domingo, 25 de janeiro de 2015

(Copa Brasil) Funvic/Taubaté passa pelo Brasil Kirin e fatura título

Diante de 2.700 pessoas no ginásio do Taquaral, a Funvic/Taubaté derrotou o Brasil Kirin por 3 sets a 0, parciais de 25/17, 25/21 e 25/20, conquistando o título da Copa Brasil. Com a vitória em plena casa do adversário, a equipe do Vale do Paraíba, que havia eliminado o atual campeão Sada/Cruzeiro nas semifinais, garantiu vaga para o Campeonato Sul-Americano de Clubes.

O oposto Lorena abriu o placar do jogo para a Funvic/Taubaté. Quando o time visitante vencia por 3 a 1, o central Luizinho se contundiu e foi substituído pelo número Bruno. O Brasil Kirin buscou e encostou em 7 a 6. Com Sidão, a equipe de Taubaté voltou a abrir três de vantagem (13 a 10). Com ponto de Lipe, a Funvic/Taubaté chegou a 16 a 11. A diferença no placar aumentou ainda mais. No bom saque de Lipe, o time do Vale do Paraíba fez 22 a 15. Com Dante, o Taubaté/Funvic fechou em 25 a 17.

Lipe abriu o segundo set com ponto de bloqueio. Com Gustavão em combinação rápida pelo meio, o Brasil Kirin encostou no placar, deixando a vantagem adversária em apenas um ponto: 4 a 3. O set passou a ter ainda mais equilíbrio quando, no bom saque de Gustavão, o time da casa fez 6 a 5. No bloqueio de Vini, o Brasil Kirin fez 11 a 7. Também com bloqueio, a equipe de Campinas fez 16 a 11. O Brasil Kirin administrou a vantagem e fez 19 a 15. Em boa passagem de Lipe pelo saque e com três bloqueios seguidos, a Funvic/Taubaté assumiu o comando do placar: 21 a 20. O time de Taubaté, então, virou e fechou em 25 a 21.

Embalado pela vitória nos dois primeiros sets, a Funvic/Taubaté começou melhor o terceiro e, com Lipe em bom momento, fez 8 a 5. No erro do adversário, a equipe visitante fez 11 a 8. Com Vini, o Brasil Kirin encostou em 11/10. A Funvic/Taubaté voltou a pontuar e, quando fez 13/10, Stanzioni pediu tempo. O time do Vale do Paraíba manteve o bom ritmo e fez 16/12. O Brasil Kirin reduziu a diferença para 16 a 14 e, depois, para 17 a 16. Mas o Taubaté voltou a pontuar e, quando fez 20 a 16, o time de Campinas parou o jogo. Com Lipe, O Taubaté/Funvic fechou em 25 a 20.

“Nós trabalhamos muito forte e a união do nosso time, principalmente nessa fase final da Copa, foi fundamental. Trabalhamos em uma intensidade enorme, com todos focados o tempo inteiro e cada um ciente da sua responsabilidade”, disse o ponteiro Lipe.

“Realmente a pressão estava para o nosso lado e tínhamos que aceitar isso. Trabalhamos com essa responsabilidade. Nossos objetivos eram esses: ser campeão do Paulista, chegar à final da Copa Banco do Brasil e disputar uma semifinal de Superliga. Já alcançamos os dois primeiros. Agora, vamos continuar carregando isso e parabéns aos atletas, que estão se dedicando ao máximo”, afirmou o treinador Cézar Douglas.

“Fizemos uma boa campanha na Copa Banco do Brasil mesmo com todos os problemas de contusão que tivemos e isso só aconteceu pela entrega e dedicação de todos da equipe. A Funvic/Taubaté sacou muito bem durante toda a partida e nós não conseguimos equilibrar a equipe. Agora vamos nos focar nos objetivos na Superliga”, declarou o ponteiro João Paulo Bravo.

Após o fim da Copa Brasil, as duas equipes voltam a atenção para a Superliga 2014/2015. O Brasil Kirin volta à quadra na próxima quarta-feira, às 21h, para enfrentar o Canoas Vôlei, no ginásio La Salle. No mesmo dia, às 20h, a Funvic/Taubaté jogará contra o Voleisul/Paquetá Esportes, no ginásio Abaeté.

