quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Pamvochaikos, da Grécia, acerta chegadas de Victor Hugo e Daniel Muniz

Em meio a virada de ano, alguns clubes resolveram se reforçar para a sequência da temporada 2017/2018. No caso do Pamvochaikos, da Grécia, os olhos se voltaram para o mercado brasileiro e, no início de janeiro, o clube, que já conta com o central Gladstone, anunciou as contratações do também central Victor Hugo, ex-Sesc-RJ, e do ponteiro Daniel Muniz, ex-Monte Cristo.

O central Vitor Hugo, de 26 anos, terá sua primeira experiência internacional, sendo que começou na base do Minas Tênis Clube, teve passagens importantes por Juiz de Fora e Canoas, além de ter conquistado a Superliga B pelo Sesc-RJ. Já Daniel Muniz, que tem apenas 20 anos, chega como aposta, após ter sido revelado pelo Super Vôlei/Santo André e ter feito um bom trabalho com Paulo Martins nos goianos do Monte Cristo.

Desde a chegada de Victor Hugo e Daniel Muniz, o Pamvochaikos já soma duas vitórias e uma derrota (sendo essa para o líder Olympiakos). No momento, a equipe está na 10ª posição, com 14 pontos, ou seja fora da zona de classificação para os playoffs, porém apenas três pontos atrás do Kifisia (hoje o último entre os oito melhores).

Além deles, outro brasileiro desembarca na Grécia para o restante da temporada. Trata-se do ponteiro Henrique Batagim, que deixou o Luczniczka Bydgoszcz, da Polônia, e acertou com o Panathianaikos. O jogador de 24 anos já teve uma passagem pelo voleibol grego na temporada 2016/2017 quando defendeu o Pamvochaikos.

foto: Pamvochaikos/Divulgação

(Superliga) Sada/Cruzeiro vence Corinthians/Guarulhos e retoma a liderança

Em jogo atrasado da 1ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, o Sada/Cruzeiro venceu o Corinthians/Guarulhos por 3 sets a 0, parciais de 37/35, 27/25 e 25/20, no ginásio do Riacho, em Contagem. Com o resultado, o time mineiro assumiu a liderança, com 34 pontos, um a mais que o Sesc-RJ, enquanto a equipe paulista permanece na 6ª colocação, com 19 pontos. 

Rivaldo abriu o placar da partida para o Corinthians-Guarulhos. Leal respondeu para o Sada/Cruzeiro. O set seguiu com as equipes trocando pontos. A equipe mineira abriu dois de vantagem em 8/6. No bloqueio de Luizinho, o grupo corintiano empatou em 10 a 10. No ace de Rivaldo, o Corinthians-Guarulhos assumiu o comando do placar: 12/11. Depois, a equipe visitante aumentou a vantagem e fez 16/14. O Sada Cruzeiro buscou e, com Leal, deixou tudo igual em 17/17. Simon marcou 22/21 para o time da casa. Quando o Corinthians-Guarulhos fez 23/22, Marcelo Mendez pediu tempo. O set seguiu equilibrado, empatado em 25/25. O time de Guarulhos marcou 28 a 27 e o treinador cruzeirense parou o jogo de novo. Na bola de segunda de Rodrigo, o Corinthians fez 29 a 28. Depois, no bloqueio de Simon, foi a vez do Cruzeiro fazer 30 a 29. Isac fez 33 a 32 e novamente pelo meio de rede, dessa vez com Simon, 36 a 35. Leal fechou a primeira parcial para o Sada Cruzeiro: 37 a 35.

Diferente do primeiro set, o Sada Cruzeiro começou superior em quadra. Quando o time mineiro abriu 4 a 1, no bloqueio de Isac, o técnico do Corinthians-Guarulhos, Alexandre Stanzioni, pediu tempo. No ace de Rivaldo, o time paulista encostou no placar em 4 a 5 e, no bloqueio de Ceará, empatou em 5 a 5. O time cruzeirense teve um de vantagem em 10 a 9. No ponto de saque de Simon, dois: 12 a 10. Riad conseguiu um ace e colocou o Corinthians em vantagem em 13 a 12. O Sada/Cruzeiro buscou e, no saque de Uriarte, colocou três a frente: 16 a 13. O Corinthians-Guarulhos encostou em 16 a 17. O time cruzeirense abriu 21 a 18. O Corinthians encostou no marcador em 22 a 23. E, no saque de Rivaldo, 23 a 23. Assim como no set anterior, empate em 25 a 25. No final, o Sada Cruzeiro venceu por 27 a 25.

