sexta-feira, 20 de outubro de 2017

(Superliga) Por recuperação, EMS Taubaté/Funvic pega Copel Telecom/Maringá

O EMS Taubaté/Funvic entra em quadra neste sábado, às 18h30min, para enfrentar o Copel Telecom/Maringá, no ginásio Abaeté, pela 2ª rodada da Superliga 2017/2018. Os dois times perderam na estreia e a palavra de ordem é recuperação, independente de a competição ter iniciado agora. A expectativa é de casa lotada, já que será o primeiro jogo da equipe do Vale do Paraíba, ao lado da torcida, após a conquista do Estadual.

Com uma semana inteira para trabalhar, o técnico Daniel Castellani aproveitou o período para corrigir alguns erros apresentados na derrota para o Sesc-RJ, no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Além disso, o comandante argentino ganhou o reforço do ponteiro Ivovic, recuperado de lesão, e que fica à disposição, ou seja, deixando ainda mais forte a equipe do EMS Taubaté/Funvic.

“Tivemos problemas no jogo de estreia, claro, mas temos trabalhado com muita atenção nos treinos e corrigido esses pontos que estão nos atrapalhando. Nosso elenco é qualificado, os jogadores tem capacidade de superar sim essas adversidades, e vamos buscar essa vitória para retomar as boas atuações”, comentou treinador Daniel Castellani.

“Não foi o que esperávamos essa derrota para o SESC, mas eles venceram por méritos deles também. Nós voltamos para cá, sentamos e analisamos o que estamos errando. O que passou já passou, é hora de olhar para frente e focar nessa partida contra Maringá. Temos um grupo experiente, que não se abateu de forma alguma.”, comentou o levantador Rapha.

Pelo lado do Copel Telecom/Maringá, o momento é de ter ‘pés no chão’ e fazer o possível para manter o nível de concentração. A derrota para o Sesi-SP, no Chico Neto, não pode ser considerada anormal, pois a equipe tem, teoricamente, a ‘pior’ tabela deste início de competição, enfrentando os três primeiros colocados da temporada passada. A boa notícia é que o técnico Renato Lúcio tem todos os jogadores à disposição, inclusive, o ponteiro Bruno Araújo, ex-Caramuru.

“Temos que ter a consciência que a vitória será consequência de bons jogos. Sabemos a dificuldade que é enfrentar o Taubaté que foi a segunda colocada da Superliga no último ano e entra esse ano brigando mais uma vez pelo título, mas não é impossível vencê-los. Temos que estar atentos o jogo todo para não errarmos pontos bobos. Acredito muito no potencial dessa equipe e sei que faremos bons jogos durante a competição” explicou o treinador Renato Lúcio.

“A gente vem treinando forte, a equipe está focada, com o professor Renato Lúcio nos deixando tranquilos. Sabemos que é difícil esse inicio de Superliga, pegando equipes fortes, mas temos total consciência que temos que matar um leão por dia e com isso podemos conquistar um resultado positivo. Sabemos a qualidade que o Taubaté tem, mas vamos para o tudo o nada, pois também temos qualidade, onde nosso elenco tem a mescla de juventude e experiência, com todos querendo mostrar seu valor (...) Participamos apenas da Copa Copel Telecom e temos que aproveitar o máximo para pegar ritmo o mais rápido possível”, declarou o central Aureliano.

Equipes:

EMS Taubaté/Funvic: Rapha, Wallace, Lucarelli, Dante, Solé, Otávio e Thales (líbero)
técnico: Daniel Castellani

Copel Telecom/Maringá: Ricardinho, Alisson Bastos, Kaio, Thiago Alves, Ialisson, Wennder e Daniel (líbero)
técnico: Renato Lúcio

foto: Rafinha/EMS Taubaté Funvic

(Superliga) Adaptado a nova casa, Ponta Grossa/Caramuru recebe o Sesi-SP

Neste sábado, às 18h, o Ponta Grossa/Caramuru Vôlei recebe o Sesi-SP, na Arena Multiuso, pela 2ª rodada da Superliga 2017/2018. Como perdeu na estreia, o time paranaense busca a recuperação, apesar de enfrentar um dos candidatos ao título e que na rodada inaugural venceu fora de casa. Independente de orçamentos bem diferentes, a expectativa é de um bom jogo e casa cheia.

