domingo, 5 de julho de 2015

Antes dos Jogos Pan-Americanos, Brasil perde primeiro amistoso para Argentina

Mesmo contando com mais de sete mil pessoas no ginásio Nélio Dias, a Seleção Brasileira perdeu para a Argentina por 3 sets a 2, parciais de 21/25 26/24, 25/18, 23/25 e 15/13, em Natal, no Rio Grande do Norte. Esse foi o primeiro da série de três amistosos contra os rivais sul-americanos no Nordeste que servem de preparação para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá.

O set começou com um rally definido pelo contra-ataque de Douglas Souza. Com dois aces do central Otávio o time da casa abriu 6 a 3. A dupla de centrais do Brasil funcionava bem com o bloqueio amortecendo e permitindo o contra-ataque. Com um ace do capitão Maurício Borges a vantagem aumentou para seis pontos em 11 a 5. O saque brasileiro continuou entrando bem, deixando o ataque argentino menos eficiente. Com uma bola rápida de meio, Maurício Souza fez 18 a 14 para a o selecionado nacional. Os brasileiros administraram a vantagem e, com um erro de saque adversário, fecharam em 25 a 21.

Na segunda parcial a Argentina começou melhor e os donos da casa instáveis no passe, permitindo que os visitantes abrissem 0 a 5. O bloqueio argentino encontrou o tempo certo e chegava em todas as bolas botando pressão no ataque brasileiro. O técnico Maurício Motta fez a inversão e colocou Thiaguinho e Rafael Araújo em quadra o que deu mais ritmo ao time. Um bloqueio simples do central Maurício Souza levantou o público no ginásio e diminuiu a diferença para 9 a 12. Com um saque venenoso, Chirivino deixou o time azul e branco com uma vantagem confortável, 11 a 18. Com o apoio da torcida o Brasil reagiu, mas com um ponto de saque de Zanotti, os argentinos fecharam em 24 a 26.

Novamente foi a Argentina que começou na frente mantendo a consistência na virada de bola. Os brasileiros buscaram o equilíbrio no passe e mais volume na defesa. Com um ace de Douglas Souza o time da casa assumiu a liderança em 5 a 4. Os argentinos não deixaram o placar abrir e viraram no tempo técnico com uma bola desviada no bloqueio, 7 a 8. O time verde e amarelo se perdeu no ataque e permitiu que os visitantes aumentassem a diferença, 8 a 11, obrigando Maurício Motta a parar o jogo. A parada não surtiu efeito a equipe argentina seguiu com o domínio das ações. No erro de saque de Douglas Souza fim de set em 18 a 25 para os visitantes.

Para a quarta parcial o time brasileiro voltou diferente, com Kadu jogando de oposto e João Rafael no lugar de Maurício Borges. A mudança fez efeito com o aumento no volume defensivo. Os argentinos não esmoreceram e continuaram fazendo jogo de igual para igual, conseguiram a virada na hora do tempo técnico, 7 a 8. A vantagem continuou do lado argentino, os brasileiros ainda tinham dificuldade em atacar. Com mais um bloqueio de Palacios a diferença subiu para quatro pontos, 13 a 17. Com o apoio das arquibancadas e bom momento de Douglas Souza o time brasileiro virou e levou a disputa para o quinto set, 25 a 23.

No tie-break o jogo ficou ainda mais nervoso. Apesar de ser uma partida amistosa, nenhum dos dois lados diminuiu a pressão. As duas equipes se alternaram na frente do placar. Mas o bloqueio argentino esteve melhor ao longo da disputa e no quinto set não foi diferente, Palácios parou o ataque brasileiro e a diferença ficou em dois pontos a favor dos visitantes, 6 a 8. No final, os hermanos administraram a vantagem e fecharam em 13 a 15.

“A partida, apesar de ser um amistoso, teve um gosto de final de campeonato. Foi um pecado perdermos, mas este foi o primeiro jogo oficial que fizemos. A torcida lotou o ginásio. Mas ainda temos muito trabalho pela frente para fazermos melhor nos outros amistosos”, disse o ponteiro Douglas Souza.

“Para nós este foi o primeiro jogo junto. Fizemos alguns treinos contra a seleção militar e contra a seleção juvenil, mas ainda não tivemos o tempo necessário. Os jogos contra a Argentina serão importantes para fazermos uma boa preparação”, comentou o ponteiro Maurício Borges.