Os donos da casa abriram 4 a 1 logo no começo da parcial. Na sequência, contando com erros do adversário, o Sada/Cruzeiro colocou quatro de vantagem (6 a 2) e Alexandre Stanzioni pediu tempo. O time mineiro ainda abriu 9 a 3. Com Simon, o Sada/Cruzeiro marcou 12 a 8. O jogo seguiu favorável a equipe da casa que, quando chegou a 17 a 11, forçou o treinador adversário a pedir tempo. A diferença no placar caiu em 14 a 18. E ainda reduziu mais em 18 a 21. Mas, o Sada/Cruzeiro voltou a pontuar mais e fechou o set em 25 a 20.

“Todo jogo está sendo sempre difícil para nós. Temos que melhorar muito, principalmente no saque, que não está saindo. Mas, o jogo é jogado e foi importante sair na frente. A Superliga está muito difícil esse ano, tem bons times, todos jogando muito bem, e temos que dar o nosso melhor para conseguir os resultados”, disse o ponteiro Leal.

“O fato não é perder o set, mas o problema é a quantidade de erros de saque. Principalmente contra um time que tem o poder de ataque que o Sada Cruzeiro tem, não pode haver a quantidade de erros que cometemos hoje. Eles têm uma virada de bola muito boa. Se conseguíssemos acertar mais, de repente teríamos conseguido vencer o set. Uma arma que temos contra grandes equipes é sacar muito bem e precisamos usar isso”, afirmou o líbero Serginho.

O Sada Cruzeiro volta a jogar no próximo sábado, às 19h, quando receberá o Copel Telecom/Maringá, no ginásio do Riacho, em Contagem. No mesmo dia, às 21h, o Corinthians/Guarulhos enfrentará o Sesc-RJ, no ginásio da Ponte Grande.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: Uriarte, Evandro, Simon, Isac, Leal, Filipe e Serginho (líbero)
entraram: Alemão, Fernando Cachopa e Éder Levi
técnico: Marcelo Mendez

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Riad, Luizinho, Ygor Ceará e Mineiro e Serginho (líbero)
entraram: Felipe, Alan, Gabriel Cândido, Cesinha e Gabriel Santos
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Renato Araujo/Sada Cruzeiro

Destaque no Teruel, Vinícius Noronha começa 2018 como terminou 2017

O Voleibol Teruel começou a temporada 2017/2018 com algumas metas a serem cumpridas, entre elas era fechar o mês dezembro com o título da Supercopa da Espanha e a outra fechar o primeiro turno entre os dois primeiros colocados. Objetivos alcançados. Já para o brasileiro Vinícius Noronha, o ano termina com novas conquistas individuais e o convite para participar do All Star Game (Melhores do Ano), pela Confederação Espanhola.

“Completamos a primeira parte da temporada da melhor forma possível. Os dois objetivos que tínhamos até então foram concluídos. Era respectivamente ganhar a Supercopa e logramos com uma vitória história de 3x0 sobre a equipe de Palma e logo em seguida terminar o turno entre os dois primeiros da Liga porque assim entramos direto na semifinal da Copa do Rei”, explicou Noronha.

“Estou muito feliz com a indicação e reconhecimento para poder representar o meu clube dentro de um Jogo das Estrelas. É um evento muito importante para o esporte nacional. Estou feliz de poder fechar o ano como melhor na minha posição (Líbero), primeiro nas estatísticas de recepção, seleção da rodada e jogando o All Star. Deus é grandioso”, falou o líbero.

