sexta-feira, 27 de maio de 2016

Rapha, Lucas Lóh e Wallace Martins são cortados por Bernardinho

Depois de quatro semanas de treinos em Saquarema e de quatro amistosos diante da Eslovênia, sendo dois deles em Montes Claros, o técnico Bernardinho começou a reduzir o elenco visando a Liga Mundial e os Jogos Olímpicos Rio/2016. Os primeiros a deixarem o grupo foram o levantador Rapha, o ponteiro Lucas Lóh e o oposto Wallace Martins.

Destes cortes, o que chama mais atenção é o de Lucas Lóh, um dos destaques do Brasil Kirin, que foi vice-campeão da Superliga 2015/2016. O jogador, que vinha recebendo várias oportunidades com Bernardinho, acabou perdendo espaço para o jovem Douglas Sousa, do Sesi-SP, e para o experiente Maurício Borges, que devem disputar uma vaga no grupo final, pois Lucarelli, Murilo e Lipe devem confirmar suas presenças.

No caso de Wallace Martins e Rapha, os amistosos diante da Eslovênia foram fundamentais para Bernardinho confirmar que William e Evandro estarão na Liga Mundial e nos Jogos Olímpicos Rio/2016, já que Bruninho e Wallace são os titulares absolutos. Nos amistosos, o levantador do Sada/Cruzeiro mostrou novamente porque hoje é um dos melhores da posição no mundo.

Com esses três cortes, agora são 16 jogadores que seguem treinando em Saquarema e que estarão presentes nos amistosos contra a Argentina, nos dias 2 e 4 de junho, em Jujuy e Salta, respectivamente. Seguem no grupo os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os ponteiros Lucarelli, Murilo, Lipe, Douglas Souza e Maurício Borges; os centrais Lucão, Sidão, Eder, Maurício Souza e Isac e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

foto: Celio Messias/inovafoto

Demian Gonzalez deixa o Brasil Kirin e vai jogar na Turquia

Um dos destaques do Brasil Kirin na campanha do vice-campeonato da Superliga 2015/2016, o levantador Demian Gonzalez está de malas prontas para a Europa. De acordo com o site Voley Plus, o argentino, que teve proposta para retornar ao UPCN, acabou fechando com o Halkbank Ankara, atual campeão turco e que fez uma bela campanha na Champions League.

Na ida para o Halkbank Ankara, Demian Gonzalez terá a missão de substituir o italiano Travica, além de fazer parte da reformulação do elenco que passa o clube turco, que perdeu Kubiak e Sokolov para o Lube, e Le Roux, para o Modena. Atualmente, ele treina com a seleção argentina que se prepara para a Liga Mundial e espera ser confirmado na lista de Julio Velasco para os Jogos Olímpicos Rio/2016.

Com a indefinição do orçamento do Brasil Kirin era questão de tempo que Demian Gonzalez deixasse a equipe de Campinas, que já perdeu o central Luizinho (Sète) e os ponteiros Piá (Bolivar) e Lucas Loh (Funvic/Taubaté), além de dispensar toda a comissão técnica liderada por Alexandre Stanzioni. A tendência é que outros atletas do elenco vice-campeão nacional deixem o clube paulista.

foto: Bruno Miani/inovafoto

Brasil vence novamente em último amistoso contra a Eslovênia

O último duelo entre Brasil e Eslovênia terminou empatado em 2 sets a 2, parciais de 25/16, 24/26, 25/17 e 20/25, no Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema. Com isso, o saldo dos amistosos foi positivo para o técnico Bernardinho, que viu a Seleção Brasileira vencer por três oportunidades por 3 sets a 1. Mais uma vez, o duelo serviu para testar alguns jogadores e fazer alterações visando a Liga Mundial e os Jogos Olímpicos Rio/2016.

O Brasil começou com o levantador Bruninho, o oposto Wallace, os centrais Isac e Lucão, os ponteiros Murilo e Lucarelli, além do líbero Serginho. Com Lucarelli bem no saque, abriu 4 a 0 logo no começo do jogo. A Eslovênia buscou e encostou no placar em 7 a 6, mas o Brasil voltou a abrir em 10 a 6. No bloqueio de Murilo, a equipe da casa fez 14 a 9. A vantagem ainda aumentou para 19 a 11. A seleção ainda aumentou ainda mais a diferença no placar em 21 a 14. No final, melhor para o Brasil: 25 a 16.

