a 6. O time da casa chegou a 12 a 7 no ace de Zanotti. Ainda no bloqueio de Tarcísio, 13 a 7. A diferença caiu para dois em 12 a 14. No bom saque de Raphael, o time paulista encostou no placar, fazendo 16 a 17. Com Wallace, Taubaté chegou ao ponto de empate em 17 a 17. O Montes Claros Vôlei chegou a 21 a 20. Com Alemão, os donos da casa ainda fizeram 23 a 21. Taubaté empatou em 23 a 23. Com Mesa duas vezes, o Montes Claros Vôlei fechou em 25 a 23.

Com Alemão pontuando bem, o time mineiro chegou ao ponto de empate em 3 a 3. No bom saque de Tarcísio, 5 a 4. Com bloqueio de Alemão, 8 a 5 para os donos da casa. Neste momento, Castellani pediu tempo. Quando as equipes voltaram para a quadra, bloqueio de Mesa e 9 a 5. No bom saque de Ivovic, Taubaté encostou em 8 a 9. As equipes empataram em 10 a 10. No bom saque de Tarcísio, o Montes Claros colocou três de vantagem: 17 a 14. O treinador do time paulista pediu tempo. Depois de bom saque de Sandro, 19 a 15. Ainda com Sandro bem no saque, a equipe mineira marcou 22 a 15. Com apoio da torcida, o Montes Claros fechou em 25 a 17.

Wallace abriu o placar do set decisivo. O EMS Taubaté Funvic ainda abriu boa vantagem em 5 a 1 com ponto de bloqueio de Raphael. Neste momento, Montes Claros pediu tempo. O time da casa buscou e, no erro do adversário, encostou em 5 a 6. Dante pontuou, fez 8 a 6 e os times trocaram de lado. Em boa passagem de Rapha pelo saque, o EMS Taubaté Funvic marcou 12 a 6. A equipe do Vale do Paraíba seguiu pontuando e fechou em 15 a 6.

“Por mais que tenhamos a tradição que o Taubaté tem de ser uma ótima equipe, quando jogamos como hoje, principalmente no terceiro e no quarto sets, isso iguala todas as equipes. Mas, também temos que dar parabéns ao Montes Claros, enaltecer a equipe deles, que nos colocou em pressão, fazendo uma excelente partida (...) Mas, o mais importante é que seguimos nossa caminhada da Superliga depois dessa vitória super difícil aqui em Montes Claros hoje”, disse o ponteiro Dante.

“Lutamos até o último momento, estamos em uma fase complicada, buscando cada dia uma nova conquista, e não poderíamos perder as oportunidades que perdemos hoje. Agora é continuar trabalhando para buscar novas chances. Precisamos crescer para seguir nessa busca no campeonato”, afirmou o oposto Alemão.

No próximo sábado, às 15h, o Montes Claros receberá o Sada/Cruzeiro, no ginásio Tancredo Neves. Já o EMS Taubaté/Funvic jogará no mesmo dia, às 18h30min, contra o Vôlei Renata, no ginásio Abaeté.

Equipes:

Montes Claros: Sandro, Alemão, Tarcísio, Mesa, Zanotti, Najari e Alan (líbero)
entraram: Vanderson, Vivalde, Cristiano e Luan
técnico: Sérgio Cunha

EMS Taubaté/Funvic: Raphael, Wallace, Solé, Rafael, Ivovic, Dante e Thales (líbero)
entraram: Renan, Paulo Renan, Nicolas e Ruiz
técnico: Daniel Castellani

foto: Rafinha Oliveira/EMS Taubaté Funvic

(Superliga) Em Minas Gerais, Sesc-RJ derrota JF Vôlei e continua no G-4

Pela 7ª rodada da Superliga 2017/2018, o JF Vôlei derrotou o Sesc-RJ por 3 sets a 0, parciais de 17/25, 18/25 e 22/25, no ginásio da UFJF. Com o resultado, o time carioca manteve a boa fase, chegando agora aos 19 pontos e aparecendo na 3ª colocação, enquanto a equipe carioca permanece sem vencer e sem pontuar na competição, estando na 11ª posição da tabela.