A derrota para o Vôlei Renata, na estreia, não foi considerada ruim, apesar do resultado. Isso porque, o Ponta Grossa/Caramuru brigou em todas as parciais com a equipe de Campinas e a tendência é que o nervosismo do primeiro jogo já tenha passado, tanto que o técnico Fábio Sampaio adiantou que a semana de trabalho foi produtiva e todos do elenco estão focados no confronto de amanhã. Outro fator que deve contar a favor é o maior tempo de treino na nova casa, ganhando assim as referências do local.

“É muito difícil enfrentar um time com quatro campeões olímpicos (William, Lipe, Douglas Souza e Lipe), além de um linha de passe forte e com um levantador que transforma um passe B ou C em A. É complicado, mas vamos para cima, tentar tirar pontos e quem sabe ganhar. Tivemos uma semana muito equilibrada de treinamentos, o ambiente está bacana e a confiança dos atletas também, mesmo sabendo do franco favoritismo do Sesi-SP. Vamos adotar nossas cautelas e nossas estratégias para fazer um bom jogo e agradar a nossa torcida”, declarou o técnico Fábio Sampaio, que ainda falou do momento do projeto.

“O Caramuru está vindo a passo curto, crescendo aos poucos, com uma estrutura melhor, com um amparo melhor, mas infelizmente isso não se refletiu em contratações porque o mercado está fechado. A luta será para permanecer na Superliga e ai sim no ano que vem vamos formar uma equipe competitiva. Claro que vamos analisar os atletas que aqui estão e ver quais seguirão conosco na próxima temporada”, concluiu.

Pelo lado do Sesi-SP, a boa atuação apresentada na vitória sobre o Copel Telecom/Maringá, no último sábado, no Chico Neto, deu grande incentivo a time que neste início de competição terá uma maratona de quatro jogos seguidos longe de casa. Um dos destaques na estreia foi o oposto Alan, porém dois outros jogadores acabaram chamando a atenção e integraram a seleção da rodada, casos do líbero Pureza e do central Leandro Aracaju.

“Os três primeiros pontos sempre são importantes, conquistando-os o time já começa bem mais motivado. E para completar eu tive a felicidade de ganhar o troféu Viva Vôlei já na estreia, o que foi muito gratificante. Mostra que estou indo no caminho certo (...) O time está bem focado, e tenho certeza que lá em Ponta Grossa iremos fazer uma boa partida. Seguimos estudando para crescer ainda mais. Para sábado temos que seguir corrigindo nossos erros, e se tudo der certo voltaremos com mais três pontos na classificação geral”, comentou o oposto Alan.

Equipes:

Ponta Grossa/Caramuru:
Índio, Caio, Peron, Cris, Thales, Maycon e Jorge Bruno (líbero)
técnico: Fábio Sampaio

Sesi-SP: William, Alan, Douglas Souza, Renato, Lucão, Aracaju e Pureza (líbero)
técnico: Rubinho

foto: José Tramontin

(Superliga) Com Sportv, Montes Claros e JF Vôlei duelam sábado de manhã

A 2ª rodada da Superliga 2017/2018 começa no sábado, às 11h, quando o Montes Claros recebe o JF Vôlei, no ginásio Tancredo Neves. As duas equipes mineiras perderam na estreia e buscam a primeira vitória na competição, sendo que no retrospecto atual da temporada, o Pequi Atômico leva vantagem de ter vencido os dois confrontos válidos pelo Estadual, além de dois amistosos. A partida terá transmissão do Sportv.

No Montes Claros, que perdeu para o Lebes Canoas na primeira rodada, a grande novidade está na beira da quadra, já que Chico dos Santos foi demitido e o auxiliar-técnico Sérgio Cunha foi confirmado como interino, pelo menos para esse confronto. No time, a expectativa é que o oposto Lorena inicie o duelo desde o início, algo que não aconteceu no Rio Grande do Sul devido ao desgaste físico do atleta, além da equipe melhor seu rendimento no saque.