A equipe de Bernardinho entrou em quadra com outra formação no segundo set, contando com Lipe no lugar de Lucarelli e Sidão no de Isac. A Eslovênia começou melhor e abriu 4 a 2. No tempo técnico, a vantagem para os adversários era de quatro (8 a 4). O Brasil buscou e, com Lipe, deixou tudo igual: 9 a 9. Com ponto de saque de Sidão, os donos da casa passaram a frente (11 a 10). No bloqueio, o Brasil abriu dois em 18 a 16. Com Murilo, o placar foi para 21 a 19. A parcial seguiu equilibrada e teve mais um empate em 23 a 23. A Eslovênia, então, fechou em 26 a 24.

O terceiro set começou bem melhor para a seleção do Brasil. O líbero Tiago Brendle entrou em quadra no lugar de Serginho e Maurício Souza no de Sidão. No bom saque de Wallace, o time da casa colocou 10 de vantagem em 13 a 3. A diferença ainda foi a 16 a 3. No ace de Lipe, 18 a 5. A equipe dirigida por Bernardinho seguiu dominando o set e chegou a 22 a 11. Para fechar, no erro de saque do adversário, o Brasil fez 25 a 17.

Maurício Borges e Douglas formaram a dupla de ponteiros e Éder veio para o lugar de Lucão no começo do quarto set. A Eslovênia abriu 3 a 1. No primeiro tempo técnico, a vantagem eslovena era de três (8 a 5). A diferença se manteve em 14 a 11. Quando a vantagem adversária passou a ser de quatro pontos (18 a 14), Bernardinho pediu tempo. A seleção da Eslovênia estava disposta a ganhar mais um set e abriu 22 a 18 já na reta final e fechou em 25 a 20.

“Apesar de ter sido 2 a 2, esses amistosos foram importantes para começarmos a construir uma base do time, conseguir um entrosamento entre nós, jogadores. Por mais que o grupo treine todos os dias juntos, adquirimos ritmo nos jogos. E esse entrosamento dentro de quadra, quando temos a pressão do jogo, com adversário do outro lado, que leva ao crescimento da equipe”, comentou o central Éder.

A próxima programação da seleção brasileira será a viagem para a Argentina, na próxima terça-feira, dia 31. Lá, a equipe dirigida por Bernardinho fará dois amistosos contra os donos da casa.

foto: CBV/Divulgação

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Com Bruninho e Lucão, Brasil supera novamente a Eslovênia em Saquarema

Depois de duas vitórias em Montes Claros, a Seleção Brasileira voltou a enfrentar a Eslovênia na noite de quarta-feira, desta vez no Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema. Já contando com o levantador Bruninho e com o central Lucão, que não estavam nos dois primeiros jogos, o Brasil venceu 3 sets a 1, parciais de 25/19, 25/22, 28/26 e 21/25.

Nesta noite, a seleção começou o jogo com o levantador Bruninho, o oposto Wallace, os centrais Lucão e Éder, os ponteiros Murilo e Lucarelli e o líbero Serginho. Também entraram no set o oposto Evandro o levantador William. Éder abriu o jogo em jogada rápida pelo meio. Com dois pontos de saque do central, o Brasil ainda chegou a 6 a 1. A Eslovênia pediu tempo. A equipe da casa seguiu melhor e abriu boa vantagem em 9 a 3. Com Lucarelli, a seleção brasileira fez 14 a 8. A diferença no placar seguiu boa (20 a 13). E, com Lucarelli, o Brasil fechou em 25 a 19.

O segundo set começou melhor para os eslovenos, que, bem no saque, abriram 4 a 1. Os adversários seguiram bem e chegaram ao dobro de pontos em 12 a 6. Com dois pontos de saque seguidos de Lucarelli, o Brasil reduziu a desvantagem para 12/9. Com mais um, o empate: 12 a 12. A parcial seguiu equilibrada, com um ponto a favor da Eslovênia (16 a 15). O time visitante ainda chegou a 18 a 15. A seleção brasileira buscou e, no ace de Bruninho, passou a frente: 21 a 20. No final, vitória brasileira por 25 a 22.