Neste começo de 2018, o Voleibol Teruel seguiu no mesmo ritmo vencendo a primeira partida do ano contra o Río Duero Soria por 3 sets a 2, fora de casa, e no último sábado superou o Ushuaïa Ibiza Voley por 3 sets a 1, parciais de 25/15, 25/19, 12/25 e 25/17. Com esses resultados, o time do líbero brasileiro aparece na 2ª colocação da Superliga da Espanha, com 35 pontos, dois atrás do líder Palma Volley (único invicto na competição).

foto: Juan Antonio

(Superliga) Em jogo emocionante entre líderes, Sesc-RJ derrota Sada/Cruzeiro

No encerramento da 2ª rodada do returno da Superliga 2017/2018, os dois primeiros colocados, Sesc-RJ e Sada/Cruzeiro, fizeram uma partida que fez jus ao equilíbrio das equipes que entraram em quadra com apenas um ponto de diferença na tabela. No final, depois de muita disputa, melhor para o time carioca, que venceu por 3 sets a 2, parciais de 28/26, 20/25, 25/23, 19/25 e 20/18, no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Com o resultado, o Sesc-RJ abriu dois na classificação, passando a somar, então, 33 pontos após 11 vitórias e apenas duas derrotas. O Sada/Cruzeiro tem 31 pontos e um jogo a menos disputado (somando 10 resultados positivos e dois negativos). 

O Sada/Cruzeiro saiu na frente no erro de saque do Sesc-RJ. Na sequência, o time carioca virou e, depois de bom saque de Tiago Barth, fez 4 a 1. A equipe da casa ainda abriu 7 a 3. O Cruzeiro reagiu e, no bloqueio, marcou 8 a 10. No lance seguinte, no erro do adversário, os visitantes encostaram em 9 a 10. Com ponto de bloqueio de Maurício Souza, o Sesc-RJ voltou a abrir: 12 a 9. O time mineiro encostou novamente em 12 a 13 e chegou ao ponto de empate em 13 a 13. O Sada/Cruzeiro seguiu pontuando e abriu três pontos em 18 a 15. Com Renan, o Sesc-RJ encostou em 18 a 19. No ace de Maurício Borges, 20 a 19 para o time carioca. João Rafael marcou 23 a 22. O set esteve igual em 24 a 24. No erro do adversário, o Sesc-RJ fechou em 28 a 26.

O Sesc-RJ começou melhor também no segundo set e, mais uma vez, abriu 4 a 1. Filipe pontuou e colocou o Sada Cruzeiro encostado no placar: 4 a 5. Novamente com o ponteiro, o time mineiro empatou em 6/6. E mais uma vez com Filipe, dessa vez no bloqueio, o Sada assumiu o comando do marcador em 7 a 6. A equipe cruzeirense colocou três de vantagem (10 a 7). João Rafael colocou o time carioca encostado no placar: 10 a 11. No bloqueio de Simon, 13 a 10. No lance seguinte, bloqueio de Leal e 14 a 10. Quando o placar foi a 16 a 11, Giovane pediu tempo. O Sesc-RJ reagiu e quando marcou 14 a 16 foi a vez de Marcelo Mendez parar o jogo. O Sada voltou a abrir (18 a 14). No erro do time carioca, o Sada Cruzeiro marcou 22 a 18. No final, no saque de Leal, 25 a 20.

O Sesc-RJ abriu o terceiro set com ace de Maurício Borges. O Sada Cruzeiro virou em 3 a 2. A parcial esteve empatada em 5 a 5. Com dois pontos de saque seguidos de Maurício Borges, o time carioca abriu três de vantagem: 10 a 7. Marcelo Mendez pediu tempo. A diferença seguiu em três quando o marcador apontou 12 a 9. No erro do adversário, o Sesc RJ fez 14 a 12. Depois de mais um bom saque de Maurício Borges, o time da casa abriu 17 a 14. Leal reduziu a diferença no placar em 16 a 18. Com João Rafael, o Sesc RJ chegou a 20 a 16. Marcelo Mendez pediu tempo. A vantagem carioca foi mantida em 22 a 18. A reta final do set ganhou equilíbrio quando Simon marcou 22 a 23. Giovane pediu tempo. No final, 25 a 23 para o Sesc-RJ.

O Sada/Cruzeiro começou melhor no quarto set e, em boa passagem de Leal pelo saque, logo abriu grande vantagem de 5 a 0. O Sesc RJ reagiu e, no ponto de saque de Tiago Barth, reduziu a desvantagem para 3 a 5. Contando com erros do time carioca, o Sada fez 7 a 3. No bloqueio de Simon, 9 a 5. Maurício Borges reduziu a desvantagem do Sesc RJ em 8 a 11. No bloqueio, o Sada Cruzeiro voltou a abrir vantagem (13 a 8). O time da casa buscou e fez 11 a 14. A diferença no placar caiu mais em 13 a 15. Com bom saque de Alemão, a equipe mineira voltou a abrir: 18 a 13. Giovane pediu tempo. Simon bloqueou e levou o Sada/Cruzeiro a 20 a 14. Simon marcou 21 a 15. No final, vitória do Sada por 25 a 19.