A próxima partida será nesta segunda-feira, às 18h30min, no ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza, no Ceará. No próximo sábado, às 12h30min, acontece o último confronto entre os dois times em João Pessoa, na Paraíba. Nos Jogos Pan-Americanos, o Brasil está no Grupo A, junto com Colômbia, Cuba e Argentina. A estreia da equipe verde e amarela será contra os colombianos no dia 17 de julho.

Equipes:


Brasil: Renan Buiatti, Murilo Radke, Maurício Borges, Doulgas Souza, Otávio, Maurício Souza e Tiago Brendle (líbero)
entraram: Flávio Gualberto, Rafael Araújo, Thiaguinho, Bruno Canuto, Kadu e João Rafael
Técnico: Maurício Motta Paes

Argentina: Martina, Gonzalez, Palacios, Zanotti, Franetovich, Guzmán e Lopez (líbero)
entraram: Koukartsev, Chirivino e Quiroga
Técnico: Martin Lopez.

foto: Alexandre Arruda/CBV

sábado, 4 de julho de 2015

Bernardinho confirma 14 jogadores para a fase final da Liga Mundial

Encerrada a fase classificatória, a comissão técnica do Brasil definiu o grupo de jogadores que estarão nas finais da Liga Mundial. Podendo relacionar apenas 14 atletas, o técnico Bernardinho resolveu ‘cortar’ o levantador Rapha, o oposto Leandro Vissotto e o líbero Felipe. Além disso, pelo que se viu nas partidas contra a Itália, o time-base já está montado para disputar o título.

Atualmente, com a lesão de Sidão, eram certas as permanências dos centrais Lucão, Isac, Riad e Éder. Todos eles em grande fase nos seus clubes e mostrando servido na Seleção Brasileira. No quesito ponteiros, os titulares Lucarelli e Murilo tem a sombra do experiente Lipe e do jovem e talentoso Lucas Lóh, que acabou ficando com a vaga que poderia ser de Maurício Borges (vai para os Jogos Pan-Americanos).

Nas outras posições vieram os cortes, e vai analisamos da seguinte maneira: Quanto a levantadores, Bernardinho tem o titular absoluto Bruninho e a escolha de William é certa ao em vez de Rapha, já que existe um entrosamento impressionando com Wallace. Já falando em opostos, além do atacante do Sada/Cruzeiro, segue no grupo Evandro, que fez ótimas partidas quando foi chamado, diferente de Leandro Vissotto. No caso dos líberos, Serginho mostra que tem vida na Seleção Brasileira e Mário Jr. tem apenas mais tempo de verde e amarela do que Felipe.

Na fase final da Liga Mundial, que ocorre de 15 a 19 de julho, no Rio de Janeiro, e servirá de preparação para os Jogos Olímpicos, o Brasil está no Grupo A, ao lado dos Estados Unidos e de quem for campeão do segundo grupo (Canadá, França, Bulgária ou Bélgica). Já o Grupo B terá Sérvia, Polônia e Itália.

foto: FIVB/Divulgação

Maurício Borges não vai mais para a Polônia e acerta com clube turco

Em maio passado, o ponteiro Mauricio Borges havia acertado sua ida para o Jastrzebski Wegiel, da Polônia, um dos times mais importantes do país e que disputa seguidamente a Champions League. Entretanto, devido a uma forte crise financeira, o time polonês voltou atrás na negociação, e o brasileiro deve que buscar um novo clube. Agora, o jogador de Seleção Brasileira vai atuar na Turquia.

Tendo passagens por Minas Tênis Clube, Sada/Cruzeiro, Pinheiros e Sesi-SP, Maurício Borges vai finalmente atuar na Europa. Isso porque, na temporada 2014/2015, o jogador chegou a assinar com o Fakel Novy, da Rússia, mas também devido a uma crise financeira, acabou ficando no Brasil. Agora, vai vestir a camisa do Arkas Izmir, onde terá como um dos companheiros o oposto francês Rouzier, que irá substituir o canadense Gavin Schmitt, que vai jogar na Funvic/Taubaté.

A apresentação de Maurício Borges na nova equipe deve ocorrer depois dos Jogos Pan-Americanos, de Toronto, que começam na próxima sexta-feira, no Canadá. O ponteiro brasileiro vai em busca da sua segunda medalha de ouro na competição, já que venceu em Guadalajara, no México, em 2011.

foto: Alexandre Arruda/CBV

Sérgio Félix acerta transferência para o voleibol japonês

Após uma temporada representando a UFJF na Superliga 2014/2015, o ponteiro Sergio Félix foi jogar as semifinais do Campeonato Espanhol. Com a camisa da Unicaja Almería, o jogador de 25 anos acabou conquistando o titulo e eleito o MVP da partida decisiva da competição. Agora, o brasileiro terá um novo desafio, no caso, atuar no voleibol japonês, na equipe do FC Tokyo.