A terceira parcial começou com uma formação diferente. Entraram em quadra os centrais Sidão e Maurício Souza, os ponteiros Maurício Borges e Lucas Lóh e o líbero Tiago Brendle. O Brasil abriu vantagem de três pontos em 8 a 5. O time de Bernardinho seguiu melhor e fez 16/12 no segundo tempo técnico. A Eslovênia reagiu e empatou em 20 a 20. Com ace de Maurício Souza, o Brasil fez 23 a 21. O adversário buscou e empatou em 24 a 23. O terceiro set foi disputado até o fim e a seleção brasileira venceu por 28 a 26.

Acordado em fazer quatro sets, as equipe, então, seguiram para mais uma parcial. Um começo equilibrado levou ao placar empatado em 4 a 4. A Eslovênia abriu vantagem em 10 a 7 e aumentou a diferença em 15 a 11. Os adversários ainda levaram o placar a 19/15 e Bernardinho pediu tempo. A seleção brasileira não conseguiu reagir e o time visitante fez 21 a 16. 25 a 21

“Sempre bom retornar ao time. Jogamos bem e deu para notar já um crescimento da equipe neste terceiro amistoso do ano. É sempre bom voltar a jogar ao lado desses grandes amigos e estar em quadra pela seleção brasileira é sempre um grande prazer”, disse o central Lucão

As seleções voltam a se enfrentar nesta quinta-feira, novamente no CDV, em Saquarema, mais uma vez em um amistoso fechado.

foto: CBV/Divulgação

Castro/Caramuru Vôlei apresenta elenco para o Campeonato Paranaense

Na última segunda-feira, a diretoria do Castro/Caramuru Vôlei apresentou oficialmente, em evento no ginásio Douglas Pereira, o elenco para a disputa do Campeonato Paranaense, que inicia em junho. Além dos jogadores, que em sua maioria conquistaram a Superliga B e renovaram contrato para o Estadual, estiveram presente os ex-jogadores Toaldo e Marcelo Negrão, que agora fazem parte do projeto.

“Para o Estadual o plantel é esse, 14 jogadores. E, na Superliga iremos tentar utilizar o máximo de jogadores possíveis. Vamos continuar com os que têm condições, temos que ser realistas, sabemos que não são todos. E, nesse momento precisamos de jogadores experientes”, explicou o novo diretor-técnico da equipe, Marcelo Negrão. 

No momento existe uma negociação com um patrocinador máster para a Superliga 2016/2017, porém o nome é mantido em segredo. Com um orçamento bem abaixo do padrão da elite nacional, a intenção é usar o Campeonato Paranaense como base de analise para a competição mais importante da equipe na temporada. Pelo menos seis novos atletas devem ser contratações, assim como uma nova comissão técnica.

“Temos um custo muito baixo e que a maioria das pessoas não acreditam: R$ 15 mil/mês (...) A idéia para se manter na Superliga é muito maior (R$250 a R$300 mil/mês) do que essa, por isso estamos tão dedicados a esse projeto. Um exemplo é o time do Sada/Cruzeiro, eles gastam aproximadamente R$ 10 milhões/ano. Claro que não vamos chegar a isso, mas nada é impossível e nós, queremos o máximo que conseguirmos”, completou Marcelo Negrão em entrevista ao jornal Página Um. 

A estreia do Castro/Caramuru/Vôlei no Campeonato Paranaense ocorre no dia 4 de junho diante do AMVP, em Maringá, enquanto a estreia em casa será no dia 25 de junho, diante do Toledo. No Estadual, o time de Fabio Sampaio atuará no ginásio Padre José Pagnacco, enquanto na Superliga, as partidas serão realizadas no ginásio Douglas Pereira.