O Sesc-RJ saiu na frente no erro do adversário. No ace de Tiago Barth, 2 a 0. No bloqueio, o Sada/Cruzeiro fez 3 a 2. João Rafael colocou o time carioca novamente em vantagem (4 a 3). O time mineiro voltou a ter vantagem e fez 6 a 5. Na troca de quadra, o Sada/Cruzeiro tinha três a frente; 8/5. Com PV, os donos da casa encostaram em 7 a 8. Leal marcou 10 a 8. No bloqueio de Tiago Barth, 9 a 10. O SadaCruzeiro colocou vantagem em 12 a 9 e Giovane Gávio pediu tempo. No bloqueio de Maurício Souza, o Sesc RJ voltou a encostar: 11 a 12. Mauricio Souza pontuou mais uma vez e levou o tie-break ao empate: 13 a 13. A reta final do set foi extremamente disputada e a partida só acabou quando o Sesc-RJ fez 20 a 18.

“O grupo esteve muito coeso, unido hoje. O João Rafael saiu e o Japa entrou muito bem. Isso mostra que todo o conjunto está preparado para ajudar, jogar e se sair bem. Hoje todos jogaram bem e isso é o merecimento do nosso trabalho. Viemos treinando muito forte todos os dias e a vitória foi muito boa e importante para o nosso time. Todos estão de parabéns”, afirmou o ponteiro Maurício Borges.

“Foi uma vitória merecida. Nos preparamos muito. Sabemos que o time deles tem um poder de saque e rodagem de bola muito grande e, por isso, fomos para o tudo ou nada no saque e deu certo. O set que perdemos não conseguimos converter os saques em pontos. Foi uma vitória do grupo. Eu saí, o João saiu e todo mundo que entrou, contribui. Isso é o que fica guardado para o restante do campeonato”, disse o levantador Thiaguinho.

“Foi um jogo muito pegado, muito difícil. Eles jogaram muito bem, trabalharam muito bem no saque, complicaram muito a nossa recepção. Temos que continuar trabalhando e fazer uma boa preparação para o playoff, que é a fase mais importante”, concluiu o treinador Marcelo Mendez.

O Sesc-RJ volta a jogar no próximo sábado, às 21h, quando irá enfrentar o Corinthians/Guarulhos, no ginásio da Ponte Grande. No mesmo dia, às 19h, o Sada/Cruzeiro recebe o Copel Telecom/Maringá, no ginásio do Riacho, em Contagem.

Equipes:

Sesc-RJ: Thiaguinho, Renan, Maurício Souza, Tiago Barth, João Rafael, Maurício Souza e Tiago Brendle (líbero)
entraram: PV, Everaldo e Japa
técnico: Giovane Gávio

Sada/Cruzeiro: Uriarte, Evandro, Isac, Simon, Leal, Filipe e Serginho (líbero)
entraram: Fernando Cachopa, Alemão e Eder Levi
técnico: Marcelo Mendez

foto: Caio Rocha

(Superliga) No Chico Neto, EMS Taubaté supera Copel Telecom/Maringá

Jogando no ginásio Chico Neto, a EMS Taubaté/Funvic derrotou o Copel Telecom/Maringá por 3 sets a 1, parciais de 25/23, 21/25, 28/26 e 25/10, pela 2ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time do Vale do Paraíba chegou aos 28 pontos e permanece na 4ª colocação, enquanto os paranaenses continuam com apenas dois pontos ocupando a lanterna da competição.

O primeiro set começou com predomínio dos taubateanos. O time da casa conseguiu equilibrar as ações e o set seguiu com as duas equipes se alternando na liderança. . Algumas jogadas rápidas do levantador Ricardinho diminuíram o tempo de defesa da adversária e viraram o jogo para o Copel Telecom/Maringá. Entretanto, na reta final do set, a EMS Taubaté/Funvic fez valer a melhor efetividade do ataque, e fechou por 25 a 23.

O segundo set começou com o Copel Telecom/Maringá jogando melhor e aproveitando bem as bolas de ataque. O Taubaté cometeu muitos erros na primeira metade do set e se complicou, sendo que o sistema defensivo dos visitantes era mais eficaz. O time paulista buscou tirar a diferença e conseguiu melhorar o aproveitamento das bolas de ataque. Mas não foi suficiente e os paranaenses venceram por 25 a 21.