Equipes:

Brasil Kirin: Sandro, Baiano, Gustavão, Luizinho, Bravo, João Paulo Tavares e Pará (líbero)
entraram: Baiano, Jotinha e Secco
Técnico: Alexandre Stanzioni

Funvic/Taubaté: Raphael, Lorena, Sidão, Maurício, Lipe, Dante e Felipe (líbero)
entraram: Thiago Sens
Técnico: Cézar Douglas

foto: Alexandre Arruda/CBV

(Superliga B) De virada, Bento Vôlei/Isabela vence Barão/Blumenau

Em confronto válido pela 1ª rodada da Superliga B, o Bento Vôlei/Isabela derrotou o Barão/Blumenau por 3 sets a 1, parciais de 25/27, 25/14, 25/16 e 25/20, no ginásio Municipal de Bento Gonçalves. Com a vitória, de virada, o time gaúcho somou três pontos na tabela, enquanto a equipe de Santa Catarina não pontuou em sua estreia na competição.

Como não poderia deixar de ser o confronto entre dois times tradicionais começou equilibrado. Sem realizar uma partida oficial desde o final de novembro, o Bento Vôlei/Isabela sentiu a falta de ritmo de jogo, o que fez o jovem time de Blumenau vencer o primeiro set por 25 a 27. Com mais de 800 torcedores presentes, os donos da casa voltaram mordendo no segundo set e com destaque para o ponteiro Dentinho venceram por 25 a 14.

No terceiro set, o Bento Vôlei/Isabela estava bem a vontade em quadra e em nenhum momento deixo o adversário gostar da partida, tanto que venceu por 25 a 16. Os catarinenses conseguiram reagir na parcial seguinte, forçando bastante o saque, mas os comandados de Fernando Rabelo tiveram tranquilidade para fechar o duelo por 25 a 20.

“Foi um pouco complicado o início, sim. Acho que sentimos a estreia, pois estamos há um tempo sem fazer amistosos contra outras equipes, só treinando. Não é desculpa, óbvio, acho que começamos a entrar na pilha deles, que começaram bem vibrantes e demos uma murchada... E dentro de casa não pode, com a nossa torcida aqui, o time tem que mostrar o nosso padrão de jogo. Treinamos bem esses dois meses; acho que foi só um apagão mesmo no primeiro set, nos outros três fizemos tudo que tinha que ser feito”, declarou o líbero Daniel.

“Claro que queríamos ganhar de 3 a 0, mas é o que acontece: estreia, muito tempo sem jogar, ficamos dois meses apenas treinando, e ritmo de jogo é uma coisa fundamental, para qualquer esporte (...) Poderíamos ainda ter ganho o primeiro set, cometemos três erros importantes de falta de ritmo de jogo e, depois, na sequência, subimos bastante de produção, tanto é que consegui ainda colocar a maioria dos meus atletas para jogar. Isso é importante para que toda a equipe tenha ritmo de jogo, esteja participando, para que na hora que precise entrar esteja pronto”, afirmou o treinador Fernando Rabelo.

No próximo sábado, às 16h, o Bento Vôlei/Isabela enfrenta a Upis/Brasília, no Sesi-Taguatinga. No mesmo dia, às 20h, o Barão/Blumenau recebe o Unincor/Três Corações, em Santa Catarina.

foto: Enio Bianchetti/Bento Vôlei

(Superliga B) No interior de MG, Santo André vence Unincor/Três Corações

Em partida realizada no ginásio Pelezão, o Santo André/Diário bateu o Unincor/Três Corações por 3 sets a 1, parciais de 25/21, 23/25, 25/23 e 25/23, pela 1ª rodada da Superliga B. O time paulista, que somou três pontos, foi o único clube na estreia da competição a vencer longe dos seus domínios. Com a derrota, o clube mineiro não soma nenhum ponto e buscará a recuperação na sequência do torneio.

