sábado, 25 de março de 2017

(Superliga) Sada/Cruzeiro e Lebes/Gedore/Canoas fazem duelo decisivo

Neste sábado, às 21h30min, o Sada/Cruzeiro recebe o Lebes/Gedore/Canoas, no ginásio do Riacho, em Contagem, pelo terceiro jogo das quartas de final da Superliga 2016/2017. Por ter vencido as duas primeiras partidas, o time celeste garante vaga para as semifinais com uma vitória, enquanto a equipe gaúcha precisa vencer para forçar um quarto confronto. A partida terá transmissão do Sportv.

No primeiro confronto, em casa, o Sada/Cruzeiro venceu por 3 sets a 0, e depois, no ginásio La Salle, conseguiu o resultado positivo, de virada, por 3 sets a 1. Mesmo em vantagem, o técnico Marcelo Mendez chama atenção para o cuidado que seu time deve ter, ainda mais que os gaúchos mostraram muita disposição no primeiro set da partida anterior e podem criar dificuldades novamente.

“Nós alcançamos todos os nossos objetivos até o momento. Classificamos em primeiro e ficamos com a vantagem de decidir todo o playoff em casa. Agora é hora de tentar fazer valer esse mando de quadra, manter o bom trabalho e lutar por mais uma vitória para conseguir a classificação. Será um jogo difícil, o bom time de Canoas virá com força máxima para o tudo ou nada, por isso precisamos estar atentos”, analisou o técnico Marcelo Mendez.

“Em casa temos a força da torcida a nosso favor. E eles sempre comparecem para empurrar o time e ser o sétimo jogador em quadra. Certamente nos ajudarão mais uma vez neste sábado, apoiando, cantando e vibrando com a gente a cada ponto”, convocou o ponteiro Filipe.

Pelo lado do Lebes/Gedore/Canoas, o momento é de prestar atenção aos detalhes e errar o mínimo possível contra um adversário tão qualificado quanto o Sada/Cruzeiro. O técnico Marcelo Fronckowiak gostou do que viu no primeiro e em parte do segundo set da partida anterior, e sabe que manter a intensidade será fundamental se quiser sair com um resultado diferente dos anteriores. 

“Projeto mais uma partida onde a gente vai lutar até o final. É mais uma oportunidade para mostrarmos do que somos feitos e batalhar por um resultado positivo. Sei que o jogo é duríssimo por causa da qualidade incontestável da equipe deles, mas no último jogo nós já tivemos um resultado um pouco melhor que no primeiro, e nesse jogo vamos continuar fazendo o que deu certo na última partida e melhorar onde ficou a desejar”, disse o oposto Thomaz.

Equipes:

Sada/Cruzeiro: William, Evandro, Isac, Simón, Leal, Rodriguinho e Serginho (líbero)
técnico: Marcelo Mendez

Lebes/Gedore/Canoas: Evandro, Thomaz, Giovanni, Ialisson, Alison Bastos, Alisson Melo e Thales (líbero)
técnico: Marcelo Fronckowiak

foto: Renato Araujo/Sada/Cruzeiro & Canoas/Divulgação

(Superliga B) Botafogo encara Upis precisando vencer para se manter vivo

Fechando a segunda rodada das quartas de final da Superliga B, o Botafogo encara a Upis, neste sábado, às 19h30min, no ginásio Oscar Zelaya, em General Severiano. Como perdeu o primeiro jogo em Brasília, o Alvinegro carioca precisa ganhar para empatar a serie e forçar um terceiro jogo, em caso de vitória do time do Distrito Federal, a equipe do Rio de Janeiro estará eliminada.

A derrota por 3 sets a 2 em Brasília não desanimou a equipe do Botafogo, que acredita na virada e no apoio do torcedor. Além de empurrar o time carioca para a vitória, quem for ao ginásio verá um local totalmente remodelado, algo a mais para acrescentar nesse jogo que promete ser bastante equilibrado. 

