terça-feira, 17 de outubro de 2017

Com a camisa do Halkbank, Lucas Lóh se adapta ao voleibol turco

Depois de uma boa temporada pela Funvic/Taubaté, onde conquistou o Campeonato Paulista e o vice da Superliga, o ponteiro Lucas Lóh resolveu voltar para o exterior (já atuou na Polônia, e acertou sua transferência para o Halkbank, um dos mais tradicionais times da Turquia e bicampeão nacional. O brasileiro precisou de pouco tempo para se adaptar e na vitória de 3 a 0 sobre o Besiktas foi o maior pontuador com 16 acertos.

“Estou me dando muito bem com o grupo. Acho que o fato de não ser o primeiro ano fora ajuda muito na adaptação e a identificar o que deve ser feito em certos momentos. O time todo foi reformulado e sempre leva um tempo maior para criar um bom entrosamento. Ainda estamos com muitas falhas no jogo como um todo, porém o trabalho é muito intenso e somente assim conseguiremos encontrar o caminho para atingir os objetivos”, afirmou Lucas Lóh, que falou ainda sobre as diferenças entre Superliga e o Campeonato Turco.

“A primeira grande diferença é no calendário. A organização é feita para não sobrecarregar os times com partidas em curtos períodos de tempo, tornando possível uma preparação melhor para cada jogo. Além disso, os ginásios da federação turca contam com a tecnologia do vídeo check, que vem sendo primordial nas grandes competições. Outro diferencial é que os times aqui contam com vários reforços estrangeiros, subindo muito a competitividade até de elencos que são considerados pequenos e do campeonato em si”, concluiu.

O Halkbank iniciou a Division 1 (Campeonato Turco) de forma irregular, com duas derrotas e três vitórias, porém no último final de semana o resultado positivo foi diante do Fenerbahce, fora de casa, de virada, por 3 sets a 1, parciais de 25/21, 21/25, 21/25 e 22/25. Agora, a equipe de Lucas Lóh ocupa a 4ª colocação, com nove pontos, e no próximo dia 22, encara o Kula Bld, dos brasileiros Murilo Radke, Rapha Oliveira e Luan Weber.

foto: Arquivo Pessoal/Instagram

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

De Olho em vaga, São José Vôlei treina forte para disputar a Taça Prata

Após terminar o Campeonato Paulista – Divisão Especial na 6ª colocação, o São José Vôlei encara a Taça Prata, que garantirá três vagas para a próxima Superliga B. O torneio acontecerá entre os dias 24 e 28 de outubro na cidade de Itapetininga e todos na equipe do Vale do Paraíba, que treinam forte para encarar os outros cinco times que estão na disputa, acreditam na classificação.

“Estamos trabalhando forte para a disputa da Taça Prata, sabemos que será um torneio muito disputado e Itapetininga pela equipe que tem e como cidade sede da competição é a grande favorita a conquistar uma das vagas. Ribeirão Preto também surge como uma das equipes que vai brigar forte para conquistar o acesso à Superliga B e sabemos que vamos precisar derrotar esses times para buscar as vagas. Não conhecemos o potencial das equipes que vem de fora do estado, mas vamos lutar para buscar o nosso espaço entre os classificados”, declarou o técnico Fabrizio Capello.

Do elenco que atuou no Estadual, o São José Vôlei terá duas baixas, casos do central Igor e do ponteiro Juarez, que acertaram suas idas para o voleibol espanhol e grego, respectivamente. Por outro lado, nomes como o levantador Cesinha e o central Renan Lewandowski, que foram importantes na campanha do Campeonato Paulista, seguem no time, que estreia na Taça Prata no dia 24, às 18h, diante do Vôlei Amazonas/Nilton Lins, no ginásio Ayrton Senna.

A Taça Prata deste ano contará com a participação de seis times que estão divididos em dois grupos. O Grupo A conta com o anfitrião UM Itapetininga, São José Vôlei e o Vôlei Amazonas/Nilton Lins, enquanto o Grupo B terá o São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão Preto, Super Vôlei/Santo André e Conceição do Mato Dentro, de Minas Gerais. 