O terceiro set foi de domínio do Copel Telecom/Maringá, que aproveitou melhor a variação de saque, complicando a recepção do time paulista. A EMS Taubaté/Funvic voltou a errar muito e deixou o adversário liderar praticamente todo o set. A reação veio apenas nos pontos finais, e depois de uma disputa emocionante e de quatro set points a seu favor, a EMS Taubaté/Funvic venceu o set por 28 a 26.

O quarto set foi o mais rápido e de maior domínio da EMS Taubaté Funvic. Variando bem o saque e errando muito pouco, os taubateanos dominaram todo o set e abriram larga vantagem. O Copel Telecom/Maringá parecia ter sentido a derrota da parcial anterior, tanto que acabaram vendo o adversário fechar o jogo em fáceis 25 a 10.

“Começamos com uma atuação um pouco lenta, fugindo da nossa característica, mas depois conseguimos encontrar nosso jogo novamente, o que nos deu a vitória. De minha parte, vinha treinando bem e um bom elenco é para essas ocasiões. O time precisou, eu entrei e consegui fazer uma ótima atuação e acabei até premiado como melhor em quadra. Fico muito feliz, mas principalmente por termos confirmado essa vitória e seguimos em busca dos primeiros colocados”, destacou o ponteiro Lucas Madaloz, eleito o melhor em quadra.

“Apesar do resultado, estamos contentes com o que a equipe demonstrou hoje. Agora é trabalhar durante a próxima semana para enfrentar o Sada Cruzeiro”, afirmou o técnico Alessandro Fadul. 

No próximo sábado, às 18h30min, o EMS Taubaté/Funvic encara o Ponta Grossa/Caramuru, no ginásio Abaeté. No mesmo dia, às 19h, o Copel Telecom/Maringá enfrenta o Sada/Cruzeiro, no ginásio do Riacho, em Contagem.

Equipes:

Copel Telecom/Maringá: Ricardinho, Jean, Wennder, Ialisson, Alê, Secco e Daniel (líbero)
entraram: Matheus, Kaio, Johan, Bruno Godoy e Alisson Bastos
técnico: Renato Lúcio

EMS Taubaté/Funvic:
Rapha, Wallace, Otávio, Solé, Ruiz, Ivovi e Thales (líbero)
entraram: Paulo Renan, Renan, Lucas Madaloz e Rafael Martins
técnico: Daniel Castellani

foto: André Renato/Resenha Comunicação

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

(Superliga) Em duelo acirrado, Lebes Canoas leva a melhor contra Vôlei Renata

Pontos acirrados, discussões, erros no placar, não faltou emoção na partida entre Lebes Canoas e Vôlei Renata, no ginásio La Salle, pela 2ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. No final emocionante, vitória dos gaúchos por 3 sets a 2, parciais de 25/21; 24/26; 25/27; 25/22 e 16/14, o que garantiu aos comandados de Marcel Matz a 7ª colocação, com 19 pontos, contra 18 pontos da equipe de Campinas.

A partida iniciou bem equilibrada, com o dois times trocando pontos, sendo que após dois bons saques de Rodrigo Leandro, o Lebes Canoas abriu 6 a 5. Com bom trabalho na defesa e aproveitando os erros de recepção do adversário, os donos da casa cresceram e chegaram a abrir 10 a 7. O Vôlei Renata buscava a recuperação, principalmente com jogas de segurança, como com o oposto Leandro Vissotto e na boa sequência de Diogo pelo saque deixou tudo igual: 13 a 13. Os gaúchos, empurrados pela torcida que fazia sua parte no ginásio La Salle, foram para cima e com muita paciência na hora do side-out conseguiram abrir vantagem: 17 a 14 e na reta final fecharam a primeira parcial em 25 a 21.

O Vôlei Renata voltou com tudo no segundo set e imprimiu bom ritmo abrindo vantagem (5 a 2). Os donos da casa, no entanto, se recuperaram, aproveitando a queda de concentração campineira (16 a 13). Apesar da larga desvantagem, os paulistas não desistiram, empurrados pela boa atuação do central Salsa. Ele apareceu em momentos decisivos no saque, com dois aces, e no bloqueio, e retomou a vantagem para os comandados de Horacio Dileo (25 a 24). Em contra-ataque de Leandro Vissotto, o Vôlei Renata fez 26 a 24 e deixou o placar igual. 