“Eles aproveitaram o fator casa e conseguiram a vitória, mas a gente levou uma parte positiva também. Estávamos perdendo por dois sets e conseguimos ainda levar o jogo pro tie-break, infelizmente perdemos. Temos dois jogos em casa para ganhar e agora é nossa vez de tirar proveito do mando de quadra”, declarou o oposto Alex Damião, que falou sobre o ginásio Oscar Zelaya.

“Eu estou muito empolgado, ficou bonito demais. Sábado com esse Ginásio e com nossa torcida aqui, vai ser muito difícil ganhar da gente. Eles são o nosso sétimo jogador e o público mais atuante da Superliga. Encher as arquibancadas e nos ajudar é crucial e será mais um fator determinante para conseguirmos essa virada”, completou o jogador alvinegro.

Pelo lado da Upis, a vitória em casa foi fundamental para dar moral e conseguir a vantagem de 1 a 0 na serie melhor de três partidas. Todos esperam grandes dificuldades no confronto deste sábado, mas a intenção é manter a mesma pegada apresentada no primeiro confronto e evitar a pressão que vier da arquibancada.

foto: Botafogo/Divulgação

sexta-feira, 24 de março de 2017

(Superliga B) ASPMA/Araucária e Apan/Blumenau prometem bom jogo no PR

Neste sábado, às 19h, a ASPMA/Araucária/Berneck recebe a Apan/Barão/Blumenau, no ginásio Parque Cachoeira, pelo segundo jogo das quartas de final da Superliga B. Por ter vencido o primeiro jogo em casa, o time catarinense busca a vitória para fechar a serie em 2 a 0, enquanto a equipe paranaense precisa ganhar para empatar o confronto e forçar um novo e decisivo duelo.

No primeiro jogo, no ginásio do Colégio Barão do Rio Branco, a Apan/Barão/Blumenau venceu por 3 sets a 1, em uma partida bastante equilibrada, mas onde o fator casa foi fundamental. Desta vez, a ASPMA/Araucária/Berneck, que teve a terceira melhor campanha da fase classificatória, espera fazer valer essa situação e conta com o apoio da torcida local.

“Sabemos das dificuldades que vamos enfrentar, mas vamos fazer uma boa preparação. O primeiro jogo foi muito equilibrado, decidido nos detalhes. Agora, vamos nos concentrar ainda mais e tentar reverter esse resultado dentro de casa. Com certeza, vamos contar com o apoio da nossa torcida, que sempre foi fundamental e vamos buscar a vitória”, destacou o técnico Everson Ribeiro.

foto: Josi Schmidt/FPV

(Superliga B) Sesc-RJ recebe o Uberlândia/Gabarito de olho nas semifinais

Pelo segundo jogo das quartas de final da Superliga B, o Sesc-RJ recebe o Uberlândia/Gabarito, neste sábado, às 19h, no ginásio da Hebraica. Como venceu a primeira partida, em Minas Gerais, o time carioca busca mais uma vitória para garantir vaga nas semifinais, enquanto os mineiros precisam ganhar para forçar um terceiro duelo, que também ocorreria no Rio de Janeiro.

Mesmo tendo feito a melhor campanha da fase classificatória e vencido por 3 sets a 0 no primeiro jogo, o Sesc-RJ teve dificuldades para vencer o adversário na Arena Minas, em Belo Horizonte. O técnico Giovane Gavio entende o favoritismo e a pressão que existe para o time ser campeão, porém tenta passar aos atletas que o objetivo é pensar jogo a jogo e ir crescendo na competição.

Apesar da derrota, os jogadores do Uberlândia/Gabarito estão motivados pela boa atuação no primeiro jogo. No duelo de Belo Horizonte, a jovem equipe mostrou muita vibração e garra, algo que agradou e muito o técnico Issanayê Ramires, que espera ver o time da mesma forma agora no Rio de Janeiro.