Na primeira fase, as equipes enfrentarão os adversários de seus respectivos grupos e os dois primeiros colocados avançarão para a fase final. Os times que tiverem o melhor desempenho em cada grupo já estarão classificados para a Superliga B e também para a final da Taça Prata, a terceira vaga ficará com o vencedor da disputa entre os 2º colocados de cada um dos grupos. 

foto: Gustavo Torres/Agência NTZ

Brasileiros são destaques nas primeiras rodadas do Campeonato Português

A temporada 2017/2018 do Campeonato Português começou a todo vapor e quem vem dando o que falar são os jogadores brasileiros. Após duas rodadas, os três primeiros colocados (Fonte de Bastardo, Sporting e Espinho) tem como destaques atletas que recentemente disputaram a Superliga. Assim como a competição verde e amarela, a Divisão A1 promete ser uma das mais disputadas dos últimos anos.

Para se ter uma ideia, a Associação de Jovens Fonte de Bastardo conta com seis brasileiros no elenco, casos dos centrais Maycon Leite e Zé Ricardo, dos ponteiros Caique e Reinaldo, além do oposto Kaio e do levantador Bruno Alves. Na rodada passada, a equipe da ilha dos Açores venceu Castelo Maia por 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/22 e 25/18 e Maycon Leite foi o MVP da partida tendo feito 100% de aproveitamento no ataque.

“O grupo é bem interessante, bem homogêneo, mas temos muito a crescer. Agora vamos brigar nas cabeças sim. A adaptação será muito com o campeonato, pois por sermos da Ilha (dos Açores) somos a única equipe que faz jornada dupla (com jogos sábado e domingo), uma novidade para os brasileiros que nunca atuaram aqui, ou seja, não temos aquele tempo de descanso (...) Já tivemos duas partidas e no último confronto fomos muito bem no ritmo do saque, sendo que qualquer um dos meus companheiros poderia ter sido MVP, pois o time todo esteve bem”, declarou Maycon Leite, que disputou o último Campeonato Paulista pelo SEM Taubaté/Funvic.

No Sporting, que após um hiato de 22 anos retomou as atividades no voleibol, destaque para o central Robinho, ex-Botafogo, que ajudou sua equipe a vencer seus dois jogos até aqui na competição, entre eles o clássico diante do Benfica. Já no Sporting de Espino, vale ressaltar a boa atuação do central Everton Almeida, mais conhecido como Kandango, que também ajudou sua equipe a vencer os dois jogos iniciais.

foto: Carlos do Carmo

TV Pampa (afiliada da Rede TV!) prefere ‘pegadinhas’ em vez de esporte

A Superliga 2017/2018 começou no último sábado e infelizmente já temos uma nota péssima para quem gosta de voleibol. A TV Pampa, afiliada da Rede TV! no Rio Grande do Sul, resolveu (e não é de hoje) ignorar as transmissões esportivas nacionais para colocar no ar reprises de ‘pegadinhas’ no horário. Aqui vale a pergunta, será que esse tipo de humor dá mais audiência que esporte?

No último sábado a partida em questão ignorada foi Sesc-RJ e EMS Taubaté/Funvic, porém poucas pessoas se manifestaram, pois o mesmo jogo foi transmitido pelo SporTV. Entretanto, no domingo, pela Superliga feminina atuaram Fluminense e Brasília, e na ocasião, ninguém no Rio Grande do Sul teve a oportunidade de assistir ao jogo na televisão.

Edu César, do Papo de Bola, já 'cantava a pedra' ao verificar que apenas jogos do Internacional no Campeonato Brasileiro - Série B passavam na TV Pampa, ou seja, mesmo que a partida fosse de interesse do Colorado na classificação, a retransmissora gaúcha não se disponibiliza a passar. E na temporada passada, que também gosta de basquete ficou sem os jogos do NBB.

Curiosamente, a RedeTV! tenta se fazer presente no esporte nacional e disputa vários direitos de transmissões, porém ignora o fato de uma retransmissora não se interessar no conteúdo. E pior, o que passa no mesmo horário é uma reprise de programas feitos pela matriz (ou seja, a própria RedeTV!).

O Espaço do Vôlei pediu uma posição oficial da RedeTV! a respeito do assunto, porém a melhor pressão seria através da comunidade do vôlei e não apenas dos gaúchos, pois todos os times e regiões acabam prejudicados, pois suas marcas não chegam em todos os lugares. Além disso, a Confederação Brasileira de Vôlei que assinou contrato com a emissora deveria exigir a transmissão para todas as praças que tem cobertura do canal.