O ponteiro Rammé iniciou a partida e num erro adversário o JF Vôlei fez o primeiro ponto do jogo. O set seguiu com muito equilíbrio até o placar de 14 a 16. Depois disso, o Sesc-RJ se impôs, passou a ter um volume de jogo muito expressivo e dominou. Abriu sete pontos de vantagem com um bloqueio bem postado e um saque forte. O JF Vôlei encontrava muita dificuldade para quebrar a recepção adversária. Depois disso, os visitantes apenas administraram. Maurício Borges, que não errou quase nada no primeiro set, fechou em 17 a 25.

O segundo set também começou com o JF Vôlei pontuando. O time do técnico Henrique Furtado sacava bem e atacava com inteligência. Chegou a fazer 6 a 4. Mas o levantador do Sesc-RJ, Thiaguinho, fazia uma partida excelente e ajudou seu time a virar o jogo. Os visitantes abriram 11 a 8. Foi quando o central do JF, Rômulo, começou a aparecer na partida. Depois de um rally impressionante, fechou sozinho no bloqueio e levantou o Ginásio da UFJF. Em seguida, num ataque perfeito, fez novamente a galera vibrar na arquibancada. O Sesc-RJ viu o time da casa encostar no placar. Quando parecia que o JF Vôlei ia engrenar, Emerson errou o saque e permitiu uma nova arrancada do adversário. Henrique Furtado trocou Emerson e Felipe por Vitor e Adami. Mas a substituição não freou o Sesc-RJ, que abriu oito pontos de vantagem, com 13 a 21. O set point veio com um bloqueio do Rômulo que acabou, dessa vez, indo para fora. Mas foi num erro de saque de Emerson que o Sesc-RJ fechou em 18 a 25.

Mesmo com a desvantagem no placar, o time de Juiz de Fora não se deixou abater. Entrou para o terceiro set disposto a fazer uma história diferente e fez 3 a 0 com facilidade. Quando abriu 6 a 2, o técnico Giovane pediu tempo. O Sesc-RJ conseguiu o empate, em 8 a 8. O set estava 12 a 10 quando o melhor rally do jogo aconteceu e resultou num ponto polêmico para os visitantes. Henrique Furtado reclamou muito e pediu a interferência do segundo árbitro, que havia confirmado os dois toques do adversário. Após avisar ao árbitro principal, o ponto foi invertido e a torcida comemorou muito. Juiz de Fora se mantinha à frente no placar, agora com 13 a 10. E não parou aí. Empurrados pela galera, fizeram 15 a 10 num ace de Rammé. Giovane pediu tempo. Não adiantou. O time da casa chegou a 20 a 13. O set parecia encaminhado para uma vitória do JF Vôlei. Mas Thiaguinho foi para o saque e desestabilizou totalmente a recepção do time mineiro. O levantador Felipe não conseguia tirar o bloqueio adversário das jogadas. Bolas lentas facilitavam o trabalho do Sesc-RJ, que buscou o placar após sete pontos seguidos. Mantendo esse volume de jogo, os garotos do Rio de Janeiro fecharam a partida fazendo 22 a 25.

“É um campeonato longo, exige muito, então a gente precisa ter peças de reposição. O Japa entrou bem hoje, o Renatão teve oportunidade de jogar também. São jogadores que jogam menos. Vamos precisar de todo mundo. Sem dúvida é um campeonato muito difícil e longo”, declarou o técnico Giovane Gavio.

“Corremos muito atrás quando estávamos em desvantagem no placar e quando estávamos à frente não soubemos aproveitar. Tivemos um pouco de pressa para definir o set e a pressa não combina com o nosso time”, disse o treinador Henrique Furtado.

Na próxima quinta-feira, às 19h, o Sesc-RJ enfrenta o Minas Tênis Clube, na Arena, em Belo Horizonte. Já o JF Vôlei encara o Copel Telecom/Maringá, no domingo, dia 26, às 21h, no ginásio Chico Neto.

Equipes:

JF Vôlei: Felipe, Emerson, Bruno, Rômulo, Rammé, Raphael e Juan (líbero)
entraram: Adami, Vitor e Drago
técnico: Henrique Furtado

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan Buiatti, Maurício Souza, Renatão, Japa, Maurício Borges e Tiago Brendle (líbero)
entraram: PV, Levi e Everaldo
técnico: Giovane Gaveo

foto: Mônica Cury

(Superliga) Em Campinas, Sesi-SP derrota Vôlei Renata e sobe na tabela

Mesmo jogando no ginásio Taquaral lotado, o Sesi-SP não se intimidou e venceu o Vôlei Renata por 3 sets a 1, parciais de 25/18, 25/18, 28/30 e 25/12, pela 7ª rodada da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time paulistano chegou aos 18 pontos e assumiu, pelo menos temporariamente, a vice-liderança, enquanto a equipe de Campinas parou nos nove pontos e permanece na 7ª colocação.