Com ótima passagem de Rodriguinho pelo saque, com direito e ace, o Vôlei Renata abriu 3 a 0 no começo do terceiro set. O time campineiro foi segurando a vantagem, mas os donos da casa, assim como na parcial anterior, conseguiram se recuperar e retomaram o controle do placar (16 a 13). Os comandados do técnico Horacio Dileo, no entanto, se recusaram a perder e foram para o tudo ou nada no saque. Vini anotou dois aces e trouxe a desvantagem para apenas um ponto (22 a 21). Depois, em outro ace, Diogo deixou tudo igual (24 a 24). No momento decisivo, Vini apareceu para bloquear o adversário, garantiu o 27 a 25.

No quarto set, o Lebes Canoas iniciou forçando bastante o saque para quebrar o passe adversário, mas com isso errava mais. Entretanto, os visitantes faziam o mesmo e também tinha um rendimento ruim no fundamento, o que deixou a partida equilibrada: 9 a 7. Com o oposto Abouba em noite inspirada (foram 28 pontos em toda a partida), os donos da casa foram abrindo vantagem: 12 a 8. O Vôlei Renata tinha dificuldades no side-out e mesmo com algumas alterações na equipe não conseguia reagir: 22 a 17. No final, apesar de alguns erros na hora de fechar o set, os gaúchos forçaram o tie-break em 25 a 22.

A parcial de desempate foi carregada de emoção. Os donos da casa chegaram a abrir 3 a 0, mas os campineiros foram buscar a reação com bom desempenho de Leandro Vissotto (maior pontuador do jogo com 37 pontos). Com dois ataques precisos e um bloqueio, o oposto comandou a virada (6 a 3). Aos poucos, o equilíbrio voltou a ser predominante e se estendeu até o final (14 a 14), com Vini salvando match point gaúcho com bloqueio. Mesmo assim, o Lebes/Canoas, com muita garra e empurrado pelos 491 torcedores que estiveram no ginásio, conseguiu fazer 16 a 14.

“To muito feliz por te conquistado a vitória e por ajudar. Esse jogo foi muito difícil mentalmente, tivemos dois sets que poderíamos ter fechado, mas acabamos no final errando coletivamente e eles venceram. Agora foi na raça e na emoção”, declarou o oposto Abouba

“Foi um jogo bastante especial. Acaba ficando uma sensação estranha por quebrar este recorde. Primeiro, feliz pelo desempenho e por atingir a marca, mas frustrante por deixarmos a vitória escapar no tie-break. Ficaram faltando apenas alguns detalhes para termos conquistado o resultado positivo, mas estamos no caminho certo. Agora é seguir trabalhando para melhorar a cada dia”, comentou o oposto Leandro Vissotto.

No próximo sábado, às 11h30min, o Lebes Canoas encara o Sesi-SP, no ginásio da Vila Leopoldina. No mesmo dia, às 18h, o Vôlei Renata recebe o JF Vôlei, no ginásio Taquaral.

Equipes:

Lebes Canoas: Abouba, Pedro, Michel, Matheus, Composto, Rodrigo Leandro e Palotti (líbero)
entraram: Lucas, Leandrão e Bitello
técnico: Marcel Matz

Vôlei Renata: Rodriguinho, Vissotto; Diogo, Renan; Vini, Salsa e Facundo (líbero)
entraram: Tiago Mão, Krauchuk e Matheus
técnico: Horacio Dileo

foto: Fernando Potrick/Gama

(Superliga) Montes Claros começa 2018 com vitória sobre o JF Vôlei

Mesmo jogando na UFJF, o Montes Claros não se intimidou e venceu o JF Vôlei por 3 sets a 1, parciais de 23/25, 20/25, 25/20 e 23/25, pela 2ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o Pequi Atômico chegou aos 11 pontos e assumiu a 9ª colocação, enquanto a equipe da Zona da Mata permanece com quatro pontos, ocupando o 11º lugar, ou seja, na zona do rebaixamento.