Um bom público compareceu ao jogo e viu o Santo André/Diário sacar muito forte e atrapalhar as ações defensivas do time da casa. O resultado foi vitória dos visitantes no primeiro set por 25 a 21. Na segunda parcial, o Unincor/Três Corações conseguiu melhorar na recepção e o equilíbrio foi intenso até a vitória por 25 a 23 dos mineiros. Assim como no período anterior, as duas equipes seguiram disputando ponto a ponto nos dois sets seguintes e nos momentos decisivos, o time do ABC paulista levou a melhor vencendo ambos por 25 a 23.

No próximo sábado, dia 31, às 16h, o Santo André/Diário recebe o Sada/Unifemm, no ginásio Pedro Della’Antonia. No mesmo dia, às 20h, o Unincor/Três Corações encara o Barão/Blumenau, em Santa Catarina.

foto: Unincor/Três Corações/Divulgação

(Superliga B) Jogando em casa, Sesi-SP/Juvenil supera Upis/Brasília

Em duelo válido pela 1ª rodada da Superliga B, o Sesi-SP/Juvenil derrotou a Upis/Brasília por 3 sets a 1, parciais de 17/25, 25/20, 27/25 e 25/21, no ginásio da Vila Leopoldina. Com isso, o time paulistano somou três pontos na tabela de classificação, enquanto a equipe do Distrito Federal não somou nada na sua estreia na competição.

Contando com jogadores da equipe sub-21 do Sesi-SP, o técnico Gerson Amorim viu seu time ter poder de reação na partida. No primeiro set, a Upis/Brasília mostrou que ia incomodar e venceu por 25 a 17, porém na sequência, em parciais muito equilibradas, os donos da casa, com destaque para Fabio, que anotou 24 pontos, virar o placar com 25 a 20, 27 a 25 e 25 a 21.

A próxima rodada da Superliga B, que ocorrerá no dia 31 marca o duelo do Sesi-SP/Juvenil contra o Foz do Iguaçu, às 19h30min, no ginásio Costa Cavalcanti. Já a Upis/Brasília vai encarar o Bento Vôlei/Isabela, no Sesi/Taguatinga.

foto: Marcel Matz/Sesi-SP

(Superliga B) Sada/Unifemm vence Foz do Iguaçu na estreia

Na abertura da Superliga B, o Sada/Unifemm derrotou o Foz do Iguaçu por 3 sets a 1, parciais de 25/21, 25/22, 23/25 e 25/23, jogando em Sete Lagoas. Com isso, a equipe celeste estreia com a mão direita na competição, marcando três bons na tabela. Já o time paranaense inicia o torneio sem somar pontos. 

Jogando em casa, com o apoio da torcida, os cruzeirenses começaram impondo um bom ritmo de jogo. Sacando bem, chegaram a marcar três pontos do fundamento na etapa, e dominaram o set para abrir o placar em 25 a 21. Na segunda etapa, o Sada/Unifemm cometeu muitos erros e chegou a ficar atrás no marcador, mas com o bloqueio funcionando e eficiente nos contra-ataques, logo reassumiu a vantagem e fechou em 25 a 22.

Para o terceiro set, os visitantes voltaram melhores. Com uma boa marcação dos atacantes celestes, o Foz do Iguaçu abriu quatro pontos de vantagem. Os jovens talentos do time azul ainda reagiram e encostaram na boa passagem de Romulo pelo saque, mas não impediram a derrota por 23 a 25. Com mais volume de jogo, a Raposa voltou a ter o domínio do confronto no início do quarto set. Os paranaenses ainda equilibraram o jogo com o bom funcionamento do seu sistema defensivo, mas não foi o suficiente para adiar a vitória azul por 25 a 23.

“A gente teve dificuldade no passe no início do jogo, mas no decorrer da partida conseguimos nos adaptar. Com isso, crescemos no ataque e no bloqueio e conseguimos a vitória. O maior diferencial do nosso time é a nossa juventude, todo mundo dando o máximo sempre, querendo muito ganhar. Muitas vezes o adversário acha que vai ser tranquilo enfrentar a gente, porque somos mais jovens, mas encontra um time muito afim de vencer e se entregando ao máximo. A nossa tendência é melhorar a cada dia e espero que o time possa surpreender lá na frente”, disse o ponteiro Rodriguinho.