Fica o nosso protesto e vamos, através do Twitter, marcar a TV Pampa, a RedeTV! durante os jogos para que elas tomem uma atitude e passem a transmitir as partidas para o Rio Grande do Sul.

foto: Divulgação

domingo, 15 de outubro de 2017

AMVP/Maringá vence São João do Ivaí e garante o tri do Paranaense - Série B

Os donos da casa fizeram bonito e levaram o nome da AMVP/Maringá mais uma vez no topo do pódio do Campeonato Paranaense - Série B. A equipe maringaense venceu a PM São João do Ivaí por 3 sets a 0, parciais de 25/22, 25/22 e 25/22, e garantiu o tricampeonato de forma invicta. A decisão aconteceu na tarde deste domingo, no ginásio de esportes da AABB, em Maringá, e além do título, a vitória deu ao time a vaga de acesso à divisão de elite em 2018.

“Nossa entidade é de vôlei de praia e, fazendo sempre essa mescla com atletas jovens e mais velhos, acaba dando um vigor ao time que compete muito mais por lazer nas quadras”, comentou o técnico e capitão da AMVP/Maringá, Robson Xavier, que falou ainda sobre a possibilidade da equipe disputar a Série A.

“Para o ano que vem vamos sentar e avaliar se é viável ou não porque nosso calendário da praia é muito extenso e acaba ficando muito complicado conciliar. Se for o mesmo modelo de campeonato deste ano, dificilmente participaremos, porém se voltar o formato de grand prix então será mais viável para nós”, explicou o atleta e técnico.

“O time ano passado era composto por meninos mais jovens e este ano formamos um grupo mais forte e experiente e isso fez muita diferença. Pulamos da terceira colocação para decisão do título este ano. A tendência é só crescer. Infelizmente não conseguimos desta vez o título, mas estamos muito contentes com o projeto que segue a diante”, disse Marcos, jogador da PM São João do Ivaí.

O ponteiro Bruno, do Maringá/Anglo/Amavolei, que ficou com a medalha de bronze foi eleito o MVP da competição. O campeão AMVP/Maringá colocou três jogadores na seleção (o central Eduardo, o oposto Fernando e o levantador Robson); São José do Ivaí colocou dois (o líbero Rafael e o ponteiro Marcos), enquanto o central Felipe, do Maringá/Anglo/Amavolei completou o time.

foto: Josi Schmidt/FPV

Chico dos Santos não é mais o treinador do Montes Claros Vôlei

Neste domingo, a diretoria do Montes Claros anunciou, através de uma nota oficial, que Chico dos Santos não é mais o técnico da equipe mineira. Contratado no início desta temporada, o treinador, que esteve por 14 anos na comissão técnica da Seleção Brasileira, além de comandar em 2015 a seleção portuguesa, realizou apenas oito jogos oficiais pelo Pequi Atômico somando cinco derrotas e três vitórias.

No Campeonato Mineiro, o Montes Claros fez a segunda melhor campanha da fase classificatória vencendo três jogos e perdendo três, sendo dois deles diante do Sada/Cruzeiro, que acabou sendo campeão. Na semifinal perdeu para o Minas Tênis Clube, no ginásio Tancredo Neves, enquanto na estreia da Superliga 2017/2018, no sábado passado, os mineiros foram derrotados pelo Lebes Canoas, no ginásio La Salle.

Por enquanto quem assume o Montes Claros é o auxiliar-técnico Sergio Luís Cunha, porém a diretoria deve ir ao mercado na busca de um novo comandante. O próximo compromisso do Pequi Atômico será no sábado, dia 21, às 11h, diante do JF Vôlei, no ginásio Tancredo Neves.

foto: Montes Claros/Divulgação

(Superliga) Sada/Cruzeiro vira para cima do Corinthians/Guarulhos na estreia

No encerramento da 1ª rodada da Superliga 2017/2018, o Sada/Cruzeiro derrotou, de virada, o Corinthians/Guarulhos por 3 sets a 1, parciais de 29/31, 25/18, 25/15 e 25/22, no ginásio do Parque São Jorge. No primeiro jogo de vôlei entre os dois tradicionais clubes, o que se viu foi muito apoio da torcida e um confronto bem disputado que mostrou a força dos mineiros e o quanto o Timão pode surpreender na competição.