“A expectativa agora é de muito trabalho. Venho me preparando há anos em minha carreira para ter essa oportunidade de assumir uma equipe no começo da Superliga. Agora é pensar daqui pra frente, trabalhar focado, vendo e corrigindo os erros e falhas e em cima disso o nosso acerto e o nosso melhor. Essa oportunidade é tudo que sonhei em minha vida. Tenho vários sonhos e um deles estou realizando hoje, mesmo que seja provisório uma semana, duas, três, não sei quanto vai ser, mas vou curtir e aproveitar o oportunidade ao máximo. O que sei é que vou dar o meu melhor em quadra para que possamos sair com vitória e pensamento positivo”, explicou o técnico interino.

“Não tivemos o início de Superliga que desejávamos. Começar com derrota nunca é bom, mas temos consciência que jogamos abaixo que podíamos. Agora vamos estrear em casa e, diante da nossa torcida, queremos a vitória de qualquer maneira (...) Não vai ser um jogo fácil, temos que diminuir um pouco o número de erros que estamos cometendo durante a partida, mas vamos, sim, em busca da vitória. Todo jogo deve ser encarado como uma final, pois a Superliga está forte, e não podemos perder pontos dentro de casa”, afirmou o líbero Alan.

No JF Vôlei, que foi derrotado pelo Minas Tênis Clube, o técnico Henrique Furtado espera ver sua equipe concentrada desde o início, algo que não ocorreu na rodada inaugural. O ponteiro Leozinho, que foi destaque no jogo anterior marcando 32 pontos e aparecendo na Seleção da rodada, é uma das ‘armas’ da equipe, que além de bom desempenho no ataque ajuda na recepção com Rammé e o líbero Juan Mendez.

“O que eu mais espero desta temporada é evolução. Temos uma equipe jovem, mas com potencial muito grande. Temos muito a evoluir e pensar a cada ponto, tentar fazer um bom jogo a cada rodada e jogar o nosso melhor. Derrota ou vitória é consequência do que vamos apresentar ao longo da temporada”, declarou o ponteiro Leozinho.

“Acho que o time de Montes Claros é uma equipe que saca e bloqueia muito bem, que tem jogadores experientes, como Lorena, Sandro e Alan e nós temos a vantagem de já termos jogado contra eles e conhecermos muito bem. A medida que passam as semanas estamos nos entrosando mais e esperamos fazer uma bela partida em Montes Claros e voltar com uma vitória para casa”, disse o líbero Juan Mendez.

A partida terá um lado solidário, pois metade da renda da bilheteria será destinada às vítimas da tragédia em Janaúba, ocorrida no último dia 5, quando um vigia da Creche ‘Gente Inocente’ ateou fogo ao próprio corpo e em dezenas de crianças dentro de uma sala de aula. Ao todo 59 pessoas ficaram feridas, sendo que nove crianças, além da professora Helley de Abreu morreram na tragédia.

Equipes:

Montes Claros: Sandro, Najari Zanotti, Vivalde, Dianini, Tarcísio e Alan (líbero)
técnico: Chico dos Santos

JF Vôlei: Felipe Hernandez, Emerson, Drago, Bruno, Leozinho, Rammé e Juan Mendez (líbero)
técnico: Henrique Furtado

foto: Ascom/MOC VÔLEI

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Bruno Godoy chega para reforçar o São José Vôlei na Taça Prata

A Taça Prata começa no próximo dia 24 em Itapetininga e garante três vagas para a Superliga B. Querendo ser um desses clubes, o São José Vôlei resolveu se reforçar e anunciou, nesta semana, o ponteiro Bruno Godoy, que disputou o Campeonato Paulista – Divisão Especial pelo EMS Taubaté/Funvic. O jogador de 30 anos disputará apenas a competição pelo time do Vale do Paraíba, já que seguirá para o exterior na sequência da temporada.

Bruno Godoy já passou por vários clubes brasileiros, Aprov/Unoesc, São Caetano e Voleisul/Paquetá Esportes, além de ter atuado na Espanha, na Suíça e no Chipre, onde fez história ao ajudar o Apoel a quebrar um tabu de 27 anos sem vitória sobre o rival, Omonia. O ponteiro chega a São José dos Campos com a missão de substituir Juarez, que foi para o voleibol grego.