“Estou muito feliz de estar indo jogar uma temporada no Japão. Sei o quanto isso vai ser importante na minha carreira tanto profissional, quanto financeira. Confesso que estou um pouco ansioso para poder começar a jogar pelo meu novo time o FC Tokyo (...) Espero poder fazer uma bela temporada por lá, e quem sabe jogar um bom tempo ainda no Japão”, ressaltou Sergio Felix.

Serginho, como é chamado no meio do voleibol, é natural de Belo Horizonte e teve seus primeiros movimentos no esporte na escolinha de Pelé, que acabou o levando para o Minas Tênis Clube. Além da equipe da capital mineira e da UFJF, no Brasil, o ponteiro defendeu o São Caetano, o Volta Redonda, a Fuvic/Pindamonhangaba e a Funvic/Taubaté.

foto: Hansports/Divulgação

Minas Tênis Clube renova com jovem central Nicolas

Aos poucos a diretoria do Minas Tênis Clube vai formando o elenco para a temporada 2015/2016. Depois de confirmar as permanências de quatro jogadores fundamentais da bela campanha na última Superliga, a equipe de Belo Horizonte confirmou a renovação de contrato do jovem central Nicolas, que foi campeão com a seleção brasileira sub-21 da Copa Pan-Americana, no mês passado, no Canadá.

“Além da excelente estrutura do clube, à qual já estou bem familiarizado, o ponto principal que me fez definir a renovação foi a condição de jogo proposta. Estou preparado para aparecer muito mais, recebendo mais oportunidades que no ano passado. Agora é seguir trabalhando firme pra quando surgir a hora, aproveitar da melhor forma”, destacou Nicolas, que tem 20 anos e 2,03m.

Na Copa Pan-Americana, disputada na cidade de Gateneau, Nicolas foi importante na equipe do treinador Leonardo Carvalho, que levou o título de forma invicta. Ao todo foram cinco vitórias, sendo El Salvador, EUA e Babados, na fase classificatória, o Chile, na semifinal, e novamente os Estados Unidos, na decisão.

Quanto ao Minas Tênis Clube, já estão confirmados na temporada 2015/2016, o levantador Everaldo, o ponteiro Bruno Canuto, o central Flávio (convocado para os Jogos Pan-Americanos) e o oposto cubano Escobar. Nos bastidores se fala que a diretoria da equipe de Belo Horizonte busca mais alguns parceiro para fechar o orçamento, mas a ideia é ter uma equipe jovem novamente com o comando de Nery Tambeiro.

foto: Alexandre Arruda | CBV

(Liga Mundial) Brasil perde para a Itália no último jogo da fase classificatória

Na última partida da fase classificatória da Liga Mundial, a Seleção Brasileira acabou perdendo para a Itália por 3 sets a 2, parciais de 25/21, 27/29, 25/21, 19/25, 19/21, no ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá. Mesmo com esse resultado, o time verde e amarelo terminou essa etapa na liderança do Grupo A, com 28 pontos, sendo nove vitórias e três derrotas.

O Brasil saiu na frente e abriu o placar do jogo. Os italianos, então, buscaram e fizeram 6 a 4. O time visitante seguiu com bom ritmo e com Zaytsev pontuando bem, chegou a 11 a 9. No ponto de saque de Lucão, a seleção brasileira deixou tudo igual: 12 a 12. Também com ace, desta vez de Lipe, a equipe da casa assumiu o comando do marcador (15 a 14). Com Evandro pela saída, o Brasil chegou a 19 a 16. A Itália voltou a encostar (20 a 19) e Bernardinho pediu tempo. Evandro pontuou bem para a equipe brasileira, que fechou em 25 a 21.

O segundo set começou favorável a seleção brasileira, mas os italianos não permitiram o crescimento do adversário. Contando com erros do Brasil, o time visitante colocou três pontos de diferença em 16 a 13. Quando a seleção da Itália bloqueou e fez 18 a 14, Bernardinho pediu tempo para conversar com os jogadores. A desvantagem brasileira diminuiu para dois pontos (19 a 17). No bloqueio de Lucão, o Brasil encostou em 21 a 20. No ace de Bruninho, a equipe da casa encostou mais uma vez em 24 a 23 e no bloqueio, o Brasil deixou tudo igual: 24 a 24. O final do set seguiu extremamente equilibrado e a Itália fechou em 29 a 27.