Na próxima rodada, que ocorre no dia 31, o Sada/Unifemm encara o Santo André/Diário, às 16h, no ginásio Pedro Della’Antonia. Já o Foz do Iguaçu recebe o Sesi-SP/Juvenil, às 19h30min, no ginásio Costa Cavalcanti.

Equipes:

Sada/Unifemm: Lucas Salim, Alan, Leozinho, Rodriguinho, Éder Levi, Romulo e Vanderson (líbero)
entraram: Cristiano, Wilham e John
Técnico: Henrique Furtado.

Foz do Iguaçu: Ricardo, Piracicaba, Ciba, Zapata, Paulista, Carlão e Feijão (líbero)
entraram: Magrão, Mineiro e Arroz
Técnico: Marcos Vinicius Antunes

foto: Renato Araújo/Divulgação Sada Cruzeiro

sábado, 24 de janeiro de 2015

(Copa Brasil) Brasil Kirin e Funvic/Taubaté brigam pelo título

Brasil Kirin e Funvic/Taubaté fazem neste sábado, às 22h, a final da Copa Brasil, no ginásio Taquaral. Para este duelo, a expectativa é de um grande jogo, pois o time de Campinas terá o apoio de sua torcida e a equipe do Vale do Paraíba vem embalada pela vitória sobre o atual campeão da competição, Sada/Cruzeiro. A partida terá transmissão do Sportv e da TV Brasil.

Desfalcado de três jogadores, sendo dois na mesma posição (os opostos Wallace e Michael e o líbero Alan), o Brasil Kirin tem se superado a cada partida. Para passar pelo Minas Tênis Clube na semifinal, o técnico Alexandre Stanzioni utilizou o central Vini como oposto e, com boa atuação de todo o grupo, garantiu a classificação. Agora, com o apoio do torcedor novamente, a intenção é garantir o título.

“Jogamos contra o time deles no Campeonato Paulista e na Superliga e sabemos que eles têm um saque muito forte, especialmente com Lorena, Sidão e Lipe, e um poder no ataque muito bom também. Além disso, têm um plantel muito qualificado, mas estamos com algumas mudanças no elenco que podem surpreender. Acredito que vai ser um bom jogo”, disse o central Luizinho.

“Será um jogo complicado. A Funvic/Taubaté tem uma equipe forte e já nos enfrentamos algumas vezes nessa temporada. Vamos ter que pressionar bastante no saque para dificultar o sistema de jogo deles. Também teremos o fator casa a favor e tenho certeza que a nossa torcida comparecerá em peso no ginásio para apoiar o nosso grupo”, declarou o treinador Alexandre Stanzioni.

Pelo lado da Funvic/Taubaté, a vitória sobre o Sada/Cruzeiro mostrou que o time tem condições de vencer qualquer equipe. O técnico Cézar Douglas prevê dificuldades contra o Brasil Kirin, principalmente pelo fato do adversário jogar em casa, porém todos na equipe do Vale do Paraíba sabem o que vão encontrar e conhecem bem o rival que estará do outro lado da quadra.

“O Brasil Kirin tem um time muito compacto, perdeu peças e está conseguindo forças com o grupo, o que é sempre muito importante. Além disso, conta com o fator casa, que pode fazer a diferença em partidas decisivas como essa. Tenho certeza que vai ser um jogo muito complicado, difícil e um espetáculo do voleibol brasileiro, que eu fico muito contente em poder participar”, afirmou o levantador Raphael.

“É o jogo mais difícil do campeonato. Dentro de Campinas, sabemos que o lado emocional vai influenciar bastante e essa é uma equipe que está buscando cada vez mais a superação pelos desfalques. O nosso time não pode cair nessa armadilha. Tem que entrar como foi no jogo pela semifinal porque teremos uma super decisão”, declarou o treinador Cézar Douglas.