“Na nossa visão, esse jogo contra o Sesc-RJ em casa nos deu indicativos que temos condições de sermos melhores em alguns aspectos e fazermos um outro jogo de igual para igual. Estudamos algumas situações, principalmente no sistema defensivo e no saque, para termos novamente um excelente jogo. Mesmo sabendo que o investimento deles é muito maior e que temos objetivos diferentes, estamos aqui para fazer um bom jogo e aproveitar a chance de enfrentar uma equipe forte como a deles”, declarou o técnico Issanayê Ramires.

foto: Erbs Jr./Sesc-RJ

(Superliga) Taquaral recebe o segundo jogo entre Brasil Kirin e Montes Claros

Neste sábado, às 14h10min, o Brasil Kirin recebe o Montes Claros, no ginásio Taquaral, pela segunda partida das quartas de final da Superliga 2016/2017. Após vencer o primeiro duelo, em Minas Gerais, o time de Campinas quer vencer para abrir 2 a 0 na serie, enquanto o Pequi Atômico espera dar o troco na casa do adversário e empatar o confronto. A partida terá transmissão da Rede TV!

Na série considera mais equilibrada do playoff, por ser a disputa do quarto contra o quinto, o time de melhor posição na primeira etapa da competição está em vantagem. Para abrir 2 jogos a 0, todos no Brasil Kirin esperam ter uma boa atuação como aconteceu no Tancredo Neves e para isso conta com o apoio do torcedor que deve lotar o ginásio do Taquaral.

“Sabemos que não será nada fácil e que não tem nada ganho, mas batalhamos durante toda a temporada para conquistar essa vantagem de estarmos mais vezes dentro de casa. Nossa torcida é muito importante, nos leva para cima durante todo jogo. Por isto, entraremos determinados em dar nosso máximo e corresponder dentro de quadra”, comentou o técnico Horacio Dileo. 

“Temos que jogar com muita disciplina tática, assim como na fase classificatória. O primeiro jogo do playoff foi muito equilibrado e a tendência é que isso se repita até o final. Com certeza este segundo será um jogo muito estratégico, aquele famoso gato e rato (...) Jogar em casa sempre é um fator importante. Esperamos um ginásio lotado que nos ajude e empurre o time o tempo todo. Precisamos estar concentrados para tentar neutralizar os principais atacantes deles. Por todos esses motivos, esse tem tudo para ser um jogo equilibrado e emocionante”, brincou o central Vini.

Pelo Montes Claros, o técnico Marcelinho Ramos treinou intensamente com a equipe neste período entre o primeiro e o segundo jogo. Para os jogadores, a motivação está em a serie ser de cinco confrontos, ou seja, a equipe mineira tem totais condições de reverter a situação, ainda mais que o duelo anterior foi equilibrado, com parciais fechadas com apenas dois pontos de diferença entre os times.

“Nós sabemos que este é um confronto bastante equilibrado e que se prova pelas diferenças nas parciais do último jogo. Se conseguirmos fazer a manutenção do que fizemos de bom no primeiro confronto e corrigirmos nossos pequenos erros, temos totais condições de ganhar”, declarou o técnico Marcelinho Ramos.

“Erramos muito no primeiro jogo, principalmente em final dos sets. Diminuir esses erros pode ajudar muito a conseguirmos essa vitória. Sabemos que vai ser muito mais difícil jogar lá, mas, se eles ganharam aqui, nós também podemos ganhar lá (...) O bom de uma série longa é que temos tempo para reverter essa vantagem que eles tiveram. Eles têm um time muito mais experiente e jogado do que o nosso, mas temos nossas qualidades e vejo como um confronto totalmente aberto”, afirmou o central Salsa.

Equipes:

Brasil Kirin: Rodriguinho, Rivaldo, Maurício Souza, Vini, Diogo, Temponi e Tiago Brendle (líbero)
técnico: Horacio Dileo

Montes Claros: Murilo Radke, Luan Weber, Salsa, Robinho, Bob, Jonatas e Gian (líbero)
técnico: Marcelinho Ramos

foto: Washington Alves/Inovafoto/CBV

Com ranking em discussão, Clubes vão integrar Assembleia Geral da CBV

A inclusão de dois representantes de clubes entre os membros votantes foi decidida pela Assembleia Geral Ordinária da Confederação Brasileira de Voleibol realizada nesta sexta-feira, em Barra de São Miguel (AL). Os representantes de clubes serão indicados pelo Comitê Brasileiro de Clubes, que faz parte do Sistema Nacional do Desporto, conforme dispõe a Lei Pelé.