O equilíbrio permaneceu no início do terceiro set, com as equipes empatadas em 3 a 3. No forte ataque de Lipe, o Brasil colocou vantagem: 6 a 3. No bloqueio de Riad, que havia entrado neste set, o time da casa fez 8 a 5. No bloqueio individual de Evandro, 14 a 12 para a seleção brasileira. A parcial ganhou equilíbrio em 18 a 17 a favor do Brasil. Com ponto de bloqueio de Riad, o time verde e amarelo fez 21 a 18 e a Itália pediu tempo. Mas, com o apoio da torcida cuiabana, o Brasil fechou em 25 a 21.

A terceira parcial teve um início de vantagem para a seleção brasileira, que fez 4 a 2. A Itália buscou o jogo e chegou ao ponto de empate em 5 a 5. Com ponto de bloqueio, os visitantes abriram 11 a 7. Com dois pontos seguidos de Lucão no ataque, o Brasil reduziu a diferença para 11 a 9. O set seguiu equilibrado, com vantagem para a Itália, que chegou a colocar cinco à frente (21 a 16). No final, melhor para os italianos: 25 a 19.

O set decisivo começou com outros dois únicos jogadores que não haviam jogado nesta sexta-feira: Lucas Lóh e Isac. O tie break também foi bem disputado. No ace de Lucarelli, o Brasil fez 6 a 5. Na virada de quadra, a Itália vencia por 8 a 7. Um empate em 10 a 10 deu ainda mais emoção ao jogo. A reta final foi super equilibrada. Os dois times tiveram pontos do jogo. A Itália desperdiçou dois. O Brasil também falhou, e em bloqueio italiano a partida foi encerrada em 21 a 19.

“A Itália jogou muito bem e mereceu a vitória. Enfrentamos o forte bloqueio italiano com pouca lucidez e não conseguimos ter um bom ritmo no saque. Além disso, erramos bastante contra-ataques, assim como já havia acontecido antes”, comentou o técnico Bernardinho.

“Tivemos chances para fechar a partida, erramos alguns contra-ataques, então o tie-break foi um pouco o exemplo do jogo. O saque tem que ser uma arma melhor utilizada também. Mas serve de aprendizado. Agora, no Rio de Janeiro, os jogos serão valendo vaga para a final, vamos corrigir, buscar melhorar e se Deus quiser a gente vencerá essa”, disse o ponteiro Lucarelli.

O próximo compromisso do Brasil será a Fase Final da Liga Mundial, que acontecerá de 14 a 19 de julho, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Na próxima semana, o grupo fará a preparação final no Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema , sendo que o técnico Bernardinho já definiu os 14 jogadores que estarão na etapa decisiva da competição.

Equipes:


Brasil: Bruninho, Wallace, Riad, Lucão, Murilo, Lucarelli e Serginho (líbero)
entraram: William, Mário Jr., Lucarelli, Isac e Lucas Lóh
Técnico: Bernardinho

Itália: Travica, Vettori, Birarelli, Anzani, Zaytsev, Lanza e Colaci (líbero)
entraram: Gianelli, Sabbi, Antonov e Mengozzi
Técnico: Mauro Berruto

foto: FIVB/Divulgação

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Definidos os 12 jogadores que estarão nos Jogos Pan-Americanos

A Confederação Brasileira de Voleibol anunciou os 12 atletas que representarão a equipe verde e amarela nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. O Brasil está no Grupo B ao lado de Colômbia (estreia, no dia 17 de julho), Cuba (no dia 19) e Argentina (no dia 21). O time brasileiro vai em busca da décima quinta medalha na competição (quatro de ouro, seis de prata e quatro de bronze).

No Canadá, Rubinho, auxiliar de Bernardinho na seleção principal, será o técnico da equipe, mas só estará com o grupo a partir do terceiro jogo em razão da fase final da Liga Mundial, que acontecerão em datas concomitantes com os jogos em Toronto. Nos dois primeiros jogos, a Seleção Brasileira será comandada por Maurício Motta Paes.

Entre os convocados, destaque para o líbero Tiago Brendle, que teve oportunidade de jogar na atual Liga Mundial, enquanto Mário Júnior cumpria suspensão. O central Maurício Souza e o ponteiro Maurício Borges são os mais experientes do grupo, enquanto o levantador Murilo Radke e oposto Renan atuam fora do país e tem certa rodagem internacional.