O Corinthians-Guarulhos saiu na frente e, no bloqueio de Isac, o Sada/Cruzeiro deixou tudo igual em 4 a 4. O time da casa voltou a abrir dois de vantagem em 8 a 6. Em boa sequência de Leal no saque, os cruzeirenses buscaram e viraram o jogo, fazendo 9 a 8. Em jogada rápida de Uriarte com Simon, o Sada Cruzeiro marcou 13 a 11. O campeão olímpico Evandro pontuou e levou o time mineiro a vantagem de três pontos 18 a 15. No bloqueio simples de Simon, 21 a 17 e pedido de tempo da equipe corinthiana. Em boa passagem de Alan pelo saque, o jogador havia entrado para sacar, o Corinthians-Guarulhos reduziu a desvantagem em 22 a 24. Marcelo Mendez pediu tempo. Na volta, ponto de saque de Alan e o time da casa encostou em 23 a 24. O grupo paulista ainda chegou a 24 a 24 no ponto de Mineiro. A parcial seguiu muito disputada. No erro do adversário, o Corinthians-Guarulhos fez 27 a 26. Evandro respondeu e deixou tudo igual. No final, vitória paulista por 31 a 29.

O Sada Cruzeiro abriu 3 a 0 logo no começo do segundo set. No bloqueio de Riad, o Corinthians-Guarulhos encostou no placar em 4 a 5. O time visitante abriu boa vantagem em 11 a 7 e o técnico da casa, Alexandre Stanzioni, parou a partida com pedido de tempo. Com ponto de saque de Gabriel, o Corinthians-Guarulhos reduziu a diferença para dois pontos (9 a 11). O Sada Cruzeiro voltou a abrir vantagem. No ponto de saque de Leal, marcou 19 a 11. No ace de Luizinho, o time paulista fez 15 a 22. Os cruzeirenses mantiveram a boa diferença no placar e, no erro de saque do adversário, fecharam em 25 a 18.

O Sada/Cruzeiro começou o terceiro set melhor, já abrindo 5 a 1 e forçando o técnico Alexandre Stanzioni a pedir tempo. Ygor Ceará pontuou e o Corinthians-Guarulhos fez 5 a 7. O time mineiro abriu boa vantagem em 11 a 5 e o treinador da equipe paulista fez o seu segundo pedido de tempo do set. A diferença no placar aumentou ainda mais em 17 a 10. No ponto de saque de Leal, 18 a 11. Sem enfrentar muitas dificuldades nesta terceira parcial, o atual campeão da Superliga, Sada/Cruzeiro, venceu por 25 a 15.

Assim como no set anterior, o Sada/Cruzeiro abriu 5 a 1 e Alexandre Stanzioni pediu tempo. Os donos da casa correram atrás e, depois de uma bola muito disputada, reduziram a diferença para 5 a 7. Com Simon, o time cruzeirense marcou 12 a 8. Com Mineiro pelo fundo meio, o Corinthians-Guarulhos fez 12 a 15. No erro de saque do adversário, os donos da casa marcaram 16 a 18. O Sada/Cruzeiro seguiu no comando do marcador, mais uma vez com dois de vantagem em 22 a 20. No final, Simon fechou em 25 a 22.

“Estou muito feliz pela primeira vitória. Foi um jogo muito difícil, eles jogaram muito bem, mas nós forçamos o saque e essa foi a arma para ganhar essa partida fora de casa. Nosso time mudou o levantador e os dois são muito bons. O Wiliam é sensacional, mas Uriarte está entrando bem e ao longo da temporada vai estar em ótima forma”, afirmou o ponteiro Leal, eleito o melhor em quadra.

“Quero dar parabéns a equipe do Sada/Cruzeiro, que fez uma excelente partida, mas não saio satisfeito. Podíamos buscar um tie-break e temos que demonstrar mais. Não podemos errar tantos saques como hoje. Poderíamos buscar até uma vitória se tivéssemos sido mais efetivos na rodada de bola. Não fizemos isso e pagamos um preço muito caro. Agora temos que pensar de outra forma para buscar os jogos”, disse o líbero Serginho.

“Precisamos entender como funciona o jogo, tem hora que tem de forçar, tem hora que precisamos voltar a sacar bem. Tivemos muitos erros. Para jogar nesse nível, a gente tem de errar pouco, melhorar nossa virada de bola e nosso saque”, analisou o treinador Alexandre Stanzioni. 