De acordo com a diretoria da CBV, a inclusão dos clubes agora na Assembléia Geral Ordinária, e anteriormente dos representantes dos atletas de voleibol de quadra e praia, vem contemplar a participação de todos os atores que constroem o esporte, além de atender à legislação em vigor. Vale destacar que este é um momento delicado para a entidade, que vê os jogadores ganhando força contra o ranking e os clubes questionando a liberação das transmissões pela internet.

“Estamos sempre abertos à participação de todos em prol do desenvolvimento do voleibol brasileiro, e nada melhor do que trazermos para dentro aqueles que fazem o esporte no dia a dia. O diálogo com os atletas e os clubes será sempre benéfico e eles também podem contribuir e muito para o nosso crescimento e aprimoramento", comentou o presidente da CBV, Walter Pitombo Laranjeiras. 

Outra decisão da Assembleia foi a aprovação de Ricardo Vieira Santiago, presidente do Minas Tênis Clube, para integrar o Comitê de Apoio ao Conselho Diretor como representante dos clubes. Também nesta sexta-feira, o presidente Walter Pitombo Laranjeiras e o vice-presidente Neuri Barbieri, reeleitos para o período de 2017 a 2020, tomaram posse do novo mandato à frente da CBV.

foto: Renan Rodrigues/CBV

(Superliga B) Clássico goiano abre a segunda rodada das quartas de final

A segunda rodada das quartas de final da Superliga B começa nesta sexta-feira, às 20h30min, com o clássico goiano entre Clube Jaó/Universo e Alfa/Monte Cristo/Teuto, no ginásio do Colégio Santo Agostinho. Por ter vencido o primeiro duelo, os comandados de Hitalo Machado vão para as semifinais com uma nova vitória, enquanto a equipe de Paulo Martins precisa ganhar para forçar um terceiro duelo.

“Queremos que os atletas entrem no jogo com 100% da capacidade física, o que é um pouco dificultado devido à proximidade dos jogos”, explicou o técnico Hítalo Machado, que viu seu time ganhar por 3 sets a 1 em plena Arena MonteCristo.

“Vamos entrar para o tudo ou nada. O jogo será definitivo e, se quisermos continuar na temporada, temos que a levar a disputa para o terceiro jogo (...) Vamos trabalhar 150%. O MonteCristo jamais desiste e acredita na vitória”, declarou o técnico Paulo Martins, que acredita na recuperação de sua equipe.

foto: Clube Jaó/Divulgação

(Superliga) Em duelo equilibrado, Funvic/Taubaté vence JF Vôlei e abre 2 a 0

Contando com o apoio do torcedor no Abaeté, o Funvic/Taubaté venceu o JF Vôlei por 3 sets a 1, parciais de 25/15, 14/25, 25/18 e 26/24, pelo segundo jogo das quartas de final da Superliga 2016/2017. Com o resultado, o time paulista abriu 2 a 0 na serie melhor de cinco partidas e com mais uma vitória garante vaga nas semifinais da competição.

Otávio abriu o placar do jogo com ace. Com Lucarelli, o Funvic/Taubaté ainda chegou a 4 a 1. Renan passou a pontuar mais e o JF Vôlei empatou em 5 a 5. O time da casa voltou a abrir dois pontos em 8 a 6. No erro do adversário, Taubaté marcou 11 a 8. O placar foi a 13 a 9 e Henrique Furtado pediu tempo. Depois de uma bola bastante disputada, Lucas Lóh pontuou e o Funvic/Taubaté chegou a 16 a 11. A equipe da casa marcou 18 a 12. Com Lucas Lóh virando todas as bolas, o time taubateano abriu 20 a 14. Superior em quadra, o Funvic Taubaté fechou em 25 a 15.