A estreia do São José Vôlei na Taça Prata será na terça-feira, às 18h, contra o Vôlei Amazonas/Nilton Lins, enquanto o segundo jogo acontece na quinta-feira, dia 26, às 20h30min, contra o UM Itapetininga, ambos no ginásio Ayrton Senna. O time melhor classificado entre esses três já estará garantido na Superliga B, além de assegura vaga na final do torneio.

foto: Renato Belinelli/Divulgação

Pensando na Superliga B, Uberlândia acerta retorno do ponteiro Erick

Com a confirmação de vaga na Superliga B, o Uberlândia/Unipac/Gabarito já começa a pensar na competição, que deve se iniciar em janeiro. O técnico Manoel Honorato ganhou um reforço interessante para o jovem elenco, já que nesta semana o clube anunciou o ponteiro Erick, mais conhecido como Café, que pertence ao Minas Tênis Clube e chega emprestado para o restante da temporada.

Erick, que tem 2.00m, foi capitão da Seleção Brasileira Sub-19 e esteve disputando a edição passada da Superliga B, quando o Minas Tênis Clube ‘vestiu a camisa’ do Uberlândia. O jogador de 20 anos chega como o primeiro reforço dos mineiros, que devem anunciar mais alguns nomes até o inicio da competição nacional, porém a base deve ser a mesma que disputará os Jogos Universitários Brasileiros, que ocorre no final deste mês, em Goiânia.

Aliás, os JUB’s serão a grande competição do Uberlândia/Unipac/Gabarito neste semestre, sendo que o time mineiro está no Grupo B ao lado de Celso Lisboa (RJ), Unoesc (SC) e Doctum (ES), enquanto o Grupo A contempla Unip (SP), Uninassau (PE), M.Nassau (AL) e Upis, de Brasília, que também está confirmada na próxima Superliga B.

Vale lembrar que além do Uberlândia/Unipac/Gabarito e Upis estão confirmados até o momento na Superliga B o Botafogo, a Apan/Barão/Blumenau, ASPMA/Araucária e Monte Cristo. Em 2016, o time mineiro ficou na 6ª posição entre treze equipes participantes e este ano, quando cedeu a vaga por meio de parceria com o Minas Tênis Clube, terminou na 7ª colocação.

foto: CBV/Divulgação

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

(Superliga) Seleção da 1ª rodada destaca bloqueio e maiores pontuadores

A Confederação Brasileira de Vôlei divulgou, nesta semana, a seleção da 1ª rodada da Superliga 2017/2018. Com base nas estatísticas, o time conta com dois jogadores do Sesi-SP, dois do Sesc-RJ e um do Lebes Canoas, que saíram de suas partidas vitoriosos, enquanto outros dois atletas, de JF Vôlei e Montes Claros completam a equipe, mas acabaram perdendo na rodada inaugural.

A Seleção conta com o levantador Thiaguinho e o oposto PV, ambos do Sesc-RJ, sendo que o atacante anotou 26 pontos contra o EMS Taubaté/Funvic. Os dois foram fundamentais para a vitória por 3 sets a 1, no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Do Sesi-SP estão o líbero Pureza e o central Aracaju, sendo que o primeiro ajudou muito na linha de passe e o segundo foi importante nas horas decisivas contra o Copel Telecom/Maringá, no Chico Neto.

“Fico muito feliz de estrear na Superliga desse jeito. Uma grande vitória e, ainda de quebra, o melhor levantador da rodada. Isso mostra que os meses de preparação intensa e de recuperação da lesão (ligamentar no punho direito sofrida no ano passado, quando jogava na Itália) foram muito bem aproveitados e me deram ainda mais força para buscar meus objetivos”, disse Thiaguinho.

O central Matheus, com dois bloqueios e dez pontos, mostrou muita regularidade na vitória do Lebes Canoas diante do Montes Claros, no La Salle, Do time mineiro, mesmo com a derrota, o argentino Zanotti acabou ingressando na seleção da 1ª rodada, tendo marcado 16 pontos, sendo dois de bloqueio. Completando a equipe está o ponteiro Leozinho, do JF Vôlei, que perdeu para o Minas Tênis Clube, mas viu seu jogador anotar incríveis 32 pontos.

“Estudamos bastante, vimos vários vídeos com a comissão técnica para estar com tudo bem preparado para o jogo. Analisamos o jogo do Sandro e de todos os atacantes deles. E em quadra colocamos tudo em prática. Com a ajuda da nossa torcida q estava presente fizemos um belo jogo coletivo. E ter um reconhecimento e sair na seleção da rodada nos da mais gás e motivação para trabalhar mais e mais”, declarou o central Matheus.