Confira o elenco:

Levantadores
: Gustavo e Lucas
Opostos: Erick e Caio Fernando
Ponteiros: Siba, Robinho, Peron e Edy Ney
Centrais: Diego, Edenilson, Thales, Maycon e Alesson
Líberos: Mendel

*atualizada às 21h15min

foto: Caramuru Vôlei/Divulgação

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Gustavão é confirmado como reforço do UPCN, da Argentina

Nesta quarta-feira, a diretoria do UPCN, de San Juan, confirmou, de forma oficial, a contratação do central Gustavão, que disputou a última Superliga pelo Sesi-SP. O central de 2,15m chega para substituir o sérvio Petar Krsmanovic , que acabou se transferindo para a Europa. Além disso, ele ingressa na equipe argentina que adora ter um jogador brasileiro na posição, como ocorreu com Júnior e com Ualas nas temporadas passadas.

Gustavão iniciou sua carreira em Caxias do Sul, sendo campeão gaúcho em 2005. Em 2007 foi contratado pela Unisul/Joinville, sendo eleito o melhor bloqueador da Superliga 2008/2009. Na sequência acertou sua transferência para o Sesi-SP, onde levou o título da Copa SP e do Campeonato Paulista, porém ficou apenas uma temporada quando acertou com o Medley/Campinas (agora Brasil Kirin), onde atuou de 2010 a 2015. Na temporada passada defendeu o Sesi-SP, que terminou na quarta posição da Superliga.

Com a camisa da Seleção Brasileira, Gustavão ganhou a medalha de prata na Liga Mundial de 2014, na Itália, e agora na UPCN, atual hexacampeão argentino, o objetivo é fazer o time manter a hegemonia no país e buscar o título do Sul-Americano, atualmente com o Sada/Cruzeiro. Em sua nova equipe terá a companhia do oposto búlgaro Uchikov. 

foto: Wander Roberto/Inovafoto

Próxima edição da Superliga B deve ter de oito a dez equipes na disputa

Que a crise econômica do país está interferindo na renovação e obtenção de novos patrocinadores para o voleibol, isso é iminente. Entretanto, são cenários como esses que a criatividade aparece e onde a Confederação Brasileira de Vôlei precisa auxiliar os clubes. Se a Superliga 2016/2017 começasse agora, apenas quatro equipes estariam formadas (Sada/Cruzeiro, Funvic/Taubaté, Sesi-SP e Montes Claros), porém a expectativa é de melhora e até mesmo a Superliga B já começa a se formalizar.

Tudo bem que ainda faltam as inscrições oficiais, porém a Superliga B teria a presença de oito ou dez clubes na próxima edição. Upis/Brasília (DF), São Bernardo (SP), Uberlândia (MG), Araucária (PR), Apav/Blumenau (SC), Botafogo (RJ) e Flamengo (RJ) já teriam indicado suas participações. Além deles, entrariam pelo menos um time oriundo da Taça Prata, nova competição que seria aberta para qualquer equipe nacional.

A Taça Prata, que deve acontecer em novembro, ainda não tem local e formato de disputa definidos pela CBV, mas não teria limite de idade no elenco (algo que ocorre na Liga Nacional). Vale lembrar que o Maringá foi rebaixado para a Superliga B, porém estuda um acordo com equipe da elite para disputar a Superliga 2016/2017.

foto: Divulgação

terça-feira, 24 de maio de 2016

Franco é mais um a deixar o Brasil para jogar no voleibol francês

Mesmo sofrendo com uma lesão em meio a Superliga 2015/2016, o oposto Franco foi um dos destaques do Voleisul/Paquetá Esportes, que até a última rodada da fase classificatória brigou por vaga nos playoffs. Atualmente treinando com a Seleção Brasileira em Saquarema, o jogador de 26 anos acertou sua transferência para o Paris Volley, principal equipe da França.

Franco, que teve passagens por Bento Vôlei, Medley/Campinas e Vivo/Minas, tem várias passagens pela seleção brasileira de base, tendo conquistado o Mundial Juvenil em 2009. Com 2,01m, ele terá sua primeira experiência no exterior, mas não estará sozinho, já que o Paris Volley anunciou recentemente a contratação de outro brasileiro, no caso o ponteiro Thiago Sens, ex-Copel Telecom/Maringá.

No Paris Volley, Franco não terá missão das mais fáceis, pois a intenção do clube é manter a hegemonia no país (atual campeão da Pro A ), mas também faturar a Copa da França e a Supercopa. Outro desafio será a Liga dos Campeões, onde na última temporada, a equipe acabou em último lugar no seu grupo na primeira fase.

foto: Paris Volley/Divulgação