O clima começou muito quente no primeiro set. As duas equipes forçando o saque, tentando impor o seu ritmo de jogo. O time da casa se manteve à frente no placar durante quase todo o tempo e chegou a fazer 23 a 18, ficar muito próximo de liquidar o set. Mas alguns erros de ataque permitiram com que o Montes Claros encostasse e virasse, fechando a parcial em 23 a 25. 

A virada do primeiro set pareceu desanimar o time de JF Vôlei, que não conseguiu entrar bem na segunda etapa do jogo. Montes Claros esteve na frente do placar o tempo todo e não permitiu qualquer ameaça adversária: 12 a 16. Ainda sim, apoiado pela sua torcida que gritou o tempo todo, os donos da casa tentaram reagir, mas no erro de saque de Leozinho, o Pequi Atômico fez 20 a 25.

O terceiro set era a última oportunidade dos donos da casa tentarem uma vitória. Precisavam vencer de qualquer maneira e voltaram acertando mais. Até o meio do set, ninguém abria muita vantagem. Houve muita reclamação dos jogadores em relação à arbitragem, e Leozinho levou amarelo. O JF Vôlei havia acabado de empatar, 13 a 13, quando a torcida pediu a virada. E conseguiu. 15 a 13 no placar. A partir daí, administrou bem o set e não deixou o ritmo cair dessa vez. Quando abriu 22 a 19, o Montes Claros pediu tempo. Henrique Furtado aproveitou para dar instruções também ao seu time e colocou em quadra o oposto Welinton de 17 anos, que acabou de integrar a equipe, junto com o levantador Felipe. Os dois entraram no lugar de Adami e Emerson e Juiz de Fora chegou ao set point após um lindo bloqueio de Bruno. Com um ataque errado dos visitantes, os donos da casa fizeram 25 a 20.

O quarto set seguiu equilibrado. Com um bloqueio triplo de Juiz de Fora, abriram a melhor vantagem que conseguiram nessa etapa, 13 a 10. Em seguida, o Montes Claros conseguiu virar para 14 a 15. Mas o time da casa foi buscar e também virou, fazendo 16 a 15. Depois disso cometeu alguns erros de ataque que foram cruciais para perderem o set. Montes Claros fez 23 a 25 e levou para casa os pontos da partida.

“Não deixamos de ir para o chão em nenhuma bola (...) No primeiro set, acabamos dando a vitória para eles. Acontece, faz parte do esporte, mas vamos batalhar para que isso não aconteça (...) Eles têm bons bloqueadores. Mesa e Tarcísio são centrais de bloqueio, mandam bem nesse fundamento, mas também temos os nossos méritos. Foi um jogo bem disputado, mas eles tiveram um pouco a mais”, declarou o levantador Henrique Adami.

Na próxima sexta-feira, às 19h, o Montes Claros encara o Minas Tênis Clube, no ginásio Tancredo Neves. Já no sábado, às 18h, o JF Vôlei vai até Campinas enfrentar o Vôlei Renata, no ginásio Taquaral.

Equipes:

JF Vôlei: Adami, Emerson, Bruno, Rômulo, Rammé, Leozinho e Juan Mendez (líbero)
entraram: Athos, Welinton e Felipe
técnico: Henrique Furtado

Montes Claros: Sandro, Lorena, Najari, Lisandro, Mesa, Tarcísio e Vanderson (líbero)
entraram: Luan, Cristiano, Alemão e Alexander
técnico: Sérgio Cunha

foto: Mônica Cury/JF Vôlei

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

(Superliga) Na Arena BH, Minas Tênis Clube bate Corinthians/Guarulhos

Jogando na Arena, em Belo Horizonte, o Minas Tênis Clube venceu o Corinthians/Guarulhos por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/20 e 25/23, pela 2ª rodada do returno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, os comandados de Nery Tambeiro chegaram aos 25 pontos e se firmaram na 5ª colocação, enquanto a equipe paulista parou nos 19 pontos e aparece na 6ª posição.

Felipe Roque abriu o placar da partida. Mineiro respondeu. Em boa passagem de Sidão pelo saque, o Corinthians-Guarulhos abriu 4 a 1, forçando Nery Tambeiro a pedir tempo. O Minas reagiu e, com Bob, fez 4 a 6. Na sequência, no erro do adversário, os donos da casa empataram em 7 a 7. A equipe mineira ainda abriu dois em 11 a 9 e aumentou a vantagem em 16 a 13. Neste momento, Stanzioni pediu tempo. No bloqueio de Sidão, o Corinthians-Guarulhos reduziu a diferença para 16 a 18. Com Bob bem no saque, o Minas voltou a pontuar e fez 20 a 16. No bloqueio de Flávio, o Minas fez 22 a 18 e o Corinthians-Guarulhos pediu tempo. No final, o Minas Tênis Clube venceu por 25 a 20.