“É a primeira vez que vou defender o Brasil em uma competição dessa importância, então estou treinando muito forte e me preparando em todos os sentidos para chegar lá confiante e não deixar nenhum tipo de pressão interferir. Acredito que a mescla de jogadores que já têm um espaço na seleção com os que estão buscando o seu pode dar bons frutos para o Brasil durante a competição”, comentou o levantador Thiaguinho, do Sesi-SP.

Antes de embarcar para os Jogos Pan-Americanos, a Seleção Brasileira fará uma série de três amistosos no Nordeste contra a Argentina. O primeiro em Natal, no dia 4 de julho, o segundo em Fortaleza, no dia 6, e o terceiro João Pessoa, no dia 11.

Confira os convocados:

Levantadores: Thiaguinho e Murilo Radke,
Opostos: Renan Buiatti e Rafael Araújo
Ponteiros: João Rafael, Kadu, Douglas Souza e Maurício Borges
Centrais: Maurício Souza, Flávio Gualberto e Otávio,
Líbero: Tiago Brendle

foto: Alexandre Arruda/CBV

(Liga Mundial) Brasil mostra força e vence a Itália em Cuiabá

Nesta quinta-feira, com cerca de 11.600 torcedores no ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá, a Seleção Brasileira venceu a Itália por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 26/24 e 25/19, pela última rodada da fase classificatória da Liga Mundial. As duas equipes voltam a se enfrentar nesta sexta-feira, às 14h, no mesmo local, com transmissão da Rede Globo e da Band. 

O Brasil começou melhor e abriu 3 a 1. Os donos da casa seguiram com boa vantagem em 7 a 3. No potente ataque de Wallace, a seleção foi para o primeiro tempo técnico com quatro de vantagem (8 a 4). Quando o Brasil chegou a 12 a 8, a seleção italiana pediu tempo. Depois de uma bola bastante disputada, Isac atacou e pontuou para a seleção brasileira: 15 a 11. Contando com erros da Itália, o Brasil chegou a 20 a 15. Depois de bom saque de Lucarelli, o Brasil contra atacou e Wallace fez 24 a 19. Para finalizar o set, Lucarelli fez 25 a 20.

O segundo set começou diferente, favorável a Itália, que logo abriu 8 a 2. No bloqueio simples de Lucão, a diferença caiu para 8 a 4. Depois de longa disputa, Wallace finalizou a jogada e fez o quinto ponto. Os italianos voltaram a abrir e colocaram o dobro de pontos em 12 a 6. No ace de Lucão, a vantagem adversária caiu para 13/10. Com ponto de saque de Lucarelli, o Brasil chegou ao ponto de empate: 16 a 16. A equipe da casa manteve o bom ritmo e fez 21 a 19. A Itália buscou e quando o marcador estava em 22 a 22, Bernardinho pediu tempo. Novo empate em 24 a 24. Mas, no bloqueio de Murilo, o Brasil fechou em 26 a 24.

O equilíbrio permaneceu no início da terceira parcial. No erro do Brasil, a Itália colocou dois de vantagem (5 a 3). Na china de Lucão, a seleção brasileira encostou em 8 a 7. O time da casa virou e assumiu o comando do placar em 11 a 10 e, partir daí, dominou a parcial. Contando com apoio da torcida, a seleção brasileira manteve o bom ritmo e, na parcial mais tranquila, fechou em 25 a 19.

“Saímos de Sydney, onde jogamos no último domingo, em uma temperatura abaixo de 10 graus para enfrentar esse calor agora, mas isso é algo que estamos acostumados. Jogamos no Brasil quase sempre nesse calor. Sentimos um pouco, mas procuramos hidratar sempre e nos preparamos para isso”, disse o levantador Bruninho.

“Fizemos um bom primeiro set e, no segundo, começamos mal, mas talvez tenha sido o mais interessante da partida. Começamos mal, mas soubemos recuperar, colocamos pressão no saque, jogamos com inteligência e foi importante a vitória. No terceiro, soubemos controlar bem. Foi um bom resultado, mas ainda temos que melhorar mais amanhã”, analisou o treinador Bernardinho, que após punição de dez jogos imposta pela FIVB voltou a estar na beira da quadra.

Equipes:

Brasil: Brunino, Wallace, Isac, Lucão, Murilo, Lucarelli e Serginho (líbero)
entraram: William, Evandro e Lipe
Técnico: Bernardinho

Itália: Travica, Vettori, Birarelli, Anzani, Zaytsev, Lanza e Colaci (líbero)
entraram: Sabbi, Massari, Antonov e Mengozzi
Técnico: Mauro Berruto

foto: FIVB/Divulgação