Confira a Seleção

Levantador: Thiaguinho (Sesc-RJ)
Oposto: PV (Sesc-RJ)
Centrais: Matheus (Lebes Canoas) e Leandro Aracaju (Sesi-SP)
Ponteiros: Zanotti (Montes Claros e Leozinho (JF Vôlei)
Líbero: Pureza (Sesi-SP)

foto: Divulgação

Vice-campeão, Clube Jaó desiste de disputar próxima edição da Superliga B

Depois do Bento Vôlei ter desistido de disputar a elite nacional devido a falta de investimentos, o Clube Jaó informou que não vai encarar a próxima Superliga B pelo mesmo motivo. A diretoria do time goiano, que foi vice-campeão na edição passada, resolveu não se inscrever na competição, pois o projeto ficaria muito acima do orçamento, sem projetos incentivados e apoio estatal.

“A diretoria do Jaó preferiu não participar da Superliga devido a falta de recurso que o projeto tem hoje e sem perspectiva da entrada de projetos incentivados tanto do governo quanto do ministério. Isso inviabilizou a nossa entrada na Superliga B, já que os nossos patrocinadores máster, no caso Jaó e a Universo não teria condições de bancar tudo sozinhos. Então sem patrocínio, a diretoria resolveu desistir da competição”, declarou o técnico Hítalo Machado.

Independente de não disputar a Superliga B, o Clube Jaó/Universo seguirá com suas atividades e no final deste mês encara os Jogos Universitários Brasileiros, que ocorrem em Goiânia. Além disso, alguns jogadores, como o levantador Fabiano, vem encarando outros desafios, como o Circuito Brasileira de Vôlei de Praia.

Com a desistência do Clube Jaó, o Uberlândia/Gabarito ficou com a vaga e se junta a Botafogo, Apan/Barão/Blumenau, ASPMA/Araucária, Upis e Monte Cristo. As equipes ainda precisam preencher as exigências da Confederação Brasileira de Vôlei para que sejam confirmadas na competição. Vale lembrar que outros três times virão da Taça Prata.

foto: Gisa Alves

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Com a camisa do Halkbank, Lucas Lóh se adapta ao voleibol turco

Depois de uma boa temporada pela Funvic/Taubaté, onde conquistou o Campeonato Paulista e o vice da Superliga, o ponteiro Lucas Lóh resolveu voltar para o exterior (já atuou na Polônia, e acertou sua transferência para o Halkbank, um dos mais tradicionais times da Turquia e bicampeão nacional. O brasileiro precisou de pouco tempo para se adaptar e na vitória de 3 a 0 sobre o Besiktas foi o maior pontuador com 16 acertos.

“Estou me dando muito bem com o grupo. Acho que o fato de não ser o primeiro ano fora ajuda muito na adaptação e a identificar o que deve ser feito em certos momentos. O time todo foi reformulado e sempre leva um tempo maior para criar um bom entrosamento. Ainda estamos com muitas falhas no jogo como um todo, porém o trabalho é muito intenso e somente assim conseguiremos encontrar o caminho para atingir os objetivos”, afirmou Lucas Lóh, que falou ainda sobre as diferenças entre Superliga e o Campeonato Turco.

“A primeira grande diferença é no calendário. A organização é feita para não sobrecarregar os times com partidas em curtos períodos de tempo, tornando possível uma preparação melhor para cada jogo. Além disso, os ginásios da federação turca contam com a tecnologia do vídeo check, que vem sendo primordial nas grandes competições. Outro diferencial é que os times aqui contam com vários reforços estrangeiros, subindo muito a competitividade até de elencos que são considerados pequenos e do campeonato em si”, concluiu.

O Halkbank iniciou a Division 1 (Campeonato Turco) de forma irregular, com duas derrotas e três vitórias, porém no último final de semana o resultado positivo foi diante do Fenerbahce, fora de casa, de virada, por 3 sets a 1, parciais de 25/21, 21/25, 21/25 e 22/25. Agora, a equipe de Lucas Lóh ocupa a 4ª colocação, com nove pontos, e no próximo dia 22, encara o Kula Bld, dos brasileiros Murilo Radke, Rapha Oliveira e Luan Weber.

foto: Arquivo Pessoal/Instagram