Substituindo Leandro Vissotto, Krauchuk foi o responsável por abrir o placar da partida para o Vôlei Renata. O Sesi-SP deixou tudo igual em 2 a 2. Krauchuk fez 3 a 2 e Lucão, 3 a 3. No bloqueio de Lucão, a equipe da Vila Leopoldina chegou a 5 a 3 e depois a 6 a 3. Os donos da casa reagiram e empatam em 6 a 6. O Vôlei Renata ainda assumiu o comando do placar em 9 a 8. O Sesi-SP voltou a pontuar e abriu cinco em 14/9. Em boa passagem de William pelo saque, a equipe visitante ainda marcou 15 a 9. Douglas Souza pontuou pelo fundo meio e o Sesi-SP fez 19 a 13. No bloqueio de Lipe, 22 a 15. Com Tiago Mão pontuando no saque, o Vôlei Renata marcou 18 a 23. Na sequência, o Sesi-SP fechou em 25 a 18.

Novamente com William bem no saque, a equipe visitante abriu 2 a 0 no começo do segundo set. No bloqueio, o Vôlei Renata chegou ao ponto de empate em 3 a 3. Lucão bloqueou sozinho e o Sesi-SP voltou a abrir vantagem: 7 a 3. Lipe marcou 10 a 6. Com o ponteiro bem no saque, o time da Vila Leopoldina chegou a 13 a 8 e Horacio Dileo pediu tempo. Depois de bom saque de Douglas, o Sesi-SP fez 17 a 11. Com dois pontos de saque consecutivos de Rodriguinho, o Vôlei Renata fez 15 a 19. Gustavão bloqueou e o Sesi-SP fez 22 a 16. Melhor também no segundo set, o time da capital paulista venceu por 25 a 18.

O Vôlei Renata buscou uma reação logo no início do terceiro set e abriu 6 a 3. No ace de Renan, os donos da casa fizeram 7 a 5. O Sesi-SP buscou e virou o jogo em 8 a 7. O set esteve igual novamente em 10 a 10 e depois em 12 a 12. No bloqueio de Vini, o Vôlei Renata marcou 15 a 14. Tudo igual no marcador em 17/ a 17. Com ace de Lipe, o Sesi-SP abriu dois de vantagem: 19 a 17. O time da casa buscou e no bloqueio simples de Krauchuk empatou em 19 a 19. O Sesi-SP fez 22 a 21 e Horacio Dileo pediu tempo. Diogo deixou tudo igual (22 a 22). O set seguiu equilibrado, disputado ponto a ponto na reta final. O Vôlei Renata marcou 28 a 27 e Rubinho parou o jogo. No final, Krauchuk fechou para o time da casa em 30 a 28.

O Sesi-SP abriu 2 a 0 no começo do quarto set. Com Alan, a equipe da Vila Leopoldina fez 5 a 3. Mais uma vez com Alan, que pontuou muito bem na partida, o Sesi-SP chegou ao oitavo ponto enquanto o adversário tinha cinco. Os visitantes ainda colocaram o dobro de pontos em 10 a 5. Na bola de segunda de William, 13 a 7. Com Douglas Souza na diagonal longa em bola de contra-ataque, o Sesi-SP chegou a 16 a 9. O placar ainda aumentou a diferença (18 a 9) e Dileo pediu tempo. No bloqueio, o time da capital marcou 22 a 10. No final, vitória por 25 a 12.

“No terceiro set, quando fomos superados, fomos muito afobados para o saque, erramos muito e isso deixou o time deles um pouco mais livre para vir mais forte. No quarto, voltamos concentrados, sacamos melhor e conseguimos a vitória”, disse Alan, que ainda elogiou o levantador do seu time.

“Jogar com o William é esplêndido. Ele é o mago e, para mim, é o melhor levantador do mundo. É uma oportunidade incrível e sou muito grato por ter essa chance de estar ao seu lado mais uma temporada”, complementou o oposto do Sesi-SP.