Na segunda rodada da Superliga 2017/2018, o Sada/Cruzeiro jogará no próximo sábado, dia 21, às 19h, contra o Sesc-RJ, no ginásio do Riacho, em Contagem, enquanto o Corinthians/Guarulhos recebe o Minas Tênis Clube, no domingo, dia 22, às 13h, no ginásio da Ponte Grande

Equipes:

Corinthians/Guarulhos:
Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Ygor Cesará, Mineiro, Riad, Luizinho e Serginho (líbero)
entraram: Rafa, Gabriel, Alan e Sidão
técnico: Alexandre Stanzioni

Sada/Cruzeiro:
Uriarte, Evandro, Filipe, Leal, Isac, Simon e Serginho (líbero)
entraram: Alemão, Fernando Cachopa e Éder Levi
técnico: Marcelo Mendez

foto: De Lima/Corinthians-Guarulhos

(Superliga) Vôlei Renata estreia com vitória sobre o Ponta Grossa/Caramuru

O Vôlei Renata começou a Superliga 2017/2018 com o pé direito ao vencer o Ponta Grossa/Caramuru Vôlei por 3 sets a 0, parciais de 25/21; 25/21 e 25/20, na Arena Multiuso, no interior do Paraná. Os três pontos para a equipe de Campinas vieram após uma boa atuação no setor defensivo e muita eficiência no ataque, com destaque para o oposto Leandro Vissotto.

O Vôlei Renata começou a partida impondo um forte ritmo no saque e logo pulou na frente do placar (5 a 8). Concentrado na defesa, o time campineiro aproveitou bem os contra-ataques que teve, especialmente com Leandro Vissotto, autor de nove pontos na parcial, e ampliou a vantagem em ace de Rodriguinho: 15 a 19. Sem perder a pegada, a equipe visitante fechou a primeira parcial após erro do Ponta Grossa/Caramuru: 21 a 25. 

No segundo set, o levantador Rodriguinho usou os atacantes de meio para fazer com que o Vôlei Renata comandasse o placar. Vini e Júnior combinaram para sete pontos no ataque e deixaram o time campineiro tranquilo na frente do placar (12 a 16). Apesar da tentativa de reação da equipe paranaense, com destaque para o oposto Caio, os campineiros seguiram firmes no saque, conseguiram aces com Júnior e Diogo e não venceram por 21 a 25.

O Ponta Grossa/Caramuru Vôlei resolveu se arriscar mais no terceiro set. Desta forma, a parcial se manteve equilibrada durante boa parte, sendo que o levantador Índio apostava muito nos centrais Thales e Maycon. No momento decisivo, porém, o central Vini apareceu com dois bloqueios consecutivos em passagem do ponteiro Mão pelo saque, fazendo 18 a 21. Sem perder o ritmo, o Vôlei Renata acabou fechando a parcial em 20 a 25.

“Foi um jogo coletivo muito bom. Conseguimos executar bem o plano tático que planejamos e a vitória apareceu. O grupo todo está de parabéns. Temos que manter o ritmo para o restante da Superliga”, comentou o oposto Leandro Vissotto, autor de 23 pontos na vitória.

“A estreia por si só tem um tempero a mais, com a ansiedade e tudo mais. Ainda mais estrear em uma casa que ainda não é nossa, que está se tornando nossa. Isso atrapalhou um pouco. A transição desses 15 dias mexe com o atleta. Nós não temos rotina fixa ainda, mas, tudo faz parte do planejamento. A equipe oscilou muito, teve momentos de bobeira. Em momentos que igualou o jogo não pode conter o Vissoto, a qualidade técnica dele, um atleta realmente diferenciado”, avaliou o técnico Fábio Sampaio.

As duas equipes voltam a quadra no próximo sábado, dia 21. O Vôlei Renata recebe o Lebes Canoas, às 21h30min, no ginásio Taquaral, enquanto o Ponta Grossa/Caramuru Vôlei enfrenta o Sesi-SP, novamente na Arena Multiuso.

Equipes:

Ponta Grossa/Caramuru: Índio, Caio, Peron, Cris, Thales, Maycon e Jorge Bruno (líbero)
entraram: Gustavo, Mendel e Leozão
técnico: Fábio Sampaio

Vôlei Renata: Rodriguinho, Leandro Vissotto, Mão, Diogo, Vini, Júnior e Santucci (líbero)
entrou: Krauchuk
técnico: Horacio Dileo

foto: José Tramontin/Ponta Grossa Caramuru