Sem se abalar com a derrota no primeiro set, o JF Vôlei voltou bem e também contando com erros do adversário abriu 4 a 0. Neste momento, Cezar Douglas pediu tempo. Otávio abriu o placar para o Funvic/Taubaté. O time de Juiz de Fora seguiu melhor e com Renan pontuando bem fez 7 a 1. O técnico do time da casa parou de novo. Os visitantes fizeram 11 a 4 no ace de Bruno. Com domínio na parcial, o JF Vôlei chegou a 14 a 5. No bloqueio de Renan, o time mineiro abriu 11 de vantagem: 17 a 6. Sem marcação, Renan pontuou bem e o JF Vôlei fez 20 a 10. E, ao contrário do que foi o primeiro, o time mineiro fechou o segundo set em 25 a 14.

A terceira parcial começou com equilíbrio no empate em 2 a 2. Com dois bloqueios seguidos de Rapha, o Funvic Taubaté fez 4 a 2. Com Lucarelli pontuando, o time da casa fez 6 a 4. Wallace marcou e o Taubaté abriu três de vantagem: 10 a 7. O JF Vôlei reagiu, mas na bola de segunda de Rapha, 12 a 10. O grupo mineiro encostou em 13 a 14. No bloqueio de Renan, o JF deixou tudo igual: 15 a 15. Mais um ponto de bloqueio, dessa vez com Ricardo, 16 a 15. O Funvic/Taubaté reassumiu o comando do placar em 18 a 17. Com Otávio pontuando no bloqueio, a equipe da casa fez 20 a 17. Otávio marcou de novo, dessa vez no contra-ataque, e 21 a 17. Embalado, o Taubaté fechou em 25 a 18 com ponto de Lucarelli.

O Funvic Taubaté saiu na frente e abriu 2 a 0. O JF Vôlei buscou e virou o placar em 5 a 4. Com Éder, o time paulista fez 7 a 6. O set seguiu disputado ponto a ponto. A equipe da casa conseguiu abrir dois de diferença em 11 a 9 e Henrique Furtado pediu tempo. O JF Vôlei voltou a encostar em 11 a 12 e foi a vez de Cezar Douglas parar o jogo. A diferença seguiu em dois (14 a 12). Com Lucarelli, o Taubaté chegou a 15 a 12. Contando com erros da equipe da casa, o JF Vôlei chegou ao empate: 15 a 15. Otávio bloqueou e Taubaté fez 18 a 16. O JF Vôlei demonstrou bom poder de reação e empatou em 21 a 21. Novo empate em 23 a 23. No ace de Éder, 26 a 24.

“A comissão técnica apostou nesse planejamento de fazer a primeira partida fora justamente para termos a chance de fechar essa sequência dentro de casa, e é muito bom que estamos conseguindo cumprir esse planejamento. Só temos que ter cuidado. Hoje, no segundo set, demos uma vacilada, muitos erros em sequência, e, assim, eles crescem. É uma equipe jovem, o Renan vem em uma boa fase, e não podemos repetir isso na próxima partida”, declarou o ponteiro Lucas Lóh.

O terceiro jogo entre Funvic/Taubaté e JF Vôlei será na segunda-feira, às 18h30min, novamente no ginásio Abaeté. Vale lembrar que a equipe mineira precisa da vitória para seguir viva no confronto.

Equipes:

Funvic/Taubaté: Rapha, Wallace, Éder, Otávio, Lucarelli, Lucas Lóh e Mário Jr. (líbero)
entraram: Kaio, Gelinski, Renan, Vinícius e Matheus
técnico: Cezar Douglas

JF Vôlei: Rodrigo Ribeiro, Renan, Diego, Bruno, Ricardo, Rammé e Fábio Paes (líbero)
entraram: Juan Mendez, Adami, Moreno, Rômulo, Drago, Rafael e Matheus
técnico: Henrique Furtado

foto: Rafinha Oliveira/Funvic Taubaté