Embalado pelo resultado no primeiro set, o Minas abriu 3 a 0 logo no começo do segundo set. Rivaldo pontuou e o Corinthians-Guarulhos encostou em 3 a 4. Com dois bloqueios consecutivos de Sidão, o time paulista assumiu o comando do marcador: 6 a 5. O Minas reagiu e, no ace de Honorato, marcou 8 a 6. Com Rivaldo, o time paulista marcou 11 a 13. Na sequência, o Corinthians-Guarulhos encostou em 15 a 16. Com Bob explorando o bloqueio adversário, o Minas fez 19 a 16. Na saída de rede, Felipe Roque marcou 22 a 17. Os donos da casa seguiram no domínio do placar até fechar em 25 a 20.

Assim como no set anterior, o Minas Tênis Clube começou melhor e abriu dois de vantagem em 4 a 2. O Corinthians-Guarulhos encostou no placar em 5 a 6. Na sequência, contando com erros do adversário, o time da casa abriu três de diferença em 8 a 5. Neste momento, Stanzioni pediu tempo. No bloqueio de Felipe Roque, 10 a 6. Com mais um bloqueio, o time mineiro chegou a 12 a 7, forçando o adversário a pedir mais um tempo. O Corinthians-Guarulhos conseguiu uma sequência de pontos, fez 9 a 12 e foi a vez de Nery Tambeiro parar o jogo. O time visitante ainda encostou no placar em 11 a 12. O Minas voltou a pontuar e fez 15 a 11. Depois de uma bola bastante disputada, Rivaldo pontuou e o Corinthians-Guarulhos marcou 13 a 15. No ace de Bob, 19 a 16 para o Minas. O time visitante voltou a aproximar no placar (19 a 20) e Nery Tambeiro pediu tempo. A reta final do set seguiu equilibrada. E o Minas fechou em 25 a 23.

“Nosso time ganhou mais volume, passou a sacar melhor e essa é uma das principais armas no vôlei atual. Antes do jogo, o Nery falou que tínhamos que sacar melhor porque isso ia facilitar nosso sistema defensivo, contra-ataque e deu tudo certo (...) Fiz o meu jogo, sem pressão e essa foi uma vitória muito importante. O Corinthians/Guarulhos era um adversário direto e sabíamos que era um jogo que valia seis pontos. Conseguimos jogar bem, dar o nosso padrão e isso foi determinante para o resultado positivo”, destacou o ponteiro Honorato, eleito o melhor em quadra.

“Acabamos sendo surpreendidos por um time que sempre jogou muito bem dentro de casa. Aqui dentro é sempre muito complicado de vencer, mas, por outro lado, deixamos de fazer algumas coisas, principalmente no ataque. Temos que fazer o mínimo, que é colocar a bola no chão, e hoje pecamos neste ponto (...) Por outro lado, o Nery sempre monta time bem no bloqueio e defesa e o Minas sempre revelando grandes jogadores, como o Honorato, que entrou muito bem. Agora precisamos melhorar para a sequência da Superliga”, comentou o líbero Serginho.

O Minas Tênis Clube volta a jogar na próxima sexta-feira, às 19h, em um confronto de mineiros contra o Montes Claros, no ginásio Tancredo Neves. Já o Corinthians/Guarulhos atuará na próxima terça-feira, às 20h, contra o Sada/Cruzeiro, no ginásio do Riacho, em Contagem.

Equipes:

Minas Tênis Clube: Marlon, Felipe Roque, Flávio, Pétrus, Bisset, Bob e Rogerinho (líbero)
entraram: Maique, Honorato, Carísio e Davy
técnico: Nery Tambeiro

Corinthians/Guarulhos: Rodrigo Ribeiro, Rivaldo, Sidão, Luizinho, Ygor Ceará, Mineiro e Serginho (líbero)
entraram: Cesinha, Gabriel Cândido, Felipe, Alan e Riad
técnico: Alexandre Stanzioni

foto: Orlando Bento/MTC