“Claro que enfrentamos uma excelente equipe, uma das candidatas ao título, mas jogamos mal, temos que assumir isso e trabalhar para melhorar. Hoje tivemos pouco efeito no nosso saque e nossa virada de bola não funcionou bem. Enfim, temos que trabalhar porque temos chances de reverter”, afirmou o ponteiro Diogo.

No próximo sábado, dia 25, às 18h30min, o Vôlei Renata enfrenta o EMS Taubaté/Funvic, no ginásio Abaeté. Já o Sesi-SP jogará no mesmo dia, às 21h30min, contra o Corinthians/Guarulhos, no ginásio da Ponte Grande.

Equipes:

Vôlei Renata: Rodriguinho, Krauchuk, Vini, Salsa, Diogo, Tiago Mão e Santucci (líbero)
entraram: Willian, Daniel, Matheus, Renan e Júnior
técnico: Horacio Dileo

Sesi-SP:
William, Alan, Lucão, Gustavão, Douglas Souza, Lipe e Pureza (líbero)
entraram: Leandro Aracaju, Franco e Evandro
técnico: Rubinho

foto: Amanda Demétrio/Sesi-SP

(Superliga) No clássico mineiro, Sada/Cruzeiro leva a melhor sobre o Minas TC

No clássico mineiro da 7ª rodada da Superliga 2017/2018, o Sada/Cruzeiro foi até a Arena, em Belo Horizonte, e venceu o Minas Tênis Clube por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 26/24 e 26/24. Com o resultado, os comandados de Marcelo Mendez chegaram aos 24 pontos e seguem na liderança isolada, enquanto a equipe da capital mineira parou nos 13 pontos e continua na 5ª colocação da tabela.

Minas Tênis Clube e Sada/Cruzeiro fizeram um grande jogo na Arena. A partida reservou emoção do início ao fim. Os donos da casa começaram o primeiro set melhor, chegando a abrir vantagem de 6 a 1. Aos poucos, o Sada/Cruzeiro apertou e, no fim, levou pequena vantagem: 25 a 23. No segundo set, mais equilíbrio em quadra. Os times disputaram o ponto a ponto e os minastenistas estiveram bem perto de empatar o jogo, mas, na reta final, o ataque errou. O Sada Cruzeiro aproveitou a chance e fechou em 26 a 24. Assim como os dois primeiros, o terceiro e último set foi muito equilibrado. O Minas Tênis Clube foi ao ataque, mas, no fim, os visitantes, com destaque para o ponteiro Leal, fecharam em 26 a 24.

“Nós sacamos muito bem, o serviço foi forte e entrou nos momentos em que precisamos. No segundo set eles tiveram a vantagem, mas os alcançamos porque trabalhamos bem os contra-ataques, Evandro e Leal rodaram bolas muito importantes para a gente. Temos que continuar trabalhando bastante, melhorar em alguns fundamentos, mas acho que estamos crescendo e hoje jogamos bem. Foi na casa deles, mas parecia que estávamos em casa. Espero que continue sendo assim, com os torcedores comparecendo e a gente jogando bem por eles. Muito obrigado a todos que vieram aqui”, declarou o central Simon.

“Nos três sets, jogamos de igual para igual. No fim, não sei se houve alguma pressão interna, acabamos derrotados. Acredito que precisamos ter um pouco mais agressividade, principalmente, nos momentos decisivos. Agora, é treinar e trabalhar esta questão para a sequência do campeonato”, comentou o central Flávio.

O Sada/Cruzeiro volta a atuar no próximo sábado, dia 25, às 15h, diante do Montes Claros, no ginásio Tancredo Neves. Já o Minas Tênis Clube pega na quinta-feira, dia 23, às 19h, o Sesc-RJ, novamente na Arena, em Belo Horizonte.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Nico Uriarte, Evandro, Filipe, Leal, Simon, Isac e Serginho (líbero)
entraram: Fernando Cachopa e Alemão
técnico: Marcelo Mendez

Minas Tênis Clube: Marlon, Felipe Roque, Bob, Bisset, Flávio, Petrus e Rogerinho (líbero)
entraram: Davy, Honorato, Vanole e Maique
técnico: Nery Tambeiro

foto: Orlando Bento/Minas Tênis Clube