Equipes:

Brasil Kirin: Sandro, Baiano, João Paulo Tavares, Bravo, Luizinho, Gustavão e Pará (líbero)
Técnico: Alexandre Stanzioni

Funvic/Taubaté: Raphael, Lorena, Sidão, Maurício, Lipe, Dante e Felipe (líbero)
Técnico: Cézar Douglas

foto: Alexandre Arruda/CBV

(Superliga B) Bento Vôlei/Isabela estreia diante do Barão/Blumenau

Pela 1ª rodada da Superliga B, o Bento Vôlei/Isabela recebe o Barão/Blumenau, neste sábado, às 20h, no ginásio municipal de Bento Gonçalves. Considerada uma das favoritas ao título, a equipe gaúcha pretende começar a edição deste ano com o pé direito, enquanto o time catarinense, que volta a disputar uma competição nacional aparece querendo reconstruir seu projeto.

Da equipe que terminou o Campeonato Gaúcho na terceira posição (atrás de Canoas Vôlei e Voleisul/Paqueta Esportes), o técnico Fernando Rabelo conta com jogadores experientes como o oposto Tuba, o ponteiro Dentinho e o levantador Rivoli. A principal novidade para a Superliga B é o líbero Daniel Rossi, que estava no Volta Redonda. Além de um bom time, o Bento Vôlei/Isabela ainda conta com uma apaixonada torcida.

“A expectativa é de vitória, de fazer um bom jogo. Esse é o nosso objetivo, uma vitória em casa. Esperamos um bom público, com uma torcida vibrante (...) A nossa meta, traçada há dois anos, é a de buscar o título da Superliga B pra subirmos para a Liga principal. Nosso time tem condições para isso, está num padrão bom e acredito que vá melhorar ainda mais durante a competição, com a passagem dos jogos”, afirmou o treinador Fernando Rabelo.

No Barão/Blumenau, a possibilidade de ingressar novamente em um torneio nacional já é um grande passo. O técnico André Donegá conta com um time bastante jovem, sendo que a média de idade é de 21 anos. Dos 15 atletas do elenco, nove são da cidade catarinense, o que mostra o gosto da cidade por voleibol. O destaque fica por conta do experiente levantador Marcel Ramos, o China.

foto: Bento Vôlei/Divulgação

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

(Superliga B) No Pelezão, Unincor/Três Corações encara Santo André

Neste sábado, às 19h, o Unincor/Três Corações enfrenta o Santo André/Diário, no ginásio Pelezão, pela 1ª rodada da Superliga B. De volta as competições, o time mineiro contratou bastante, com destaque para alguns jogadores experientes, enquanto a equipe do ABC paulista, sempre tradicional, chega com um grupo bastante jovem e tendo o entrosamento como forte aliado.

Depois de 14 anos sem disputar uma competição nacional, o Unincor/Três Corações recomeça seu projeto de voleibol pela Superliga B, com o objetivo de retornar à elite da modalidade da qual fez parte entre 1997 e 2001. Para isso, o técnico Antônio Resende foi em busca de atletas rodados, como o ponteiro Renato Hermely e o oposto Leozão, que estavam no Volta Redonda.

“Nós estamos preparados para fazer um bom campeonato e contamos com o apoio da torcida, como sempre tivemos, para que ela possa interferir positivamente na equipe durante os jogos", contou o treinador Antonio Resende.

Nas três edições da Superliga B, o Santo André participou em duas, das quais, conquistou o terceiro lugar na no ano passado. O técnico Marcelo Madeira sabe das dificuldades que terá para chegar a elite, algo que não acontece a equipe do ABC desde 2011. Depois de um Estadual onde não conseguiu fazer frente aos grandes, o time andreense foi vice-campeão dos Jogos Abertos do Interior e trouxeram reforços, com destaque para o central Silêncio.

“O objetivo é ficar entre os quatro. A equipe ficou um tempo fora, mas se reforçou agora com jogadores mais experientes”, afirmou o técnico Marcelo Madeira.

foto: Unincor/Três Corações/Divulgação